1. Spirit Fanfics >
  2. Bipolar - Kim Taehyung >
  3. Sixty six

História Bipolar - Kim Taehyung - Capítulo 66


Escrita por:


Notas do Autor


Tentei bater as 200 mil palavras -\('-')/-

Capítulo 66 - Sixty six




...


Finalmente pudemos aair do hotel para andar por Paris.

Eu nunca andei tanto por essa cidade... Ela é mais linda do que eu pensava. Talvez eu não queira sair daqui nunca mais...

Eu sentia um certo orgulho, felicidades, sei lá... Quando o Tae segurava a minha mão no meio da rua, arranjava algum jeito de exibir sua aliança... Eu ria, mas por dentro eu me sentia super apaixonada por ele.

Paramos em uma cafeteria para descansarmos e para comermos. Eu amo a comida francesa.

Do lado de fora da cafeteria, dava para ver a rua vazia de Paris já que o primeiro dia do ano é um "feriado" e nada funciona. Mas dentro, havia muitos estudantes, adolescentes... Enfim, franceses jovens se divertindo. Aí do nada dois coreanos adultos. 

Tomei um gole do meu café e respirei fundo e soltei o ar junto com um sorriso, logo percebi que Tae estava me observando com a cabeça apoiada na mão.

— Vai fazer uma pintura minha com todos os detalhes? — perguntei sem desmanchar o sorriso.

— Talvez. — ele sorriu sem mostrar os dentes.

— Hmm, você sabe pintar quadros?

— Nunca falei que sabia... — ele falou de um jeito engraçado e eu ri.

— Tava pensando em que?

— No tanto que eu era babaca com você no começo... — desmanchou o sorriso.

— Esquece isso, tá lá no passado. — tomei mais um gole de café.

— Não dá pra esquecer... — ele riu fraco — como que eu conseguia?

— Tae, por favor... Tá no passado. — repeti. 

— Eu sei...

— Agora a gente tá no presente, estamos casados! — falei com uma certa empolgação e arranquei um sorriso da boca dele.

— Eu sei... Ainda bem que o meu pai te aceitou como empregada, porque imagina se não tivesse aceitado? A gente nem teria se conhecido...

— Mas a gente se conheceu...

— Tá, você tá querendo acabar com os meus pensamentos.

— Você tá pensando em uma época que não tínhamos nada... — dei de ombros e mordi o sanduíche que eu havia pedido.

— Desculpa, não é que eu não esteja feliz agora, mas eu do nada comecei a lembrar de tudo desde o começo...

— Te entendo... 

— Desculpa falar mais sobre isso... Mas quer saber o primeiro pensamento de quando eu te vi?

— uhum. — falei enquanto tomava meu café de novo.

— Nossa, o que essa mulher está fazendo querendo entrar no meu quarto? Tem uma obra de arte querendo entrar aqui? — ri.

— Tô achando que você tá mentindo.

— Por que???

— Você me humilhava, acho difícil ter pensado nisso...

— Você não vai acreditar em mim? — ele fingiu estar bravo — naquela época eu só era assim por influencia da minha "mãe" — fez aspas com as mãos — e porque por algum motivo gostava de ver os outros bravos.

— você era esquisito. — falei seca e ele riu.

— E você? — ele tomou um pouco do café dele.

— Eu...? — esperei ele completar.

— O que pensou de mim?

— Ah... Não lembro exatamente, mas com certeza fiquei com dó da Wheein no dia.

— nossa — ele riu. — eu lembro de quando eu descia para pedir o café na cozinha e eu contava os segundos pra ver sua cara mudando de feliz para irritada. 

— Ainda bem que você percebia que me irritava.

E então me lembrei do dia que ele foi para o Japão e eu fiquei trancada no quarto dele lendo diário e tals...

Acho que posso falar sobre isso agora, não sei...

— Tae, eu fiz uma coisa naquela época que eu acho que você não sabe...

— O que? — ele perguntou curioso.

— Lembra de quando você ia para o Japão por uma dia mas voltou uma semana depois...

— Ah, até que eu apanhei.

— Nossa, eu nem lembrava desse detalhe — ri — naquele dia enquanto eu arrumava o seu quarto... — fiz uma pausa pois estava com medo da reação dele — eu li um diário seu. — falei de pressa.

