1. Spirit Fanfics >
  2. Between two hells >
  3. A visita de mamãe

História Between two hells - Capítulo 3


Escrita por:


Capítulo 3 - A visita de mamãe


Pov's Sophia

"Idiota" — gritei internamente— "Até parece que vou ligar para ele".

Entrei no prédio, seguindo direto para o elevador, quando ouvi alguém chamar por mim.

Era o porteiro do prédio, ele veio até mim e me cumprimentou:

— Olá Sophia, como vai?!

— Oi Joeh, eu vou bem, e você? — Perguntei

Joeh é o porteiro do prédio, ele é muito simpático, diferente do síndico do prédio. Joeh tem 49 anos, tem cabelo crespo escuro com algumas partes grisalhas, é um pouco gordinho, tem olhos verdes e um bigode totalmente grisalho. Ele é bem desastrado, mas tem o coração mais puro que eu já vi.

— Eu vou bem — Ele respondeu com um sorriso agradável — Tem uma pessoa lá em cima esperando por você.

— Uma pessoa? Quem? — Será que Sav brigou com o Jonas, e voltou mais cedo? — É a Savana?

— Não..., a pessoa não disse o nome, foi mal Sophia — Explicou

— Ok. Obrigado por avisar, Joeh, vou subir agora.

Peguei o elevador, e me perdi em pensamentos:"Quem poderia ser?" — questionei-me em pensamento — "Zique?" — Cogitei — "Não, ele não sabe onde moro. Ah, talvez seja o Thell!Claro, é o Thell".

Sai do elevador, já no quinto andar, dei de cara com um monte de malas e uma mulher.

— Mãe?!

A mulher se virou para mim.

— Sophia! Até que enfim. — Minha mãe tinha uma expressão de pouco de alívio e raiva — Passei a noite toda te mandando mensagem — Disse

Minha mãe tinha mesma altura que eu. Era loura com os cabelos lisos, um corpo normal, não era gorda nem magra, olhos verdes escuros, e os dentes eram um pouco amarelados por causa dos cigarros. O nome da minha mãe é Sônnia. Eu e minha mãe não nos damos muito bem, isso é desde o divórcio dela com o meu pai.

— Desculpa — Peguei o celular e vi as mensagens.

Mãe:

Sophia, oi, olha eu estou indo para ai

Mãe:

Sophia, eu estou no ônibus já

Mãe:

Sophia, já estou na rodoviária

Mãe:

Sophia?? Cadê você? Já estou aqui.

E tinha mais 58 ligações perdidas

— Desculpa mesmo mãe, eu estava na rua — Assim que ja guardar o celular, vi que eu tinha uma nova mensagem, era de um número desconhecido.

— Sophia? Vamos entrar? — Perguntou minha mãe

— Sim... Vamos — Respondi abrindo a porta, ainda com o celular na mão.

— Seu apartamento é bem legal — Ela obviamente estava mentindo.

Meu apartamento tinha um quarto, que eu dividia com Savana, uma sala com cozinha americana todas as paredes eram brancas, exceto pela do banheiro que era verde. Os pisos até que davam para o gasto, na sala tinha um sofá cama marrom, com a janela da saída de emergência atrás. O resto era coisas normais de um apartamento normal.

Dei de ombros e abri a mensagem do número desconhecido.

Desconhecido:

Oi? Sophia? Aqui é o Zique, lembra? O cara do café

Eu percebi que estava com os olhos brilhando e sorrindo, por dentro estava pulando de alegria. Logo percebi que minha mãe me olhava, então mudei a expressão, para uma expressão calma

"Eram 22:38, Será que ele vai me responder?" — Pensei — "Ele me mandou mensagem era 20:45".

Você:

Oi, lembro sim, seu nome é Zique né?

Na verdade, eu gravei o nome dele desde o dia que ele falou comigo no trabalho

Tomei um susto quando na mesma hora apareceu digitando.

Zique:

Ufa, que bom que não anotei o número errado, eu ia me xingar muito se estivesse feito isso

Você:

Kkkkk

Zique:

Tudo bem com você?

Você:

Sim

Zique:

Como vai a vida?

Você:

Bem, e a sua?

Zique:

Melhor quando eu te conheci

😅

Você:

Ah, sim

"Ah sim? Ah sim? Você não conseguiu pensar em nada melhor para dizer Sophia?" — Questionei a mim mesma

Faz o que da vida? — digitei logo em seguida

Zique:

Eu sou advogado, e você tem algum Hobby?

Você:

Tenho sim, eu gosto de fazer de confeitar, um dia eu quero abrir minha própria confeitaria/cafeteria, cozinhar é a coisa que me deixa feliz, mas e você?

Zique:

Eu adoraria comer um bolo seu

Você:

Um dia eu faço para você

Zique:

Vou cobrar

Zique:

Um hobby...? Eu gosto de ajudar as pessoas, também gosto de fazer carpintaria, e gosto de ouvir música.

Você:

Eu também... adoro música, meu grupo favorito é a Now United.

Zique:

Sério? Eu também...

Você:

Nossa que massa, qual a sua preferida? A minha é Come Together

Percebi uma demora na resposta dele

Zique:

A minha é Summer In The City

Você:

Essa também é boa

Zique:

Vai mesmo sair comigo amanhã? É a feira da cidade, então nós podíamos sair, fazer algo, sei lá

Meu coração congelou, era o que eu queria desde que o conheci.

Você:

Sim, pode ser, porém amanhã o café fica aberto até as 14:30

Zique:

Tudo bem, pego você as três, pode ser?

