História Binary love - Capítulo 33


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Aventura, Comedia, Harem, Romance, Shoujo, Yuri Lésbica
Visualizações 10
Palavras 1.621
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Bishoujo, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Fantasia, Ficção Adolescente, Harem, Hentai, Literatura Feminina, Luta, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


nota: (-) pensamentos.

Capítulo 33 - Noite de cobrança


Noite de sexta,os três amigos conversavam pelo discord antes de se despedirem pra jogar e falar com outras pessoas,menos Alucard,ele iria jogar Counter Strike e ouvir as pessoas se xingando no chat de voz,seria o medo de interagir voltando,não querer ser xingado ou simplesmente por achar engraçado ouvir a galera se xingando?Seja lá o motivo,a conversa entre ele continuava.

Saitou: João,você não ia participar de um campeonato que ia te dar uma viagem a Suécia?

João: Eu perdi...

Alucard: Do jeito que anda a Suécia atualmente,foi uma benção você ter perdido.

João: Se eu perguntar o motivo você vai passar 30 minutos falando de política,então é melhor deixar quieto.

Saitou: Acho que eu vi a Diana ontem.

Alucard: Como você puxa assuntos agradáveis seu merda!

Saitou: É que eu tava...

Alucard: Cala essa boca! Nunca mais deixo você escapar de propósito no Dead By Daylight.

Saitou: É esse que é problema...

Alucard: PARA DE FALAR.

Saitou: Eu só tava indo ao mercado e vi ela lá com o...

Alucard: PORRA,CALA A BOCA FILHA DA PUTA..

João: Pelo visto a raiva do Alucard voltou com tudo, poderia ficar quieto ?

Alucard: Desculpa...

Saitou: Não tem ninguém aí contigo?

Alucard: Meu pai ficou mais tarde na churrascaria por que vai ter uma festa reservada lá e a minha mãe tem que fazer mais planilhas e relatórios,e vocês?

João: Minha mãe tá dormindo.

Saitou: A minha também e a Sayori tá lá na sala vendo Meninas Malvadas.

Alucard: Olha,adoro esse filme.

Saitou: Que?

João: Que?

Alucard: Que?

João: Bom...., acho que eu vou nessa,o grupo do face tá me chamando pra jogar Tibia.

Saitou: Eu também,acho que vou pro LoL, e você Alucard?

Alucard: Vou jogar C.S ouvindo a música mais triste do Linkin Park.

Saitou: Ok então,até mais.

João: Até.

Alucard: Falou.

Os três saem da chamada do Discord,enquanto João logava no Tibia e Saitou abria o LoL,Alucard abria a sua conta na Steam com o nick de Juuj de Dolool,pegava o seu celular e colocava Numb pra tocar e entrava no C.S,dizia que por terrorista ser coisa de viado,jogava de contra-terrorista.Mas ele não era muito bom nesse jogo,na verdade ele era bem ruim,sempre morria pelas mesmas pessoas,não sabia a hora de recarregar a arma,mas o teclado dele já viu dias melhores,o espaço estava solto e colado com fita adesiva e por isso não respondia direito.Pela incompetência na hora de jogar,não entrava no chat de voz por não querer se xingado ao vivo.
Então ele jogava,ouvindo todo mundo se xingando.

Canário Prostituto: Vai se foder você da faquinha,vai levar head-shot na próxima lixo.

Bacon do Mar: Então morre aí na faquinha lixo.

Canário Prostituto: FILHO DA PUTA.

E os xingamentos continuavam até chegar em Alucard: "Quinta vez seguida que eu mato esse Juuj de Dolool,muito noob".Alucard com raiva e pensando:"Pois agora tu tá fodido".Alucard encontra ele e aperta o botão do mouse até não pode mais enquanto andava pra trás pra não ser morto na faquinha e consegue matar o seu algoz...Só pra ser morto na faquinha por outra pessoa."Merda",Alucard disse a si mesmo enquanto a partida acabava,os contra-terroristas venceram,mas não graças a Alucard.


