1. Spirit Fanfics >
  2. Beyond your eyes (Imagine V) >
  3. Cuidado com o que deseja

História Beyond your eyes (Imagine V) - Capítulo 3


Escrita por:


Notas do Autor


Olá!
Gente, tenho algo sério pra falar antes de começarem a ler. Sei que já ouviram milhões de vezes, mas é sempre bom relembrar. Fiquem em casa nesse período de crise. Lavem as mãos e tomem as putras medidas de prevenção. A parada é seria!
Estou escrevendo até pra ajudar vcs com o tédio. Espero que gostem!

Capítulo 3 - Cuidado com o que deseja


   Quando desperto no sofá falto cair com o impulso que dou em direção ao meu quarto. Desligo a alarme escandaloso do meu celular e olho em volto. Meu moletom está amarrotado em cima da cama, mas sem sinal da garota.- Eu alucinei? Só pode ter sido esse bando de trabalho que consome minhas energias...- Vou até o banheiro fazer minha higiene matinal e me deparo com a cadela de ontem. Ela havia feito xixi no tapete.- Essa parte é real. Eu realmente trouxe ela pra minha casa.

    (Tae) Aí é lugar, mocinha!?- O box está fechado... ao menos ela foi inteligente o suficiente para fazer as necessidades num local mais ou menos apropriado.

    Saio de lá bufando com o tapete em mãos, seguro-o o mais longe possível do corpo e coloco no tanque.- Nunca gostei de lavar minhas próprias roupas, então é um mega sacrifício ter que esfregar a sujeira de outra pessoa, digo, de um cachorro. Mas alguém tem que fazer, não mesmo? Bichinhos não sabem como cuidar de si próprios. Mas ela não é uma bola de pelos comum, né? Aquilo pareceu tão real pra mim... a moça podia ser real.

    Ouço um barulho na sala e largo o tapete molhado. Um vasinho de planta que enfeitava o ambiente estava caído no chão e tinha terra espalhada pra tudo que é lado.- Agora ela conseguiu me irritar! Cadê essa cadela pra eu dar uns sacodes nela! A-ha! Achei você!

    (Tae) Pode sair desse cantinho aí!- Agacho perto dela que está escondida na fenda da estante de livros e faço cara de bravo, o que a faz se acuar ainda mais.- Se você sabe que fez besteira vai ter que me pedir desculpas! Não adianta querer evitar a bronca, mocinha!

    -Desculpa, Tae.

    Uma voz firme reverbera na minha cabeça. Minha parte racional dá tilt. Não vi a cadela abrir o focinho, mas sei que foi ela. Isso quer dizer que eu pirei de vez? Ontem... aconteceu de verdade? Por que então ela não se transforma em garota? Será que ela tem controle disso? Preciso saber.

    (Tae) S-s/n, não é? Podemos conversar de humano pra humano? Você entende certo?- Esperei do fundo do meu coração não estar falando apenas com um animalzinho naquele momento.

    Ela sai com as orelhas baixas do esconderijo e para diante de mim. Um clarão surge do seu interior e acabo cego.- Puff! Cadela num instante e garota no outro! Espera... o que!?- Caio pra trás me apoiando nos pulsos ao ver uma bela figura feminina nas quatro patas... apoiada nas mãos e nos pés.-De quatro, foda-se!- E ainda por cima ela estava nua na minha frente.

    (S/n) Desculpa a S/n por te assustar...

    (Tae) Tá-tá tudo bem...- Só agora caiu minha ficha. Desse dia em diante, nada irá me surpreender. Afinal de contas, o que ela é? Será que a ciência sabe da existência de seres que mudam de forma? É metamorfo que chama? Aish! Ela deve saber o que é, certo!?- S/n!!! O que você tá fazendo???

    Ela engatinha até mim como um felino.- Irônico, pois ela na verdade vira um cachorro... ou será que o cachorro vira ela? Isso ainda é muito confuso pra mim!- Seu rosto chega perto do meu e acabo travando.- Já namorei algumas meninas e tive muitas amigas, mas essa... meu Deus ela é tão linda que nem parece de verdade! Essas curvas, esse rosto delicado, esse jeito animalesco... eu não consigo evitar de me sentir atraído por ela! Nesse momento eu até me sinto um pouco sujo por conta disso. Ela nem deve entender o que é atração, e é por isso que não se sente envergonhada de estar completamente exposta pra mim. Eu é que me sinto envergonhado!

    (S/n) O cheiro do Taehyukk é bom! S/n quer cheirar mais!

