1. Spirit Fanfics >
  2. Beyond The Heart (Kim Taehyung) >
  3. Aquele De V

História Beyond The Heart (Kim Taehyung) - Capítulo 58


Escrita por:


Notas do Autor


bom dia, boa tarde, boa noite e boa madrugada. 💗

espero que vocês estejam bem. 🌻
trouxe mais um capítulo e espero que gostem. 💞

tenham uma boa leitura. ✨

Capítulo 58 - Aquele De V


Fanfic / Fanfiction Beyond The Heart (Kim Taehyung) - Capítulo 58 - Aquele De V

O Suga chegou surpreendendo a todos com a sua repentina aparição em Crivel.
Eu de fato fiquei surpreso com o mesmo, eu não esperava que ele viesse quando Darkican estava em confusão devido a morte do Lundyer e a sua função como o novo regente. Mais até aí, as coisas estavam aceitáveis. Eu só não conseguia superar a decisão da Cherry.
Ela realmente quis voltar para Fousvin.
E embora eu não pudesse esperar algo muito diferente, aquilo ainda me afetou, tanto que seguir em um silêncio completo a minha viagem, enquanto o Jung Kook, o Jin e o Ho Seok conversavam.
Eu estava com o olhar fixo no chão, pensativo.
Eu não sabia se estava decepcionado ou orgulhoso da Cherry por ela ter feito aquela escolha, talvez um pouco dos dois. Mais o que eu tinha certeza, é que eu estava mais preocupado com a mesma do que com o que me esperava em Suntowrrigan.
Eu ainda mantinha o meu silêncio preocupado quando o Jin se aproximou de mim.

— Não se preocupe com o garoto de Darkican. Embora ela tenha feita a escolha de seguir para Fousvin, ela te ama. — Disse o mesmo em um tom de brincadeira.

— Não é com isso que eu estou preocupado. — Falei atraindo a atenção confusa do mesmo.

— Estou preocupado com relação a sua chegada em Fousvin. Eu tenho medo do que possa acontecer. — Continuei e então Jin soltou um suspiro.

— Olha, independentemente do que aconteça, a Cherry está muito bem acompanhada. — Disse ele.

— Eu sei mais... O problema é que eu não estou lá com ela. — Falei.

— Eu te entendo. Mais você tem muito o que resolver em Suntowrrigan, e não pode deixar tudo por causa de uma garota. Vocês fizeram as suas escolhas. — Disse ele e então eu fitei o chão com tristeza.

— Vai dar tudo certo, rapaz. — Continuou o mesmo colocando a mão em meu ombro, enquanto continuávamos a nossa viagem.

Assim que chegamos na fronteira de Suntowrrigan, logo avistamos os soldados. Nós paramos imediatamente quando eles ergueram as espadas.
Não queríamos mostrar que éramos uma ameaça.
Eu avancei cautelosamente para que me reconhecessem e logo o general de Ban Ryu da capital Flowforth, se aproximou.

Alteza, fico feliz em vê-lo. — Disse o mesmo, fazendo uma breve reverência.

— Me acompanhem. Sua mãe ficará feliz em ver vocês. — Continuou ele saindo e logo, nós o seguimos.

Ele nos seguiu até a corte e assim que adentramos, eu avistei a minha mãe que estava conversando com uma criada, logo no salão principal. Ela mudou a sua feição assim que nos viu. Em seguida correu contente em minha direção e abraçou eu e o Jung Kook ao mesmo tempo. E entre lágrimas, ela falou o quão aliviada e feliz estava em nos ver.
Logo ela abraçou o Ho Seok e o Jin, agradecendo-os por nos protegerem.
A minha mãe dispensou os mesmos, afirmando que eles mereciam uma boa refeição acompanhada de um banho e um merecido descanso, então o general de Flowforth acompanhou o Jin e o Ho Seok, enquanto eu e o Jung Kook seguiámos a nossa mãe até o salão de reuniões do meu pai.
Assim que chegamos ela pediu que nos sentássemos e assim fizemos.

— E então mãe, como está Suntowrrigan, depois da morte do pai? — Me apressei em perguntar.

— Bom, por enquanto está indo bem. Eu estou conseguindo levar as coisas com a ajuda do general Ban Ryu. — Respondeu ela.

