História Between The Strings Of A Violin - Capítulo 5


Escrita por: e Dorito_Quebrada

Postado
Categorias Steven Universe
Personagens Ametista, Garnet, Garnet, Greg Universo, Lápis Lazuli, Peridot, Pérola, Rose Quartzo, Rubi, Safira, Steven Quartzo Universo
Tags Amethyst, Ametista, Fic-despertador, Garnet, Greg, Lapidot, Lápis-lazuli, Pearl, Peridot, Perola, Rose, Steven, Thacryba
Visualizações 116
Palavras 3.985
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, Fluffy, LGBT, Musical (Songfic), Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá pessoal!

Antes de começar o capítulo, quero agradecer mais uma vez à Dorito_Quebrada! ^^ Cara! Vou emoldurar seus desenhos e ficar olhando pra eles pra sempre! *u*
Sério!!! Muuuuuuuito obrigada!!! ^^ ❤💙😊 (Emocionei de novo...)

Vou deixar vocês lerem o capítulo agora... É um capítulo especial! ^^

Espero que gostem ^^
Bora lá!

PS: Então... Desculpem pelo horário... Teria postado mais cedo se eu não tivesse tido um infarto com o Word... (Por um momento pensei que tivesse perdido cerca de 11 histórias com sei lá quantos capítulos... Imagina o desespero da pessoa?)

Enfim... Morri, mas passo bem... 😓 😖

Capítulo 5 - Together and Apart


Fanfic / Fanfiction Between The Strings Of A Violin - Capítulo 5 - Together and Apart

Agora a garota de Galway e a britânica de Southampton se encontravam mais frequentemente. Essa mudança de rotina não passou desapercebida, tanto o grupo de músicos quanto o de negociantes desconfiavam do que se tratava, porém ninguém se arriscava a perguntar... Isto é, até que Steven de um lado e Ruby de outro, resolveram que não aguentariam mais. Peridot estava se arrumando para sair com Lazuli, terminando de ajeitar sua gravata azul quando Ruby apareceu, farejando o ar:

- Esse é o perfume do seu pai?

- Hm? – Peridot se virou para identificar quem lhe dirigia a palavra, depois voltou sua atenção à gravata – Ah, sim senhora!

Ruby ergueu a sobrancelha, cruzou os braços e se encostou na parede, analisando-a dos pés à cabeça.

- Só usa o perfume do seu pai quando tem um encontro...

- Oras! – Peridot olhou Ruby com a sobrancelha erguida – Não posso me arrumar e me perfumar pela simples razão de querer?

- Pode! Mas não o faz. – a loira ficou em silêncio – É a Kathleen, não?

- Você que não é.

- ... ... ... Não vai me contar?

- Você é enxerida demais, Scarlett.

- Eu quero saber!

- Isso não interessa a empresa, então não vai ficar sabendo.

Ruby franziu a testa e saiu do quarto, ela iria seguir Peridot e descobrir sozinha.

Enquanto isso, no quarto de Lapis, a moça terminava de passar seu batom enquanto cantarolava feliz. Steven parou na porta da moça, a observando com curiosidade. Ele tinha suas suspeitas, mas não queria perguntar diretamente. Como alguém perguntaria algo desse naipe? Não, ele teria que descobrir sozinho!

Steven avisou Rose que sairia e esperou Lapis sair, lhe dando um minuto de vantagem para segui-la. A morena andou sozinha por dois quarteirões até encontrar Peridot com um de seus ternos um tanto mais formais que os outros. Lapis levou uma bronca da loira, porém o moreno não conseguiu ouvir. Sabia que era uma bronca pela expressão de Peridot. Lazuli ficou desconcertada, mas tudo ficou bem.

A loira ofereceu o braço a morena e ambas andaram tranquilas pela rua. No entanto, elas sabiam que estavam sendo seguidas. Lapis olhou de soslaio para trás e sorriu.

- Teremos um convidado infiltrado.

- Eu sei. Scarlett queria descobrir...

- Scarlett?

- Sim... De quem está falando?

- Estava falando do meu irmão atrás de nós.

Peridot olhou discretamente e viu Steven.

- Então temos dois intrusos.

- Onde Scarlett está?

- Na outra calçada, de sobretudo e chapéu preto... Andando ao nosso lado... – uma ideia surgiu na mente de Peridot – Tem fôlego para uma longa caminhada?

- Isso não vai funcionar com Steven...