    Se eu estivesse em condições normais a repreenderia por dizer meu nome errado, porém o foco aqui é outro. Ela está prestes a subir em cima de mim e afundar o nariz no meu pescoço, mas a empeço. Sua cabeça torna a mexer de um lado pro outro.- Essa é sua linguagem corporal de quando está confusa? É tão... puro. Com certeza me sentiria um monstro se me aproveitasse da inocência desse ser.- Coloco-a sentada sobre suas próprias pernas e busco ar para encher os pulmões.

    (Tae) S/n, o que é você?

    (S/n) Senhor D chamava S/n de híbrida.- Sua dicção é um tanto travada, mas consigo entendê-la perfeitamente. Esse tal senhor D é seu dono anterior suponho, deve ter ensinado-a o básico do básico do francês. E sim, eu falo francês além de coreano, dah. Aprendi na escola a muito tempo atrás. Sempre achei uma língua chique, daí quis aprender.

    (Tae) E você sabe onde está seu dono, S/n?- Seus olhinhos começam a lacrimejar e eu percebo na hora o que estava acontecendo.- Ei, está segura aqui comigo. Pode me falar.- Limpo suas lágrimas com o polegar e seu olhar me domina. Ela praticamente fala com eles e estava me agradecendo novamente através deles.- Ele era maldoso com você? 

    (S/n) Muito mal... S/n teve que fugir se não dono a mataria!- Sua voz falhou. Não sei se devo continuar perguntando do seu passado, pois tenho certeza de que foi traumático. Não quero ver ela sofrer por conta disso. Nem conheço esse cara, mas qualquer um que tem coragem de machucar um ser puro desses merece a morte! Ouço outro barulho e dessa vez vem da sua barriga.

    (Tae) Está com fome? Vou fazer algo pra você comer. Consegue ficar de pé?- Ela abaixa a cabeça e assimilo com o baixar de orelhas.- Deixa eu te ajudar. Apoia aqui em mim.

    Guio seus braços até meus ombros e começo a me erguer. Estamos de frente um pro outro. Seguro seus quadris e quando a sinto firme começo a andar de costas mantendo o olhar nos seus pés. Ela tropeça algumas vezes e sinto que é mais por fraqueza do que por não saber a técnica de apoio. Levo-a a mesa e a deixo lá na cadeira. Volto com o moletom em mãos.

    (Tae) Toda vez que se transformar coloque uma roupa, entendeu?- Repito o processo de pedir que levante os braços e pernas e a coloco vestida.

    (S/n) Mas é desconfortável, Taehyukk! S/n sente melhor sem nada!- Ela diz manhosa puxando a gola.

    (Tae) Eu sei que é ruim, mas você tem que aprender a agir igual gente pra própria segurança!- Parando pra pensar... e se ela tivesse acabado sendo trazida pra casa de outro homem. Meu Deus, vem um desgosto na minha boca só de pensar em alguém fazendo maldades com ela.

    (S/n) Kim Taehyukk?

    (Tae) É Kim Taehyung.

    (S/n) Desculpa...

    (Tae) Não precisa se desculpar. Se ficar mais fácil, prefiro que me chame de Taetae.- Faço um cafuné e sinto meus dedos prendendo em seus cabelos longos.- Vou ter que comprar uma escova pra tirar esses nós. Está muito embaraçado.

    (S/n) Obrigada por cuidar de mim, Taetae!

    Ela diz com uma animação e inocência que só encontramos em crianças. S/n é uma criança mentalmente e eu não tenho coragem de abandoná-la nesse mundo, não depois de descobrir esse seu segredo. Merda! Mal consigo me sustentar. Como é que vou conseguir cuidar dela?- Cuidar dela? Essa responsabilidade não é sua, seu idiota! Você não pode simplesmente adota-la como se fosse um animal de estimação comum! E é exatamente por isso que eu preciso, sim, cuidar e proteger ela. Ela não é um ser comum e só eu sei disso. Custe o que custar irei estar do seu lado! Como é que ela conseguiu se tornar tão importante pra mim em tão pouco tempo? Isso sim é maluquice!

    (Tae) Estou fazendo o que acho que é certo. Não me agradeça por isso.

    (S/n) Taetae tem um bom coração. S/n ama o Taetae!

    Essas palavras mexem comigo mais do que deveriam. Volto a me concentrar nas panquecas que pretendia fazer. Pego todo o material e coloco a frigideira no fogão.- Se ela me ver sorrindo assim vai querer dizer aquilo o tempo todo e não sei se conseguiria impedi-la.- Com o café pronto, coloco os pratos na mesa e sirvo um suco de caixinha sabor laranja pra nós dois. Sento de frente pra ela e esqueço o essencial.

    (S/n) Posso comer na chão?

