1. Spirit Fanfics >
  2. Beyond Love- Second Season >
  3. Capítulo 13

História Beyond Love- Second Season - Capítulo 15


Escrita por:


Notas do Autor


Hello meus amores, como vocês estão?
Chegamos ao penúltimo capítulo dessa história maravilhosa.
Capítulo sem revisão, desculpem os erros.

Espero que aproveitem a leitura.

Capítulo 15 - Capítulo 13


Fanfic / Fanfiction Beyond Love- Second Season - Capítulo 15 - Capítulo 13

E quando a barriga for crescendo
Você ainda vai ser linda
Eu nem preciso te ver
Seca o choro e fica aqui comigo
Que até assim tristinha
Eu já sei Que eu amo você!

Oração do bebê- Barbara Dias

 

Os dias passaram rápidos e alegres, Paulo e Jade viviam com alegria cada dia daquela experiência, naquela mesma semana Soraia havia ligado para irmã, Jade havia ficado preocupada nos primeiros minutos, mas compartilhou da felicidade da irmã quando a mesma a tranquilizou ao dizer que Mariano havia recebido com alegria e emoção a notícia.

- Paulo onde estamos indo? -questionou uma Jade curiosa enquanto observava Turim pela janela, haviam saído do prédio onde moravam a poucos minutos e o jogador havia dito ter uma surpresa para mulher, Jade mal conseguia respirar tamanha ansiedade.

- Já estamos chegando, mais alguns minutos- riu o jogador, ele também estava nervoso, não sabia como Jade reagiria, mas esperava que ela ficasse feliz, adentrou na larga avenida que levaria ao condomínio- Mamãe avisou que esta tudo certo, ela chega essa noite- Jade sorriu, a sogra viria passar algum tempo com eles e ajuda-los com algumas coisas, Jade continuava a trabalhar normalmente, havia chegado ao quinto mês e sua pequena estava saudável, Paulo tinha uma de suas mãos sobre o ventre da esposa e ela sempre sorria com o modo como aquele gesto era involuntário para o jogador.

-Ela pode nos ajudar com a decoração do quarto- sugeriu Jade, Paulo teve sua entrada liberada assim que chegou à portaria e Jade voltou a encarar o lugar confusa, era um condomínio grande com algumas propriedades espalhadas, ela se perguntou o que estariam fazendo ali.

- Sim, tenho certeza que ela vai adorar- sorriu o jogador, em frente a uma das casas duas crianças brincavam na grama ao serem observadas atentamente por uma babá, Jade sorriu acariciando o próprio ventre por alguns segundos, Paulo estacionou poucos metros depois, a loira encarou a grande propriedade a sua frente e franziu a testa o jogador sorrindo a convidou para que saísse do carro.

- Paulo o que estamos fazendo aqui? -Jade questionou já do lado de fora.

- Paciência mulher- pediu ele rindo, juntou sua mão a da esposa enquanto caminhavam em direção a entrada, a grama estava bem cuidada, ao lado a entrada para a garagem, e um caminho que levava a pequena escadaria na entrada, Paulo abriu e a guiou, um hall dava espaço para uma sala e uma escadaria, logo depois outra sala, a cozinha também era grande e espaçosa, um extenso balcão em mármore fazia harmonia com a cor clara do cômodo, das janelas francesas a vista para o lado externo, onde árvores se estendiam por alguns metros, a porta nos fundos dava acesso a área externa onde se podia ver a enorme piscina, Jade voltou a encarar o jogador.

- Há alguns dias me ocorreu que precisamos de um lugar maior, eu sei que já tínhamos falado sobre a possibilidade de comprarmos uma casa algumas vezes e acho que agora, que estamos começando a nossa família, parece o momento ideal- o jogador deu de ombros, ansioso pela reação de Jade quanto ao assunto.

- Está dizendo que essa casa é nossa? -questionou a loira.

