1. Spirit Fanfics >
  2. Between worlds - O Senhor dos Anéis >
  3. Vou matar esse elfo!

História Between worlds - O Senhor dos Anéis - Capítulo 13


Escrita por:


Notas do Autor


📣 LEIAM AS NOTAS 📣

Então, eu vou fazer uns especiais pras minhas fanfics de the walking dead e pensei "por que não fazer para está tambem?"
Então eu vou fazer um "perguntas e respostas" e um "E se..." esse segundo é básicamente assim: "E SE...Andrômeda tivesse nascido na terra media." "E SE... Ela conhecesse Gandalf e os outros de outras formas" nas de the walking eu pretendo fazer ao final de cada temporada mas nessa dai, eu ainda não decidi '-')b

📣 LEIAM AS NOTAS 📣

Capítulo 13 - Vou matar esse elfo!


Andrômeda pov:


Batidas soam em minha porta, quem poderia ser a essa hora da manhã? Eu estava em um estado deplorável, não consegui dormir nada e se eu dormi por dez minutos foi muito, tinha folhas e lápis espalhados pelo chão, eu fiquei desenhando para manter minha mente ocupada e acho que exagerei um pouco. Me levanto tentando arrumar meu vestido e piso sobre as folhas mesmo com o maior cuidado, deve ser Arwen novamente, ela apareceu ontem e eu me fingi de morta, nem para o jantar eu apareci e não estou com a mínima fome pelo menos eu acho isso. Batidas se fazem presente novamente e encosto minha orelha na porta para poder escutar quem estava do lado de fora.


-Senhorita Andrômeda, abra a porta por favor! - Era a voz de Indis do outro lado, cubro meu nariz e boca para que não escutassem minha respiração. - Eu e Idris precisamos tirar suas medidas para fazer o vestido do banquete. - Merda, eu tinha me esquecido completamente do banquete, destranco a porta com cuidado e abro a porta deixando uma fresta e encontro as duas elfas com sorrisos gentis em minha direção, estreito meu olhar tentando ver se tinha mais alguém mas ao não achar ninguém, puxo a porta para trás o suficiente para que elas entrassem, após as duas entrarem fecho e tranco a porta.


-Vossa alteza está péssima. - Idris comentou com um tom preocupado e ando até meus desenhos me ajoelhando entre os mesmos e os recolhendo.


-Só preciso de um minuto, vai ser rápido. - Digo enquanto os juntava mas então como um estalo em minha mente as olhei. - Por que está me chamando de alteza? - Pergunto me levantando com alguns dos desenhos em mãos.


-Todos estão sabendo o que aconteceu ontem, na verdade não tem como não saber. - Indis começou explicar enquanto me olhava. - E acho que não vai demorar para mais pessoas saberem o que aconteceu, a senhorita é uma princesa e mesmo não tendo mais seu reino deve ser trata como tal. - Começo a rir completamente nervosa e coloco os desenhos sobre a cama e passo minhas mãos em meu cabelo.


-Olha, eu não sou uma princesa, sou apenas uma garota que quer voltar para casa e esquecer toda essa baboseira de raça e realeza.


-Mas princesa… - Olho para Indis completamente séria e isso faz com que ela se cale mas logo continua. - Andrômeda, a senhorita pode governar, não deveria ficar feliz?


-Governar?! - Digo incrédula e começo a andar nervosa pelo quarto. - Eu não quero governar nada, aquele homem que já é mais experiente que faça o serviço.


-Mas senhorita…


-Por favor, nao quero falar mais sobre isso. - Interrompo Idris erguendo minha mão. - Só tirem as medidas por favor. - Elas se entreolharam e apenas assentiram, ando até as mesmas já prendendo meu cabelo em um coque para que não as atrapalhasse.