— Diário? — ele perguntou sem entender, mas depois arregalou meus olhos — Meu diário!!! 

— desculpa, eu sei que foi errado, mas eu era uma curiosa...

— O que você leu naquele diário? — ele perguntou levemente assustado ou irritado, não sei...

— Ah... Que seus pais brigavam toda hora... Sobre a sua antiga namorada... Que você beijou ela pela primeira vez..

— Meu Deus, Jihyun — ele disse indignado — ninguém nunca leu aquilo além de mim...

Fiquei sem graça. Eu sabia que eu não deveria ter falado nada.

— Você por acaso viu o que eu escrevia pra Kelly? — ele perguntou envergonhado e eu assenti mais envergonhada ainda — meu Deus...

— Eu deveria ter ficado quieta... — falei bebendo o último gole do meu café para disfarçar que eu estava envergonhada.

— Não, você fez bem em falar. — ele sorriu tentando amenizar a tensão do momento — uma hora ou outra a gente iria falar sobre nossos passados, e eu iria mostrar aquele diário pra você... 

Ficamos em silêncio por um tempinho, até que ele começou a chorar do nada.

Franzi o cenho sem entender e levantei de pressa e sentei do lado dele, logo o abracei.

— O que eu perdi que eu não tô entendo agora? — perguntei confusa.

Ele enxugou as próprias lágrimas, logo sorriu para mim.

Ok. Ele me dá medo as vezes.

— Nada... Desculpa, não era pra isso ter acontecido. — ele falava com o tom de choro.

Eu realmente não entendi o que aconteceu.

— Tae, pode falar... Eu falei algo de errado?

— Não... — ele desmanchou o sorriso. — é que eu lembrei da minha infância, só isso...

— Foi muito ruim? — ele assentiu com a cabeça — quer falar sobre? 

— A gente tá em público...

— Ninguém aqui fala coreano. — ele riu fraco 

— Verdade, né... — ele respirou fundo e voltou com a expressão de tristeza. — eu apanhava da minha mãe, era proíbido de fazer quase tudo, ela já me forçou a fazer muita coisa... E riu da minha cara quando a Kelly morreu. — ele começou a chorar muito mais quando ele citou o nome da garota.

Ela foi muito especial para ele... Acho que até mais do que eu. O que ela tinha?

— Relaxa, Tae... Já passou tudo isso. — acariciei o braço dele já que eu ainda estava abraçada nele. — Olha só, hoje em dia você tá rico, casado, famoso...

— Mas meu passado ainda existe. — ele disse em um tom carregado de tristeza.

Não posso julgar a tristeza dele como "tristeza falsa" pelo fato dele ser rico desde quando nasceu e eu ter passado a vida toda por apertos pela falta de dinheiro... Mas parece que quem sofreu mais foi ele.

Tentei acalmar ele. Os franceses que estavam aqui agora nos olhavam torto, mas eu não ligava para eles. 

— Tae, vamos para o hotel... — pedi.

— uhum — ele murmurou.

Levantei do banco e depois ele levantou. Segurei a mão dele e entrelacei nossos dedos, em seguida ele pegou o café dele e eu o meu sanduíche que faltava umas duas mordidas.

Saímos da cafeteria — sim, ele já tinha pagado os cafés e os sanduíches antes -, e ficamos andando em passos lentos para sei lá onde. Não conheço Paris.

Ele estava de cabeça baixa e com a expressão triste. Não adianta reclamar, ele quem começou o assunto praticamente!

Apertei um pouco a mão dele como sinal de "estou aqui". Ele olhou pra nossas mãos, que a dele era a de aliança, e foi subindo o olhar até o meu rosto, depois sorriu fraco.

— Tenta esquecer tudo isso agora — falei com um sorriso no rosto.

Ele parou de andar e ficou de frente para mim, logo fiquei sem reação já que ele fez isso do nada.

— Obrigado por se preocupar comigo. — ele segurou o meu rosto e eu fiquei meio tensa.

— Tae... A gente ta no meio da rua...

— Relaxa, aqui é a França, não a Coréia do Sul. — ele aproximou nossos rostos e deu um selinho rápido em mim.

