1. Spirit Fanfics >
  2. Biblioteca. >
  3. Capítulo Único

História Biblioteca. - Capítulo 1


Escrita por:


Capítulo 1 - Capítulo Único


Fanfic / Fanfiction Biblioteca. - Capítulo 1 - Capítulo Único

Aquele traseiro andara o distraindo o dia todo.

Primeiro, foi na sala de aula, quando Peter foi á lousa resolver uma questão de matemática.

Wade avistou aquela traseira avantajada, presa em uma calça jeans justa e, puta que pariu, aquilo pareceu ser o seu fim.

O Wilson já não prestava mais atenção em nada, a não ser o modo que o Parker mexia a bunda de modo devagar, a empinando sem querer enquanto se concentrava nos números.

Ele era pervertido por reparar demais naquilo? Sim, claro que era. Mas, o loiro não ligava. Depois, foi no vestiário, após a aula de educação física. Peter havia deixado algo cair e se agachou na frente de Wade para apanhar sua camisa.

A visão do moreno daquele jeito, com a bunda para cima e inclinado para frente, fez o Wilson ter uma ereção e o loiro xingou o menor em voz baixa, pois não podia se "aliviar" na escola.

E agora, é na biblioteca que o dano nas cuecas de Wade está ocorrendo. Ele deveria estar estudando para a prova de química do dia seguinte, mas a visão de Peter e suas calças o tira do sério.

- Ele só pode estar me provocando. - Wilson murmura para si mesmo.

Peter está na ponta dos pés, tentando alcançar um livro. Sua bunda se empinando. Wade passa a língua pelo lábio bem devagar.

- Filho da mãe. Queria comer essa bunda. - O adolescente sussurra, ainda olhando o moreno.

A blusa do Parker sobe um pouco, revelando sua pele alva e macia. E novamente, Wade tem uma ereção.

- Ele vai me pagar por isso. - Wilson se ergue devagar, colocando a mochila na frente do corpo.

O loiro se aproxima devagar do menor e estende a mão, alcançando o livro que Peter queria pegar.

- Hey... Eu ia pegar isso antes. - O pequeno fala irritado e se vira, dando de cara com Wade. - Ah... É você. Não tinha te visto aqui.

Será mesmo que ele não havia o visto? O maior duvida que Peter não tinha notado sua presença.

- Não viu mesmo? Ou só está falando isso para parecer inocente? - Wade abre um sorriso de canto.

As faces de Peter adquirem um tom rosado. Isso acaba o entregando. Então, ele está mesmo fazendo essas coisas de propósito.

- Não sei do que está falando. - Parker diz e encara o loiro, tentando se fazer de desentendido.

Wade arqueia a sobrancelha, cruzando os braços. Ele já percebeu há muito tempo que Peter o olha. O olha como se o desejasse.

- Não se faça de idiota. - Wilson sussurra, se aproximando mais do outro, o prensando contra a estante.

O moreno ergue o olhar devagar, o coração acelerado. Ele não pode negar que está gostando dessa proximidade. O cheiro do loiro é incrível.

- E se eu confessar que foi de propósito? Vai fazer o que? - O menor morde o lábio.

Então, Peter sabe provocar alguém. Isso é bem interessante, visto que o moreno é sempre calado e na dele. Um nerd, praticamente. Anti social. Um lobo solitário.

- Bom, se está fazendo isso de propósito, vou te levar para o canto mais escuro dessa biblioteca e irei te punir.

Peter abre um sorriso sacana. Ele pode ser quieto, mas não é nada santo.

- Acho que não seria uma má ideia, garoto encrenca.

Wade é o oposto do Parker: bagunceiro, já foi mil vezes para a suspensão, quase foi expulso, era bravo e indomável. Talvez isso tenha deixado Peter tão atraído: O fato se serem opostos.

- Será que você conseguiria me aguentar, baby boy? – O loiro sussurra no ouvido do menor, mordiscando o lóbulo de sua orelha.

- Acha que sou fraco? – Peter sussurra de volta, colocando as mãos na cintura do maior.

O Wilson tira devagar a mochila da frente do corpo, a deixando no chão. O loiro olha atentamente ao redor daquela área da biblioteca, constatando que ele e o moreno estão sozinhos.

- Na verdade, estou surpreso com você. – O maior murmurou, puxando Peter para um canto mais escuro.

Peter sente o coração acelerar e sua pulsação aumenta. O Wilson prensa o menor novamente contra uma estante e leva uma de suas mãos até a cintura do garoto, a apertando devagar.

- Então, você vai me pegar aqui mesmo? – A voz de Parker soa rouca e sexy.

- Sim. Por que é perigoso e isso me deixa excitado pra caralho!

Peter solta uma risada baixa, ficando na ponta dos pés e beija Wade, passando os braços ao redor de seu pescoço, enquanto seus lábios pressionam os do loiro com uma urgência erótica.

- Mesmo? Por que isso também me excita. – O nerd ri entre o beijo.

