História Between Us (Malec) - Capítulo 5


Escrita por:

Postado
Categorias As Crônicas de Bane, As Peças Infernais, Os Instrumentos Mortais, Shadowhunters
Personagens Alexander "Alec" Lightwood, Magnus Bane
Tags Lemon, Lemonmalec, Malec, Sexo
Visualizações 219
Palavras 1.665
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Hentai, Lemon, LGBT, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Vamos de 100% Malec?

Capítulo 5 - Capítulo V


Fanfic / Fanfiction Between Us (Malec) - Capítulo 5 - Capítulo V

- Hey Lightwood, aproxime-se eu não mordo, ou quase...

...

Alec não sabia como havia chegado ali, não tinha intenção, mas ali estava e não iria sair correndo como um cão assustado além do que, era um fato que Magnus conseguia aliviar certa carga dos seus ombros, mesmo que deixasse outras áreas bem pesadas o que era um problema.

Atravessou a rua indo em direção ao moreno não deixando de se admirar com a imagem dele, a pele dourada e lisa, os cabelos negros caindo nos olhos verdes luminosos, os dentes branquinhos reluzindo no brilho do sol enquanto ele sorria, e aquele corpo ah... aquele corpo tão perfeito, de fato era um pecado ambulante e a cada passo que dava em direção a ele se sentia cair mais, se aproximando até que ficasse em uma distância de um braço.

- Devo dizer que é uma surpresa e tanto te ver por aqui, Alexander. – Disse o moreno ainda sorrindo.

- Eu não tinha intenção de vir exatamente aqui, eu só precisava... não sei, pensar.

Alec suspirou forte, levando a mão à nuca apertando os fios de cabelo dali.

- Não tinha intenção consciente, mas seu subconsciente te trouxe até aqui, até mim Alexander. – Magnus chegou mais perto fazendo com que Alec sentisse o hálito quente em seu rosto. – Mas o que houve para que você precisasse de distração?

- Eu não... é só...

- Tudo bem, não precisa dizer mesmo que eu possa imaginar. Bem, se você precisa de distração suba comigo para o sótão, você vai encontrar bastante distração por lá.

Alec sentiu todo seu rosto ficar quente e seu corpo inteiro tremer.

Magnus vendo a reação que causou gargalhou alto.

- Não é ESSE tipo de distração que eu estava falando, bom, não exatamente, tem umas caixas      de bebida que chegaram preciso conferir e separar, você pode me ajudar Lightwood.

Ignorando o fato de que Magnus terminou a frase com uma mordidinha no lábio e uma piscadinha e que aquilo fez o coração de Alec falhar uma batida ele o seguiu até o andar superior onde se encontrava o sótão.

De fato haviam muitas caixas, whiskes, tequilas, vodcas dentre outras de vários tipos que os fizeram ficar ali por pelo menos duas horas, o sol já estava se pondo quando sentaram ofegantes lado a lado encarando o assoalho de madeira.

Estavam suados pelo esforço e Magnus tirou a camiseta apertada revelando todo o seu torso malhado e deliciosamente esculpido, a cintura baixa da calça justa revelando o cós da boxer preta que ele usava, a visão fez o corpo todo de Alec acender, e ele respirar com dificuldade e tremer diante daquilo.

Não perceberam quem deu o primeiro passo, mas em rápido movimentos estavam enroscados um no outro, lábios colados, as línguas se acariciavam com volúpia, eram uma mistura de saliva, mãos, ofegos e braços.

Magnus tirou os óculos e o blusão de Alec deixando-o também com o peito a mostra, beijando-o com mais fogo, mostrando o quanto o desejava.

Alec estava enlouquecido novamente, e completamente, e arfou quando foi deitado na madeira fria, quase um bálsamo para o seu corpo em chamas, a coxa musculosa e torneada de Magnus entre as suas pernas forçando sua ereção dolorida.

O rapaz estava sentindo tanto tesão que achava que explodiria, anos de retração prestes a eclodir naquele momento, o corpo fervia, o membro doía clamando por atenção, e naquele momento sem pensar exatamente no que estava fazendo ou qualquer consequência que pudesse ter após isso esfregava a virilha na coxa firme de Magnus buscando alivio, qualquer coisa que o moreno pudesse lhe dar suspirando pela fricção gostosa, gozaria facilmente assim, se sentia bastante perto disso na verdade.

Mas Magnus também sentiu o quanto o menino estava necessitado, afastando-se da boca dele o mínimo para que pudesse olhá-lo nos olhos, vendo desejo estampado ali, a face corada e os olhos em azul revolto, turvo como um mar em ressaca.

- Você está tão excitado gostosinho, eu posso sentir, você não aguenta mais não é? Não seria delicioso se eu te tocasse aqui? – Disse enquanto descia a mão pela cintura de Alec apertando o membro dele por cima da calça fazendo-o gemer manhoso com o ato.

O Lightwood decidiu que simplesmente não aguentava mais, inferno por inferno, o que ele vivia já era um martírio, já tinha se negado e se flagelado o suficiente, precisava de alivio, precisava daquilo, precisava sentir a mão quente de Magnus na sua pele, nele, em todo ele, precisava gozar como nunca precisou de nada na vida, então apenas colocou a mão sobre a de Magnus forçando-a sobre seu membro buscando mais contato.

- Sim... por favor Magnus...

