1. Spirit Fanfics >
  2. BFF - Best Flaming Fellows >
  3. Capítulo 24 - Suspeição

História BFF - Best Flaming Fellows - Capítulo 25


Escrita por:


Notas do Autor


Oi pessoal, eis que trago o capítulo de hoje, com a mãe do Jimin buscando o Jiyong (até que enfim) e saia justa pro nosso protagonista nisso, além de visita e possível solução para o problema vulgo JJK.
Espero que gostem, boa leitura!

Capítulo 25 - Capítulo 24 - Suspeição


Fanfic / Fanfiction BFF - Best Flaming Fellows - Capítulo 25 - Capítulo 24 - Suspeição

Dia seguinte

A mãe Park chegou cedo e com certa alegria em ver que o caçula, havia ficado são e salvo com a dupla de amigos até sua volta e nisso...

- Ah, filho, que bom. - abraçou eufórica. - Meu pequeno, senti saudades. - adulou num sorriso largo.

- Vivo e inteiro, com sorte. - o loiro sorriu irônico, testemunhando a cena de amor materno.

- Oras, eu não tinha dúvidas que conseguiriam. Taehyung é experiente com isso e você um ômega, nada para temer. - reiterou simplista, ajeitando o pequeno nos braços. - Já estão prontos pra terem filhotes. - brincou por fim mais alto e Taehyung, que tomava um copo de leite na bancada mais distante, se engasgou afobado.

- Pára mãe, não força. - pediu o primogênito incomodado.

- Você nunca me conta nada, garoto. Mas vamos lá... pretende ficar aqui? - questionou curiosa, voltando-se apenas ao filhote.

- Sim, mãe. Ainda não está seguro pra mim. - volveu desanimado e a mais velha vincou as feições, com confusão.

- Seguro? - testou atônita. - Tem alguém te ameaçando? Me conte. - ordenou a mulher preocupada.

- Eu vou contar mãe, juro. Mas não me peça agora. - rogou suplicante.

- Certo. - a citada hesitou com ar especulativo. - Sabe onde me encontrar e... tenho que perguntar, está tendo algo com seu amigo? - inquiriu num curto sorrisinho cúmplice.

- P-por que a pergunta? - o loiro engoliu em seco.

- É uma simples pergunta, afinal, é no mínimo curioso que você esteja morando com um alfa sem ter... rolado nada. - usurou faceira.

Ah, sim. Jimin havia se esquecido do quão antiga e criativa, podia ser a mentalidade dos mais velhos naquela sociedade e com isso...

- Somos praticamente irmãos, omma. - argumentou numa careta.

- Oras, meu filho, se até mesmo irmãos de sangue se envolvem em cios por aí, imagine vocês. E se quer minha opinião, ficam perfeitos juntos. - sorriu animada.

- Ele está namorando. - cochichou chateado, vendo que o Kim ergueu a cabeça ao longe.

- É mesmo?! Oh, que pena. - a mulher baixou os ombros, frustrada.

- Sim e eu não quero alfas tão cedo. - destacou sucinto.

- Hum, diz isso só até quando chegar seu período e precisar. Mas preste atenção: por favor tenha cuidado e não engravide, você já teve a prévia do que é ser mãe jovem. Agora triplique isso e saberá como fiquei criando você e sua irmã, antes de Jiyong. - soltou nostálgica.

- Imagino que não foi fácil. - concordou com ar contemplativo e logo... - E falando nisso, tem conversado com a Jinah? - indagou em seguida e a mulher suspirou com pesar.

- Ah, sim. Aquela garota insana, quase não tem tempo para a pobre mãe, assim como você. Parece que esqueceram da minha existência. - dramatizou a mesma e Jimin não evitou revirar os olhos, porém...

- Aigoo... isso dói. - chiou em protesto, se desvencilhando do puxão de orelha da ômega irritada, que logo prosseguiu.

 - Ela disse que está lançando uma nova coleção de maiôs pelo que soube, porém... prometeu que virá nos visitar no ano que vem. - relatou num meio sorriso e o rapaz, disperso no diálogo, sequer percebeu a chegada de Taehyung atrás de si, ganhando um belo susto bem ali, quando...

- Eu provavelmente nem conheço mais ela também. - foi o comentário sorrateiro do moreno muito próximo do enfermeiro, que tremelicou afetado.