Sorri e fiquei olhando pros olhos dele.

— Vou tentar esquecer do que aconteceu comigo antes... Pra que chorar pelo o que já aconteceu?

— Tae, é normal de vez em quando lembrar do passado... — sei lá, só tentei fazer ele se sentir menos "culpado" se esse for o termo certo 

— Eu sei. Mas do jeito que eu falei deu a impressão que não tô feliz agora. — ele falou meio chateado.

— Eu sei que você tá feliz agora, mas realmente é normal lembrar do passado, só pedi pra você focar no agora porque nós estamos em plena lua de mel, eu não quero te ver triste agora.

Ele me interrompeu com mais um selinho rápido e eu senti minhas bochechas arderem um pouco, logo ele riu.

— Certo... Vou esquecer de tudo então — ele começou a acariciar minha bochecha com o polegar — e não precisa ficar com vergonha não... Já falei que a gente não está na Coréia.

Dessa vez, ele aproximou nossos rostos de novo, mas não foi apenas para um selinho, dessa vez foi um beijo lento.

Minha mão largou a dele e foi para o seu ombro. As mãos dele puxaram meu corpo para mais próximo do dele.

Quando terminamos, abri meus olhos e fiquei olhando para o rosto dele com um leve sorriso estampado.

— Vamos para um parque de diversões amanhã? — não contive o meu sorriso quando ele perguntou.

— Sim! — falei animada e abracei ele.

O abraço dele é confortável, blá blá blá... Meu Deus, eu sempre repito as mesmas coisas, né?

Afastamos do abraço e entrelacamos nossos dedos novamente e voltamos a andar para o hotel.

Quando chegamos lá, subimos para nosso quarto e a primeira coisa que eu fiz foi me jogar na cama. Eu estava morta de cansada.

Ele foi para o banheiro. Peguei meu celular e vi que haviam mensagens do Wonho. Ele não desiste não?


Jihyun, é sério... Quem que te falou que eu estava usando a Solji?? [16:12]


Ok. Agora eu gelei. Eu não falei pra ele o que ele fez.


Quem que te falou isso? [17:35]


Coloquei o celular do meu lado na cama e fechei meus olhos.

Agora eu estou confusa... Como é que o Wonho ficou sabendo disso? 

Sim, eu ainda acho que ele seja inocente. O Wonho com certeza nunca faria isso com alguém, as pessoas sempre falam muito bem dele.

— Já dormiu? — ouvi Tae perguntando e eu abri os olhos de pressa.

— Não. — falei um pouco sem ânimo 

— Ata — ele riu e deitou do meu lado — pensei que você estava muito cansada.

— Mas eu tô mesmo. 

— Descansa então. — ele deu batidas no braço dele indicando para mim deitar ali.

Aproximei dele e deitei com a cabeça sobre o peito dele.

Com a outra mão, ele começou um carinho na minha cabeça e eu fui relaxando aos poucos. É como se meus músculos fossem desligando devagar e eu estivesse entrando no relaxamento profundo.

Respirei um pouco mais fundo e senti que eu já estava conseguindo entrar no sono.

Ele parou de acariciar meu cabelo mas eu demorei para perceber.

Eu já estava quase dormindo.


...


Despertei com o Taehyung conversando furioso com alguém. Me assustei e abri os olhos, vi que ele não estava na cama.

Olhei para a sacada do quarto que era de onde vinha a voz dele e vi ele no telefone.

Me espreguicei e levantei da cama, logo fui andando devagar até ele que estava de costas pra mim. Dava um certo medo do tom de voz que ele discutia com alguém do outro lado da linha.

Abracei ele por trás e senti ele estremecer inteiro, logo virou de pressa para mim.

— Espera — ele disse para o telefone e depois tirou do ouvido dele. — eu te acordei?

— Não... — menti pra ele não se sentir mal.

— Ah... — ele tentou me afastar dele — Vai tomar um banho... Você chegou da rua e foi direto para a cama.

— Tá... — concordei sem entender.

Será que ele tá discutindo com alguém que ele não quer que eu saiba?

Fui caminhando até o lado de dentro do quarto, peguei algumas roupas e entrei no banheiro.

