História Between Wolves - Capítulo 6


Escrita por:

Postado
Categorias Amor Doce
Personagens Castiel, Lysandre, Personagens Originais
Tags Amor Doce, Aventura, Between Wolves, Castiel, Drama, Ficção, Helena, Lobos, Lysandre, Romance
Visualizações 44
Palavras 1.781
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Hentai, Mistério, Romance e Novela
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Aooowww Lobinhoos!!! l0l
Hoje é domingo *dancinha* Ou pelo menos ainda é, AINDA!
Este capítulo é mais curto, pois marca apenas a introdução dos novatos ao esquadrão "Fantasma".
Temos o Sr. Castiel TPM nesse capítulo, mas também temos o Lys-fofo e o Kentinho gaguinho hehe
Tem música nesse capí? TEEEM!
Musiquinha das antigas ainda por cima. Então, não percam nas notas finais. Desculpem, mas realmente não tive tempo de revisar este capítulo. Se notarem algum erro de ortografia, concordância ou pontuação, por favor me avisem.
Agora, soo o gongo para o 6º round!
Go!

Capítulo 6 - Olhos Dourados (Golden Eyes)


-E não é que conseguiram deixar a “tábua” apresentável?! – Disse Castiel, em um tom sarcástico irritante.

-Do que foi que você me chamou? – Helena não teve tempo de retrucá-lo, pois Rosa e Alexy a viraram abruptamente para encarar o grande espelho do quarto.

Ao fitar seu reflexo, a morena ficou perplexa. Seus cabelos continuavam longos agora terminando na altura de sua cintura em um leve repicado. Suas pontas estavam tingidas de vermelho, sumindo em meio ao negro natural. O mesmo tom de vermelho tingia sua boca e um fino traço preto contornava seus cílios superiores, destacando a cor de seus olhos dourados. Rosalya lhe entregara uma calça de couro e um cardigan pretos que contrastam com partes da camisa branca a mostra. O esmalte preto caiu muito bem com sua pele clara. Por um momento, a garota notara que jamais havia sentido-se de fato bonita como agora. Olhou com carinho para os dois amigos e os abraçou.

-Muito obrigada! Obrigada mesmo!

-Você esta maravilhosa! – Rosalya dizia enquanto retribuía o gesto.

-Então era pra isso que queria o restante da minha tinta vermelha Rosa? – Lysandre se aproximou, mantinha o queixo apoiado em uma das mãos e olhava pensativo para as pontas do cabelo da morena e completou olhando-a com carinho – Esta mesmo muito adorável Helena.

-Obrigada Lys – Agradeceu a garota, sentindo-se corar e produzindo o mesmo efeito no platinado ao chamá-lo pelo apelido.

-Rosa, você a transformou em uma personalidade oposta a sua! – Exclamou Armin, ainda de queixo caído.

-É verdade – Castiel se levantava do chão ainda com o mesmo sorriso maroto – Parecem o Yin e Yang!

A risada foi geral. De fato ambas estavam muito parecidas, sendo a única diferença Rosalya ter cabelos prateados e os de Helena serem negros.

-Bom isto pede uma comemoração, não? – Enquanto Armin falava, apontou para Castiel e Lysandre, que ergueram cada um uma mochila e mantinham sorrisos marotos no rosto.

-O que tem ai dentro? – Indagou Rosalya.

-Comida. – Disse o ruivo, revirando os olhos.

-Cortesia da mamãe. – Adicionou Lysandre.

-OBA! – Exclamou a platinada. Helena já estava acostumada com os gritos da amiga.

-E para onde vamos? – Era a primeira vez que Kentin falava alguma coisa. Ainda estava sentado no mesmo lugar.

-Sigam-nos. – Disse Lysandre abrindo a porta e deixando os dois lobos passarem.

Quando todos já estavam no corredor, Rosa trancou a porta do quarto e o grupo seguiu em direção ao exterior do Palácio. A noite já havia chegado e um último risco laranjado era engolido pelas trevas no horizonte, onde o sol se deitava. Estavam descendo a grande escadaria quando se encontraram com Nathaniel e Melody.

-Para onde estão indo a essa hora? – Perguntou o loiro, fitando-os apreenssivo.

-Não te interessa “comandantezinho” – Guspiu Castiel – Cuide do seu esquadrão que do meu cuido eu.

-Castiel, isso não é necessário. – Disse Lysandre, repreendendo-o.

-Vamos comemorar a entrada definitiva da Helena como mais nova Loba-vermelha! – Alexy estava empolgado e o grupo abriu espaço para que ambos pudessem ver Helena, que estava por último na procissão.