Você:

Na verdade, eu tenho que passar em casa, para me arrumar, vou te mandar o endereço da minha casa, você pode passar aqui as 16:00

Zique:

Claro!

Depois de horas conversando com Zique ele desapareceu do nada, acho que foi dormir, também, já eram 2:00 da manhã e ele me disse que estava com sono.

— Finalmente saiu desse celular, agora pode dar atenção para a sua mãe — Disse minha mãe que acabará de sair do banho

— Uma pergunta mãe, você brigou com o Michael? — A expressão dela foi de surpresa com a pergunta bem direta — Por quê de repente a senhora resolveu me visitar depois de 1 mês sem me dar um Oi? — Indaguei

Michael era meu melhor amigo de infância, até minha mãe se separar do meu pai, e se casar com o meu melhor amigo. Michael tem hoje 24 anos e minha mãe 46. Michael tem cabelo cacheado, é magro, porém tem o corpo definido, usa aparelho, tem olhos castanhos escuros e era meu Crush, até minha mãe resolver se casar com ele. Pena para ele, mal sabia ele, que minha mãe, não parava em um cercado só

— Sophiaa!? — Ela fez uma cara de "O que você pensa que eu sou?" — Tá, eu tive uma briguinha com ele, mas você sabe, ele é jovem e age como uma criança, vive fazendo birra — Disse

— Ou será que ele estava irritado porquê a _senhorita_ Sônnia não conseguiu ficar só com ele? — Retruquei

— É assim? Ae, esqueci que vocês são _Melhores amigos_, você vai ficar do lado dele, não sei porquê eu vim para cá, acho que eu vou embora mesmo — Disse em um tom dramático e irritado

— Senta ai Sônnia, ambas sabemos que você não vai ir a lugar nenhum — Disse — E tem mais, eu e Michael não somos "melhores amigos". Pelo menos não mais — Murmurei

— Eu ouvi isso — Disse para mim com uma cara feia

— Como tá o Brayan? — Perguntei

Brayan é o meu irmão mais velho, ele tem 25 anos, ele é ruivo como o meu pai, tem olhos meio cinzentos, possui um começo de barba, é magro, um pouco mais alto que eu. Ele é sempre engraçado e gentil, tem um irmão gêmeo, porém louro.

É o Allan, o Allan é o mesmo que Brayan, porém é um pouco mais gordinho, só um pouco mesmo.

Brayan está sendo acusado de um crime que não cometeu, estão dizendo que ele faz parte de uma quadrilha que assaltou um posto de gasolina. Mas ele não fez isso, meu irmão nunca faria nada desse tipo, ele não tem coragem de roubar nem uma lápis, quem dirá um posto de gasolina.

Quase que deu problema para o meu irmão Allan, ele é da polícia e por ser o gêmeo de Brayan, o frentista que dissera que "viu" Brayan não conseguiu ver a cor do seu cabelo, e quando descreveu, pensaram que era o Allan, ele quase foi expulso da polícia por causa disso

— Bayan está na mesma, preso como sempre, mas está bem — Respondeu ela — Mas ainda não quer ver Allan, por ter o prendido.

— Entendo, e a Priscilla? Como está? — Perguntei

Priscilla é a minha irmã mais nova. Ela tem 16 anos e era muito agarrada a Brayan, tem um pouco de raiva de Allan por ter o prendido. Priscilla tem o cabelo numa mistura de ruivo com louro, olhos verdes como o de mamãe, tinha o "corpo perfeito". Ela é meio bipolar, o que é irritante, ela só não era bipolar com Brayan.

— Ela vai bem, passou com dependência em Química mas já fez a prova. Bom filha, eu vou dormir. Ah, a sua amiga ainda mora aqui?

— Savana? Sim! — Respondi

— Tomara que eu não me trombe com ela — Fez cara de nojo — Não gosto dela

— Vai ser difícil a senhora não trombar com ela, pelo tamanho das suas malas — Cogitei — você vai ficar bastante tempo

Mamãe riu e foi dormir.

Eu disse para ela dormir na minha cama, e para ela não se preocupar que eu iria dormir no sofá cama

De repente me bateu uma vontade de fazer bolo de cenoura. Então me dirigi até a cozinha e comecei a fazer

Mamãe acordou com o cheirinho de bolo recém saído do forno, e comigo fazendo a calda de chocolate

Ela encostou na entrada para a cozinha e começou a me ver preparando a calda

— Adoro quando te dá essas loucuras do nada, não importa a hora, você sempre faz — Disse ela com a cabeça nas nuvens, lembrando da minha infância e da dela — Você é como sua avó, ela também adorava cozinhar, não importava o tempo que ela tivesse a ideia de cozinha podia ser 5:00 da manhã, mas ela fazia.

Minha avó, viveu só até os meu 10 anos de idade, lembro pouco dela, mas sei que ela cozinhava muito bem, ela e minha mãe eram muito unidas. Principalmente depois da morte de meu avô, quando ele morreu, minha mãe tinha 14 anos, foi uma dor muito grande para ela, mas minha avó sempre a ajudou. Quando minha vó morreu, minha mãe se apegou ao cigarro, foi a maneira dela se sentir segura e feliz, mesmo que por pouco tempo

— Quer bolo?

— Sim — Respondeu minha mãe

— Fiz chocolate quente também — Disse

— Pode mandar — Retrucou

Tomamos o chocolate, comemos o bolo e fomos dormir. Mas antes de ir, guardei um pedaço para Zique.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...