Eu conseguia ouvir o Tae gritando de raiva, ele dizia coisas como "eu vou processar ela", "posso mandar muita gente ir encher o saco dela"...

Dela quem?? 

Será que ele tá bravo comigo? Eu estou com medo! Ele praticamente me mandou sair de perto dele do nada.

Fui me despindo devagar, vi algumas marcas de ontem que estavam no meu corpo... Mas ignorei tudo agora já que há uma chance do Tae estar bravo comigo.

Eu fiz algo de errado pra ele e não percebi? Eu realmente não me lembro de ter feito algo que deixasse ele bravo, mas qualquer coisinha pode ter deixado ele irritado ao ponto de xingar com raiva pra um alguem no telefone.

Comecei a me sentir mal. Eu realmente não sabia o que eu tinha feito.

Terminei de me despir e entrei no box, logo liguei o registro e deixei a primeira água gelada cair sobre meu corpo, me deixando arrepiar inteira. Conforme a água foi esquentando, me senti mais confortável.

Peguei o shampoo que o próprio hotel fornece e comecei a passar nos meus cabelos, logo fui esfregando e fiquei muito pensativa.

Se ele está bravo comigo, por que iria me processar?

Por causa dessa frase eu comecei a achar que não era para mim.

Tirei todo o shampoo do meu cabelo e depois passei mais um pouco para garantir que meu cabelo não esteja com mais alguma sujeira.

Fiquei por um tempo tomando o meu banho e pensando em muitas coisas, acho que acabei exagerando no tempo de banho inclusive.

Saí do box com uma toalha na cabeça e uma para secar meu corpo.

Depois de secar, comecei a vestir meu pijama e saí do banheiro secando meu cabelo.

Vi Tae deitado na cama com uma expressão que clarament era de raiva. Fiquei com medo de perguntar alguma coisa.

Sentei na beirada da cama e peguei meu celular para ver as notificações.

— Jihyun, qualquer coisa que você ler na internet é mentira, tá? — ele pediu e eu fiquei mais assustada ainda.

— Tá...

Vi que tinham muitas mensagens da Solji, algumas da Sana, outras do Wonho...

Abri as da Solji primeiro e ela falava pra eu ler um link que ela havia me mandado.

Abri o link e assustei ao ver o Tae tirando o meu celular da minha mão.

— Aigoo! — reclamei 

— Eu acho que é melhor você não ver 

— Por que você tá tão esquisito? — perguntei sem entender.

— Porque eu realmente não quero que você veja. — colocou meu celular dentro do bolso da calça dele.

— Tae, o que aconteceu?

— Nada. Mas prefiro que você não mexa na internet pra não te deixar com raiva e acabar com a nossa viagem.

Ok. Aconteceu algo muito grave pra ele não querer que eu fique com raiva. Mas o que???

— Então o que eu vou fazer agora se não posso mexer no celular?

— que tal se você falasse mais um pouco sobre você? Tem coisas que eu não sei sobre você. — ele tentava parecer calmo mas não conseguia

— Tae, é sério... O que aconteceu? — ignorei o que ele pediu.

— Não quero falar sobre isso.

— Eu também não quero falar sobre mim se você não falar o que aconteceu.

— Aigoo... Então vamos ficar quietos um no canto do outro.

Eu só queria saber o que está acontecendo.

Levantei irritada e fui andando até a sacada para ver como estava a cidade agora. Já está de noite, tals... A iluminação daqui é forte.

Apoiei no para-peito e respirei fundo. O Tae fala que quer que a nossa viagem seja perfeita mas ele mesmo tá destruindo devagar a viagem.

Vi ele parando do meu lado também apoiando no para-peito. Soltei o ar que eu tinha respirado com força e dei um passo para sair daqui, mas ele me segurou antes.

— Jihyun, para... — ele pediu.

— Paro com o que? — ri — Tae, você tá sendo rídiculo, por que não fala de uma vez o que aconteceu?

— Eu não tô sendo ridículo, só estou pensando em você, não quero te ver com raiva, mas parece que isso tá acontecendo sem eu falar nada...

— Tae — ri de nervoso — por favor, fala o que aconteceu, eu prometo não ficar com raiva. — implorei.

— Não adianta implorar, você vai ficar com raiva.