- - - - - - - - - - - - - - - - - -


Estava saindo do banheiro com meu cabelo ainda pingando um pouco após tomar um banho bem demorado, as garotas já tinham saído do meu quarto assim que terminaram de tirar minhas medidas, não tocaram mais no assunto e apenas perguntaram se eu tinha alguma preferência por cor ou se estava com fome, nessa segunda pergunta eu disse um "não" mas agora com meu corpo mais relaxado a fome começava a aparecer mas eu não queria dar o azar de encontrar com aquele homem mas eu tinha que sair pois já estava começando a sentir meu corpo tremer pela falta de comida, arrumo meu vestido que usava, o mesmo era em cor rosa bebê e em meus pés tinha sapatilhas branca, ando até a porta a destranco colocando apenas minha cabeça para fora conferindo se tinha alguém mas ninguém passava, saio do quarto fechando a porta em seguida. Estava andando pelo corredor calmamente tentando me manter calma mas meu objetivo vai por água abaixo ao ouvir a voz do homem juntamente da de Gandalf e Legolas, não tinha onde eu me esconder e minha única opção era correr de volta para o quarto mas era provável que eles me vissem antes mesmo de entrar, respirei fundo e continuei andando com minhas mãos atrás do meu corpo para não notarem que as mesmas tremiam.


-Oh, olá menina. - Gandalf me cumprimentou ao nos encontrarmos, dou um sorriso quase imperceptível e sinto o olhar do homem sobre mim, parecia ansioso ou esperando por algo. - Não está com uma cara boa.


-É fome apenas.


-O café da manhã ainda está posto. - Legolas me avisou e apenas assenti. - Estávamos indo até seu quarto e…


-Bom, vai ter que ficar pra depois. - O interrompo mas percebo que meu tom saiu mais rude do que eu pretendia.


-A senhora Galadriel deseja falar com a senhorita e Caleb. - Gandalf fala apontando sutilmente para o homem, então o nome dele era Caleb?!


-Eu não estou muito bem hoje Gandalf, na verdade acho que vou até comer no quarto.


-Fingir que eu não existo não vai mudar o fato de você ser a minha filha. - Caleb fala e o olho de cima abaixo.


-Eu não sou sua filha!


-Assim você magoa meu coração, mas não se preocupe não irei te deixar de castigo. - Falou em um tom divertido e continuei com meu semblante fechado enquanto estreitava meu olhar em sua direção. - Qual é, sorria querida, seu rosto se ilumina quando faz isso. - Respiro fundo apertando meu vestido entre meus dedos. - Agora que tal um "Bom dia, papai"?


-Qual a parte do "eu não sou sua filha" você não entendeu? - Pergunto completamente irritada e cruzo meus braços.


-Você tem um sinal de nascença perto da costela do lado direito. - Falou tão natural como alguém que pergunta que as horas. - Você também tem a mania de desenhar quando não consegue pensar direito, ou quando está triste e nervosa. - Ele apoiou seu peso em sua perna esquerda. - Depois de ontem seu quarto deve estar cheio de folhas pelo chão.


-Quer saber?! Eu não tenho que ficar ouvindo essa baboseira. - Passo pelos três irritada e um tanto que envergonhada.


-Andrômeda, lady Galadriel….


-Cala a boca Legolas, cala a boca!


Legolas pov:


-Até daqui a pouco filha! - Caleb falou alto para que a mesma escutasse, ela com certeza está irritada ainda mais depois de falar assim. - Não é que você calou a boca mesmo?! - Falou de forma debochada e me limitei a revirar meus olhos.


-Irei treinar, boa sorte Gandalf. - Digo levando minha mão até seu ombro e apertando levemente, já saindo de perto sem lhe dar a chance de falar. Apuro um pouco meu passo ao dobrar o corredor e ver o cabelo loiro da pequena garota, ela dava passos duros e parecia que acertaria qualquer um, dou um leve sorriso e me paro ao seu lado.


-Daqui a pouco você vai furar o chão. - Ela me olha e parecia que tinha corrido um monte. - Tudo bem?


-To ótima, acabei de saber que minha mãe traiu o homem que eu achava que era o meu pai biológico, descobri que sou uma princesa e que ainda tem pessoas desse vale por aí, mas tirando isso estou ótima.


