1. Spirit Fanfics >
  2. Between truths and lies of eternal love >
  3. Aceitando a verdade.

História Between truths and lies of eternal love - Capítulo 5


Escrita por:


Notas do Autor


Boa leitura.

Capítulo 5 - Aceitando a verdade.


Jared

Algumas semanas depois 


"- ME SOLTA... ME SOLTA... SAI... SAI... NÃOOOOO..."


Despertei com os gritos da Amber a retumbante em minha mente, gritos esses que vinham perturbando os meus pesadelos já existentes...

- Ei, bro. - chamou o Shannon, a adentrar o meu quarto. - Mais um pesadelo? - perguntou a me extender a mão com uma xícara de chá. 

- Obrigado, bro. - agradeci, tomando o líquido em um gole só,  já que não estava tão quente, deixando a xícara sobre o criado mudo. Como estava com o corpo molhado de suor, sai da cama e fui direito para o banheiro. Sendo seguido pelo Shannon. 

- Eu já não tenho dormido direito, por conta da morte daquele homem. E agora isso. - falei chateado, a retirar a camiseta e a boxe e ligar o chuveiro. - Por mais que isso se resolva. Eu sinto que vou precisar retornar para terapia. - confessei, a deixar que a água quente caísse sobre os meus ombros. 

- O que aconteceu realmente, Jay? - indagou o meu irmão, a se sentar no balcão de mármore da pia. 

- Sabe quando eu te contei que eu vi algo de diferente nela. - falei, a molhar os cabelos. 

- Sim, você comentou. 

- Pois bem... - disse, a pegar o shampoo. - Nós nos beijamos e foi algo tão perfeito, bro. - contei a lavar os cabelos. - Eu não fui afoito, por mais que eu sinta um desejo intenso por ela. O que eu quero dizer é que eu não passei dos limites. Eu a beijei... 

- Com amor. - completou, me fazendo olha- lo. - Você sempre foi louco por aquela garoto, Jared.  Eu nunca vou esquecer o quando eu te vi sem chão, depois que você a deixou. - revelou cabisbaixo. A balançar os pés. 

- Eu... enfim. A questão é nós beijamos eu não passei dos limites e ela surtou, Shan. - contei a retirar a espuma dos cabelos. - É aos poucos ela foi parado o beijo até que começou a gritar e me afastou com força , para longe dela. Ela é pequena toda delicada, mas ela me afastou com uma forma tão intensa. 

- É depois? 

- Eu me assustei. E ela ficou parada, aqueles olhos tão lindos estavam distantes, como se ela estivesse em uma espécie de transe. - respondi, a terminar de me banhar.

O Shannon pulou da pia e voltou para quarto em silêncio.
Eu me enxuguei, vesti um roupão e enrolei uma toalha em volta dos cabelos, retornando para quarto.

- Você sabe o que isso significa, bro? - perguntou, parado próximo a janela. 

- Eu sei sim, Shan. Só que eu não quero pensar que um filho da puta machucou ela. - respondi, ciente de que aquela atitude era reflexo de algum trauma. - Eu não sei o que eu faria, se visse um homem desse na minha frente. - falei, com raiva a olhar para um ponto qualquer do quarto. 

- Mataria? - perguntou, com um leve deboche. 

- Sério, Shannon? - indaguei a encara-lo. 

- O quê?! Eu mataria. - falou, a mexer os ombros. - E se eu bem te conheço, você mataria sim, Jared. Você e calmo e compreensivo nós momentos certos, mas quando se trata de injustiça, você virá o demônio em pessoa. E por ela, você mataria sim. Primeiro por amor, por que eu nunca te vi assim, por mulher alguma. A Amber não foi só um caso de verão que você usou e caiu fora, como tantas daquela época e outras tantas até agora. Você não transou com ela por que você a amava. 

- Shan... 

- Cala a boca e me escuta, Jared. - falou, impaciente. - Você tem que parar de se torturar e, parar de viver amorosamente em um círculo que não vai te levar a lugar nenhum. A Amber pode estar profundamente machucada por causa de uma relação que não deu certo. Mas, ela se permitiu depois de anos se aproximar de você novamente. Ela também te ama, bro. Então por favor, depois que isso terminar te declara pra ela? - pediu, por fim, pegando a xícara que ele me trouxe chá e saindo do quarto, me deixando sozinho a  divagar...


"Ele estreitou o olhos e cruzou os braços sobre o peito. - Você ainda sente alguma coisa por ela? - indagou sério. - Seja franco, Leto. Você ainda é apaixonado pela Amber?

Eu vi ela sair pela porta que dava para um jardim, parecendo andar com pressa. Como se estivesse fugindo.

- Leto? 

-  Desculpa. - pedi, a voltar o olhar para figura de semblante fechado a minha frente. - A verdade é que eu sempre amei a Amber, Will. - declarei, sentindo um peso em peito desaparecer. - É antes que você, indague se e realmente amor, eu te afirmo com todas as letras que sim. Eu amo aquela garota. Foi amor ao primeiro instante que eu a vi. Eu só não quis viver isso naquela época, por que ... 

- Você queria comer umas garotas por aí. - falou, com um ar debochado, a me interromper. - Você disse não a ela, porque a amava. Você não achava justo viola- lá e cair fora. 

- Sim. Eu não quis seguir a diante naquela relação, pois não seria certo. Eu queria sair de Bossier City, eu era um idiota delinquente, que quando não estava com ela ficava com algumas garotas simplesmente por sexo. - confessei. 

Ele me encarou demoradamente, antes de voltar a falar.

- Antes de conhecer o Michael, eu era um idiota, assim como você era. Comia inventava uma desculpa e tchau. Até aí eu era hetero, mas, eu não via significado algum em fazer sexo com uma mulher. Era só algo carnal. - contou, a descruzar os braços, pondo as mãos nos bolsos da calça esportiva da Nike. - Mas, quando eu vim para Los Angeles para realizar um trabalho para Benetton e conheci o Michael... Eu não sei explicar, mas aquele homem mexeu comigo. Mexeu de uma forma, que nada mais tinha graça, somente ele. - revelou cabisbaixo. - O meu mundo cinza ganhou cor. 

- O Michael era um homem incrível. 

- Era mesmo. E quando ele partiu eu não soube lidar com a perda... Para ser honesto, até hoje eu não consegui me relacionar com mais ninguém... - revelou, com os olhos marejados. - Mas eu precisava ser forte pela Amber e pelo senhor McGrovell. Então, Leto não deixa essa chance passar agora. Por mais difícil que seja, porque vai ser, eu sei que você pode fazê- lá feliz... talvez seja necessário paciência, mas no final vai valer a pena. 

- Por quê você diz que vai ser difícil? - indaguei curioso. 

- Acredite meu, Jared, por que será! - respondeu simplesmente, a sair da cozinha, me deixando a pensar..."


- Bom dia, Jared você precisa assinar alguns papéis, e ver a roupa para audiência. - despertei daquela conversa, a ouvir a Emma me chamar, parada em frente a porta. 

- Bom dia, Emma. Já estou indo. Eu... Eu vou me vestir e já estou indo para o escritório. - respondi, a olha-la. 

- Você está bem? - perguntou preocupada. 


- Sim... Eu estou bem. - respondi a mentir. Deixando aquele assunto em algum lugar da minha mente, ao qual eu passaria os dias a pensar...





Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...