— Tá, deixa eu adivinhar... — fiz ele soltar meu pulso e comecei a andar de um lado para o outro. — saiu um link na internet onde mostra você com outra mulher. — ele arregalou um pouco os olhos mas tentou disfarçar.

É... Acho que foi isso mesmo que aconteceu.

— Não. — ele falou um pouco tenso. — para de pensar sobre isso, vamos mudar de assunto.

— Não dói falar a verdade, Taehyung. — falei seca.

— Você não entende...

Ok. Pensei em um plano de como pegar o meu celular.

— Tá, tá... — falei com raiva. — vamos mudar de assunto mesmo, já vi que você não vai querer falar sobre essa merda. — aproximei dele. — o que você quer saber sobre mim?

— Er... — ele ficou nervoso por algum motivo — vou tomar banho, depois a gente conversa 

— Tae — segurei o pulso dele. — você não queria mudar de assunto? — perguntei franzindo o cenho.

— Sim, mas eu preciso ir tomar banho. — ele tentou de novo sair.

Revirei os olhos e aproximei nossos corpos.

— você tá muito tenso. — falei aproximando nossos rostos.

— Jihyun... — ele ia pedir para parar, mas selei nossos lábios antes.

Ele aos poucos foi se soltando. Eu realmente queria entender o que estava acontecendo, por isso que vou colocar meu plano em prática.

Ele segurou a minha cintura e colou nossos corpos. Isso, você me ajudou, Tae!

Minha mão foi lentamente até a calça dele e fingi começar a querer brincar com o membro dele, em seguida ele arfou.

Com a minha outra mão, tirei meu celular do bolso dele sem ele perceber e coloquei no meu bolso.

Sucesso!

Ele parou o beijo do nada e ficou me encarando com o cenho franzido.

— Por que você fez isso? — ele perguntou sem entender.

— Você tava com muita raiva, achei que isso iria te relaxar.

— Ah sim — ele colocou a mão no meu bolso vazio e eu gelei por dentro. — é um bom truque pra pegar o seu celular. — quando ele ia colocar a mão no meu outro bolso, eu segurei o pulso dele.

— Tae, por favor — falei irritada. — Se você realmente tá preocupado comigo vendo foto sua com sei lá quem, que com certeza deve ser isso, é porque realmente aconteceu algo. — falei com mais raiva ainda — Porra, e se for uma notícia falsa, por que sua consciência tá tão pesada?

— Eu não queria te ver brava... — ele falou abaixando o braço.

— Mas eu saberia que seria uma notícia falsa divulgada por sei lá quem... Mas você tá botando tanto ar de verdade que eu não sei se eu devo acreditar que seja real ou falso. — peguei meu celular com a outra mão 

Ele respirou fundo e percebi que estava super tenso, não movía um músculo.

Liguei a tela do celular, desbloqueei e vi o título da notícia que a Solji havia me mandado.

"Ator Kim Taehyung acaba de se casar no dia 30/12 e vazam fotos dele com supostas amantes e algumas informações sobre seu passado"

Olhei para a cara dele que estava com os olhos inquietos.

— Foi sua mãe? — perguntei com um tom de raiva bem menor.

— Sim... — ele disse transbordando tensão — a Wheein disse...

Desci a página e comecei a ler tudo.


"Ator Kim Taehyung teve seu casamento no seu aniversário 30/12 com Kim Jihyun. Tudo ocorreu com sucesso, mas no dia 01/01, saiu algumas fotos do ator com várias mulheres diferentes em lugares diferentes, além de informações sobre seu passado.

- Kim usava maconha para se acalmar.

- Agredia a própria mãe e as empregadas.

- Roubou a empresa dos antigos Choi

- participou de um desvio de dinheiro.

- matou o próprio pai envenenado

- estuprou várias mulheres."


Em baixo, tinham fotos dele beijando e abraçando a Wheein, a menina que ele me traiu daquela vez, a Solji - o melhor foi a cara de pau de cortar eu e o Wonho da foto -, a tal de Tzuyu que fingiu estar gravida dele antigamente... Enfim, eram seis mulheres. Duas não reconheci.

— Por que sua consciência tá tão pesada? — reclamei.

Ele foi andando sem ânimo até o banheiro e eu continuei lendo aquilo.