- Eu sei, nem com Scarlett... É só por... Diversão! – Peridot sorriu de canto para Lapis.

- Vamos ao bar do velho O'Connel... Pelo caminho mais longo! – Lapis sorriu em retorno – Será que eles vão se encontrar em algum momento?

- Creio que sim... Isso será cômico!

- Sim! – Lapis disse rindo – Mas antes... Vamos até o píer olhar os navios atracados?

- Hum... Vamos!

E, de uma vez e sem aviso prévio, o casal deu meia volta, continuando a caminhar. Elas viram Ruby tropeçar em algumas pessoas na esquina e Steven olhar de um lado para outro e se apinchar no arbusto da sapataria. Precisaram segurar o riso diante da cena.

- Discretos como um pouso de albatroz... – Peridot comentou entre risos.

O casal atravessou o rio e chegou no píer em menos de uma hora. Peridot contou dezoito embarcações de diversos tipos diferentes. Os mais luxuosos são os maiores.

Lapis se aproximou da cerca, cruzando os braços e se apoiando na grade. Ela respirou fundo e fechou os olhos. A brisa suave brincava com seu cabelo, esfriando seu rosto. Os ouvidos da jovem identificam as ondas quebrando no mar, balançando os cascos dos navios, os piados das gaivotas, os passageiros e funcionários do píer andando, falando ou gritando. Seus pulmões identificavam o ar húmido e gelado do litoral contrastando com o calor do sol em sua pele.

Um odor agradável chegou ao nariz de Lazuli, fazendo seu estômago se contrair. Ao abrir seus olhos, a morena viu uma porção de batatas fatiadas e fritas, douradas, quentes e cheirosas bem a sua frente.

Peridot segurava a bandeja com firmeza, enquanto Lapis olhava intermitente entre as batatas e o rosto da loira.

- Não é pavê, é batata! Pode comer! – Peridot disse com um sorriso.

- Essa é antiga! – Lazuli riu e pegou uma batata.

- Não... As batatas são frescas... – Peridot se serviu de uma também.

- Eu não sei se te dou um beijo, se te dou um safanão ou ambos... Por sinal... Onde estão Scarlett e Steven?

Peridot mirou o horizonte discretamente procurando os intrusos na paisagem. Haviam algumas mesinhas postas para fora do restaurante de onde a loira havia acabado de sair, na mais distante, escondido atrás de um folheto de turismo, havia Steven. Atrás de Steven existe um arbusto separando o restaurante da loja de suvenires ao lado. Esse arbusto atraia o olhar de todos os transeuntes por um motivo peculiar.

- Steven está sentado na mesinha aqui atrás de nós... Scarlett... Está enfiada no arbusto atrás de Steven...

- O arbusto de chapéu?

- Exatamente esse.

- Incrível como eles ainda não se viram...

Lapis apoiou a mão em uma mesinha ao seu lado, esmagando um saquinho esquecido ou abandonado. Dentro, a morena descobriu ter um bom punhado de migalhas de pão. A mente da garota fervilhou com uma ideia. De imediato, Lazuli puxou o braço de Peridot e sussurrou a ideia em seu ouvido, fazendo-a sorrir ao imaginar a cena.

Após tudo estar preparado, Lapis viu um grupo de crianças brincando com uma bolinha feita de meias pouco a frente da loja de suvenires. Fingindo uma visita na loja, Peridot chamou a atenção de um menino moreno baixinho com algumas sardas e um ar de sapeca.

Após um suborno, o menino pegou o saquinho e, continuando a brincadeira com seus amigos, “acidentalmente” jogou as migalhas em Steven e no arbusto onde Ruby se escondeu.

Peridot e Lapis se esconderam e observaram Scarlett se enfurecer e sair de seu esconderijo num pulo, assustando Steven e alguns transeuntes desavisados.

- S-Steven?!

- Senhorita Ruby?!

- Sou senhora... Mas isso não importa! O-O que você está fazendo aqui?!

- E-Eu?! E você? O que fazia no arbusto?

- ... ... ... E-Estou seguindo Richard.

- Por?

- Suspeitas. E você?

- Seguindo minha irmã.

- Por?

- Suspeitas... Acha que eles estão juntos?

- Sim. E você?

- Sim. Desde quando está nessa perseguição?

- Desde que Peridot saiu do apartamento... Você?

- Desde que Lapis saiu do apartamento... Como não nos encontramos?