-Ei, se acalme. - A faço parar a segurando pelo ombros e a mesma respirava fundo. - Eu não acredito que vou falar isso mas, você poderia dar uma chance pra ele.


-O que? - Perguntou incrédula, nem eu estava acreditando no que eu estava falando mas vê-la nesse estado sem o seu humor cotidiano me deixava um tanto que angustiado (?). - Você quer que eu dê uma chance pra um cara que só serviu pra colocar o pinto dele na vagina da minha mãe e me gerar?! - Podia sentir meu rosto esquentar, as vezes eu me esquecia que ela não tinha freio para falar certas coisas, respiro fundo e tento a olhar.


-Ele mesmo falou que sua mãe não o deixou se aproximar, eu não posso afirmar que seja verdade mas você sim. - Ela me olhou um pouco confusa. - Você a conhece e sabe se ela seria esse tipo de pessoa, ele só quer ter um momento com você.


-Por que quer ajudar ele?


-Não quero ajudar ele, na verdade não o suporto. - Abaixo minhas mãos ao vê-la arquear uma de suas sobrancelhas. - Mas eu quero te ajudar, não deixar que fique assim.


-Assim como?


-Triste. - Falo por fim é a mesma abre a boca para falar algo mas a fecha em seguida e abaixa o olhar. - Apenas pense sobre isso, não precisa fazer.


-Eu vou pensar, não prometo nada. - Murmurou olhando para o lado e sorrio levemente.


-Já é um começo, tenho que ir treinar e não esqueça de ir até lady Galadriel depois, se não eu mesmo vou atrás de você. - Ela soltou um riso fraco assentindo ao me olhar.


-Está bem.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - -


Quando falei que iria atrás dela era uma brincadeira mas eu realmente estou tendo que ir atrás dela, tinha terminado meu treino e estava perto do horário de almoço, tomei um banho e Gandalf apareceu em meu quarto para me avisar que Andrômeda não tinha ido encontrar a senhora Galadriel, o que ela ficou fazendo durante todo esse tempo? Devorou toda a comida da cozinha? Gandalf tinha me falado que ela não estava na cozinha e nem no jardim, onde essa pequena deveria estar? Espera…"Pequena"? Que jeito mais ridícula para chamar alguém Legolas! Bufo baixo e logo penso na sala de música, ontem ela não conseguiu terminar de ensaiar e deve ter voltado e se perdido no tempo. Mudo meu caminho entre os corredores e apresso meus passos em direção a sala, após um curto tempo chego no corredor ouvindo a risada de Andrômeda misturada com um...gemido? Me aproximo o suficiente da porta e fico em silêncio.


-Aldon, assim dói. Tem que ser devagar.


-Desculpe senhorita, acho que deveríamos fazer isso em outro lugar, aqui ficamos atrapalhados.


-Que bobagem, só tem que me deixar em cima. - Eles...Não, é claro que não estão fazendo isso! Isso seria completamente errado ainda mais com pessoas podendo entrar. - Isso, continue assim. - Minha respiração fica acelerada e seguro a maçaneta não esperando mais, abro a porta mas a cena que eu vejo é completamente da que minha mente estava imaginando. Aldon tinha erguido Andrômeda no ar, o mesmo estava com as mãos em suas costas e ela fazia um quase arco, suas pernas estavam meio encolhidas enquanto sua cabeça estava jogada para trás e suas mãos soltando seus fios de cabelo aos poucos.


-Oi Legolas. - Andrômeda sorri para mim ao abrir os olhos, pude notar que a mesma suava um pouco, Aldo aproxima o corpo da mesma do seu e a desce com a maior calma que poderia ter o que me fazia perder toda a calma que eu tinha.


-O que estão fazendo?


-A senhorita Andrômeda estava me ensinando passos de dança do reino dela.


-Quer se juntar Legolas? A três pode ser legal apesar de eu não saber muito como vocês fazem quando é mais de dois. - Acabo me engasgando com seu jeito de falar e Aldon segurou o riso. - Disse algo de errado? - Perguntou confusa.