- Ainda não eu gostaria de saber sua opinião primeiro, mas eu confesso que achei um bom lugar, tive ótimas recomendações quanto ao condomínio também, mas nós podemos olhar em outros lugares depois, é isso que quer também? -a loira sorriu para o jogador analisando outra vez aquele espaço.

- Me parece uma boa ideia, quero que ela tenha espaço que possa correr livre- declarou a loira.

- Ótimo, vem vamos olhar lá em cima- Jade foi guiada por Paulo mais uma vez, uma pequena sala dava espaço a um corredor, com cinco portas, o jogador abriu a primeira, era um quarto grande, com um closet espaçoso e um banheiro bem decorado, o balcão em mármore claro e o chuveiro com box em vidro, Jade sabia que aquele seria o quarto do casal. O quarto em frente também era espaçoso e a janela tinha vista para as árvores.

- Acho que esse poderia ser o quarto da nossa pequena- sussurrou a loira, Paulo a abraçou também analisando a vista, sorriu.

- Parece mesmo ideal- Jade também sorriu, continuaram analisando os outros, em um deles Jade sabia que Paulo provavelmente faria uma sala de jogos, já que adorava uma boa partida de vídeo game- Então o que achou? Quer olhar outras? -questionou o jogador, a loira sorriu analisando a casa outra vez antes de partirem.

- Não, essa me parece a certa- ela sorriu, Paulo também, eles teriam um novo lar, onde novas lembranças seriam construídas.

Jade e Paulo mudaram no mês seguinte, os dois costumavam caminhar todas manhas, Paulo acompanhava em todas consultas possíveis, e Alicia havia decidido ficar também pelos próximos meses para ajudar Jade com o que fosse preciso. Os dois gostavam de colocar músicas para pequena na hora de dormir, sempre depois que Paulo conversava com ela por alguns minutos, Jade ainda lembrava de quando ela mexeu pela primeira vez, Paulo conversava com ela enquanto fazia planos e Jade sorria quando ela viu o marido rir e chorar ao mesmo tempo, ao ver que a pequena correspondia a conversa.

Lili estava sempre seguindo Jade para todos os lugares que ela ia dentro da casa, costumava deitar sobre a barriga da loira enquanto ela alisava seus pelos, Jade sabia que era forma dela de cuidar dela e a amava muito por isso.

Alicia ajudava compartilhando suas experiencias sobre um Paulo bebê. Ajudava a escolher roupas e utensílios. Haviam começado a montar o quarto agora que estavam na casa nova, cada detalhe era escolhido com amor e atenção, o local estava quase todo pronto, Jade se sentia cada vez mais ansiosa para conhece a pequena, havia também o medo e a insegurança, mas esse ela não dava ouvidos ou pelo menos tentava na maior parte do tempo.

Quando Jade chegou ao sétimo mês, suas pernas inchavam e Paulo a ajudava sempre com massagens antes dos dois dormirem, o jogador viajava com o time já que estavam em campeonato e Jade agradecia por ter Alicia por perto a mulher era sempre uma excelente companhia, fora numa daquelas noites enquanto Paulo massageava os pés inchados da loira e eles falavam sobre seus trabalhos que eles escolheram o nome para pequena.

Haviam sido longas discussões, Paulo queria um, Jade discordava, assim também era quando a loira sugeria algum. Parecia um longo impasse, até em uma das viagens de Paulo, Jade teve uma ideia, parecia aquele o nome certo. Quando o jogador chegou três dias depois e antes de dormir os dois discutiram novamente a ideia, a loira sugeriu e a emoção nos olhos do jogador fora tão grande que Jade sabia ter feito a escolha certa.

Aqueles últimos dias haviam sido longos, Jade havia organizado cada detalhe com Georgina e Bianca, Paulo sorriu ao adentrar o closet e ver Jade em frente ao espelho a barriga de sete meses era grande, a médica havia dito ser normal, mas quem via imaginava que a loira estivesse com nove meses, Jade vestia um vestido azul longo e nos pés tinha um par de rasteiras, o único tipo que usava ultimamente.

