História Birthdays - Capítulo 6


Escrita por:

Postado
Categorias Naruto
Personagens Deidara, Fugaku Uchiha, Hinata Hyuuga, Ino Yamanaka, Itachi Uchiha, Jiraiya, Kakashi Hatake, Karin, Kiba Inuzuka, Konan, Kushina Uzumaki, Minato "Yondaime" Namikaze, Neji Hyuuga, Rock Lee, Sai, Sakura Haruno, Sasori, Sasuke Uchiha, Shikamaru Nara, Suigetsu Hozuki, Temari, TenTen Mitsashi, Tsunade Senju
Tags Naruhina, Nejiten, Saiino, Sasusaku, Shikatema
Visualizações 46
Palavras 4.001
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Romance e Novela
Avisos: Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oi amores, desculpas o atrasinho.. talvez o cap esteja meio grande
..

Capítulo 6 - VI - Música e poesia


- VAMOS EXPLIQUEM! EU AINDA TÔ ESPERANDO A PORRA DUMA EXPLICAÇÃO! -Os gritos do Uchiha eram carregados de ódio, seus olhos expressavam a raiva da maneira mais sucinta possível, outro fato que entregou sua raiva, eram seus punhos cerrados e sua feição nada amigável.

 

E quem tiraria a razão de Sasuke, ter raiva? Ninguém. Encontrar sua noiva, que dizia que o amava, que dizia juras de amor, aos beijos com uma pessoa que considerava “amigo”, até pouco tempo atrás, não era nada bom. Sasuke se perguntava como ainda não tinha avançado em Suigetsu, talvez fosse o receio da mulher de cabelos rosas ao seu lado, presenciar mais um vexame. Não queria de jeito nenhum afastar uma empregada sua.

 

Karin nada pronunciou, não conseguia, o arrependimento tomava conta de si, pensava que Sasuke seria a pessoa certa para tampar o buraco que Suigetsu deixou, mas não adiantou de nada, ainda pensava no homem de cabelos brancos e dentes afiados, não poderia ser julgada por não tentar, e sim por ter cedido na primeira oportunidade que teve. Se sentia horrível por ter feito aquilo com Sasuke.

 

O homem de cabelos platinados não estava diferente da ruiva, não pronunciava nada, mas por precaução e medo do homem a sua frente, avançar sobre si, sem sinal nenhum e sem piedade. Se pronunciasse qualquer palavra, seria capaz de ali, assinar o seu contrato com a morte, e bom, ele ainda pretendia viver um bom tempo.

 

- Sasuke, só se acalme. -Foi ouvido uma voz suave após minutos de um silêncio bastante embaraçoso. Era Sakura quem proferia tais palavras.

 

A rosada então deslizou sua mão até a do Uchiha, que se encontrava cerrada fortemente, Sakura então abriu a mão do maior calmamente, e lá entrelaçou sua mão na dele e apertou suavemente. Queria transmitir calma para ele, era o que ela julgava que ele precisava, o olhar de Sasuke então caiu sobre a mulher, e a mesma lhe ofereceu um sorriso calmo e sereno, que por alguma razão, fez com que as feições de Sasuke ficassem mais suaves.

 

- Karin, faça suas malas, você irá embora. -O Uchiha pronunciou, seu tom de voz era sério e exalava desdém, não estava brincando e queria transparecer isso.

- Sa-sa-sa-suke, por favor. -Implorou a ruiva aos prontos, se ajoelhando aos pés do moreno.

- Levante-se. -Disse Sasuke com desdém, o nojo que sentia da mulher ajoelhada sobre si, era enorme. - LEVANTE-SE! -Dessa vez foi uma ordem, bastante autoritária e intimidadora. - Não quero ter que repetir mais uma vez.

- Por favor Sasuke. -A ruiva não desistia, continuava implorando pelo perdão do moreno.

 

Sasuke como era pavio curto, não conseguiria ficar mais ali, desentrelaçou sua mão da de Sakura, e saiu da cozinha a passos pesados, deixando ali Suigetsu e Sakura sem entender o que ele poderia fazer, e uma Karin completamente em prantos e acabada.

 

- Vamos Karin, levante-se. -Suigetsu pela primeira vez naquele momento falou algo.

 

As mãos do platinado foram até a cintura da ruiva, ajudando-a se reerguer, a contragosto da ruiva, mas estava sem forças o suficiente para protestar contra a ação do homem, só conseguia pensar em pedir perdão várias e várias vezes para Sasuke, de todas as maneiras possíveis.

