1. Spirit Fanfics >
  2. BINGO - Jeon Jungkook >
  3. Zênite

História BINGO - Jeon Jungkook - Capítulo 12


Escrita por:


Notas do Autor


Who - Lauv (feat. BTS)

Capítulo 12 - Zênite


Fanfic / Fanfiction BINGO - Jeon Jungkook - Capítulo 12 - Zênite

"ZÊNITE"(s.m);

O ponto mais elevado que se pode atingir, auge, fastígio. 


Capítulo (12) -  "ZÊNITE"

| Jeon Jungkook P.O.Vs | 


— Deixa ver se eu entendi! Você acha que a Sra. Jung Lizzy e a Oficial Elizabeth Müller são a mesma pessoa? - Jimin me olhava incrédulo, de duas, uma. Ou ele achava que eu estava completamente certo ou ele tinha plena certeza que eu havia enlouquecido. 

— Exatamente… - suspirei, tomando um grande gole do meu café. — Eu sei, você vai dizer que eu estou louco. - nos últimos dois anos eu e o Jimin havíamos nos aproximado bastante, ele e o Namjoon eram os únicos amigos que eu tinha nessa cidade, mas algumas coisas eu não podia contar com o Namjoon por causa da sua profissão. 

— Olha, se você me der provas o suficiente eu acredito com todo prazer. - ele sorriu, talvez elas duas apenas parecem um com a outra. 

— Além do fato de ela ter me dito que sentia minha falta? - proferir, sua voz era a mesma, sentir seus braços me rodeando e me apertando contra si, me trazia uma sensação inexplicável. 

— Ela pode ter te confundido… 

— E como você explica o fato de ela saber o meu nome, sem nunca ter falado comigo? - na minha cabeça tudo fazia sentindo, só precisava de uma prova, e todos acreditariam em mim.

— Você se esqueceu do fato de que quando a Beth sumiu, seu nome e o dela estavam estampados em todos os jornais e mídias sociais possíveis? - okay, agora ele havia conseguido, ele venceu, não tenho como convencê-lo do contrário. 

— Tudo bem, você venceu, eu apenas estou ficando paranóico. - desistir por fim. 

— Olha, elas se parecem, reconheço isso… mas por mais que queríamos que fossem a mesma pessoa, por no caso ser apenas uma sócia. 

— Jimin… - fui interrompido por batidas na porta, eu e o Park, nos entreolhamos, dando um fim na conversa que estávamos tendo. — Entre! - a porta foi aberta revelando o meu secretário. 

— Senhor, chegou um envelope destino ao Sr. Jeon… e como você é o único com esse nome aqui, trouxe para o senhor. - ele entrou e me entregou o envelope. — E também a um homem querendo conversar com o senhor! 

— Obrigado, mande o entrar… - ele saiu e fechou a porta. — Jimin podemos conversar em outro momento, sim? - o homem à minha frente sorriu levantando-se. 

— Mas é claro primo, a vovó já deve está louca atrás de mim… - antes de sair ele parou na porta. — Pensando bem, se eu aparecer na padaria agora, ela vai me bater. - gargalhou passando a mão nos seus cabelos alaranjados. — Sabe vou esperar a sua visita ir embora e venho pra terminamos esse assunto! 

— Vaza logo daqui Jimin! - riu.

— Eu sei que você me ama, seu o único primo legal que você tem! - e então ele saiu, alguns minutos se passaram até que o homem, alto, pálido e de cabelos azuis entrasse em minha sala. 

— Detetive Jeon!? 

— Em que posso ajudá-lo? - indaguei. 

[...]

— Você realmente entendeu Jimin? - perguntei pela milésima vez, vendo-o sorrir amarelo e negar com a cabeça. — É a última vez que eu vou explicar.

Suspirei, pensando nas palavras me ditas.

— O homem que acabou de sair daqui, me entregou um papel com um endereço, e disse que eu deveria estar lá até o anoitecer e sozinho, caso contrário se eu fosse outro dia ou acompanhado não encontraria nada nem ninguém. - aquele homem misterioso, algo nele me fazia pensar diretamente na Elizabeth, com será que ela está hoje em dia? Se é que ela ainda está viva. 

— Mas… quem era ele afinal? - perguntou, me encarando e pegando o pedaço de papel com o endereço para vê-lo com os seus próprios olhos. 

— Ele disse que não poderia dizer seu nome, mas que estava me dando esse endereço para uma boa ação, e por que queria ajudar alguém. 

— Será que alguém está sendo mantido em cativeiro? - eu até iria fazer um comentário, se ele não tivesse começado a falar novamente.  — Sequestrado? Alguém está sendo torturado? Ou será que tudo isso não passa de uma emboscada para te matar? Primo não vá nesse endereço. 

— Calma Park, não é como se eu fosse morrer tão facilmente assim, eu vou, e você vai me ajudar nisso, tudo bem? - ele balançou freneticamente a cabeça concordando, tomei o papel de suas mãos e o guardei para que eu não perdesse. 

— Mas como vou te ajudar nisso? - perguntou. 

— A gente fala disso depois… vamos ao que me interessa e está me deixando curioso. - peguei o envelope de remetente até o momento desconhecido e o abrir, peguei a papel amarronzado lendo o conteúdo em si. 


Que dia lindo não é mesmo caro Jeon? 

Aish. Preciso arrumar outro bordão, esse de sempre te dizer como o dia está lindo ou perfeito já estava ficando repetitivo demais. Faz anos que não nós falamos, sentiu minha falta? Provavelmente não, mas eu senti a sua, senti muita falta, principalmente da Elizabeth, como ela está? 