    (Tae) Não!- Digo rápido demais. Tem muita coisa que tenho que ensinar a ela.- E-eu vou te dar na boca. É melhor.

    Puxo seu prato e parto em pequenos pedaços para dar a ela. Sua boquinha miúda quase não se abre e é meio difícil manter o braço esticado daquele jeito. Resolvo colocar o banco do seu lado e peço pra que ela abra mais a boca. O resultado é sua língua do lado de fora e acabo rindo. Vejo que ela ri também e demonstro como se deve comer de colher pegando um pedaço e comendo, depois pego sua mão e a faço segurar a talher e levar aos lábios.- Pronto, agora comer ela já sabe.

    (S/n) S/n sente sede.

    (Tae) Nem perguntei antes, mas gosta de suco de laranja?

    (S/n) Sim, mas não sei beber nisso, só na tigela.

    La vou eu ensinar ao bebê a como segurar um copo. Pego suas mãos e pressiono elas contra o plástico.- Suas mãos são tão pequeninas... as minhas são quase duas vezes o tamanho delas.- Levo novamente a seus lábios e, devagar, solto. É estranho, mas sinto orgulho quando vejo sua evolução rápida.- Obviamente me orgulho de mim também. Sou um ótimo professor!

    (S/n) S/n tá cheia.

    (Tae) Estava bom?

    (S/n) Muito!!!

    O outro alarme toca e sei que irei me atrasar pras aulas. Engulo as panquecas que preparei e vou pro quarto me vestir.- Odeio sair sem tomar banho, só que hoje não tenho escolha. Mas e a S/n? Será que ela vai ficar bem se eu deixar ela aqui sozinha? Hoje é sexta e amanhã e depois de amanhã terei tempo de ficar com ela.- Quando vejo, S/n está tentando permanecer de pé apoiada entre os bancos.

    (S/n) Olha, Taetae! S/n está em pé!- Suas pernas tremem e mesmo assim ela parece muito feliz. Não consigo esconder o sorriso dessa vez.

    (Tae) Vou sair agora.- Dou um jeito de levar ela pro sofá e vejo que fica tristinha com a notícia.- Deixe para fazer essas coisas quando eu estiver por perto, está bem? Você pode se machucar.

    (S/n) Está bem... Taetae vai voltar logo, não vai?- Aqueles olhos do gatinho do Shrek aparecem. Eu já estou arrependido, você não precisa fazer isso comigo, S/n!

    (Tae) Claro que sim!- Ligo a TV e coloco em um canal infantil. Enquanto estou fora preciso que fique distraída, sabe-se lá o que pode acontecer se ela ficar sozinha.- Esses desenhos são bem divertidos. Você vai ver que o tempo vai passar super rápido.

    (S/n) Como é que esse ratinho e esse gatinho entraram ali dentro?

    (Tae) Eles não são de verdade. São personagens inventados por alguém e, aquilo se chama TV.- Afasto-me pra procurar as chaves e pegar minha mochila, porém ela me segura pela blusa.- Eu preciso ir pra faculdade, pequena. Quando voltar, prometo te dar toda a atenção do mundo, pode ser?- Ela me solta devagar e ao mesmo tempo concorda com a cabeça.- Me promete que vai me esperar aqui quietinha em troca?

    (S/n) Prometo.- O bom dessa relação doentia é que tenho certeza absoluta que ela vai me obedecer, seja lá o que pedir! Eu podia usar isso pro meu benefício... não! Não sou esse tipo de homem!

    Despedir dela foi a coisa mais difícil que tive que fazer em anos. Pensei em dar meia volta várias e várias vezes enquanto pedalava pra facul.- Tae, o problema não é ser responsável por uma garota híbrida. O problema é colocá-la como responsabilidade número um na sua vida! Você não pode parar seu mundo por ela!- A única coisa ao meu alcance é ir e voltar o mais rápido possível.

    Saindo do bicicletário, dou de cara com Nico. Seu jeito me amedronta às vezes. Aqueles braços cruzados segurando cinquenta mil trabalhos que serão entregues em cima da hora mostram um “pouco” de sua competência, pois eu sei que pra que isso aconteça eu tenho que ter feito grande parte deles antes dela imprimir.- Sim, Nico é mulher. Não era óbvio? Uso esse apelido pra Nicole. Ela não gosta, mas eu não tô nem aí.- Ela me encara e penso que receberei uma surra, só que ao invés disso ela me pede para acompanhá-la para a primeira aula. 

                                  •                          •                       •

    Minha mente permaneceu cada segundo daquele mísero dia na S/n.- Esse é o último horário, Tae. Aguenta aí mais um pouco.- Estava quase surtando em plena aula de filtros naturais quando Nico me cutuca nas costas com a caneta. 