 

- Não enconste em mim! -Esbravejou Karin, tirando as mãos de Suigetsu de sua cintura.

- Tsc, de nada por ter te ajudado.

- Ah, claro, me ajudou muito, destruindo meu casamento, a melhor ajuda possível. -A ironia na voz de Karin era reconhecível até para o mais lerdo de todos. - Me poupe né! Você sempre fudendo com a minha vida.

- Eu não beijei sozinho, ok? -Defendeu-se Suigetsu.

- Mas isso é tudo culpa sua! -O dedo da ruiva era enterrado no peito do homem, da maneira mais acusatória possível. - Vou atrás de Sasuke. -Pronunciou a ruiva se retirando.

 

                              [...]

 

Sasuke subiu as escadas da mansão, a passos pesados e rápidos, foi em direção ao seu quarto, pegou a primeira mala que viu, e começou a despejar as roupas de sua ex-companheira ali, jogava as roupas de qualquer jeito e bruscamente, ainda estava com raiva, muita raiva por sinal.

 

Era difícil ser traído, pela pessoa que um dia lhe prometeu ser fiel, Sasuke admitia que tinha se casado com Karin mais por gratidão do que amor em si, era grato pelo esforço que ela tinha tido com ele durante o período do acidente, a ruiva parecia está bastante atraída a ele, então, resolveu realizar o desejo dela, casando, essa era sua forma de agradecer por tudo.

 

Passava pela sua cabeça várias idéias, se Karin teve coragem de ficar com Suigetsu em sua casa, imagina com quantos outros ela já tinha feito a mesma coisa? Se não teve pudor em sua casa, nos outros cantos não seria diferente, era assim que pensava.

 

Depois de finalizar a mala, que julgava ser necessário por um tempo, depois mandaria o resto das roupas para ela. Desceu as escadas da mansão, do mesmo jeito que subiu, a passos pesados e rápidos, assim que desceu, notou o olhar confuso de Karin sobre ele, e logo atrás o de Suigetsu e Sakura também da mesma forma.

 

- Para que essas malas? -Indagou Karin, confusa não era o certo, sabia do que se tratava, só não queria acreditar.

- Tsc. Não se faça de sonsa. -Bufou. - Peça para que alguém lhe deixe em um local seguro. -Entregou a mala na mão das ruivas, que por segundos recusou, mas o olhar de repreensão de Sasuke, fez com que ela aceitasse.

- Sasuke, não jogue nossos anos no lixo, por favor.

- Você que fez isso, eu não fiz nada, apenas lide com as consequências.

 

A ruiva se deu por vencida, sabia o quão cabeça dura o Uchiha era, e ter essa conversa com ele, nas devidas circunstâncias não era a coisa mais inteligente a ser feita.

 

- Sasuke, nós ainda iremos conversar. -A Uzumaki disse pegando sua mala, e saindo acompanhada de Suigetsu, o homem não dizia uma palavra na presença de Sasuke.

 

Antes da saída da moça, Sasuke agiu de momento, e segurou Karin pelo braço com certa força.

 

- Não volte a me procurar. Só saia da minha vida. -O tom de voz do Uchiha era sério e autoritário, não era um pedido, não estava nem perto, era uma ordem.

- Não prometo nada. -Disse Karin se retirando.

 

Sakura ainda estava ali, presenciou a briga toda, mesmo sem ter dado uma palavra sequer sobre o assunto, apenas tentou confortar o moreno que amava, vendo que Sasuke encarava a porta da mansão, Sakura se dirigiu até ele, oferecendo um sorriso sincero que expressava um “sinto muito” honesto, Sasuke respondeu a atitude da garota com um suspiro pesado.

 

- No final das contas, esqueci de te levar em casa.

- Não se preocupe, dessa vez quem irá dirigir sou eu. -A rosada então agilmente pegou as chaves que estavam no bolso do Uchiha.

- Você vai me roubar?

- Claro que não bobinho. Só vou te levar para passear.

- Não me leve a mal, não acho que estou no clima. -Suspirou. - Prefiro ficar em casa e dormir, você pode pedir para um dos motoristas te levar.

- É exatamente por isso que você vai sair hoje comigo. -A rosada disse animada. - Para tirar toda essa carranca que ficou.

