1. Spirit Fanfics >
  2. Birds - Renato Garcia >
  3. Chapter V

História Birds - Renato Garcia - Capítulo 5


Escrita por:


Notas do Autor


Continuando!

Capítulo 5 - Chapter V


-Bella - Bruno exclamou assim que a ruiva apareceu - Eles estão reclamando que não conseguiram dormir por causa da chuva - comentou.

-Nossa, eu dormi tão de boa - ela respondeu.

-Eu vi mesmo - Renato resmungou - Você sumiu dentro do saco de dormir.

-Tem mais uma noite - ela cantarolou, pegando um misto quente.

-Olha, eu tenho que tirar o chapéu pra você - Thiago murmurou -A gente quase morreu subindo por 8 horas. Você ficou 35 dias pra escalar o Everest.

-Mas é igual aqui, vale muito a pena. Falando nisso, não mostrei as fotos que eu havia prometido - pegou seu celular, começando a mexer na galeria até achar as fotos da escalada - Aqui - lhe estendeu.

-Mentira! - Renan exclamou.

-O que? - ela perguntou confusa.

-Seu pai é o Mufasa Black, vocalista da Black Dragon!? - Bruno B. perguntou exasperado.

-Eu não contei? - ela perguntou e todos negaram - Ah, desculpa - sorriu amarelo - Mudando de assunto, qual é o próximo? 

-Tá louca? Não nos recuperamos nem de um - Renato reclamou.

-Eu acho que o próximo deveria ter neve - Bruno entrou na pilha da ruiva.

-Cerro Bayo, na Argentina - Bellatrix completou - A gente escala e depois desce esquiando.

-Alguém para eles - Renan resmungou.

-Tem o Valle Del Arcoiris, no Atacama. Às vezes eles dão conta - Bruno continuou.

-Vamos mudar de assunto - Brendo exclamou um pouco alto demais e os dois guias riram.

 

[...]

 

-O que foi? - Renato perguntou, aparecendo atrás de Bella, que estava sentada quase na beirada do cume.

-Achei que tivesse medo de vir aqui - ela comentou.

-Eu estou morrendo de medo - ele concordou - Mas achei estranho você sozinha aqui.

-Vim pensar - ela respondeu.

-Bom, acho que não tivemos tempo de nos conhecer, afinal, dormimos na mesma barraca - ele comentou - Me conta sobre você - pediu.

-Bom, eu tenho 21 anos e nasci no dia 31 de outubro de 2000, na Noruega - começou - Morei lá até os meus cinco anos, quando minha mãe faleceu em um acidente de carro - deu uma pausa - Sem minha mãe, precisei vir para cá e morar com meus avós, por causa da carreira do meu pai. Entrei na faculdade com 15 anos e me formei às 19, na Itália. Assim que terminei, decidi sair andando pelo mundo com uma mochila nas costas por um ano, antes de ir para Londrina - ela contou - E, a propósito, Gui já me contou toda a história de vocês, durante aquelas conversas no meio da escalada. Ele gosta de conversar.

-Gosta mesmo - Renato concordou - E… - foi interrompido por gritos.

-Que lagartão! - ouviram Renan exclamar.

-Hora da bióloga salvar a pátria - Renato comentou.

-De novo - ela respondeu - Os répteis gostam de vocês.

Eles foram até onde todos estavam e Bellatrix se embrenhou na mata, em busca do tal lagarto.

-Gente, é um calango - ela avisou, pegando o animal - E ele não mede nem 20 centímetros.

-Eu juro que ele parecia maior - Thiago se defendeu.

-Eu entendo - caminhou até a trilha e soltou o animal - Vá embora, amiguinho, aqui não é seguro pra você - retornou até onde o grupo estava - Pronto, ameaça neutralizada - brincou.

 

[...]

 

Um dia depois, começaram a descer o pico, chegando a fazenda apenas logo após a hora do almoço.

Os meninos foram para os chalés para tomarem banho enquanto Irene preparava o almoço.

No seu chalé, Bellatrix tomou banho e vestiu um short jeans e uma regata preta. Optou por ficar descalça, já que tudo ali era grama e saiu penteando seu cabelo com uma escova.