Partidas vieram e foram,e Alucard sentia que tava começando a pegar o jeito,mas sempre que jogava bem leva um head-shot e morria.Mas ele já estava acostumado,a ponto de não sentir mais frustração com isso.Enquanto jogava,ele podia ouvir gente rindo e achava que estavam rindo dele.Tinha como saber?Não,mas é algo no sub consciente.O telefone toca interrompendo a partida,Alucard odeia quando isso acontece.

Alucard: Puta que pariu de telefone.Alô?

Natalie: Oi...

Alucard: Oi mãe.

Natalie: Só liguei pra avisar,por ser duas da manhã,eu não vou poder voltar pra casa hoje,vou ficar com a sua irmã.

Alucard: Tá bom.

Natalie: E o que você tá fazendo?

Alucard: Jogando.

Natalie: Essa hora?

Alucard: É sexta,eu posso.

Natalie: Tá bom,tchau.

Alucard: Tchau

Alucard desliga o telefone e se prepara pra voltar a partida quando o telefone toca novamente.

Alucard: Mas que porra,deve ser o meu pai agora falando que não vem hoje porque vai trabalhar demais.

Vitório: Fala pai.

Alucard: Oi pai.

Vitório: Só pra avisar,eu vou trabalhar até de manhã hoje,e quando eu acabar eu vou até um alojamento com os meus amigos pra descansar e depois vou voltar pro trabalho.Acho que até as 4 horas da manhã de amanhã eu volto pra casa.

Alucard: Tá ok.

Vitório: Era só isso,vou voltar pro trabalho,falou,tchau.

Alucard: Tchau.

Finalmente ele vai poder voltar a jogar.Ao decorrer da décima partida o desempenho do Alucard continua a piorar,ele realmente precisa de um novo teclado,mas quando ele finalmente começa a matar os que estavam matando ele,a energia acaba.

Alucard: Porra,que bosta,agora os caras vão achar que eu dei rage-quit,por que a porra dessa energia foi acabar logo agora?

Quando o Alucard pega o seu celular pra ir até a caixa de força ele ouve um barulho vindo da cozinha.

Alucard: Eita caralho,cadê o meu florete?

Com o florete em mãos,ele segue até a cozinha,em silêncio com o celular desligado e contando apenas com a sua memória de onde os móveis estão posicionados para não sair esbarrando em tudo,quando ele olha a caixa de força,ele vê que a chave foi desligada e trata logo de liga-la de volta.

Alucard: Ah eu vou pegar o filho de uma vaca que fez isso.

Alucard olha para trás e vê uma mulher de cabelos azuis,com olheiras e batom roxo,usando um casaco vermelho com detalhes pretos de camurça,ela olhava para Alucard com uma expressão séria.

Alucard: PUTA QUE PARIU COMO VOCÊ ENTROU AQUI?

Glutt: Eu mandei você ir até a minha mansão.

Alucard: Eu tinha algo pra fazer.

Glutt: O que?

Alucard: Derrotar o Executor de Carroça em Huntsman Copse.

Glutt: O que?

Alucard: Dark Souls 2.

Glutt: Você rejeitou o meu chamado por causa de um jogo?

Alucard: E por qual outro motivo seria?

Glutt: Ingrato! Boçal! Eu te dei a coragem que você queria e você me retribui com rebeldia?

Alucard: Pois seria melhor se nem tivesse me dado.

Glutt: O que?

Alucard: Ela me rejeitou,não sei porque eu achei que eu teria resultados positivos.

Uma luz sai do dedo indicador de Glutt enquanto ela sussurra "tristeza profunda".

Alucard: Será que algum dia eu vou vencer na vida? Tenho certeza que não,é daqui pra pior,caralho que vontade chorar...Que porra é essa?

Glutt: Você está resistindo?

Alucard: A que?

Glutt: Ao meus poderes,eu quero que você entre em profunda tristeza.

Alucard: Por que?