Procurei a minha princesinha por anos, mas finalmente encontrei, nesse tempo todo ninguém conseguiu descobrir quem eu sou, parece que sujar minhas mãos com o sangue do Taehyung valeu apena, aquele imprestável sabia mais do que deveria. 

Mas, voltando a falar na minha princesa, já descobriu onde ela está? Com quem ela está? Como ela está? Já percebeu Jeon, que eu estou sempre a um passo de você? 

Deve ser irritante descobrir as coisas e já ter outra pessoa sabendo de algo que você deveria ser o primeiro a saber, pois bem vou te dar uma dica, minha próxima vítima está a um passo do seu último suspiro, já deve ser notado que eu coloco uma bola de bingo em cada vítima que eu faço. 

Você já encontrou quantas bolas? Vejamos, Temos a Angélica e Lily Müller, temos o Brian, temos o Taehyung. Quem será o próximo? Vou te dar duas dicas…

Número; quatro.

Letra; "J" seguido de "M"

Preciso ir agora, nos vemos logo logo, tenha bons sonhos Detetive Jeon.

Com amor, seu querido e ando Serial Killer. 

Ps: pode me chamar de "Fabuloso*, porque é isso que eu sou. 


— Filho da puta! - vociferei. Meu sangue estava fervendo, eu estava com tanta raiva que quase parti em dois a caneta em minhas mãos. 

— Jungkook calma, o que aconteceu? O que tem nesse papel pra te deixar tão bravo? - Jimin perguntava sem entender o motivo da minha raiva, levantei da minha mesa. 

A porta da minha sala foi aberta com tanta força, que o som da madeira batendo contra a parede foi alto o bastante para que todos dentro da delegacia escutasse. Caminhei a passos duros em direção a sala do Namjoon. 

— Detetive Jeon!? -  mal escutei meu secretário me chamar, não deu muita importância, a minha raiva desse maldito era a única coisa que eu conseguia pensar. Entrei sem ao menos bater na porta, na sala do meu chefe,  o delegado Namjoon. 

— Jeon? O que houve? - ele perguntou vendo o meu estado transtornado, joguei o envelope junto com a carta para que ele lesse o conteúdo. 

— Vou tomar um pouco de ar, volto em três minutos! - dito isso, sair de sua sala sem esperar resposta, indo em direção às portas de vidro que me levariam ao ar livre.

[...]

Após algumas xícaras de café expresso, finalmente consegui me acalmar, eu só precisava colocar minha cabeça em ordem antes de pensar em fazer alguma coisa a respeito do “serial killer”. 

— Isso significa que a Elizabeth está viva, certo? - indagou o Namjoon. 

— Sinceramente? Nunca achei que ela estivesse morta. - suspirei, deixando meu corpo 'cair' sobre a cadeira acolchoada. 

— Precisamos encontrá-la, antes que ele decida fazer alguma coisa contra ela… - respirou fundo, deixando a carta de lado. — Mas e se ele apenas estiver blefando? 

— E se não? 

— Jeon, meu caro amigo, sei que você é o detetive mais competente que temos, mas… - o olhei esperando que ele continuasse. — Não seria melhor se afasta do caso? Você está muito envolvido nessa história toda, não quero que nada te aconteça. 

— É exatamente isso que ele quer, que eu fique longe de toda essa bagunça, para que assim ele possa ter mais controle de toda situação. Sinto muito, mas não vou sair desse caso até que a Elizabeth esteja segura. 

— Quando tudo isso acabar, não quero nenhum protesto de sua parte, apenas vai fazer duas malas e viajar, pra bem longe daqui, pelo menos por um tempo… pode ser? 

— Como você quiser, mas antes vai ter que me pagar uma noite inteira de bebidas. - rimos, assim como o Jimin, o Namjoon também era um ótimo amigo, os dois eram os melhores amigos que eu poderia querer. 

— Aproveite e convide o Jimin nesse dia. - riu.

— Pra que? Pra ele me encher o saco dizendo que está apaixonado? - olhei o relógio de pulso na minha mão, iria dar umas cinco da tarde, estava na hora de ir para o "endereço". — Bom tenho um compromisso, nos vemos amanhã! 

— Tome cuidado! 

— Te digo o mesmo, tome cuidado com as gatinhas que ficam correndo atrás de você… 

— Vai Jungkook, sai logo daqui! - me expulsou. 

[...]

A localização do tal endereço fica no meio do nada, quase não tinha casas pertos umas das outras, para todo lado que se olhava tinha mato e mais mato. 

Quem quer que fosse me encontrar agora não queria que ninguém soubesse, seria o serial killer? Não, ele teria mandando algo escrito sobre isso na carta que recebi mais cedo. 

— Deve ser aqui! - destravei a minha arma, a casa era na verdade um chalé, o portão de ferro da propriedade estava tão enferrujado que parecia que iria cair a qualquer momento. 

A grama estava alta, e o que deveria ser o jardim já não tinha mais flores nem nada que confesse vida e beleza, adentrei a passos calmos e cautelosos na propriedade, esperando qualquer movimento do possível "inimigo". 

— Aish, confesso que é um lugar um tanto medonho. - cheguei a varanda do chalé, a porta estava entreaberta, o silêncio ficava a paisana por ali. Entrei na casa, o estado interior era muito diferente do que víamos por fora, a lareira era a única luz que iluminará toda a sala de estar. 

Inspecionei todo o local a procura de algo ou alguém, mas não havia ninguém.

— Olha, seja quem for, apareça ligo ou vou embora! 

Mãos circundam minha cintura, num toque tão suave quanto o toque de um algodão, os dedos delicados e jovens, eu reconhecia tudo aquilo.

— Jeon… 






Notas Finais


https://youtu.be/GRW4x5Yzqfw (musica)
@Mulherrrrrrr Happy Birthday 🌻🎉👏


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...