-Nossa! Que cabelo lindo! - Dani exclamou, assim que ela se aproximou.

-Obrigada! - Bellatrix agradeceu sem jeito. Sempre havia tido problemas com seu cabelo, que era extremamente cacheado e de um vermelho vibrante, o que chamava bastante atenção. Ele cacheado atingia a altura da cintura, e pelo fato de estar molhado e pesado, agora batia um pouco abaixo do bumbum.

-A cor é natural? - Dani perguntou.

-É, minha mãe era ruiva - Bellatrix respondeu - Mas a estrutura dele é da parte da família do meu pai, o da minha mãe era liso.

-Tem um pit bull no meu quarto! - Gui gritou de um dos chalés.

-Pirata! - Bellatrix chamou e o cachorro saiu correndo de dentro do chalé, na direção da ruiva - Para de invadir os quartos alheios - disse e o mesmo se sentou, colocando a cabeça sobre as pernas dela.

-Bella, tem alguma churrasqueira aqui? - Thiago se aproximou.

-Tem, deixa só eu pegar  chave do galpão. Licença, Pirata - disse e o pit bull levantou a cabeça da perna dela, mas a seguiu até o galpão - Aqui - puxou a churrasqueira - Se quiser, tem lenha ali - apontou.

-Os moleques foram buscar carvão, mas acho que a lenha vai ajudar - Thiago comentou - E aí, cara? - percebeu Pirata ali - Ele não tem um olho?

-A ninhada dele foi abandonada, eram doze filhotes, mas ele perdeu o olho e uma fêmea que está comigo foi atropelada e ficou paraplégica. Meus avós tem outros 17 cachorros, e hora que eu falei dele, eles logo quiseram adotá-lo, né, Pirata? - acariciou a cabeça dele, e o mesmo lambeu sua mão.

-Ele tem um pelo bem bonito, nunca tinha visto um pit bull inteiro preto - comentou, passando as mãos nas costas dele.

-A irmã dele é branca de olhos azuis, e tem umas sardas no focinho. Era uma ninhada bonita. Eu nem sei como ele veio parar aqui, geralmente ele fica no canil - deu uma pausa - Se estiverem animados, amanhã eu levo vocês para conhecerem os outros.

-Bom, eu sei que eu vou querer ir - Thiago respondeu - Adoro cachorros.

 

[...]

 

-Bella, qual foi a montanha mais alta que você subiu? - Dani perguntou de repente. Já havia escurecido e todos estavam reunidos ao redor de uma fogueira que a ruiva havia montado, enquanto as carnes assavam na churrasqueira.

-O Everest - ela respondeu.

-Sério que você escalou o Everest? - Gui perguntou surpreso.

-Eu estava comentando com os meninos, achei que todo mundo tinha ouvido - ela ponderou - Meu pai e eu subimos o Everest no começo do ano passado, já que a temporada é entre março e maio.

-E como é a vibe? - Bruno perguntou.

-Alguém já animou com a ideia - Renan brincou e a ruiva riu.

-Então, além da preparação física, você tem que ter o psicológico, porque assim, você vê alguns cadáveres no caminho.

-Meu Deus, que loucura - Irene comentou.

-Mas, assim, cadáveres mesmo? - Teco perguntou.

-É, alguns você sabe de quem são, e outros não - Bellatrix contou - Na chamada Zona da Morte, acima dos 8.000 metros, você olha para o lado e vê alguém. Na rota que pegamos, que foi a do Tibete, o primeiro que você realmente precisa passar por cima é George Mallory, que morreu em 1924, considerado o primeiro a tentar a subir a montanha com seu companheiro, Andrew Irvine - começou - Uns 50 metros pra frente, tem o corpo Francys Distefano-Arsentiev, que morreu em 1998, coberto com uma bandeira dos Estados Unidos. Aí, a hora que você chega na parte do chamado esforço final, você encontra o “Botas Verdes”, que morreu em uma expedição em 1996 deitado em posição fetal, e ao lado dele David Sharp, sentado e abraçado as pernas. Depois, é só continuar subindo e você chega ao cume, mas tem um tempo certo para descer, se não o oxigênio no seu cilindro acaba, como já aconteceu com várias das pessoas que morreram, já outros conseguem até subir, mas não tem forças pra descer e param em um lugar, congelam e morrem.