Wade torna a beijar o moreno, afagando a pele de sua cintura bem devagar. Sua outra mão desliza de modo sorrateiro até o traseiro farto do menor, apertando sua carne dura com força, demarcando sua pele.

- Mal posso esperar para comer seu cu. Você ainda é virgem, Petey? – A língua do loiro passeia sob os lábios do menor, os lambendo com força.

- Na verdade, não. Mas acho que isso não faz diferença, não é, bad boy?

Não. Isso não faz a mínima diferença para o Wilson. O loiro sorri e morde o lábio inferior de Peter, o chupando com força, o deixando inchado. E avermelhado, arrancando um gemido baixo do menor.

- Vou te deixar sem andar, garotinho safado. – Wade mordisca o lóbulo da orelha do Parker, o provocando.

- Mal posso esperar por isso, baby.

Wade sente as mãos bobas de Peter adentrarem sua camisa e os dedos habilidosos do moreno afagam seu abdome definido, lhe causando arrepios profundos. O loiro geme gostoso.

- Você malha, não é? – Os dedos de Parker arranham lentamente o peitoral do maior. – Já fiquei te espiando na academia. Ver você sem camisa foi a melhor parte do dia.

Peter sendo stalker? Mas que bela novidade... O que mais será que o baby boy andara aprontando?

- É mesmo? Mas que safado. Espiando os outros, Parker? Isso te deixa duro? – Wade enfiou ambas as mãos por dentro da calça justa do menor, agarrando-lhe as bandas da bunda.

- Eu também te segui até sua casa. Queria saber onde morava. – Peter fala entre gemidos.

Até sua casa... Talvez Wade o leve para lá depois e o coma de novo, em seu sofá.

- Você é mesmo um pervertido. – Os dedos do Wilson acariciam o traseiro do menor.

- Não faz ideia do quanto. Eu já me toquei pensando em você, Wade.

O membro do loiro fica ainda mais duro e ele sente o pré-gozo molhar sua cueca. O garoto desliza seu dedão até a entrada quente e úmida de Peter, passando lentamente ao seu redor, para provocar o moreno.

- Você fez isso, baby? Você se tocou pensando em mim dentro de você? – O dedão do maior entra lentamente em Peter, indo bem fundo, sentindo que ele o aperta.

- S-Sim, Wade. Eu fiz. – O Parker retorce os dedos dos pés, tentando segurar um grito de prazer.

Wade movimenta o dedão na entrada de Petey, o massageando. O menino crava as unhas no abdome do maior, escondendo o rosto em seu peitoral para abafar os gemidos. Peter está gostando da sensação de preenchimento.

- Eu também já fiz isso pensando em você, Petey. Imaginando esse seu traseiro sendo só meu.

O dedão do Wilson vai mais fundo, atingindo a próstata do moreno. Peter morde o lábio com força, tentando não denunciar a ambos. O menor fica beijando o pescoço do loiro, abafando os sons de prazer.

- Você é um pervertido. – Petey fala, os olhos fechados, as bochechas rubras.

- E você gosta disso, não é?

O Parker só consegue assentir. Ele sente a região de seu baixo ventre se retorcer. Seu orgasmo está chegando. O moreno aperta mais os lábios, sentindo o dedão de Wade entrar e sair de si.

- Por que parou? – Peter soa desapontado.

- Por que não quero que você goze ainda. Afinal, a diversão está só começando.

Peter abaixa o olhar, vendo a ereção de Wade por baixo de suas calças. O garoto se ajoelha devagar, olhando ao redor por precaução e desabotoa a calça do loiro, a abaixando junto de sua cueca.

- Minha nossa... – Petey sussurra ao ver o tamanho e a grossura do pau de Wade. Ele deve ter uns vinte e quatro centímetros pelo menos. – Nunca imaginei que fosse assim tão... Tão grande.

- Eu sou bem dotado mesmo, baby. Agora, me chupa.

O Parker não precisa que o loiro repita a ordem. O moreno encara o membro do maior. Está inchado, com as veias grossas saltadas e a glande molhada de pré gozo. Wade tem pêlos claros e curtos na virilha também.

Peter abre bem a boca, abocanhando  o sexo pulsante do maior, o recebendo por completo em sua cavidade úmida. Seu nariz roça devagar nos pelos do loiro e ele se engasga um pouco, os olhos lacrimejando.

- Olhe para mim enquanto me chupa. Quero ter uma bela visão desse rostinho de anjo, Petey.

Os dedos de Wade se engancham nos cabelos do menor. O nerd obedece e ergue o olhar, encarando o Wilson. O garoto encrenca geme gostoso e bem suave. A visão de Peter ajoelhado e com seu pau na boca é irresistível.

Peter começa a chupar toda a extensão do membro do maior, passando a língua por sua pele, a deixando quente e úmida. O moreno explora tudo sem a menor pressa, fazendo o outro ir á loucura, ver as constelações.