- A-ah! - berrou à plenos pulmões. - Desde quando está aí? - bradou inseguro e o Kim franziu o cenho confuso com a exagerada reação de sua proximidade, para então erguer os braços.

- Desculpa, só ouvi vocês falando da Jinah e... deixa pra lá. - arrematou sob a carranca do loirinho e eis que...

- Você disse que estava com pressa, não é, mãe?! - cutucou enfático.

- Sim, sim. Vou indo. - soltou a mulher acatando e logo abraçando o filho. - Tchau filhote, se cuide, mamãe te ama muito. - afastou-se simpática. - Qualquer coisa, me chame e lembre-se do que eu disse. - ditou por fim específica e Jimin pigarreou incomodado.

- C-claro. - sorriu fechado, beijando a testa do irmão e pegando a bolsa, porém sentiu o contato quente em si e novamente se sobressaltou, quando viu o alfa recolhendo o objeto do chão.

- Eu levo, está pesado. - ditou prestativo e mesmo sob estranheza, Park focou em acompanhar a matriarca até o carro junto ao melhor amigo, ignorando suas bochechas coradas. A dúvida no entanto, martelava: ele ouviu a pergunta da senhora Park?

- Até mais, tchau Taehyung e obrigada. - despediu-se a mulher dando partida no próprio carro luxuoso, oriundo do novo namorado dela. O verdadeiro temor na vida do primogênito, que a via se casar mais vezes que uma celebridade.

Contudo, ao dissipar os devaneios com a mãe, Jimin se lembrou de sua outra preocupação e assim virou-se ao mais alto, que o encarou tranquilo.

- Você ouviu? - inquiriu tenso.

- Ué... ouvi o que? - estreitou os olhos perdido.

- A-a conversa, sua mula! - elucidou agoniado.

- Não muito, por que? Era algo que não deveria? - sorriu ladino e logo ganhou um tapa enfurecido do menor no peito. - A-ai! Ei, calma baixinho. - zombou em bico, ganhando mais agressões.

- Não me chama de baixinho, pabo! - xingou irado e enfim entraram de volta ao condomínio.

- Tão arisco. - riu-se o moreno, enquanto via o mais baixo apertar o botão do elevador com certa impaciência adorável, que só ele possuía. - Amanhã é feriado. - relembrou Taehyung mudando de assunto.

- E eu com isso?! - redarguiu desinteressado.

- Tenho um convite. - soltou manso.

- Não dou a mínima. - retrucou esquivo.

- Vai dar, quando eu disser que será na casa do Jin hyung e do Namjoon hyung. - noticiou estreitando os olhos.

- E por que não fui comunicado? - cruzou os braços ressabiado.

- Você ao menos sabe onde tá seu celular?! Pois é. - destacou irônico.

Ah sim, o pobre Park havia perdido na rua em sua fatídica noite de ataque do Jeon, um detalhe que só agora foi se lembrar e...

- O Jin hyung sabe que...? - inquiriu duvidoso.

- Não, eu enrolei e disse que você tinha perdido. - deu de ombros quando as portas metálicas se abriram.

- Menos mal, ele faz muito drama. - suspirou longo. - Mas como assim convite? Uma festa? - quis saber apertando os olhos.

- Bom, seria só uma visita, mas você sabe que com ele, vira até um casamento em Vegas, se deixar. - detalhou aos risos e Park assentiu. Sim, Kim Seokjin era o rei do exagero em esbanjar, nada de novo.

- Tá, eu vou nessa "visita". - declarou adentrando o apartamento e fazendo menção em se afastar, todavia... foi segurado.

- Espera. É impressão minha ou ficou bravo por eu ter ouvido a conversa com sua mãe...? - interrogou atento.

- É, Sherlock. Eu tô possesso sim, sabe por que?! Porque você é um escroto. Ninguém nunca te disse pra não ouvir conversa alheia? Que caralho! - vociferou irritadiço, puxando-se do aperto.

- Oras, mas não estavam falando nada de mais, somente de podermos ter filhotes e sobre meu sub, que à propósito, você nomeou errado como "namorado". - corrigiu debochoso.

- Foda-se! Se quiser ter filhotes também com ele e me enxotar, não ligo mais. - emburrou-se contrariado.