- Dúvido muito que você consiga. -O tom do Uchiha, saiu bastante provocativo para o gosto da Haruno, era como se ele a desafiasse.

- Aceito o desafio.

 

Sakura estendeu sua mão, o moreno riu da empolgação e do convencimento da mulher, que tinha certeza que faria com que ele esquecesse de todo o desgosto que passou, respondeu também estendendo sua mão e apertando a de Sakura, como se confirmasse que o desafio foi aceito.

 

- Vamos logo Uchiha, tenho um desafio para ganhar.

 

Foi a última coisa que Sasuke ouviu sair de Sakura, que já corria animada para o carro, não teve nem como protestar, e também não queria acabar com a felicidade da garota, mas tinha outra coisa que o prendia a fazer isso, talvez fosse a presença dela sempre o deixar mais confortável com tudo, e ainda alegra-lo da melhor maneira possível.

 

Adentraram a Audi R8 V10 que já estava posicionada lá fora, Sakura se preparou e começou a dirigir. Do seu lado, um Uchiha, bastante receoso sobre sua decisão de deixar a rosada dirigir, já que ela parecia não saber muito.

 

- Jajá você nos mata, e não vai conseguir completar seu desafio, irritante. -Praguejou o Uchiha, após segurar firmemente no apoio que tinha no seu carro. - É sério, você não sabe dirigir?

- Claro que sei, só não sou muito boa. -Admitiu Sakura com um sorriso fraco.

- Então vá com calma, quero continuar vivo ainda.

- Haha, eu não seria capaz de te matar, você é meu chefe.

- Não duvido nada, já que o modo que dirige é bastante duvidoso.

- Aí meu Deus, não vamos morrer. Eu espero.

- E você vai me falar para onde está me levando?

- Você se esqueceu que Nova York, é a cidade onde pessoas vivem pelas artes?

- Não, claro que não, me lembro que no aeroporto, um artista de rua tinha pedido para me desenhar.

- O que? Como assim? Como alguém viu beleza em sua feição tão carrancuda? -Debochou Sakura rindo.

- Tsc, irritante.

 

O ambiente então ficou impregnado com a risada humorada que Sakura soltava, era a risada mais gostosa que já tinha ouvido, isso era certeza para Sasuke, era tão leve, tão bonita, que casava perfeitamente com a dona dela, não percebeu mas por alguns minutos ficou encarando sem descrição nenhuma a mulher de cabelos róseos que estava ao volante. Era uma mulher de beleza inegável, isso tinha certeza.

 

Sakura sentia o olhar de Sasuke caindo sobre si, estava se martirizando para não virar e atacar sua boca ali, mas não poderia fazer isso, para não matar ninguém no trânsito, teria que manter postura. E ainda tinha Sasori, não trairia o ruivo de jeito nenhum, não era uma pessoa horrível.

 

O carro logo ficou em silêncio, nenhum dos dois ousava dizer nada, não era um silêncio assustador e constrangedor. Sasuke apreciava o silêncio da garota, sabia que era difícil para ela, ficar calada, e provou isso na noite em que conversaram bebendo vinho, todas hora Sakura abria a boca como se fosse falar algo, mas depois fechava, e Sasuke ria da garota.

 

- Vamos, fale logo, o silêncio está lhe martirizando. -Sasuke riu quebrando o silêncio.

- Aí graças a Deus. -Suspirou aliviada. - É meio clichê, mas… sinto muito. -Ofereceu um sorriso terno.

- Obrigado. -Foi a única coisa que o Uchiha falou, retribuiu o sorriso da mulher com um aceno de cabeça.

- Bom chegamos. -Avisou Sakura, estacionando o carro.

 

Seus olhos foram para o estabelecimento em que estavam, era um bar típico da cidade de Nova York, mas o que lhe chamou a atenção, era um aviso que estava grudado na porta, avisava que era noite karaokê, o Uchiha rolou os olhos, não sabia cantar e não queria pagar mico.

 

- Você sabe que não sei cantar.

- Não precisa saber, apenas curtir o momento.

- Curtir a vergonha você quis dizer né?

- Deixa de drama Sasuke, você vai entrar pela aquela porta, e vai cantar comigo.

- Você pode cantar, eu não irei.

- Era uma ordem, não um pedido.

- Tsc, você é muito irritante.

- Mas eu sei que você gosta, Uchihazinho. -A rosada apertou as bochechas do moreno que resmungou.