    (Nico) Por que você tá tão tenso hoje?

    (Tae) Não tô tenso!

    -Shhh!!!- Diz algum estudante que se paga de estudioso.

    (Tae) Eu não estou tenso.- Começo a falar cochichando.

    (Nico) Não é o que parece.- Viro o pescoço pra ela.- Sabe que pode me contar tudo, né? Somos amigos, V!

    -Shhh!!!- Dessa vez quem pede silêncio é o professor.

    (Tae) Olha, eu estou bem. Se tiver algo errado eu vou te falar... e obrigado por se preocupar.- Encosto na sua mão de leve.- Significa muito pra mim.

    Sempre levei jeito pra conversar com meninas e com Nicole não seria diferente.- Essa habilidade nunca foi usada para o mal, senhoras e senhores!- Basta ser gentil, agradável e fingir que se importa.- Eu me perco na regra do fingir e acabo me importando mesmo com o que dizem... sou um soldado em treinamento.- Eu e Nicole precisamos um do outro. Ela é minha única referência em um país estrangeiro e eu sou o único amigo que ela tem.- Nunca entendi o porquê disso. Acho ela uma garota bacana, fora as exigências sobre nossos trabalhos. “Um nove não é o mesmo que dez, V!”, sempre me diz isso.

    (Nico) Que-que isso, imagina!- Ela escapa do meu toque furtivamente.- É que desde ontem você me pareceu diferente... se você diz que tá tudo bem, então tá tudo bem!

    -A senhorita quer ser retirada de sala, madmoizelle Nicole?

    (Nico) De forma alguma, monsieur!

    O resto da aula prosseguiu em silêncio e eu tentava controlar minha ansiedade já que Nico me provou o quanto sou transparente. Minha feição está sempre séria, mas eu não consigo me segurar em certas situações. Só queria que alguém me dissesse que sou durão, que nunca me viu chorar ou se abalar por nada.- Se Nico ouvisse meus pensamentos diria que tenho masculinidade frágil... o lance é que eu quero sim ser o homem que qualquer mulher desejaria ter do seu lado. Quero ser um protetor e, se necessário, uma muralha impenetrável!

                                   •                          •                       •

    Cheguei! Nem acredito nisso... parece que hoje foi o dia mais longo do ano!- Por favor, senhor, que minha casinha esteja intacta e que essa garota híbrida esteja inteira!- Destranco e abro a porta. 

    (Tae) S/n, estou de volta!

    (S/n) Taetae chegou!?

    (Tae) Onde você... ah.

    Os olhos dela faltavam cair de tanta olheira. Ela levou ao pé da letra. Tenho que ter mais cuidado no que mandar... pedir pra ela fazer. S/n pode ser uma cadela, mas ela também é uma garota e existem limites que ambos os corpos podem aguentar.- Não são esses limites, Taehyung! Aish! Só penso em besteiras desde que ela apareceu. É como se eu nunca tivesse visto uma garota. Que absurdo!- Pego o controle e desligo a TV.

    (Tae) Já chega de desenho por hoje.

    (S/n) Ei! Estava na melhor parte! O mestre ia ensinar ao panda a técnica secreta pra ele derrotar a pantera do mal e assim poder salvar a vila!

    Nesse momento fiquei boquiaberto. Nunca vi ela dizer tanta coisa de uma vez só e tudo estar correto sintaticamente e gramaticalmente mostra o poder de ensino desses programas.- Eu estou parecendo um velho, daqueles que não sabe nem mexer no Facebook. Enfim, essa TV vai me ser muito útil! Ainda mais se ela pegar as coisas rápido. Eu preciso pesquisar sobre híbridos na internet. Deve ter alguma coisa pra me ajudar a entender como funcionam, tipo um manual de instruções mesmo. É... vou fazer isso. Se não tiver, eu mesmo vou escrever a partir das minhas experiências. “O livro Híbrido.”, vou chamar assim.

    (S/n) Taetae?- Saio da caixinha do vazio, nome que dei ao estado cujo minha mente me tira da realidade, e vejo ela tentar ficar de pé novamente. Essa danadinha é mais ansiosa que eu!

    (Tae) Você percebeu o quanto evoluiu sua fala só hoje!?- Tiro os sapatos e dou uma corridinha para apoiá-la.- Aquilo foi incrível!

    (S/n) Aprendi pra deixar Tae orgulhoso!- Era bom demais pra ser verdade... ela continua falando na, sei lá, quarta pessoa. Bem, as melhoras vão ocorrendo aos poucos. Confesso que isso eu não gostaria que mudasse...