Que absurdo! Como que aquela idiota tem a capacidade de querer acabar com a vida de alguém que é quase "filho" dela? Não tem vergonha na cara não?

Abri as mensagens da Sana e vi que ela falava sobre a mesma coisa e perguntava se aquilo era verdade.

Depois que respondi ela, fui até a conversa do Wonho.


A própria Solji. [17:36]

Ela disse que a Jiyoon estava procurando o contato dela para contar pra ela sobre isso. [19:49]


Desceu notificação da Solji e eu abri na mesma hora que apareceu.


o que vamos fazer com aquela mulher? Ela já divulgou um vídeo íntimo de vocês, agora coloca muitas fotos nada haver e antigas na internet além de informações falsas. Como que para ela? [19:49]

Não sei... [19:49]

O pai dele morreu de infarto! Ninguém envenenou ele [19:49]

Ele nunca agrediu ninguém naquela casa. [19:49]

Aigoo! Essa mulher me dá muita vontade de dar uma facada nela [19:50]

Unnie... Vou esclarecer para o povo o que tá acontecendo... [19:50]

Jihyun, não! Não fala nada sobre a mãe dele que isso vai dar ruim para você. [19:50]

Tá... [19:50]


Fiquei por um tempo olhando para a cidade e comecei a pensar no que eu deveria fazer...

Eu vou abrir uma live no Instagram, não ligo para as consequências, quero deixar tudo isso limpo.

Fechei o chat da Solji e abri o aplicativo, logo entrei na parte de live stream e posicionei a câmera em uma mesinha que tem no canto da sacada.

Fui vendo o número de pessoas entrando e comecei a pensar... Foi uma boa idéia?

As primeiras pessoas já me xingavam de corna, que eu casei com um merda... Tentei ignorar tudo e esperei alguma pergunta decente.

— Então... — comecei a falar — todo mundo já sabe o motivo dessa live... — respirei fundo.

Vi os comentários de ódio começando a vir cada vez mais com força, logo ri.

— podem continuar me xingando, estão perdendo o tempo de vocês. Vocês nem sabem o que acontece na vida dos outros e acreditam em qualquer coisinha na internet. — sorri no final. — aquelas fotos são antigas, eu já trabalhei na casa do Taehyung e ninguém nunca foi agredido lá, se a mãe dele apanhou, bem feito, vagabundas tem o que merecem... — fui aos poucos tomando consciência do que fui falando — O pai dele... Ele tinha problema cardíaco e morreu por causa disso, não por envenenamento... Só se outra pessoa fez isso, porque o Taehyung nunca faria isso. Vocês tem que parar de acreditar em tudo que veem na internet, daqui a pouco vou falar que quem come chocolate todos os dias está imune a qualquer tipo de doença existente. — dei uma pausa — Eu não estou falando isso porque não quero prejudicar o Tae, mas sim porque tudo aquilo é mentira! 

Parei para ler mais alguns comentários e havia gente perguntando "como você consegue chamar sua sogra de vagabunda", "como tem tanta certeza que isso é mentira se a vida era do Taehyung e não a sua"...

— Primeiro... Eu conheço quatro daquelas garotas. Tenho amizade com duas delas. Eu sei que o que aconteceu naquelas fotos foi algo antigo, e no da foto da menina ruiva, tiveram a cara de pau de me cortar daquela foto para deixar aquilo mais realista. Aquilo era uma brincadeira entre amigos. — meu tom de raiva ia ficando cada vez mais óbvio — vocês não acham que estão pegando pesado demais com quem acabou de realizar o sonho de virar ator? Ele foi demitido por causa da merda de um vídeo que foi divulgado pela mesma pessoa que divulgou essa informações falsas! E ainda por cima apareceram gente falando que ele não podia namorar para não quebrar o coração de ninguém... Acham que ele é um robô?

Voltei a ler os comentários e vi mais perguntas como "onde está o Taehyung", "se você tem tanta certeza, porque não chamou a polícia para entrar no caso"...

