História Beyond your soul - Capítulo 4


Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Beyond, Beyondyoursoul, Drama, Mistério, Personagensoriginais, Romance, Soul, Yaoi, Your
Visualizações 10
Palavras 1.164
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Ficção, Ficção Adolescente, Lemon, LGBT, Mistério, Romance e Novela, Suspense, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Espero que gostem. <3
Desculpe qualquer erro.

Capítulo 4 - Capítulo III


Narrador

— E então eu fui de cara na lata de lixo. — Dylan falou, os dois garotos estavam quase em casa, estavam conversando sobre coisas vergonhosas que fizeram quando estavam no ensino fundamental. Finn soltou uma risada baixa, tentando não constranger o maior, claro que Dylan ouviu e se juntou a risada logo em seguida. — Hey, não ria, foi um dia traumático.

— Desculpa, eu apenas não sabia que você poderia passar por algum momento vergonhoso... você parece tão perfeito olhando de longe. — Finn disse, mas logo arregalou os olhos quando percebeu o que falou. — Desculpa, eu não queria deixar isso estranho, é apenas que você é popular e parece sempre estar no controle de tudo e eu-

— Hey, está tudo bem, eu não me importo que você me ache perfeito, eu sei que sou. — O maior sorriu em um tom brincalhão, fazendo com que Finn desse um leve soco em seu braço.

— Ah, uma hora dessa. — O menor riu. Dylan parou por um momento, desejando que pudesse ficar ali para sempre apenas observando o rosto alegre de seu amado. Mas logo ele teve que parar de encara-lo, já fazia muito disso em casa. — Você é legal, Dylan... Me sinto mal por nunca ter tido coragem de falar com você. Dessa vez, foi a vez de Dylan rir, aquelas risadas tão gostosas que faz a gente lacrimejar, o que deixou Finn preocupado.

— O que? O que é tão engraçado? Eu disse algo errado? — O menor ficou desesperado, eles já estavam quase em frente a casa de Dylan e por um comentário bobo podia ter perdido um novo amigo.

— Não, desculpe, não foi nada que você disse, é que... — O maior parou por um momento novamente. — Eu gosto tanto de você, meu deus, eu pensei que eu tinha vergonha de falar com você, porque poxa, olha para você, você é tão perfeito e fofo, ah, cara, eu amo você... — Dylan correu seus dedos através de seu cabelo loiro antes de terminar a frase. — Muito. Ah, essa é a minha, até amanhã, Brown. — O mais velho entrou em sua casa, fechando a porta sem ao menos esperar qualquer resposta, seu coração estava a mil, ele acabou de se declarar para o amor da vida dele? O que raios ele estava pensando?

Do outro lado da porta, parado na calçada, estava Finn, perto do meio fio tentando entender o que tinha acabado de ocorrer. Até que, depois de alguns minutos, ele juntou dois com dois e corou violentamente. O garoto mais popular da escola acabou de se declarar para ele? Ele entendeu direito? Por que ele não disse nada?

Tantas perguntas, poucas respostas.

×××

Finn fechou a porta atrás de si, acabara de chegar em casa e estava nervoso, quase derrubou o vaso que havia na estante perto da porta assim que entrou. Estava pensativo sobre o que havia acontecido a dez minutos atrás. Tomou um banho rápido e foi direto para seu quarto, ouviu o barulho do telefone indicando que uma mensagem havia chegado, logo decidiu checar.
Era um número desconhecido, a mensagem dizia: “Hey, Connor me deu seu número, é o Dylan.”, logo Finn sentou na cama de pernas cruzadas e começou a digitar.

“Como o Connor tem meu número?”

“Ele tem o número de todo mundo, o que você esperava? :P”, Finn riu quando leu a mensagem, Dylan usava carinhas, mas não emojis, isso era fofo. Ele continuou lendo, “Enfim, eu só queria saber se você chegou bem em casa :D”

“Ah, sim, cheguei.”

“Que bom, da próxima vez eu te levo até sua casa ;)”

“Não precisa, não quero incomodar.”

“Hey, você não incomoda, aliás desculpa por ter falado aquilo...”, o coração de Finn acelerou, será que aquilo foi um erro? Dylan havia se enganado? Por que Finn se importava de qualquer forma? Ele respirou fundo e continuou lendo, “Mas eu não me arrependo de ter falado, eu realmente gosto de você, Finn.”, quando Finn iria começar a escrever uma resposta Dylan mandou: “Eu tenho que dormir, te vejo amanhã na aula...”, o que deixou Finn chocado, não por causa da mensagem, mas por causa do que o maior escreveu por último: “Amo você <3”
Finn respondeu com um simples “boa noite”, salvando o contato de Dylan e colocando o celular para carregar. O mesmo caiu na cama e agarrou o travesseiro tendo pequenos ataques, seu coração estava acelerado, isso era novo, ele estava sorrindo bobo, isso era novo também.

×××

Por outro lado, Dylan estava se sentindo nervoso, claro que estava sorrindo também, mas estava mais preocupado com o que ele faria amanhã, ele veria Finn pessoalmente, o que Finn falaria? Qual a resposta dele? Dylan passava mal só de pensar.
Os dois garotos caíram no sono com o pensamento do que aconteceria no dia seguinte.

×××

Dylan chegou no colégio, já avistando Connor de longe, o garoto era bem fácil de ser notado, era só procurar pela trilha de auto-confiança e garotas que o achava.

— Aí está meu garoto. — Connor passou um braço por volta do pescoço do loiro. — Me conta aí, falou com ele?

— Eu disse que eu gosto dele. — Dylan ouviu Connor suspirar surpreendido.

— Você fez o que? — Connor disse, colocando ênfase em “o que”. — Parabéns, cara, e o que ele disse?

— Nada, eu entrei em casa antes dele responder.

Connor franziu o rosto antes de voltar ao seu sorriso de sempre. — Pelo menos isso foi um progresso. — Ele disse quando ouviu o sinal bater. — Tenho que ir, lover boy, até o almoço.

Dylan viu o Connor se distanciar indo para a sala e logo após avistou Finn chegar, ele estava atrasado, isso era novo.

— Finn... — O menor procurou pelo corredor por quem o chamou parando seu olhar em Dylan que estava acenando, sorrindo e correndo até ele. — Bom dia, dormiu bem?

— Sim, desculpa eu não posso falar muito agora, o sinal já bateu?

— Já, sim.

— Meu deus, eu estou muito atrasado, isso nunca aconteceu. — O menor colocou as mãos na cabeça em desespero.

— Não se preocupe, ainda da tempo de ir para sala, o sinal acabou de bater. — O mais velho disse tentando acalmar Finn.

— Ah, sim, obrigada, tenho que ir. — Finn se virou para ir para sala, mas Dylan pegou seu pulso o fazendo virar para o encarar.

— Eu amo você. — O maior disse, calmo, e então deixou soltou o pulso do mais novo que assim que teve o corpo livre correu para sala com o coração acelerado e um leve rubor em sua bochecha. Dylan foi para sala também, esperando profundamente que ele não tenha feito Finn entrar em problema.

— Está atrasado, Sr. Cooper. — A professora disse, calmamente, ela sempre era muito calma.

— Desculpa, eu tive um imprevisto.

— Sente-se. — A professora disse voltando a olhar para o quadro. — Então, hoje iremos aprender sobre...
Dylan não prestou muita atenção depois de se sentar, um certo garoto de cabelos claros havia prendido sua mente e parecia que não iria deixar ela ir tão cedo.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...