-Não senhorita, acho que irei me retirar, vossa alteza parece querer conversar algo importante. - Ele segurou a mão dela deixando um beijo o que me fez segurar para não revirar os olhos. - Espero que possamos repetir isso no banquete.


-Com certeza. - Como assim no banquete, Aldon se curva para mim e aceno para o mesmo que logo sai fechando a porta atrás de si. - Então, o que quer? - Perguntou andando até a mesa pegando um copo de água e a bebendo.


-O que vocês vão fazer no banquete? - Ela me olha divertida e solta o copo em seguida.


-Ciúmes Legolas? Não se preocupe, você ainda é meu elfo favorito depois da Arwen é claro. - Ela pega um pedaço de maçã o comendo em seguida.


-Não estou com ciúmes. - Resmungo um tanto irritado. - Já falei que não é certo um homem e mulher ficarem sozinhos no mesmo ambiente, podem pensar coisas erradas.


-Não estou vendo ninguém além de nós dois aqui tambem. - Falou apontando para o lugar.


-Mas eu sou diferente.


-Diferente como? - Nesse momento eu fiquei sem saber o que falar, mas logo cruzo meus braços e a olho.


-Somos amigos.


-Eu e Aldon também.


-Andrômeda, ele deve querer fazer coisas inapropriadas com você. - Ela inclina a cabeça para o lado levemente.


-Olha meu loiro, tomara.


-Como é?! - Arregalo meus olhos a olhando completamente incrédulo, a mesma solta uma risada.


-É brincadeira. - Ela tenta parar de rir. - Bom, Aldon me viu triste na cozinha e me convidou para me animar, dançamos um pouco e nada de mais. - Ela deu alguns passos em minha direção com um sorriso podemos dizer, malicioso em seus lábios. - Não me diga que pensou que estávamos fazendo algo impróprio?! Que mente suja, alteza. - Meu rosto esquentava e rapidamente me afastei.


-Lady Galadriel a espera na biblioteca com Caleb, não se demore mais. - Falo por fim saindo da sala de música enquanto ouvia o riso de Andrômeda, garota atrevida.


- - - - - - - - - - - - - - - - -


Andrômeda pov:


Minhas mãos suavam frio enquanto eu estava parada na porta da biblioteca, respira fundo Andrômeda e não surta. Solto meu ar pela boca e dou leves batidas na porta escutando a voz de Galadriel permitindo minha entrada, abro a porta e entro dando um sorriso amarelo para a mesma após fechar a porta.


-Desculpa pelo atraso, me perdi no tempo na sala de música e…


-Legolas já passou aqui para falar. - Caleb começou e tinha um sorriso malicioso em seus lábios. - Não quero netos agora não.


-Cala a boca Caleb. - Digo irritada me sentando ao seu lado e de frente para Galadriel. - Desculpe Lady Galadriel.


-Não se preocupe querida, seu pai é uma criança ainda, não entrou nem na fase da adolescência. - Falou enquanto pegava uma xícara com um líquido quente, provavelmente era chá.


-Como assim ele ainda é uma criança? - Pergunto assustada e pude vê-lo segurar o riso.


-A raça de vocês é bem diferente. - Começou ela. - Apesar dele ter a aparência de uma pessoa adulta, sua idade é o que consideramos de uma criança.


-Quantos anos você tem? - Olho para ele que cruza seus braços enquanto se encostava melhor na cadeira.


-227. - Acabo me engasgando com minha própria saliva, se ele era uma criança eu sou o que? Um bebê?


-Praticamente sim. - Lady Galadriel fala me olhando, isso era muito sinistro. - A mente dele é de um adulto mas a idade sempre vai prevalecer para mostrar algumas atitudes um tanto que, desnecessárias. - Falou com toda a sua elegância, que inveja dessa mulher meu Jesus. - O Fato dele não envelhecer é por conta de terem sido abençoados com sangue élfico.


-Infelizmente temos que carregar isso. - Caleb falou com certa repulsa.