- Ok, você ganhou. Dessa vez. -Pontuou dando-se por vencido e levantando as mãos em sinal de rendição.

 

Saíram do carro e foram até o estabelecimento, a decoração era rústica, nada de muito extravagante, simples e bonito. Sakura logo se distanciou de Sasuke, dizendo que ia colocar o nome dos dois na lista, quando Sakura passava, era claro que arrancava olhares de qualquer homem, e Sasuke percebeu, um certo incômodo surgiu dentro de si, e começou a encarar com uma feição de poucos amigos para todos os homens que dirigiam o olhar para a mulher.

 

Sakura logo voltou, os dois se sentaram em uma mesa que estava no canto, e ficaram aproveitando as vozes que cantavam ali, algumas apresentações eram bastante engraçadas pelo desastre que eram as vozes, Sasuke só conseguia pensar que depois seria ele o motivo da risada de todos ali.

 

- Agora, é a vez de Sasuke e Sakura. -O dono do estabelecimento anunciou no microfone.

- Vamos, vamos, é nossa vez. -Saltitava Sakura puxando-o.

- Tá bom, tá bom, já entendi, irritante. -Bufou Sasuke, bebericando do álcool que tinha ali na mesa, precisaria daquilo para ter um pouco de coragem e menos juízo.

 

Os dois subiram no palco, uma Sakura extremamente animada e com um sorriso de ponta a ponta, e um Sasuke não tão animado, bastante envergonhado, mas deixando ser levado pelo momento.

 

O homem então sorteou a música que teriam que cantar, caiu em The Scientist - Coldplay, a plateia vibrou, Sakura também, Sasuke ainda não conseguia acreditar no que estava fazendo, mas tomou coragem e assentiu.

 

Sakura queria transmitir animação para seu companheiro, mas não queria cantar aquela música de jeito nenhum, tinha uma letra bastante significativa para ela e para a relação que os dois tinham. As batidas lentas da música começaram, e Sakura que iniciou, sabia que Sasuke não teria coragem para isso, então seria ela que tomaria as rédeas da situação.

 

- Come up to meet you, tell you I’m sorry. You don’t know how lovely you are. I had to find you, tell you I need you, tell you I set you apart.

 

A voz doce e angelical de Sakura, se fez presente ali, arrancando a atenção de todos, ela realmente não tinha mentido quando disse que sabia cantar, para Sasuke, sua voz estava saindo como o canto dos anjos.

 

As letras diziam tudo que Sakura queria, mas não conseguia, queria dizer que sentia muito, por ter sido egoísta, e tê-lo abandonado, que ele tinha um efeito enorme sobre ela, que mesmo com a carapaça carrancuda que tinha, ela sabia que ele era uma pessoa amável, e mais ainda, ela precisava dele, precisava sentir o seu abraço de novo, seu beijo, pois sempre foi ele, ela sempre escolheria ele.

 

- Tell me your secrets and ask me your questions, oh let’s go back to the start, running in circles, coming up tails, heads on a science apart.

 

Dessa vez era a voz de Sasuke, ele tinha mentido na cara dura na visão da rosada, ele cantava bem sim, sua voz rouca e calma, casava perfeitamente com a música, ouvi-lo fez com que cada célula do corpo de Sakura se arrepiasse.

 

Sasuke queria que Sakura perguntasse mais sobre ele, ou talvez começassem qualquer tipo de conversa todos os dias, todos os momentos, tinha uma necessidade enorme de saber tudo sobre a garota de cabelos exóticos a sua frente, a quem direcionava um olhar intenso, que era retribuído da mesma forma. Também queria começar do começo, mas em outra situação, onde não estivesse passando pelo drama todo com Karin.

 

- Nobody said it was easy, it’s such a shame for us to part, nobody said it was easy, no one ever said would be this hard, oh take me back to the start.

 

Continuou Sakura. Cada letra daquela parte, falava por si. Não estava sendo fácil ficar longe dele, era difícil arcar com as consequências de sua atitude egoísta de anos atrás, estava sendo extremamente difícil. E Deus, como ela desejava que voltassem para o começo de tudo, quando ainda estavam juntos.

 

- Tell me you love me, come back and haunt me, oh, and I rush to the start, running in circles, chasing our tails, coming back as we are.