-Ah Meus Deuses! – Disse Melody, dando pulinhos ao se aproximar da morena. As garotas já haviam conversado em poucas ocasiões e a primeira sempre fora simpática. – Você esta linda! Sempre quis fazer mechas assim, mas me falta coragem.

-Obrigada, mas tudo isso é mágica do Alexy e da Rosa – Disse, elogiando os amigos.

-Querida, só nos contatar e marcar um horário. – Alexy disse com um grande sorriso.

-Realmente Helena, está muito bonita. – Nathaniel os interrompeu e chamou a atenção para si, ficando envergonhado logo em seguida. – Vamos Melody?

-Claro! Bem-vinda oficialmente lobinha! – Disse Melody, abrançando Helena.

-Quanta frescura. – Reclamou o ruivo impaciente – Podemos ir?

O Grupo finalmente saiu da edificação. Lysandre e Castiel guiaram-nos até os fundos do Grande Teatro.

-O que estamos fazendo aqui? – Perguntou Rosalya assustada.

-Calma. – Lysandre ajudava o ruivo a abaixar a escada de incêndio. – Ao contrário do que falam, a construção não mostra riscos. Eles só querem manter as pessoas afastadas para o que há escondido aqui dentro.

-E o que tem ai dentro? Como sabe disso? – Alexy tagarelou.

-Porque já entramos aqui várias vezes. – Castiel bufou.

-Então é pra cá que vocês veem quando somem nos finais de semana? – Repreendeu a platinada recebendo apenas um sorriso como resposta.

Os dois lobos subiram com facilidade e em poucos segundos já estavam no telhado do teatro. Helena e Rosalya foram auxiliadas pelos meninos e assim que venceram as escadas se depararam com um pequeno acampamento montado na laje. Colchonetes estavam dispostos em círculos com algumas almofadas. No centro havia uma pequena fogueira improvisada que iluminava fracamente o espaço. Os meninos se aproximaram e indicaram para que os demais se sentassem. De uma das mochilas, Armin tirou um pacote de pipoca e o conteúdo foi derramado em uma antiga panela de inox centralizada na fogueira. Enquanto isso, Castiel e Lysandre começaram a distribuir copos com refrigerante. A última vez que Helena experimentara do líquido ainda era criança e a sensação do gás borbulhando em sua garganta lhe fez lembrar das festas em família, quando os pais ainda eram vivos. A morena percebeu que do lado oposto a onde se sentava Kentin a observava, desviando o olhar do seu. Alexy estava sentado entre Rosalya e Armin. O azulado olhou na direção do rapaz e depois para Helena, dando-lhe um fraco sorriso, o que fez com que a garota se recordasse da promessa de dias atrás. Devagar, a morena se levantou e sentou no lugar vago ao lado de Kentin.

-Esta quieto hoje – Disse sem o fitar – Algum problema?

-Só estou pensativo – Respondeu o moreno.

Seguiu-se um silêncio incômodo onde Helena tentava pensar em como abordar o assunto, mas seus pensamentos foram cortados por Kentin.

-Você está linda – Disse olhando-a com carinho antes de começar a gaguejar – Q-quer dizer, não que você n-não fosse. S-sempre foi linda, mas...

-Obrigada – Helena o interrompeu, permitindo-se corar junto com o rapaz. Ambos sorriram.

-Então, o que achou dos Lobos-vermelhos? – Perguntou a morena, tentando puxar assunto.

-A maioria é gentil, com algumas exceções arrogantes – Kentin olhou de soslaio para Castiel.

-Percebi que vocês não se dão muito bem – Disse Helena ao compreender o gesto do amigo – Com o tempo você se acostuma com o Castiel. Pelo menos, estou tentando acreditar nisso – A morena sorriu com o que acabara de dizer, sendo imitada por Kentin – Você ficou mais próximo dos gêmeos, não é?

-Eles são legais, apesar de Alexy ser chato e grudento as vezes – Kentin riu.

-É o jeitinho dele, não é por mal.

-Eu sei, apenas comentei – O moreno ofereceu mais refri a amiga, que aceitou. Enquanto enchia os dois copos, Kentin falou – Você parece ter ficado bem próxima do trio estrela, hein?