Se não estivesse tão perto Magnus não teria entendido a súplica, mas compreendeu bem o que ele queria era o que ele próprio queria, logo, removeu as calças deixando-os apenas de cuecas, voltando a se deitar em cima do corpo pálido e quente, ouvindo-o suspirar mais alto com mais pele se tocando.

- Me diz como você gosta, bebê.

Alec sentiu sua face ficar ainda mais quente mas dessa vez era de vergonha, mas se ia fazer o que iria, precisava confiar em Magnus.

- Eu não sei...eu nunca... eu... Me desculpe acho que é melhor eu ir embora. – Disse tentando se levantar sendo impedido por braços fortes o mantendo ali, sentando-se ainda abraçado a ele.

- Hey, calma. Você nunca se tocou é isso? Então essa é sua primeira vez?

Alec apenas balançou a cabeça em sinal de concordância.

- Olha, está tudo bem, prometo que você vai gostar.

Magnus ergueu Alec para que ele ficasse em pé abaixou a cueca de Alec até o meio das coxas grossas do garoto, analisando o membro dele estupidamente ereto mordendo os lábios de vontade, não mencionando o fato de que o órgão estava todo duro, vermelho e inchado, os testículos grandes em tom arroxeado, claramente ele realmente nunca tivera um orgasmo, mas a visão só fez com que o moreno tivesse mais vontade de se empenhar.

E foi o que fez, levou primeiro apenas o dedo a glande tocando levemente ali, vendo que o pré gozo já se acumulava e só com esse pequeno movimento Alec já soltou um gemido baixo.

Magnus pegou todo o membro nas mãos movimentando-a para cima e baixo, vendo a ponta cor de rosa sumir e aparecer conforme mexia o punho e Alec gemer mais alto tendendo a cabeça pata trás.

Continuou de maneira ritmada deslizando as mãos para cima e para baixo pelo pênis do Lightwood que arfava e tremia, o moreno sabia que ele não duraria muito, mas queria dar o máximo de sensações gostosas a ele.

Alisou mais uma vez só a glande, onde ele era mais sensível, e Alexander já perdia os pudores emitindo sons mais altos, suor escorrendo pela sua coluna.

Quando Magnus voltou a bombear todo seu membro Alec quase gritou, estava perto, sentia, dessa vez não iria parar não poderia seu corpo todo já tremia em necessidade.

- Está gostando? – Magnus estava quase de quatro na sua frente, olhando-o de baixo com a voz e a expressão mais sedutoras possíveis.

- Sim... – Alec não conseguiria falar mais que isso.

- Então eu vou fazer uma coisa muito melhor.

- O-o q-uque você v-vai fa-zer?

Alec estava perdido em prazer e não conseguia falar de maneira coerente.

Magnus se ajoelhou até que ficasse na sua altura, passando a mão em seu peito, falando próximo aos seus lábios.

- Fecha seus olhos... tudo bem... pode confiar em mim.

E Alec atendeu fechou os olhos sentindo Magnus beijar, sugar, e morder seus mamilos, deixando-os molhados e entumecidos, descendo pelo seu peito e abdômen até chegar novamente na altura da sua virilha onde abocanhou seus testículos chupando-os e lambendo-os, colocando-os dentro de sua boca quente e molhada.

Sentindo aquilo o garoto deu um grito e tentou se afastar a sensação era forte de mais para que pudesse aguentar, seu corpo todo tremia, a sua entrada piscava e ele sentia que as pernas não mais o sustentariam.

Então o moreno voltou sua atenção ao seu membro novamente dando um beijo e uma lambida apenas na ponta, podendo ver ela pulsando forte, a carne quente latejando contra seu rosto.

Deu algumas lambidas na extensão apenas para provocar contornando a glande novamente, circulando a língua ali,

Alec não tinha mais controle de nada, da sua voz, do seu corpo de sua mente, nada mais fazia sentido a não ser a boca de Magnus o enlouquecendo.

E quando ele, após masturba-lo mais um pouco, tomou-lhe por inteiro nos lábios a sensação foi sublime, e Alec gritou, alto, longo e languido, sentindo seu pau ir e vir dentro daquela boca maravilhosa, Magnus chupava com maestria engolindo tudo.

- Magnus... Magnus.... ohhhh... Magnus...

Ver Alec tão entregue e tão excitado chamando seu nome como um louvor fez com que o Bane não se controlasse e levasse a mão ao próprio membro que aquela altura babava e doía pedindo atenção.

Continuou engolindo toda a carne quente do garoto, movimentando a mão em si no mesmo ritmo das chupadas, levando o pênis do outro até o fundo da sua garganta sentindo a penugem de sua virilha tocar seu nariz.

Alexander começou a tremer, o corpo todo vibrando anunciando seu ápice eminente e Magnus acelerou os movimentos da boca e da mão que se tocava, entrelaçando a outra na mão de Alec.

Com um solavanco maior Alexander veio gritando tão alto que qualquer pessoa em um raio de quinhentos metros ouviria, o que era uma vantagem não ter ninguém ali, firmando o aperto em sua mão, jorrando todo seu prazer na boca de Magnus que menos de um segundo depois veio também, derramando-se em sua mão enquanto engolia o líquido doce do seu menino Lightwood.

Caíram um sobre o outro ofegantes com um orgasmo tão intenso que lhe tiraram as forças, é claro que Alec sabia que nada ficaria sem consequência, porém decidiu pensar no depois... depois.

 

 

 


Notas Finais


Postei e corri.

Até a proxima

Kisses kisses baby's


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...