    (Tae) E deixou!

    Abraço sentindo a divisão de uma costela pra outra e logo solto ela.- Quem é que abraça assim apertado uma pessoa que não é nada próxima ainda? Quer dizer, a maneira como nos conhecemos pode ser considerado destino e a situação toda me fez tomar medidas que podem sim, tornar duas pessoas mais íntimas, mas... se passaram três dias e ela não sai da minha cabeça! É tudo S/n, S/n e S/n! Eu quero conhecer ela, quero saber tudo sobre ela... eu, eu...

    (S/n) S/n quer ir no banheiro.- Diz cruzando as pernas.

    Caramba! Ela deve estar super apertada!- Calma aí... vou ter que ensinar isso pra ela também? Co-como vou fazer isso? Não posso chegar lá e abaixar as calças dela! Cara, você já viu ela peladona! Qual o problema em ver de novo? Pelo amor de Deus! Eu não sou assim!

    (S/n) Taetae, por favor, me ajuda!- Quando sinto sua mão puxando minha camisa, sei que está falando sério.

    (Tae) Vamos, vamos!- Entramos no banheiro juntos, o que fez ele ser mais apertado do que realmente é, e levanto a tampa do vaso.- É só você sentar aqui e... am... fazer. Depois que terminar usa iso aqui pra se limpar.- Aponto pro papel higiênico.

    (S/n) Entendi!

    (Tae) Vou esperar aqui fora.- Saio e continuo falando do lado de fora.- Me avisa quando acabar pra te ajudar a se levantar! E dá descarga!

    O barulhinho do xixi me causou uma crise de riso. Foi muito difícil segurar e eu mesmo não entendi o porquê aquilo era tão engraçado.- Eu estou criando uma criança com apenas vinte e três anos! Ela é minha criancinha e ninguém pode mudar essa afirmação. É melhor eu aceitar logo que existe uma ligação entre a gente que nem a ciência pode explicar, quem dirá eu entender.

    (S/n) S/n acabou!- Olho pela dobradiça antes de entrar confirmando que está vestida.- O que fez Taetae rir? S/n quer saber! Hmm... tem algo na minha cabeça?

    (Tae) Quer tomar banho? Seu cabelo tá uma farofa!- Ela pega uma mecha e coloca na boca.- Para com isso, S/n.

    (S/n) Humf... mas farofa é de comer, ué!- Cruza os braços e faz beiço. Essa foi a gota d’água e começo a gargalhar descontroladamente.- Tá me assustando, Taetae...

    (Tae) Haha... é que... haaa... você é muito fofa, S/n.- Suas bochechas tornam a ficar rosadas e nesse momento essa criatura despenteada vestindo meu moletom tentando se apoiar na pia é a criatura mais linda do planeta.- Te deixei sem graça?

    (S/n) Como Tae pode tirar minha graça se continua rindo de mim?- Gente, é sério, ela é a fofura em pessoa!- Isso é água saindo do olho do Tae?

    Ela estica uma mão, segurando a torneira com a outra pra não cair, e toca meu rosto. Sinto meus lábios esconderem meus dentes. Seu dedão se move na minha maçã do rosto limpando às lagrimas de felicidade.- O que é esse efeito que ela me causa?- Daí volta a se apoiar como se nada tivesse acontecido.- Aconteceu só pra mim? Tô me sentindo uma mulherzinha agora...

    (S/n) Que foi? O gato comeu sua língua?- Essa expressão... minha cota de surpresas já se excedeu por essa e pela próxima semana.- Me ajuda a tirar a blusa, Tae!

    (Tae) Po-por quê?

    (S/n) Taetae disse que ia dar banho na S/n.- Beiço novamente.- Não vai mais?

    (Tae) Vo-vou sim!- Essa menina tira minhas defesas!

    Começo a despir ela. Tirar a roupa dela mexe mais comigo do que colocá-la. Tenho certeza que não vou aguentar quieto por muito tempo tendo essa visão todo dia depois de voltar pra casa.- E se você pedir pra ela se transformar é dar banho nela na forma de cadela? Isso vai me fazer sentir menos... safado. Eu não sou safado, mas qualquer um acharia isso. Muitos garotos agradeceriam se estivessem no meu lugar, então qual é o meu problema!? Ela ser inocente é bom por um lado, por outro me faz sentir uma certa culpa de sentir algo por ela.- S/n entra no box e me faz um sinal me convidando pra me juntar.- Segura essa sua marimba, Kim Taehyung!


Notas Finais


O próximo cap to pensando em colocar a visão da S/n! O que 6 acham???


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...