- Credo, Chim, pára de drama. - sorriu simplista. - Você é meu único bebê aqui, pra cuidar e mimar. - adulou risonho e Jimin rosnou ultrajado. - E parece que sua mãe tá como todos, pensando que sou um tarado. Mas pelo menos disse algo fofinho: que somos perfeitos um pro outro. - provocou numa gargalhada faceira.

- Yah, sua peste! - entonou tacando a almofada no mais novo. - Ela pensa que você é um alfa normal. - acrescentou num menear de cabeça.

- E não sou? - franziu o cenho duvidoso.

- Não, é um boboca que gosta de me provocar. - rechaçou desgostoso.

- Estamos sozinhos, pode falar a verdade. - persuadiu com ar cínico.

- Você ouviu a parte que não quero nenhum alfa? - lançou enfático e o Kim sorriu ladino.

- Ouvi sim, mas acho que ainda não achou o certo, por isso está com essa idéia. - verbalizou direto e Jimin vacilou estático. Malditas palavras traiçoeiras, pensou mordendo os lábios. Gesto este, que não foi ignorado pelo alfa, que se achegou, perigosamente perto. - Tá procurando nos lugares errado, Jiminie. - emplacou baixo e em meio à um estremecimento, o loiro fechou os olhos, mas logo lembrou de Baekhyun e se afastou, apressado.

- C-chega de papo. V-vou tomar um banho e aproveitar minha folga. - balbuciou nervoso e saiu da sala à passos rápidos e peito descompassado. Merda, outra vez estava se deixando levar.

Não podia criar expectativas, jamais. Deveria mesmo era tentar se recuperar da tentativa de estupro, que por sinal lhe rendeu pesadelos a noite toda. Sua vida estava tão complicada ultimamente. Lidar com um ex problemático e com um amigo que estava o deixando fora de si. Céus, precisava da misericórdia das divindades, pois o mundo caía sobre sua cabeça, sem qualquer exagero.

Tudo soava errado, mas era abocanhado por um coração e lobo teimosos. Isso sem falar de Jungkook, este que o causou pesadelos a noite toda, um bônus em meio ao caos de sua mente cansada e com essa avalanche sentimental, o loiro desabou em prantos no colchão.

Em companhia de soluços e Milly, permaneceu ali pensativo. Poderia sim falar de seus temores com o Kim, mas não era possível, pelo simples detalhe: não conseguia o ver como um refúgio. Ele era outro problema para interagir e não mais, solução. Não conseguia pedir colo e conselhos como antes, sem olhar naqueles olhos e querer beijá-lo.

Droga, era um martírio.

Martírio que, também era enfrentado pelo segundo envolvido da equação, este na sala de estar, igualmente meditativo sobre o estado atual de sua relação com o ômega em sua casa. Este que horas antes na madrugada, ficou olhando até dormir, depois dos evidentes maus sonhos.

Sonhos que provinham da situação enfrentada e que o lembravam de sua grande parcela de culpa no infortúnio. Taehyung estava afundado em arrependimento e talvez o único conforto, era poder alisar aqueles fios douradinhos e se certificar que naquela segunda noite, seu baixinho estimado dormiria sereno, como... fez.

...

- Vamos? - Jimin entoou saindo do quarto já vestido em uma combinação tentadora de camisa vermelha e calças jeans rasgadas, ao Taehyung ali vendo a cena. 

- Uau, só vamos ver amigos, não desfilar na Seul Fashion Week. - elogiou irônico, sem tirar os olhos das coxas do mais velho.

- Tá muito exagerado? - preocupou-se o menor lastimoso, contudo...

- Não, tá só... bem ômega, nada sua cara. - provocou aos risos, recebendo a visão do dedo médio do parceiro, o qual em brincadeira usual, mordeu ruidoso.

- Ai! Vou chutar suas bolas, alfa. - ameaçou firme e Kim sorriu achando graça e enfim soltando o dígito.

- Por que descontar nos meus filhos?! Que ômega agressivo. - satirizou abrindo a porta para que ambos saíssem, sob o bufar do Park.

E já no carro...

- Você... tá bem? Dormiu bem? - indagou o moreno com ar agora de seriedade.

- Claro. Por que? - fez-se de desentendido o loiro, ajeitando as madeixas.

 - Porque... pensei que depois de tudo, ficaria abalado. - expressou conciso.

- Não foi o primeiro ataque dele à mim. - tentou descoversar, mas foi impedido.

