História Between The Sheets - Lauren g!p - Capítulo 38


Escrita por: ~

Postado
Categorias Austin Mahone, Fifth Harmony, Justin Bieber, One Direction, Selena Gomez, Shawn Mendes, Troy Ogletree
Personagens Ally Brooke, Austin Mahone, Camila Cabello, Demi Lovato, Dinah Jane Hansen, Harry Styles, Justin Bieber, Lauren Jauregui, Louis Tomlinson, Normani Hamilton, Selena Gomez, Shawn Mendes, Troy Ogletree, Zayn Malik
Tags Camren, Camren G!p, Lauren G!p, Norminah
Visualizações 723
Palavras 1.348
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Ecchi, Famí­lia, FemmeSlash, Festa, Ficção Adolescente, Orange, Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Espero que gostem!

Capítulo 38 - Lauren Jauregui


POV LAUREN - MÊS DAS FÉRIAS  

Já se passaram dois meses desde o "brincadeira" da Keana, já me acertei com a Camila; uma noite "conversando", cada uma com sua língua, e depois uma boa – e real - conversa, tinha que resolver.  

Keana e o MGK continuavam infernizando nossas vidas, querendo nos separar. Mas isso não vai acontecer hoje e nem nunca. 

MENSAGEM ON:  

Lauren: Camila, topa faze um UFC comigo? 

Camila: KE? 

Lauren: Ultimate FuCking 

Camila: Onde você acho isso? Para eu procurar também! 

Lauren: Um amigo me falou 

Camila: Hmm 

Lauren: "Hmm" vai ser minha mão na tua cara 

Camila: Nosfa 

Camila: Lo, você acha que o dinheiro pode comprar a felicidade? 

Lauren: Não. 

Lauren: Meu dinheiro não comprou você 

Camila: MEU DEUS VOCÊ É MUITO FOFA! QUERIA TE SOCAR MUITO AGORA 

Lauren: PORRA, E É ISSO QUE VOCÊ FAZ COM COISA FOFA? 

Camila: É que dá uma vontade de apertar e esmagar. SEI LÁ 

Lauren: Por isso você me morde! Já está pronta para a festa? 

Camila: Sim, passa aqui? 

Lauren: Chego aí em 10 minutos 

MENSAGEM OFF 

Chego em sua casa e bato na porta, depois de uns segundos Suni abre, cumprimento-a e sento no sofá. Depois de um tempo Alejandro aparece carregando Sofia nas costas e rindo. Quando me vê a pequena desce das costas do pai e me dá um abraço apertado, logo Alejandro também me abraça e grita para a Camila descer. Depois de uns minutos de conversa, finalmente Camila aparece nas escadas. Estava usando uma blusa de manga longa com ombro e barriga aparecendo, com uma estampa de... flores? Um allstar e uma calça branca. 

– O que vocês estavam falando de mim?  

– Eu estava mostrando essas fotos suas, mija. - Sinu fala, mostrando o celular para ela. 

– Pelo amor de Allysus, apaga isso! - Fala. – E você - aponta para mim. -, vamos logo. 

– Sem nenhum abraço e beijo? - Falo. Ela me abraça e dá um selinho rápido. 

– Se você se comportar será melhor recompensada! - Sussurrou rápido em meu ouvido. 

Camila e eu nos despedimos dos pais dela e da Sofia, que estava com uma fechada por não poder ir para a festa.  

Não me importaria muito se fosse, não vejo um problemão nisso, era só ficar de olho nela o tempo todo e manter ela junto... Deixa ela em casa mesmo, né?! 

– Sabe, você deveria usar mais calça branca. - Digo, prestando atenção na estrada. 

– É muito bonita essa calça mesmo! Olha esse tecido... - Passa minha mão em sua calça. – É perfeito! 

– É mesmo, parece bem confortável! - Concorda. – Mas deve ser ainda mais confortável sem ela. - Pontuo. 

– Eu estava com vontade de descobrir isso mesmo. - Fala, "pensativa". – Sabe aquela sensação de... Sabe quando você tira o sutiã e passa a mão por todo aquele lugar... - Fecha os olhos e arqueia a cabeça. – Ah... 

– Calma, não precisa se animar assim. - Falo. – E nem quero ver você tirando e ficando... - aponto para ela – assim... - Digo, mas fiquei pensando se estava tentando convencer a mim mesma ou a Camila. 

– Certeza que você não quer me ver assim...? - Pega minha mão e coloca em seus seios e arfa. Desce mais minha mão, me fazendo tocar toda sua barriga e desloca vagarosamente minha mão mais para baixo. 

– Camila... 

– Você quer mesmo ir para essa festa? - Pergunta – Vamos para a sua casa ver algum filme com a Tay e a Sofi, por favor! 

– Camila, nós já confirmamos com as meninas e estamos atrasadas. 

– Estamos atrasadas porque você demorou 20 MINUTOS para chegar na minha casa. 

– Eu preciso beber! - Digo. 