- Está linda- a loira sorriu ao observar o marido, Paulo procurava nunca a assustar, tinha medos que ele procurava guardar só para si, mas pensar que algo poderia acontecer a uma das duas, lhe deixava apavorado.

- Obrigada, tudo certo lá em baixo? -questionou uma Jade preocupada enquanto terminava de passar o batom, havia conferido os detalhes inúmeras vezes, mas ainda assim estava ansiosa para saber se estaria mesmo tudo certo, naquela noite seria o chá da sua pequena, sua família havia chegado no início da semana, Soraia também estava presente, por sorte seu médico havia liberado a viagem apesar de algumas restrições.

- Sim- a loira guardou as coisas espalhadas e caminhou até o jogador, admirou mais uma vez a beleza de Paulo vestido em uma camiseta de botões preta sorrindo ela declarou.

- Você também está lindo essa noite- o jogador sorriu, juntou seus lábios aos da esposa e acariciou o ventre, ambos riram quando sentiram a pequena mexer, ela sempre tinha aquela reação, quando Paulo falava era ainda pior, a pequena fazia uma festa.

- Você gosta de ouvir o papai- murmurou o jogador para o ventre da esposa e a pequena começou a festa, Jade murmurou com o jogador ainda que ela também risse- Vamos esposa- ele juntou as mãos dos dois enquanto desciam as escadas, Lili estava nos braços de uma Ana agitada a pequena correu para a madrinha e lhe abraçou, tocou a barriga e ao ouvir a voz da pequena a bebê se agitou outra vez.

Ana adorava passar um tempo com eles, fora os pais ela era a mais ansiosa para chegada da pequena, adorava acariciar a barriga da madrinha e conversar com ela e a pequena se agitava no ventre e Ana ria sempre ao dizer “Ela gosta de mim, também amo você bebê”, fora Ana a mostrar que ela precisava de um nome, sempre que via os dois ela perguntava “Qual o nome dela Dinda? Vocês ainda não decidiram? Mas, vocês são demoramos hein?” e causava uma crise de risos ao redor.

Todos estavam felizes naquela noite, Georgina abraçou a amiga e os pequenos fizeram a festa ao redor de Jade e sua barriga, Junior era sempre preocupado e estava sempre ligando para falar com Jade e saber se ela e a pequena estavam bem, ela sabia que ele seria um bom amigo para a pequena.

Paulo subiu ao palco a certa altura da noite, todos ficaram silenciosos para escuta-lo e Jade sorriu ansiosa quanto ao que o marido teria a dizer.

- Os últimos meses foram intensos, temos vivido tantas coisas novas e transformadoras- ele sorriu para a esposa, Jade acariciou o ventre- Passamos por momentos difíceis, aprendemos com eles e agora vivemos a alegria e ansiedade de ter conosco a nossa pequena- Jade sorriu emocionada- Eu sonho com ela e acho que nem preciso dizer o quanto serei babão- todos riram- Mas, eu gostaria apenas de dizer Jade, eu amo muito vocês duas, obrigada por tudo.

O oitavo mês, também fora tranquilo, Paulo viajava e voltava preocupado, tinha medo que algo acontecesse e ele estivesse distante, Jade passava longos momentos do dia no quarto da sua pequena, arrumando coisas, analisando os detalhes, lendo algo para ela enquanto acariciava o ventre e a sentia se movimentar, ela adorava aqueles momentos e mal podia conter a ansiedade por tê-la em seus braços.

No nono mês, seus pais chegaram, Soraia não veio porque estava em seu sétimo mês, não poderia viajar, mas ligava todos os dias e as duas conversavam por longos minutos, ela seria mãe de um menino, dois bebês eram mesmo uma grande benção e todos estavam felizes com a chegada deles.

Paulo tinha longas conversas com Juan na área externa, sobre seus medos e preocupações, Alicia e Madalena auxiliavam Jade com os preparativos da chegada da pequena.