— Mais todos ainda estamos abalados com a morte repentina do seu pai. — Continuou a mesma.

— E os médicos disseram alguma coisa com relação a "doença" do pai? — Perguntou Jung Kook e então minha mãe fitou o chão, como quem quisesse esconder o que sabia.

— Pode falar, mãe. — Falei atraindo a atenção da mesma e então ela soltou um suspiro.

— Parece que o seu pai foi envenenado. — Disse a minha mãe e então eu a encarei surpreso.

— Quando ele voltou de Fousvin, já estava em um estádio avançado. Não houve nada que pudesse ser feito. — Continuou a mesma com os olhos marejados enquanto eu olhava de relance para o Jung Kook.

— Quem poderia ter feito uma barbaridades dessas?! — Perguntou Jung Kook com raiva enquanto tentava segurar as suas lágrimas.

E então eu parei.
Eu me lembrei da Cherry, e do quanto que ela odiava o Chanceler. Ela sempre contou que ele não era um homem de possuir a confiança de alguém. E logo, tudo estava fazia sentido para mim. A pressa e a urgência que ela sentia em voltar para Fousvin, a preocupação com os pais, o roubo do Pergaminho Sagrado, tudo se encaixou e então eu entendi.
Ela estava com medo e precisava investigar o Chanceler.
Será que ele estava por detrás da morte do meu pai?
Isso até eu precisava saber. Porque se ele estivesse envolvido nisso, ele é mais perigoso do que Cherry pensa e está correndo perigo.
Eu precisava salvá-la.
Eu me pus de pé em um excesso de raiva, atraindo a atenção curiosa da minha mãe e do Jung Kook.

— O que aconteceu, meu filho? — Perguntou a minha mãe.

— Eu preciso resolver essa história. E salvar uma pessoa. — Respondi.

— Do que você está falando? — Perguntou-me ela confusa enquanto se colocava de pé.

— Você não está dizendo que vai...

— Sim. Eu irei para Fousvin. Tenho coisas a fazer por lá. — Falei interrompendo o Jung Kook.

O Jung Kook me olhou surpreso, enquanto a minha mãe me encarou com repreensão antes de falar.

— Você só pode está louco, Tae Hyung! — Disparou a minha mãe.

— Você tem um reino para regir meu filho. Não pode sair por aí como se nada estivesse acontecendo por aqui. — Continuou a mesma.

— Eu tenho que concordar com a mãe, Tae Hyung. É muito arriscado. — Concordou Jung Kook.

— Mais eu preciso salvar a Cherry. — Falei em súplicas.

— Quem é Cherry? — Perguntou a minha mãe confusa.

— É a princesa S/N. — Respondi e então minha mãe fechou a cara.

— Você deixará um reino em fragilidade por conta de uma princesa que fugiu justamente no dia em que seria privilegiada de casar-se com um príncipe vencedor. — Falou a minha mãe.

— Privilegiada. — Falei com desdém.

— Você não conhece a Cherry como eu conheço, mãe. — Continuei.

— Não importa, Tae Hyung. Você não irá arriscar a sua vida atrás dessa menina. — Disse a minha mãe com firmeza.

— Pelo menos, não mais. — Concluiu a mesma enquanto se dirigia lentamente para a saída da sala, mais ela parou no meio de caminho e nos encarou.

— Agora descansem. Quero que estejam bem dispostos para o jantar de boas vindas de hoje. — Ordenou a minha mãe.

— Especialmente você, Tae Hyung. — Continuou a mesma saindo.

Quando apenas restou eu e o Jung Kook na sala, o mesmo me encarou como quem soubesse que eu estava planejando algo.

— Você irá a Fousvin, não é? — Perguntou-me ele.

— Mais é claro. Eu não vou deixar a Cherry sozinha. — Respondi e então ele abriu um sorriso.

— Embora ela não esteja de fato sozinha... Sei que não irá desistir de ir. — Disse Jung Kook.

— Então... Qual é o seu plano? — Perguntou-me ele.

— Você verá. — Respondi com um sorriso malicioso e então ele riu.

— Você é inacreditável. — Disse ele ainda sorrindo e então nós saímos.


Notas Finais


iih...
sempre tretas. 😬😂

espero que tenham gostado. 💜

fiquem ligadas nos próximos capítulos. 🌹


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...