— Bom... — respirei fundo — o Taehyung tá tomando banho e tá bem chateado com tudo isso. Acho melhor vocês não mandarem comentário de ódio para ele até porque ele não fez nada daquilo. — parei para responder outra pergunta —  ainda vou ver o que vou fazer em relação a tudo isso... Até parece que não tem nada para fazer na vida além de querer acabar com a vida dos outros! Vá lavar uma louça, idiota! — xinguei a mãe do Taehyung. 

— Jihyun! — ouvi o Taehyung chamando desesperado. Olhei pra ttás e vi ele correndo para pegar o meu celular e desligar ele.

Quando ele conseguiu fazer isso, ficou me olhando bravo.

— Você perdeu a noção?? — ele perguntou bravo — Você não deveria ter feito isso!

— Eu só queria falar que... — ele me interrompeu.

—Não interessa! Você não podia ter feito isso! — ele falou desesperado — Queriam acabar com a minha lua de mel com essa notícia idiota e parece que você só ajudou ela. — jogou meu celular em cima da mesa. — O que você falou?

— Tae, eu juro que eu só queria desmentir tudo...

— Agora não podia!!! — falou bravo e eu fiquei com medo dele — A gente teria que ir na polícia primeiro, denunciar aquela idiota por divulgação de informações falsas, teríamos que esperar o juíz dizer algo... Aigoo!!! Você não deveria ter feito aquilo!!!

— Mas eu não sabia...

— Sabendo ou não, você deveria ter um pouco de noção! — ele ia aumentando o tom de voz — Parabéns, Jihyun, você conseguiu acabar com a minha paz. — entrou de pressa no quarto.

— Tae!!! — fui correndo atrás dele, que estava indo em direção das malas dele — Desculpa! Eu juro que eu não sabia... — falei chorando desesperada.

— Agora seu cérebro resolveu funcionar, né? — ele disse em um tom sarcástico enquanto claramente tentava segurar o choro. — eu deveria ter ouvido o que me falaram uma vez... Que nós dois não fomos feitos um para o outro e que você uma hora ou outra iria tentar me prejudicar..

— eu não tentei prejudicar ninguém, além do que, quem foi o idiota que disse essa bosta?

— muita gente. — segurou a alça da mala.

— Tae, onde você vai??

— não te interessa — respondeu seco enquanto andava pisando duro até a porta.

— TAE! — Gritei desesperada e corri até ele e agarrei no seu braço — Por favor! Me desculpa! — eu estava chorando desesperada.

— Me larga — ele pediu seco 

— Eu te amo, por favor, não faz isso!! Você quer mesmo deixar acabarem com tudo que conseguimos até hoje? — falei desesperada — As vezes dá a impressão que você não me ama! Se realmente me entendesse, tentava conversar comigo ao invés de querer ir até sei lá onde...

— Jihyun, você não entende que quem fez a cagada foi você? — fez um movimento pra tentar fazer eu largar o braço dele mas não obteve sucesso. — me larga.

— Por favor! — implorei e caí de joelhos na frente dele — Eu s-só tava preocupada c-com você! Eu n-não sabia que isso iria acontecer — abracei as pernas dele.

Ele ficou sem reação alguma, não se movia... Estava parado.

— eu não tinha a intensão d-de te prejudicar, você s-sabe que eu te amo! Eu nunca faria nada contra você! Por favor, não vai embora, não tenho ninguém além de você! Se não fosse por sua causa eu já teria me matado faz tempo! Por favor, Tae!

E eu acho que o coração dele amoleceu.

Ele deu um passo para trás, ajoelhou na minha frente e me abraçou. Eu estava chorando tão desesperada que estava sem ar. As palavras não saíam da minha boca. Tae provavelmente ficou comovido, sei lá... Ao me ver desse jeito que aparentemente desistiu de ir embora.

Ele tentava de qualquer jeito me acalmar, mas nada adiantava.

Senti meu corpo ficando fraco aos poucos, eu ia caindo cada vez mais no chão e ele me segurava com mais força.

— Jihyun! JIHYUN! — ele gritou quando meu corpo perdeu todas as forças.

Isso já aconteceu comigo uma vez... E foi horrível. Eu desmaiava mas conseguia ouvir e sentir tudo ainda. Eu estava fraca demais naquele dia.

E tudo está se repetindo... 

Senti meu corpo sendo levantado de pressa e fui levada até sei lá onde.


...





Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...