- Querida vai ficar tudo bem não tenha medo- sussurrou Alicia para nora, enquanto Jade se despedia de todos naquela tarde, seria internada, sentia as primeiras contrações e a médica havia orientado que fosse acompanhada no processo.

- Estou tão orgulhosa de você- sussurrou Madalena- Eu te amo- Jade sorriu emocionada.

- Já é uma mulher e logo estará aqui com nossa pequena, tenho orgulho de você princesa- foram as palavras emocionadas de Juan, já havia conversado com Paulo aquela manhã sabia que o genro estava com medo.

- Querido seja forte, para apoia-la não tenha medo, Deus está no controle- sussurrou Alicia para o filho, Paulo sorriu encorajador para esposa e os dois seguiram até o veículo, Lili ficou chorosa, mas Jade prometeu que voltaria em breve.

As próximas horas foram longas, Jade fora internada e era acompanhada pela médica e pela equipe, a dor se fortificou e quando as contrações vinham Paulo tentava distrair a loira, assistiram vídeos, reviram fotos e lembraram momentos, Paulo tinha sua mão o tempo todo junta a de Jade e aquele gesto trazia a loira gratidão por tê-lo ali. Falaram com alguns amigos, Mariano havia trago alguns risos ao casal.

Jade dançou com a ajuda da médica buscando uma forma de aliviar as dores, mas elas pareciam cada vez mais difíceis de suportar, já era quase madrugada, doze horas que havia saído de casa e a médica pediu que ela fosse paciente, provavelmente ainda demoraria mais algum tempo, a loira tinha a testa suada, a dor aumentava e Paulo estava agoniado por não poder ajuda muito.

Às cinco da manhã, a médica indicou que era o momento certo, Jade estava cansada, mas ansiosa para conhecer sua pequena, feliz que a hora finalmente estivesse chegado.

- Jade agora precisa ser forte, quando a dor vir você empurra com a maior força que tiver- orientou a médica, Jade viu um brilho de ansiedade nos olhos dela- Sua pequena está vindo- a mulher e amiga sorriu- Paulo segure firme na mão dela, diga palavras de suporte, não tenham medo vai da tudo certo- o casal concordou, enquanto Paulo segurava firme a mão da esposa e lhe dizia palavras encorajadoras, Jade sentia tanta dor, que jamais julgara ser suportável, em certo momento achou não ser possível conseguir, fora quando Paulo a ajudou com sua certeza, com sua fé e com seu conforto.

Segundos depois Jade ouviu o choro de sua pequena e desabou sobre a cama, Paulo olhou a esposa quando a médica o chamou para que cortasse o cordão, Jade apenas sorriu para ele indicando que ele poderia ir.

Quando pegou a pequena em seus braços pela primeira vez, Paulo não segurou as lágrimas, eles agora tinham uma grande responsabilidade, ela era tão linda e tão encantadora.

- Hey, meu amor- sussurrou o jogador- É o papai- Paulo lhe acariciou o rosto e seguiu até a esposa que também chorava, Jade recebeu a pequena em seus braços, analisando cada pequeno detalhe, ela sessou o choro.

- É real ela está aqui- sussurrou a loira ainda sem acreditar que estava mesmo segurando sua pequena em seus braços.

- Sim, nossa Alicia chegou- sussurrou o jogador juntando seus lábios aos esposa.

- Valeu a pena, toda espera Paulo, valeu a pena- sussurrou a loira outra vez observando sua pequena.

- Sim, ela valeu- declarou o jogador voltando a observar as duas, beijou a testa de esposa e acariciou mais uma vez a pequena Alicia nos braços da mãe.

Ali observando aquela cena, ele não pôde deixar de concluir o quanto Deus em sua infinita bondade é  perfeito e cuida de cada detalhe.


Notas Finais


Espero que tenham gostado, deixem a opinião de vocês.
Obrigada por todo apoio, por receberem esse casal com tanto amor.
Volto logo com o epílogo e a despedida do nosso casal.

Fiquem com Deus, um abraço.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...