-Dá pra ter respeito?! Não pode culpá-los por conta de algumas maçãs podres. - Ele me olhou sem muito interesse e deu de ombros.


-Tanto faz. - Ele realmente era uma criança, ora está todo feliz e ora completamente irritado por qualquer besteira, mereço.


-Acalme-se querida. - Respiro fundo e volto meu olhar para a mesma. - Como já sabe, a senhorita é da realeza, descendente e primogênita do rei do vale da lua. - Isso era horripilante. - O vale está completamente destruído e precisa de ajuda para se erguer, o senhor Caleb não tem mais tanto poder como antigamente e só você pode ajudar o vale e fazer com o que seu povo saia das sombras e tenha coragem para lutar por sua princesa.


-Senhora Galadriel, vamos com calma. - Solto um riso nervoso erguendo minhas mãos. - Não estamos em Game of Thrones e não sou a Daenerys.


-Desculpe, mas quem é Daenerys? - Caleb solta uma gargalhada ao meu lado enquanto se arrumava.


-É uma personagem do mundo dela. - Ele responde enquanto tentava segurar os risos. - Aliás, a série já acabou?


-Sim e ela morreu. - Digo e o vejo arregalar os olhos.


-Só pode ta de palhaçada.


-Por favor, mantenham o foco. - Galadriel nos repreende e apenas assenti levemente envergonhada. - Você precisa salvar o seu povo criança.


-Senhora Galadriel, só tenho 18 anos e nunca consegui nem liderar um trabalho em grupo, não tem como eu ajudar essas pessoas e muito menos ser princesa.


-É claro que tem, irá ter os ensinamentos necessários e saberá como cuidar do seu reino, quando chegar a hora mandará uma aviso para os que restaram e...


-Mas e quando eu voltar pra casa? - Pergunto a interrompendo. - Caleb que ficará, ele que precisa saber mais como lidar já que ficou tanto tempo longe. - Galadriel me olhava mas não conseguia decifrar seu olhar, na verdade desde que a olhei pela primeira vez não parece que dá para tirar algo de sua expressão serena.


-Quando chegar a hora pensaremos sobre isso. - Falou e Caleb se mexeu de forma desconfortável ao meu lado, eu com certeza não vou dar conta.


-Posso fazer uma pergunta? - Galadriel assente então continuo. - Por que ainda não me esqueci dele? - Aponto para Caleb.


-Estou fazendo com que as lembranças que você teve com ele continuem em sua mente até que a poção fique pronta.


-Entendo. - Digo quase em um sussurro abaixando meu olhar para as minhas mãos, eu não acho que estou pronta para isso para falar a verdade, eu com certeza não estou.


- - - - - - - - - - - - - - - - -


-Isso é completamente incrível Andrômeda. - Comentou Arwen completamente alegre, estávamos almoçando no jardim apenas eu e ela, queria conversar e a mesma sugeriu comermos aqui fora e foi a melhor ideia dela, aproveitei para falar sobre o que eu tinha conversado com Galadriel e Caleb, também não deixei de me desculpar por ter a ignorado ontem a noite quando a mesma apenas queria o meu bem e como sempre ela foi um anjo comigo dizendo para eu não me preocupar e que não estava brava comigo, que entendia completamente a minha situação, é a mulher da minha vida mesmo.


-Não sei como descobrir que minha mãe traiu meu pai e que eu tenho que restaurar um reino, pode ser tão incrível assim.


-A parte da sua mãe com toda certeza foi algo imperdoável e triste mas saber que você pode restaurar um reino, é maravilhoso. - Bebo um pouco do meu suco esperando que ela continue. - Quantas famílias devem esperar para voltar para casa, para o reino onde elas nasceram. - Coloco o copo de volta enquanto a escutava. - Você é a chama de esperança deles! Você pode dar a eles um motivo para lutarem.


-Você sabe que está me deixando completamente assustada né? Nunca fui líder de nada e saber que tem gente contando comigo, faz eu querer cavar um buraco no chão e me enterrar. - Arwen rio de forma baixa e segurou minha mão por cima da mesa.