- Eu não sei... Ai!!!!

Nesse momento, atraídas pelas migalhas espalhadas pelo chão, dezenas de gaivotas caíram do céu em um mergulho controlado. Infelizmente, as migalhas do chão acabaram rápido então, o alvo passou a ser as migalhas presas nas vestes e cabelos de Steven e Ruby.

A dupla saiu correndo a uma velocidade astronômica, tentando cobrir suas cabeças com seus braços, recebendo várias bicadas por todo o corpo. Scarlett conseguiu se livrar das migalhas e sair da área de ataque das aves, mas para a infelicidade de Steven, haviam algumas migalhas presas em suas calças que, para a felicidade das gaivotas, ficaram desprotegidas. Lapis caiu na gargalhada ao ver o irmão sair pulando e berrando com três gaivotas batendo freneticamente as asas e penduradas pelo bico em seu traseiro.

Depois de rirem bastante, Lapis e Peridot verificaram se não havia sinal da dupla intrusa e correram em direção ao seu destino inicial de mãos dadas, terminando de comer as batatas fritas e rindo com os comentários e lembranças da pegadinha.

- Foram as dez libras mais bem gastas da minha vida! – Peridot disse entre risadas – Nunca me esquecerei da cara da Scarlett quando as gaivotas começaram a chegar!

- Nunca vou esquecer do jeito do meu irmão correndo com as três gaivotas presas em sua retaguarda!

Lapis foi diminuindo o passo até parar, olhando para todos os lados antes de elevar sua mão esquerda, fazendo carinho na bochecha da amada, decorando cada detalhe do rosto da loira, se demorando sem seus olhos verdes brilhantes e sorridentes. Peridot cobriu a mão de Lazuli com a sua própria, sentindo os dedos frios e delicados da morena absorverem um pouco de seu próprio calor.

Elas não precisavam de palavras para se comunicarem, bastou um olhar para seus rostos se uniram em um beijo singelo e atrasado devido à dupla de espiões que os seguia, porém extremamente apaixonado. Elas precisavam cada vez mais da presença da outra. Elas se perguntavam como conseguiram viver tantos anos sem isso que elas tinham agora.

Antes de conhecer Peridot, Lapis era um violino sem uma de suas cordas. Sua música saia bonita, simples e melodiosa, porém não conseguia alcançar certos arranjos.

Quando ambas estão juntas, é como se Peridot doasse uma corda para Lazuli, fazendo seu violino ficar completo e, consequentemente, transformar sua música simples de um violino incompleto em um dueto complexo, quase uma sinfonia. No entanto, uma vez descoberto esse maravilhoso e doce dueto, seria possível voltar à um solo incompleto?

Lapis abriu os olhos, vendo sua amada em seus braços, mas por quanto tempo poderiam ficar assim? O fatídico dia da separação é inevitável e está se tornando próximo e isso deixa o coração da morena dolorido.

- Está tudo bem? – Peridot perguntou ao ver os olhos azuis de sua amada imersos em um tom avermelhado.

- Está sim. – Lapis forçou um sorriso – Estou emocionada... Só isso...

A loira analisou Lazuli com desconfiança, mas acabou por aceitar, sorrir e, por fim, dar um beijo na ponta do nariz de Lapis.

- Vamos ao bar, senhorita Lazuli?

- Sim senhorita!

Assim, o casal seguiu ao seu destino inicial.

O bar do velho O'Connel está lotado e animado. No palco, um ruivo com forte sotaque britânico tocava violão, acompanhado por três cantores mais animados ainda.

Cantando com o dono do bar e seu Kilt haviam duas mulheres. Uma de cabelo castanho, curto e levemente espetado, com uma franja longa sobre o olho esquerdo, olhos azuis, trajando uma camisa social marrom e calças cinza e a outra de cabelos castanhos claros, curtos até os ombros, olhos amendoados, trajando uma camisa branca, gravata borboleta verde escuro e calças marrom, presas com suspensório do mesmo tom da gravata.

A moça de olhos azuis reconheceu Peridot, chamou a atenção de seus companheiros e desceu do palco, sendo seguida pelos outros.

- Olha quem o vento trouxe! Peridot!

- Olá Sarah! Quanto tempo! Olá Katie! Senhor O'Connel... E... Perdão, mas não te conheço... – Peridot disse ao ruivo.

- Ah! Sou Edward... Mas pode me chamar de Ed.