Glutt: Para que você rasteje aos meus pés implorando por perdão.

Alucard: Não vai rolar.

Glutt: Mas como?

Alucard: Se quiser me fazer cair vai ter que fazer isso com as mãos.

Alucard empunha o seu florete pronto pra lutar,mas Glutt apenas dá um leve empurrão nele e faz ele voar em direção a parede.

Alucard: Ai caralho.

Glutt: Você é realmente diferente dos outros homens que conheci nesses 470 anos que habito essa terra, após receberam meu poder, simplesmente pareciam.

Alucard: Caguei,agora você vai pagar por esse empurrão.

Alucard avança pra cima da Glutt e aproveita um descuido dela e consegue acertar um soco na boca dela,ela não se incomoda com o ferimento, mas a mão de Alucard quase quebra e solta um:"Puta que pariu".Mais uma vez,uma luz sai do dedo indicador de Glutt enquanto ela diz:"Calma e serenidade" e Alucard começa a respirar fundo,aliviado como se todos os seu problemas e angústias tivessem acabado.

Alucard: O que tá acontecendo?

Glutt: Além de me alimentar de emoções,eu posso manipular elas,mas você é o primeiro que consegue resistir a isso,ignorando tudo o que eu falo.

Alucard: Pois essa merda vai acabar agora.

Glutt: Medo incontrolável.

Alucard: Mas que sassi,quer dizer kiba kiba kiba kiba,isso é uma pa...sassi,você tá sassi,aduaduaduad vovovovo issessi issessi.

Glutt: Agora não tá conseguindo falar direito,isso é bom.

Alucard continua resistindo o máximo que pode.

Glutt: Como?

Alucard: Eu não aguento mais essa palhaçada,se quiser me matar vem me pegar.

Glutt: Eu não vou te matar,eu quero que você se desculpe, pelo seu erro.

Alucard: Como é?

Glutt: Como eu disse,nesses 470 anos que habito essa terra,eu nunca vi ninguém igual a você,com uma personalidade reservado e determinado, por isso não posso abrir mão de você tão facilmente...

Alucard: Na verdade eu sou uma pessoa muito chata e com muita raiva.

Glutt: no fim  não importa,eu tenho uma proposta e quero que você aceite e se aceitar,quero que a cumpra.

Alucard: O que?

Glutt: Seja o meu complementar.

Alucard: De novo isso...

Glutt: Não é só isso,dê a mim metade do que tiveres.

Alucard: O que? Nem fudendo.

Glutt: Não é isso,virei a sua casa quando eu quiser e você poderá fazer o mesmo,poderemos até... quem sabe... fazer outras coisas mais adultas.

Alucard: Uau,bom...

Glutt: E tem mais,você irá lutar por mim.

Alucard: O que?

Glutt: Você saberá.

Alucard: E seu me negar?

Glutt: Eu vou embora e nunca mais nos veremos novamente.

Alucard: Sério?Tipo,você não vai me matar?

Glutt: Minha irmã seria assim, mais eu não sou a Envy, mas pense bem,se você não aceitar,você continuará vivendo uma vida vazia,com pouco amigos que seguirão em frente e logo esquecerão de você,e eu acho que você não merece isso.

Alucard: Sério?

Glutt: SIm,você pode ser mais,você desconhece o seu potencial.

Alucard: Falando assim eu fico sem jeito.

Glutt: E o que me diz?

Alucard: Tenho que dizer agora?

Glutt: Sim.

Alucard pensa por alguns segundos e acaba aceitando.

Glutt: Ótimo,agora me dê a sua mão.

Glutt morde a mão direita de Alucard bebendo o seu sangue.

Alucard: AÍ PORRA.

Glutt: Hum,adoro um O-positivo.

Alucard: Maluca.

Glutt: Agora que eu tenho o seu sangue e sua vontade, até te parabenizo , bem vindo ao meu mundo,meu novo complementar.

Alucard:-Puta que pariu,eu só me meto em furada-.

fim

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...