 

Sakura continuou a cantar, e mais uma vez a letra falava por ela, queria escutar dele que a reconhecia, que ainda a amava, e que eles voltariam juntos para o começo, e que tudo daria certo. Mas a rosada sabia que não dava, tinha se metido em um problemão, e estava enrolada até o pescoço nele.

 

- Nobody said it was easy, it’s such a shame for us to part, nobody said it was easy, no one ever said would be this hard, oh take me back to the start.

 

E os dois finalizaram cantando juntos. A rouquidão da voz de Sasuke, casava perfeitamente com o tom angelical de Sakura.

 

Os ônix intensos, se encontraram com as esmeraldas brilhantes, como se fosse uma espécie de magnetismo que os dois tivessem. Sakura sabia o que era exatamente, diferente de Sasuke que ainda estava plenamente confuso.

 

A aproximação dos dois, já estava bastante perigosa na visão de Sakura, já podiam escutar e sentir as respirações ofegantes sobre o outro, o perfume doce de Sakura já embriagava Sasuke, da mesma forma que o amadeirado de Sasuke fazia com Sakura, os olhos ainda se encaravam intensamente, os nariz já se roçavam.

 

Só conseguiram sair do transe, quando conseguiram escutar as palmas de uma plateia, bastante afoita com a cena que presenciavam. Sakura se afastou bruscamente do Uchiha, não podia fazer isso, tinha Sasori, a mesma deu um sorriso tímido e amarelo para Sasuke, que retribuiu com um sorriso de canto.

 

- Eh… temos que ir pra outro lugar. -Sakura quebrou o silêncio.

- Sim, sim, ok. -Confirmou Sasuke, pegando na mão de Sakura e saindo do palco e do estabelecimento. - E para onde você irá me levar agora? -Questionou Sasuke já dentro do carro.

- É surpresa. -Respondeu com um sorriso enorme.

- Tsc, odeio surpresas. -Resmungou o moreno.

- Haha, mas agora vai começar a gostar. -Sakura sabia que Sasuke odiava surpresas, ele era tão controlador, que era horrível a sensação de não saber para onde vai, tanto que até ficou surpresa quando ele aceitou seu pedido sem relutar por horas.

 

Sasuke odiava surpresas demais, mas por algum motivo, iria para qualquer canto com a mulher que estava dirigindo, faria qualquer coisa por ela, ela o deixava mais leve, fazia com que ele mostrasse um lado que nem mesmo ele sabia que tinha.

 

Sakura seguia em direção, ao ateliê que Sai tinha feito especialmente só para Ino no aniversário dela, se lembrava até hoje da reação da loira, dos gritos que ela deu quando ele lhe deu uma chave, a loira tinha ficado tão emocionada pelo namorado ter preparado um local inteiro só para ela, e agora as duas amigas usavam quando precisavam de um tempo sozinha para relaxar.

 

E foi quando se lembrou da finalidade do lugar, que teve a ideia de levar Sasuke até lá, ele precisava relaxar e o ateliê seria o local perfeito.

 

Não demorou muito para a chegada dos dois no destino, Sakura pegou a chave que Ino tinha lhe dado, e adentrou o local. Sasuke ficou admirado com o local, as cores brancas e pastéis, traziam um ar de calma, as luzes de pisca-pisca brancas iluminavam o local, principalmente as obras de artes que tinham ali pendurados nas paredes, e desenhados nas paredes, além de que destacavam alguns poemas nas paredes.

 

- Uau, é um lugar artístico. -Disse Sasuke continuando a analisar o local.

- Agradeça a Sai, ele fez isso para Ino no aniversário dela, e agora nós duas usamos para relaxar. Por isso te trouxe aqui. -A rosada falava enquanto guardava a chave na bolsa.

- Todas essas pinturas foi ele quem fez? -Questionou Sasuke apontando para cada um dos quadros.

- Sim, sim. -Confirmou. - Primeiro tinha apenas pinturas da Ino, depois que contamos da nossa ideia, ele começou a pintar algumas telas minhas também.

- E esses poemas de amor?

 

Nas paredes tinham poemas curtos de amor, que Sasuke logo se pôs a ler.

 

“Não sei nem mais dizer
O que sinto por você...
Se é amor...
Se é amizade...
Se é paixão...
Mas suspeito fortemente
Que seja tudo isso junto!”
×
“Não preciso me drogar para ser um gênio;
Não preciso ser um gênio para ser humano;
Mas preciso do seu sorriso para ser feliz.”