- Prazer Ed. – Peridot disse com uma reverência – Sou Peridot.

- Bom! Meu amigo... – o senhor O'Connel interrompeu a conversa – Alguém precisa continuar tocando! Vamos voltar ao palco?

Edward olhou em volta e assentiu, voltando ao palco, acompanhado de seu violão e do dono do bar. Katie e Sarah se entreolharam. Foi uma excelente ideia ter trazido Edward para esse passeio.

- Então... Olá! – Katie saudou Peridot com um aceno e um sorriso – Vejo que está bem acompanhado...

- Ah! Sou Lapis... – a morena estendeu a mão para cumprimentar Katie e depois Sarah.

- Lapis Lazuli. – Sarah disse com um sorriso.

- Isso mesmo.

- Provavelmente não se lembra, mas já nos conhecemos... Algumas vezes... – Lapis e Peridot se entreolharam confusas – Mas não se preocupe! Não é para se lembrar de mim... Exceto você, Peridot!

- Fiquem tranquilas, me lembro muito bem de vocês... Por sinal... Onde está meu caderno?

- ... ... ... Eu não te devolvi?

- Não... E isso faz séculos!

- De fato... Ah! Acho que sei onde está! Já volto! – Sarah se virou e correu para fora do bar.

Um silêncio se fez presente, fazendo com que a melodia tocada pudesse ser apreciada. Edward produzia uma música alegre, fazendo todos se animarem. Ninguém de fato conhecia as músicas, mas isso não impedia ninguém de cantar ou tentar cantar.

- Ele é bem descontraído no palco. É um artista? – Lapis perguntou depois de ouvir uma de suas músicas.

- Sim! Um artista muito conhecido. – Katie respondeu – B-Bom... Pelo menos de onde viemos...

- Suas melodias e arranjos são curiosos... – Peridot disse, observando o ruivo no palco – De onde vocês são?

- Ah... Bom...

- Achei! – Sarah correu e parou bem a frente da loira balançando um caderno pequeno com capa de couro preto – Tomamos a liberdade de escrever uma música nas últimas folhas... Espero que goste.

- Ah! Interessante...

Peridot abriu o pequeno livro e folheou até achar a música. Lapis olhou de soslaio e percebeu que a música está em uma língua diferente.

- É Gaélico?

- Sim senhorita! Conhece bem?

- Não muito, mas consigo identificar algumas palavras... Isso é muito interessante! – Lapis pegou o livro e começou a lê-lo.

- Então... Gostaram de meus contos? – Peridot perguntou a Sarah e Katie.

- Sim! Muito! São curiosos e captam um ângulo diferente do mundo. – Sarah disse com a mão no queixo – Tem traços modernos da época contemporânea, mas... Ah! Estou falando demais! Vamos aproveitar esse momento! Senhor O’Connel, queremos alguns copos!

- Sarah... Não acho que seja uma boa ideia bebermos desse jeito... Eu não sei dirigir aquele treco e não quero parar na idade da pedra e ter que ensinar como que raspa duas pedras pra uma galera que veste pele de bicho! – Katie disse firme.

- ... ... ... Tem razão... Vamos ficar no bom e velho chá! Mas vocês dois não precisam economizar! – Sarah disse para o casal – Senhor O’Connel que... Pelos céus de Andrômeda!

Sarah se virou e viu o dono do bar agachando e levantando, dançando animado no palco. O senhor estava mostrando bem mais do que qualquer um gostaria de ver. Peridot corou e arregalou os olhos, Katie olhou de relance e logo virou de costas, se arrependendo amargamente de sua curiosidade, Lapis e Sarah correram para o palco a fim de distrair o dono e evitar que outros clientes vejam tal cena. Sorte que todos curtiam a música e nem prestavam atenção no dono desleixado. Com a desculpa de querer pedir bebidas, as duas conseguiram evitar o desastre.

Uma vez fora do palco, Katie, Sarah, Lapis e Peridot pediam canecas e mais canecas de chá para as primeiras e diversas bebidas diferentes para as restantes. Após duas horas, Lapis e Peridot haviam ficado um tanto alegres, toda a história da vida de Lazuli já havia sido contada e, não poderia faltar numa roda de conversa de viajantes, várias aventuras foram compartilhadas.

Quando uma certa fome atingiu o grupo, Katie foi buscar um tipo de aperitivo diferente chamado Doritos, uma espécie de tortilha coberta por um pó feito de queijo. Algo nunca antes visto.