O Parker agarra as bolas de Wade e as aperta devagar, enquanto arranha sua glande devagar com seus dentes e a chupa com vontade. O Wilson tapa a boca, contendo seus gritos de prazer e não desvia o olhar do dele por nada.

- Você tem uma boquinha deliciosa. – Wade fala sem fôlego, sentindo a língua do menor brincar com suas bolas, as chupando.

Petey masturba o loiro devagar, enquanto faz movimentos de sucção com a boca. Wade sente que vai gozar, por isso, ele puxa o moreno para cima, o beijando com vontade, segurando sua cintura.

- Agora é minha vez, querido. – Wade abaixa as calças do moreno. O membro de Peter também é grande e grosso, tendo vinte centímetros de comprimento. E totalmente depilado.

O Parker cora muito ao ver o Wilson se inclinar para mais perto de si e tomar seu sexo entre os lábios. A língua do loiro entra em contato com sua pele, fazendo Peter se arrepiar e mover os quadris de modo automático, indo mais fundo na boca do Wilson.

- W-Wade... – Petey fala, tombando a cabeça para trás.

O Wilson chupa o sexo do menor de modo feroz, o provando por inteiro, tirando e colocando em sua boca. Wade sabe bem como usar a língua nos momentos certos e as mãos também, deixando o moreno nas nuvens, o masturbando enquanto o lambe.

- P-Porra... – Petey puxa os cabelos do loiro, movimentando os quadris com mais pressa, estocando em sua boca, sentindo seu pau chegar á garganta de Wade, que se engasga.

O loiro tira o membro do menor de sua boca e o vira de costas para si, olhando seu belo traseiro branco. Wade desfere um tapa bem forte na nádega esquerda do garoto, o fazendo gemer alto.

- Você será minha putinha hoje, Petey.

- Eu gosto da ideia.

Wade se posiciona atrás do moreno, separando suas nádegas com as mãos. O loiro olha sua entrada rosada. O Wilson segura seu próprio membro e começa a penetrar aos poucos no menor.

- Meu Deus. – Peter sente a invasão, sua entrada ser preenchida e morde o lábio inferior.

O maior se enterra quase que totalmente no moreno, o fazendo arquear as costas e segurar na estante com força. Wade segura na cintura de Peter com cuidado e começa a se movimentar de modo rápido e bruto.

O Parker vê estrelas. O membro do outro parece rasgá-lo, mas a sensação de dor vai passando aos poucos, sendo substituída pelo prazer. Petey rebola, empinando mais o traseiro enquanto o maior aumenta a intensidade de suas estocadas.

Peter solta um gemido alto sem querer, quando o Wilson o acerta bem em sua próstata. Wade coloca sua mão sob a boca do menor, a tapando para abafar os sons e se enterra mais nele. O Wilson acerta mais vezes a próstata do Parker, o fazendo rolar os olhos de prazer.

O traseiro de Peter se colide contra a pélvis de Wade de modo frenético, fazendo suas peles se roçarem e produzirem um estalo meio alto. Ambos estão suando, com os rostos avermelhados e seus cabelos se colam á suas testas.

- Você é tão apertado. E todo meu. – Wade sussurra ao pé do ouvido de Peter, lambendo a curva de seu pescoço, tapando sua boca ainda e acerta sua próstata mais uma vez.

Peter dá um gemido alto, porém abafado e chega ao seu ápice. Todo seu corpo estremece enquanto o moreno libera jatos quentes de sêmen, sentindo o coração acelerar. O líquido branco suja um pouco a estante e o chão.

Wade continua a estocar no garoto, indo mais fundo e atinge seu ápice, apertando os lábios para segurar o urro selvagem de prazer que lhe sobe pela garganta. O loiro se desfaz dentro de Peter, o preenchendo com seu sêmen e sai devagar de dentro do menor, vendo o líquido escorrer entre as pernas do menino.

- A-Acho que não vou conseguir andar. – O Parker fala com um sorriso de canto. – E ainda tenho que estudar para a prova de amanhã.

O Wilson e o moreno se vestem, olhando a sujeira que fizeram. Dois livros estão caídos ao chão e Petey solta uma risada baixa. O moreno os apanha, colocando-os de volta no lugar e olha Peter. O loiro abre um sorriso para o menor.

- Nós podemos ir para a minha casa. Estudarmos. Você quer? – Wade tira uma madeixa de cabelo de Peter da testa do menino.

- Eu seria maluco se recusasse isso. Ainda mais depois de nossa pequena festa particular.

Wade solta uma risada alta. Peter não é de perder tempo mesmo. O Wilson segura a mão do menor, o puxando para si e sela os lábios aos dele em um beijo mais calmo dessa vez.

- Você se importaria se fôssemos vistos juntos? – Peter entrelaça os dedos aos do maior.

- Nem um pouco. Aliás, eu quero que nos vejam juntos.

Petey ri baixo, acompanhando o garoto encrenca até a saída da biblioteca. E o Parker sabe muito bem que os dois não vão estudar química quando chegarem á casa de Wade...



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...