– Eu preciso dormir! - Camila responde. 

– Pode dormir, depois te acordo. 

Ela deita a cadeira e vira o rosto em minha direção de olhos fechados, depois de um tempo já conseguia ouvir sua respiração pesada e murmúrios baixos. Decidi continuar dirigindo, totalmente sem rumo, apenas dando um tempo para ela dormir e relaxar. Algumas vezes ela dava uns espasmos na perna esquerda e eu quase ria. Quase.  

Percebi que enquanto ela dorme fica com uma expressão séria, porém relaxada e... Não sei explicar! Não sei explicar também como era a sensação de vê-la dormir! Era uma mistura de sentimentos... Às vezes dava vontade de rir, mas ao mesmo tempo dá um vontade de apenas observá-la dormir embaixo dos lençóis brancos da cama do meu apartamento; observá-la todos os dias e noites.  

Suas expressões. 

Suas curvas. 

Como posso ser tão sortuda de ter alguém assim?; penso.  

Perdida em meus devaneios não percebo que a Camila acabara de acordar e me observava. Mas ao invés de ficar assustada, estava com uma expressão tranquila em seu rosto, apenas colocou a mão na minha coxa e voltou sua atenção a estrada. 

Sem dizer uma palavra. 

Calada, voltei a dirigir para o colégio, demorou cerca de uma hora e meia para chegarmos. Estacionei um pouco longe da entrada pois tinha um lugar, descemos e fomos para a quadra - onde seria a festa - e procuramos as meninas. Quando finalmente encontramos elas, levamos uma bronca. 

– Jauregui, você inventa de atrasar mais de uma hora e nem liga para avisar? - Dinah pergunta, irritada, provavelmente soltando fumaça pelas narinas. 

– Desculpa. - Falo. 

– Vamos beber, estou precisando. - A acompanho até a mesa do ponche. – Ponche não, eu trouxe isso. 

– Vodka e tequila. Dinah Jane você é um dos melhores seres humanos! - Abraço ela. – Mas como você comprou? 

– Com dinheiro. Em um bar perto daqui, as pessoas que viram estão naquele canto bebendo mais uma vodka que eu trouxe. 

Bebemos muito, dançamos muito e fomos muito no banheiro. Estava enxergando todas as pessoas embaçadas e duplicadas, mas estava me divertindo muito. Dançava com as meninas que estavam piores que eu. Em algum momento a Camila parou de dançar comigo e foi para a mesa de ponche, depois de segundos já estava de volta. 

Começamos a dançar uma de frente para outra, tentávamos conversar, coisa que não era bem sucedida pelo volume alto da música. 

– Lauren, eu acho que é melhor irmos, minha mãe disse para voltarmos antes da maia noite. 

– Você virou a bela adormecida agora? 

– É cinderela, Lauren! Vamos! - Tenta me puxar. 

– Calma! Tenho que te contar algo! - Faz sinal para eu continuar. – Eu estava pensando a muito tempo sabe... e acho que deveria te dizer que eu te amo. 

– Você o que? - Perplexa, sua expressão. 

– Eu te amo. Eu, Lauren, ama ou é amo... você, Camila. Eu coração você. - Dou vários exemplos para tentar cessar sua expressão assustada. – Sabe, não quero te apressar nem nada, mas é que quando alguém fala que te ama é legal você falar de volta, sabe?! 

– Mas não posso dizer algo que não sinto. - Fica com uma cara de raiva. –  Estaria mentindo para mim e para você e não quero que se machuque! - Segura em meu braço. – Ops... Forte! Mas não posso mentir para mim mesma Lauren. Não é possível que eu te ame. 

– Por quê? - Pergunto chorosa. 

– Não dá. Talvez outra pessoa ame mas não eu. Nada que tivemos foi real, fiz tudo isso para. Não me interrompe! Agora é sua vez de escutar. - Continua. – Por favor, não apareça mais na minha vida, não me procure, não vá na minha casa. Está tudo acabado! 

Fala tudo rápido e se torna difícil de processar tudo... Fico parada mais confusa que antes, minha cabeça doía e não tinha ninguém para me ajudar. Rapidamente passo esbarrando em todos para sair daquele lugar...  

No estacionamento, um pouco longe do meu carro, vomito todo meu jantar. 

Entro no carro e começo a chorar, estava difícil encaixar a chave. Quando finalmente o faço dirijo direto para a praia.  

Começo a andar pela a areia da praia, pensei em entrar, mas estava frio fora da água fico imaginando dentro. Sento na areia perto do mar e fico observando a Lua por alguns segundos antes de minha começa a fica escura.  

Acordo com a luz do Sol no meu rosto, com uma dor de cabeça imensa e uma figura ao meu lado. 


Notas Finais


Espero que tenham gostado! <3
um dia depois, mas QUE VÍDEO FOI AQUELE DA CAMILA EU MORRI E VOLTEI OU AINDA TO MORTA SEI LA


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...