Depois de alguns pacotes do tal aperitivo e várias canecas e garrafas, Peridot se levantou cambaleando e estendeu a mão para Lapis, pedindo uma dança. Aos tropeços e pisoes, elas dançaram algumas músicas. Lazuli até se arriscou a cantar algo um tanto embaralhado, mas bonito. Peridot ficou absolutamente encantada com a voz de sua amada.

Katie e Sarah observaram a cena de longe até que tiveram uma ideia. Katie, vendo o jeito da amiga, perguntou em um sorriso:

- Tá pensando o mesmo que eu?

- Com certeza tô!

- Então vamos senhorita Riddle? – Katie se levantou e estendeu o braço para Sarah.

- Vamos senhorita Doriots! – Sarah aceitou e ambas se dirigiram ao palco, onde trocaram ideias com Edward.

A música parou por um momento, resultando em reclamações e desaprovações, os holofotes estão mirados nas três pessoas no palco. Logo, Edward começou a tocar seu violão e cantar:

- She played the fiddle in an Irish band! But she fell in love with an English man. He kissed her on the cheek and then he took her by the hand. He said, "Baby, I just want to dance".

Lapis e Peridot pararam de dançar e olharam com curiosidade para o palco. Então Katie e Sarah começaram a cantar em sincronia, acompanhando a batida com palmas e batidas de pé:

- He met her on Grafton street. Right outside of the bar! She shared a cigarette with him. While her brother played the guitar.

O casal na plateia se entreolhou surpresos, não acreditavam que aquela música seria para eles.

- She asked me what does it mean. The Gaelic ink on your note? He said it was one of his friend's songs... – Katie arrumou sua gravata com uma piscada para Peridot – Do you want to drink on?

- She took Jamie as a chaser, Jack for the fun.

- She got Arthur on the table with Johnny riding a shotgun.

- They chatted some more, one more drink at the bar. – Edward cantou essa parte – Then listen some Ed on stage, they got up to dance!

E os três cantaram em coro:

- You know, she played the fiddle in an Irish band. But she fell in love with an English man. He kissed her on the cheek and then he took her by the hand. He said, "Baby, I just want to dance". With his pretty little Galway Girl! You're his pretty little Galway Girl!

Os três apontaram para Lapis que corou um pouco.

- You know she beat him at darts! – Katie cantou.

- And then she beat him at pool! – Sarah completou.

- And then she kissed him like there was nobody else in the room. – agora foi a vez do ruivo.

- As last orders were called.

- Was when she stood on the stool!

- After dancing to Cèilidh singing to trad tunes.

- We never heard Carrickfergus ever sang so sweet.

- A capella in the bar using her feet for a beat.

- Oh, we could have that voice playing on repeat for a week!

- And in this packed out room... Swear she was singing to him!

E novamente o coro:

- You know, she played the fiddle in an Irish band. But she fell in love with an English man. He kissed her on the cheek and then he took her by the hand. He said, "Baby, I just want to dance". His pretty little Galway Girl! La, la, la, la, la, la, Galway Girl! – a plateia acompanhava o conjunto – La, la, la, la, la, la, Galway Girl! La, la, la, la, la, la, Galway Girl!

- And now we've outstayed our welcome.

- And it's closing time.

- He was holding her hand, her hand was holding his.

- Our coats smell of smoke, whisky and wine.

- As we fill up our lungs...

- With the cold air of the night.

- He walked her home then she took him inside...

- To finish some Doritos and another bottle of wine.

- I swear we’re gonna put you in a song that we write!

- About a Galway Girl and a perfect night...

E um coro final com todo o estabelecimento cantando ao mesmo tempo:

- She played the fiddle in an Irish band. But she fell in love with an English man. He kissed her on the cheek and then he took her by the hand. He said, "Baby, I just want to dance". His pretty little Galway Girl! La, la, la, la, la, la, Galway Girl! La, la, la, la, la, la, Galway Girl! La, la, la, la, la, la, Galway Girl!

Quando o violão deu seu último acorde, o bar explodiu em aplausos e assobios. Sarah desceu do palco e puxou Lapis e Peridot. O grupo deu as mãos e fez uma grande reverência em agradecimento. O casal ficou com as bochechas muito coradas pelo momento.