×

“Amor
Quando duas pessoas fazem amor
Não estão apenas fazendo amor
Estão dando corda ao relógio do mundo”

×

“Não me lembro mais qual foi nosso começo.
Sei que não começamos pelo começo.
Já era amor antes de ser
.”

 

Eram os poemas que tinham nas quatros paredes do local.

 

- Você esqueceu que foi um presente do Sai pra Ino? -Perguntou Sakura rindo.

- Ah é mesmo.

- Então vamos lá Uchiha, aproveite e relaxe. -Sakura então se deitou no tapete felpudo que tinha no local. - Venha, fique aqui comigo.

 

Sasuke então se juntou a rosada, e deitou-se ali, foi então que entendeu o porquê daquele ser o lugar, no teto estava pintado uma constelação toda, ainda tinha galáxias, era realmente relaxante está ali, pensar e refletir.

 

- É você tinha razão, foi bom.

- Eu disse que você ia gostar. -Disse Sakura com um sorriso vitorioso. - Meu Deus, que frio. -Reclamou Sakura se abraçando, e em um impulso Sasuke aproximou Sakura de si e a abraçou.

- Nem ouse reclamar. -Interrompeu Sasuke, vendo que a rosada ia protestar.

 

E Sakura apenas assim fez, se aconchegou ali, e sentiu mais ainda de perto o cheiro que Sasuke exalava. Já Sasuke estava totalmente perdido em seus pensamentos, o cheiro da mulher que estava ali aconchegada em seu peito, tinha se tornado o seu maior vício, e ele não sabia como se livraria daquele vício.

 

Horas se passaram, os dois apenas aproveitavam a presença do outro, não ousaram falar nada o tempo todo.

 

- Bom, acho que já está tarde. -Se manifestou a Haruno.

- É, vou te deixar em casa. -Sasuke pegou a chave que estava no bolso de Sakura. - E nem ouse reclamar.

- Tá bom. -Bufou Sakura se dando por vencida.

 

Os dois então saíram e foram em direção a casa de Sakura, o caminho tinha sido tranquilo, era um silêncio confortável, o medo de estragar a noite corria pelos dois.

 

- Bom, está entregue. -Disse Sasuke, reparando que já estavam no apartamento de Sakura, e a mesma assentiu e despediu-se sorrindo. - Obrigado, Sakura. -Agradeceu com seu tom de voz rouco de sempre.

- Ah, d-de-n-nada. -Gaguejou a rosada e saiu correndo dali.

 

Pegou seu molho de chave, girou e entrou no seu apartamento, se deparando com um Sai aparentemente cansado e fazendo um lanche da madrugada.

 

- Então ela foi mais intensa dessa vez? -Indagou Sakura maliciosamente.

- E como, aquela mulher é uma feiticeira e eu sempre vou me render aos encantos dela. -Confessou Sai. - E você feiosa, chegando tão tarde… -Disse Sai em um tom sugestivo.

- Nem começa. -Bufou Sakura. - E como foi a noite? -Perguntou se sentando no banquinho do lado de Sai.

- Foi a mais maravilhosa de todas. -O sorriso bobo de Sai evidenciava o quão apaixonado estava.

- Tão fofo, um bobo apaixonado. -Sakura apertou as bochechas do homem pálido.

- Falando nisso… vou pedir Ino em casamento. -Sakura se engasgou com a comida que tinha na boca e Sai a olhou bastante confuso.

- C-c-como? -Perguntou a rosada ainda sem acreditar.

- Eu vou pedir ela em casamento. -Sai pronunciou sílaba por sílaba.

- Isso é maravilhoso! -O ânimo na voz de Sakura era perceptível.

- E eu vou precisar da sua ajuda.

- Em que?

 

Então Sai contou seu plano, detalhe por detalhe, e como pretendia pedir a loira em casamento. Sakura estava feliz pela amiga, era hora dela e Sai finalmente ficarem sérios, quando o cansaço bateu em sua porta, Sakura despediu-se de Sai, e foi em direção ao seu quarto.

 

Os pensamentos sempre iam em direção a Sasuke, na noite em que eles estiveram, perfeita era a definição para ela, mas além disso, esperava que tinha cumprido a função, que era de ter feito o moreno relaxar. Após minutos pensando, sentiu suas pálpebras cansarem e dormiu.


Notas Finais


e isto


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...