-Esta falando da Rosa e os meninos? – O moreno assentiu – São ótimos amigos. Boas pessoas – Helena fitou cada um com carinho. Rosa discutia com Armin a demora da pipoca. Castiel havia descido em um alçapão próximo de onde acampavam que dava acesso ao teatro e voltou com um violão, sentando-se em seu lugar para afinar o instrumento e Dragon deitou-se as costas do dono. Lysandre acariciava Alvo enquanto discutia as letras de músicas POP antigas com Alexy. Muito mais do que amigos, Helena pensou. Aquelas pessoas se tornaram sua família.

-Terra para Helena? – Kentin passava as mãos em frente ao seu rosto, tirando-a de seus devaneios.

-Desculpe. Acabei “viajando” – A garota sentiu-se corar.

-Percebi – Kentin sorriu – Sobre o que estava pensando?

-Que há mais meninas da nossa idade aqui do que no orfanato, hein? – A morena lhe dirigiu um olhar malicioso.

-O-o que quer d-dizer com isso? – Gaguejou o moreno.

-Que talvez você possa ter interessado-se por alguém? – Neste momento Helena agradeceu pela pouca luminosidade que a fogueira produzia, impedindo que o amigo visse seu rosto completamente vermelho – Sabe que pode me contar qualquer coisa.

-E-eu sei – Kentin não olhava em seus olhos. – N-não conheço ninguém tão bem assim para já sair gostando de alguém aqui.

-Desculpe. Não quis lhe deixar desconfortável – Disse a garota com o olhar triste.

-N-não é isso! – Exclamou o moreno – Apenas não gostei de nenhuma garota.

-Pode ter sido um garoto então?

-O QUÊ? – Gritou Kentin, ao mesmo tempo em que Rosalya gritou um “AHÁ” para Armin, camuflando a exasperação do moreno. – P-por que estamos falando sobre isso?

-Somos amigos há muito tempo Ken. Estou apenas querendo ter uma conversa mais séria com meu “irmão mais velho”. – Helena começou a se arrepender de ter abordado o assunto ao ver a reação do amigo. – Me desculpe.

-Já disse que não precisa se desculpar. Acho que fiquei um pouco nervoso e também exagerei, me perdoe. – Ken a fitou com intensidade. – Existe uma única pessoa que possui o meu coração e ela esta bem ao...

-PROTEJAM-SE! – Kentin foi interrompido pelo grito de Armin.

A panela de inox que estava no centro da fogueira começou a pular conforme os grãos de milho estouravam e transbordavam, acertando todos a sua volta. O recipiente era muito pequeno para a quantidade de pipoca colocada e Rosalya começou a bater com a tampa da panela nos ombros do gêmeo moreno enquanto o repreendia pela confusão. Os demais não sabiam se riam dos dois ou se salvavam as pipocas brancas antes de atingirem a laje.

Helena não retomou o assunto com Kentin, com medo de chatear o amigo e o moreno também não voltou para completar sua frase. Porém, isto não a deixou menos curiosa. Quem teria o coração de Kentin? Essa seria uma pergunta cuja resposta poderia esperar um pouco mais. Por hora, ela queria apenas aproveitar a companhia dos amigos e deliciar-se com a pipoca e o refrigerante que era distribuído. Além da pipoca, Castiel tirou da mochila um pote com sanduíches que despertaram o interesse instantâneo dos dois lobos. Helena mordiscava o seu enquanto dava pequenos pedaços de pão para Alvo e Dragon que a olhavam com olhos brilhantes.

Depois de passarem um bom tempo conversando sobre os treinamentos, as aulas e explicarem para Helena e Kentin como foram os Campeonatos Vermelhos anteriores, Castiel começou a dedilhar no violão. Lysandre o acompanhou com a voz. Eles eram muito bons. Helena nem imaginava que ambos tinham vocação para a música. Todos ficaram em silêncio, sentados ao redor da fogueira, desfrutando da acústica.

Helena se deitou em seu colchonete e passou a fitar o céu estrelado. Nenhuma nuvem se quer ousava cobrir os pontos luminosos que agora refletiam em seus olhos dourados. Enquanto Lysandre e Castiel cantavam uma de suas músicas preferidas, contidas no surrado caderno de seu pai, a morena se deixou levar pelas notas. Não conseguiu evitar sorrir para si mesma ao mesmo momento em que a melodia de More Than Words envolvia o grupo que agora ela chamava de família.


Notas Finais


Meus queridos e minhas queridas!
Aqui esta o link para a tradução e vídeo da música More Than Words, do Extreme:
https://www.youtube.com/watch?v=d5Ky8kFi1c4
Então lobinhos, era isso.
Vejo vocês domingo que vem.
Bye bye!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...