- Está tentando se fingir de forte?! Que droga, Chim. Pode se abrir comigo. Somos amigos e vivemos sob o mesmo teto. - rogou frustrado.

- Eu tô um caco, Tae. É isso que quer saber?! Tô fodidamente com sono, pois basta fechar os olhos e o vejo rasgando minhas roupas, daí acordo virado. - esbravejou secando as lágrimas com pressa. - Mas não me sinto à vontade em contar à você, eu... - pausou engolindo as palavras. - Talvez falar com o hyung me anime. - findou erguendo os ombros.

E mesmo desconfiado, Taehyung encerrou o assunto e dirigiu até a mansão dos Kim. O silêncio do trajeto mais tarde seguiu, porém felizmente com Jimin, que de fato sonolento, dormiu no banco até chegarem.

E mais tarde...

- Ah, vocês atrasados como sempre, né?! - reclamou Jin metódico.

- Saudações. - sorriu Namjoon com calmaria, abraçando Jimin e depois Taehyung.

- Nossa gato, que roupa linda. - elogiou o ômega Kim escandaloso.

- Obrigado. - agradeceu Jimin enrusbecido.

- Por isso demorou. - Namjoon dirigiu em tom brincalhão e aos risos, se sentaram e logo...

- Tá... agora podem falar a real? Pois apesar da roupa linda, a cara desse baixinho é péssima disfarçada na maquiagem. - Seokjin cruzou os braços sem delongas e os amigos se entreolharam tensos. Era óbvio que o doutor era esperto, por isso...

- Não quis... te preocupar, hyung, eu... - a fala do mais novo foi interrompida.

- Ah, corte esse papo. Você já nos preocupou e por isso estão aqui. Agora me digam algo. - cobrou categórico.

- Chim, se não conseguir, eu posso... - ofereceu-se o moreno.

- Não. - negou Park erguendo a fronte para o amigo mais velho, que o fitava com expectativa. - Houve um... acontecido. - anunciou sério.

- Foi o Jeon? - inquiriu o alfa Kim com urgência.

- É claro que foi aquele cuzão, quem mais faria isso com nosso mochi?! - rosnou o moreno mais velho, enraivecido. - O que ele fez? - completou soturno.

- Tentou... atacá-lo. - Taehyung tomou a palavra.

- Conte mais. - pediu o médico estalando os dedos.

- B-bom, ele... quis me levar com ele para um carro e algum lugar, mas... Tae chegou e fugimos. - descreveu o baixinho encolhido.

- Mas isso não fica assim, agora vou voar nele! - irritou-se o mais alto, sendo segurado pelo marido.

- Tenha calma, amor. - pausou Namjoon, voltando-se aos visitantes. - Felizmente ele não os alcançou e agora, o que devemos fazer é acionar as autoridades e... cuidar do Jimin. - enfatizou simpática. 

- Já consultou um psiquiatra? - o Kim mais velho indagou firme e Jimin negou. - Eu vou te marcar com um amigo, ele é muito bom. - complementou afirmativo e logo estalou a língua, colérico. - Aish! Mas enquanto não tem o especialista pra te ajudar, vou te oferecer algo pra beber, é isso. - e levantou-se com gana, indo atrás do mordomo sob o olhar dos três.

- Terei de segurar ele. - começou o outro Kim num suspiro. - Jin quando fica irritado, é impulsivo e se meter com os Jeon, não é algo para amadores. Mas felizmente posso ajudar. - externou sólido., entretanto...

- Você? - repetiu Taehyung com confusão, assim como Jimin que o fitou.

- Sim, conheço um delegado e pode ter certeza: nem os Jeon podem com ele. - reverberou confiante e antes que ômega pudesse questionar, foram cortados pela chegada alvoroçada de Jin com as bebidas.

Deveria confiar em Namjoon? Bom, o Park não tinha nada à perder e se conseguisse ver Jungkook atrás das grades, seria a realização de sua vida. Mas por ora, seu foco era se recompor dos traumas e... beber ali com o trio Kim.


Notas Finais


E aí, gostaram? Comentaaaaí :)
Bom gente, como puderam ver, os amigos estão razoavelmente bem de convivência, apesar de alguns probleminhas técnicos, porém... o próximo terá uma reviravolta. Palpites são bem vindos.
Beijos e até mais, lachimolala!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...