A festa durou mais algumas horas com muitas músicas e danças e, devido aos diversos pedidos, a canção nomeada como “Galway Girl” foi repetida nada menos que cinco vezes durante o período. Lapis começou a ensinar alguns passos irlandeses para Peridot e quem mais quisesse aprender, o dono do bar precisou ser tirado do palco alguma dezena de vezes por causa de sua empolgação. Foi, sem dúvida, a melhor festa que o bar do senhor O’Connel já abrigou.

Quando a hora de fechar chegou, não havia uma pessoa definitivamente inteira, todos estavam absolutamente cansados, embora quisessem repetir a dose mais outras vezes. Haveria uma grande ressaca em massa no dia seguinte, isso é certo, porém ela valerá a pena.

Sarah precisou do apoio de seus amigos para conseguir voltar ao seu dormitório, suas pernas não conseguiam se mover direito de tanto que ela dançou.

Lapis e Peridot voltaram de mãos dadas e cantarolando. A música feita para elas ocupava todo o espaço de sua mente e, junto com as lembranças desse dia especial, também foi guardada em seus corações.

Chegando no hotel onde Lapis está hospedada, o casal foi recebido por todos os músicos acordados. Tanto Steven quanto Scarlett estão machucados e enfaixados em alguma parte do corpo. Eles ficaram frustrados por terem perdido o rastro do casal e resolveram voltar para trás, parando nos MacDonovan para tratar seus arranhões e bicadas.

Como Lapis já estava no conforto de seu lar, Peridot se despediu de sua amada sob os olhos atentos e curiosos de Steven e seguiu com sua parceira, Ruby, cantarolando as músicas da festa até sua hospedagem. Naquela noite, Peridot dormiu sorrindo, pensando em sua Lapis.

Os dias foram se passando, felizes, mas de forma rápida. A estadia do grupo de músicos está chegando ao fim e isso preocupa Lapis. A garota estava fazendo os últimos ajustes no Packard quando Peridot apareceu em um de seus trajes formais conhecidos.

A loira abraçou sua amada, a saudando com um beijo singelo, porém apaixonado, mas ela percebeu que os olhos de Lazuli estavam tristes e preocupados com alguma coisa.

- O que te preocupa, my lady?

- Ah... Não é nada. – Lapis tentou disfarçar com um sorriso.

- Pode me falar. Eu sei que tem alguma coisa. – Lapis entristeceu e começou a olhar para baixo, apertando as mãos de Peridot entre as suas.

- Já estamos nos preparando para partir... Daqui a dois dias estaremos embarcando rumo a Dinamarca.

- Lapis...

- Não posso te pedir para me acompanhar. Eu sei que pedir isso seria egoísmo e que... Que esse dia de partida chegaria, mas... Mas não estou preparada para isso!

Peridot envolveu sua amada em um abraço que foi correspondido de imediato. A loira não sabia o que dizer, não sabia o que fazer. Ambas sabiam que era apenas momentâneo, apenas uma aventura, embora nunca tivessem aceitado.

Lapis aninhou a cabeça no ombro de Peridot e esta teve uma ideia para animar sua amada:

- Vamos aproveitar esses dois dias que nos restam. – Peridot disse desfazendo o abraço – Diga o que quer fazer!

- Ah... N-Não sei...

- Qualquer coisa! Basta dizer! – Lapis encarou os olhos verdes de Peridot e suspirou.

- Quero te conhecer... Ao menos uma vez, te conhecer como Raven. – Peridot emudeceu, seu sorriso sumiu e ela ponderou por alguns segundos antes de voltar a sorrir.

- Esta noite, my lady.

- Esta noite... Ah! E seu automóvel já está consertado.

- Essa lata velha... Nunca agradeci tanto por isso ter quase me matado...

- Hum?!

- Se não fosse por aquele poste e isso, nunca teríamos nos conhecido e eu provavelmente nunca teria me apaixonado pela senhorita.

Peridot trouxe Lapis para perto pela cintura. Esta apoiou as mãos no rosto daquela, unindo seus lábios de forma calma. Por mais que ambas não quisessem transparecer, estavam preocupadas e seus corações tristes. Peridot ainda pensava em algum plano, precisava de um plano.

- Agora, desculpe-me, mas preciso fazer alguns preparativos...

E com um beijo na mão de Lapis, Peridot se despede e volta para seu hotel deixando sua amada para trás com um meio sorriso.


Notas Finais


Hehe, temos o tema Song fic por uma razão hehe ^^

Até a próxima! ^^ Espero que meu editor não me assuste mais!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...