-Você é corajosa, apenas precisa encontrar isso ai dentro, quando achar, nada e nem ninguém vai conseguir pará-la. - Suspiro enquanto a olhava, ela tinha muita fé em mim mesmo, se o vale ficar comigo não dou nem uma semana para ficar mais destruído ainda. - Bom, chega de falar sobre liderança, já terminou de comer?


-Já sim, por quê?


-Indis e Idris me pediram para levá-la para experimentar a base que elas fizeram do seu vestido para ter certeza que ele irá caber e que não ficará grande. - Odeio experimentar roupa mas fazer o que né, sorrio fraco para a mesma e nos levantamos em seguida. - E enquanto caminhamos a senhorita pode me explicar melhor essa história do Aldon sozinho com você.


-As fofocas se espalham rápido aqui ein. - Digo enquanto andamos de braços entrelaçados.


-Foram elas que me contaram, pelo o que parece Aldon já comentou que irá dançar com você no banquete.


-Mas por que ele fez isso? - Pergunto confusa enquanto entrávamos no castelo e andávamos pelos corredores.


-Por que você é bonita, os elfos gostam de se gabar as vezes mesmo que não seja intencional. - Me explicou e fiz uma careta em seguida.


-Será que o Legolas vai ficar chateado?


-Como assim? - Perguntou ela curiosa.


-É que ele queria dançar comigo e eu disse que "não", pois só iria cantar mas daí quando Aldon me pediu e eu disse que "não", ele fez uma carinha que me deixou com pena e daí eu aceitei. - Arwen soltou uma risada enquanto me olhava. - O que foi?


-Nada minha amiga. - Ela continuava rindo e eu ficava mais confusa. - Vamos esperar pela reação dele, logo ele deve descobrir.


Conversamos por mais um tempo e já tínhamos chegado a espécie de ateliê que tinha em uma das salas, vários vestidos e túnicas estavam espalhados pelo lugar, juntamente de vários elfos e elfas trabalhando era quase uma fábrica, todos estavam sorrindo e nos cumprimentaram. Logo Indis me chamou para uma sala privada para que eu pudesse tirar o vestido e experimentar o que ela e a irmã tinham feito de base e Arwen iria me esperar com Idris, Indis me pedia desculpas por me fazer ir até a "bagunça" mas como estava com o tempo curto seria melhor eu ir até lá do que ter que levar todas as coisas para o meu quarto e nisso eu concordava com toda certeza, com a ajuda da mesma já tinha aberto o vestido e estava o descendo deixando meu cabelo para frente para poder cobrir meus seios mas escuto vozes perto da porta.


-Só preciso confirmar algo senhorita Arwen não irei atrapalhar seja lá o que for.


-Essa é a voz do Legolas? - Pergunto meio em dúvida para Indis por conta do barulho que tinha lá fora.


-Não, não entre sem bater! - Escuto Arwen falar de forma desesperada mas já era tarde demais, Legolas tinha aberto a porta e me encarava completamente vermelho e eu, bom…


-AAAAAAAAAHHHHH, ARWEN! - Grito pela mesma me cobrindo e virando de costas rapidamente enquanto tentava me cobrir com o vestido meus seios.


-Príncipe Legolas, feche isso imediatamente! - Mandou Arwen de forma severa e a porta bateu com tanta força que não duvido que tenha quebrado, Indis me olhava sem reação e meu coração parecia que iria sair do meu peito.


-M-me desculpe Andrômeda, eu não sabia que estava….


-CALA A BOCA, SEU PERVERTIDO! - Grito pegando uma caixinha vazia que tinha em uma mesa a jogando na porta, ai meu Deus, ele me viu nua!


-Senhorita, se acalme. - Indis colocou suas mãos sobre meus ombros toda desconcertada mas se ela estava assim, o que deixava para mim?! Eu vou matar esse elfo!


Notas Finais


📣 LEIAM AS NOTAS 📣

Mas olha que elfo pervertido esse gente, que horror

Espero que não tenha nem um erro e obrigado por ler '-')sz

-W


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...