-Mas, não tem como resgatar? - Gabe perguntou.

-Até tem, mais um corpo humano congelado pesa duas vezes mais, então é necessário de seis a oito homens pra carregar, além de provavelmente ser necessário escavar, e os cilindros de oxigênio não conseguem suprir a necessidade que o esforço vai exigir. Alguns corpos são lançados pelo vento encosta abaixo, que atingem até 320 km por hora, aí a família consegue reconhecer o corpo e realizar um enterro. Os que ficam lá, transformam-se em pontos de referência. A cada dez pessoas que tentam subir, uma a montanha pega pra ela.

-Eu acho que vou repensar a ideia do Everest - Renato estremeceu.

-Olha, sinceramente, é uma ótima experiência, mas eu não subiria novamente. Você passou dos 8.000 metros você começa a sufocar, e tem dois dias pra subir e descer, e se você morrer ali, ninguém vai te ajudar ou te trazer de volta.

-Credo, vamos mudar de assunto - Bruno B. cortou a conversa.

-Eu estava apenas respondendo perguntas - a ruiva se defendeu.

-Vou ter pesadelos - Brendo murmurou e ela riu.

 

[...]

 

Bellatrix estava no seu quarto quando ouviu um barulho na janela. Ela franziu o cenho e foi até a porta, mas a mesma foi aberta por alguém usando uma máscara de duende.

-Isso é hora? - ela perguntou, ao perceber que era Thiago, e Teco entrou no quarto com a câmera, filmando a ruiva.

-Cara, achei que você ia assustar - Thiago reclamou.

-O Teco bateu na janela - Bellatrix justificou.

-Pô, Teco - Thiago resmungou - Então, quer me ajudar a pegar os moleques?

-Vamos - Bellatrix concordou.

-Quem você acha que tá mais cansado? - Thiago perguntou.

-O Brendo. Ele foi o primeiro a ir pra cama - ela respondeu.

-Vamos lá - Thiago exclamou e foram até o chalé onde estavam Renan e Brendo. Renan tomou um susto assim que Thiago entrou, mas Bellatrix fez sinal para o mesmo ficar quieto.

-Nossa, Thiago - Brendo reclamou depois do susto.

-Já leva um soco na cara - Renan comentou, enquanto Thiago e Teco riam.

-Viado, se viu que ele apontou? - Thiago perguntou - Não dá pra ver nada.

-Ai meu coração, viado - Brendo resmungou.

-Tem que esperar o Renato agora - Thiago comentou - Ele vai dormir com quem?

-Sozinho - Bellatrix respondeu - Pera aí - pediu e foi até o quarto de Renato, abrindo uma fresta na porta - Ele tá no banheiro. Senta ali - apontou para um banco ao lado da cama - E eu entro e chamo ele.

-Gente, que mente maquiavélica - Thiago brincou, antes de entrar no quarto. Bellatrix esperou alguns segundos, antes de abrir a porta.

-Renato? - chamou.

-Oi? - ele respondeu de dentro do banheiro.

-Pode vir aqui, rapidinho? - pediu. 

-Já vou - disse e segundos depois saiu do banheiro - O que foi? - perguntou e Thiago avançou contra ele, o fazendo pular de susto, antes de começar a rir e se jogar na cama.

-Mano, eu ia vir de noite, mas eu fiquei com medo de você trancar a porta.

-Não tranca - Bellatrix respondeu - A única que tem chave é a principal.

-Olha quem está de complô contra mim - Renato resmungou e Bellatrix encolheu os ombros.

-Me convidaram.

-Viado, ela foi a primeira. Mas não deu nem graça, o Teco bateu na janela - Thiago contou.

-Mano, eu entrei e vi de canto de olho - Renato comentou - Sabe quando você sabe que tem algo errado?

-Olha de quem foi a ideia - Thiago apontou para a ruiva.

-Ah, agora a culpa é minha? - cruzou os braços - Eu sou apenas uma cúmplice.

 


Notas Finais


Continua...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...