1. Spirit Fanfics >
  2. Bitter love (Imagine Kim Taehyung) >
  3. A mesma vontade

História Bitter love (Imagine Kim Taehyung) - Capítulo 7



Capítulo 7 - A mesma vontade


Fanfic / Fanfiction Bitter love (Imagine Kim Taehyung) - Capítulo 7 - A mesma vontade


Mais um dia chato, ficar sozinha em casa é chato, a escola se tornou um lugar chato, eu não aguento mais ficar apenas olhando para as paredes!


Decido levantar minha bunda do sofá e fazer alguma coisa, mas me jogo no acolchoado novamente, pois não sei o que fazer.


"Se estiver entediada encha o saco dos vizinhos, é o que eles sempre fazem comigo."


Foi o que titia disse em nossa última ligação. Mas, como seria encher o saco de alguém? Vou jogar uma pedra na janela da vizinha, isso pode funcionar.


Me levanto e pego a maior pedra que encontro dentro de um dos vasos de plantas na varanda. Abro um lado da janela e visualizo meu alvo.


S/n: Apontar... Já! - Jogo a pedra mas acabo errando e acertando em alguém que estava correndo na rua. - Meu Deus, eu matei um homem! - Corro até o lado de fora para socorrer a pobre vítima de meu possível assassinato, será que vou ir presa?


Chegando lá, já havia um rapaz analisando a cena. Oh, não! Uma testemunha.


S/n: Me desculpe, eu não fiz por querer. Pretendia apenas acertar uma pedra na janela de minha vizinha rabugenta. - O rapaz se vira. - Você me persegue? Não é possível.


Taehyung: Você que acertou ele? - Concordo. - Obrigada, cosplay de smurf. - Não acredito que ele usou a cor do meu pijama para zoar minha altura. - Vem cá me dar um abraço. - Ele abre os braços e vem em minha direção, mas eu desvio.


S/n: Sai pra lá, grandalhão. E por que tá me agradecendo? 


Taehyung: Longa histór- 


- Maldito Kim, eu vou te pegar desgraçado! - O homem começa a gritar e o garoto se esconde atrás de mim.


Taehyung: Me esconde, ele quer me matar. 


S/n: Compartilhamos do mesmo desejo, por que eu interferiria? - Cruzo os braços com um sorriso nos lábios. 


- Vou acabar com você e com quem me acertou! 


S/n: Sorte sua que amo minha vida, vem! - Puxo sua mão e saio em disparada até minha porta.


[...]


S/n: Quem era aquele cara? - Entrego uma xícara de chá para o Kim.


Taehyung: Pai de uma garota que eu tava' ficando, a qual eu não lembro o nome. - Deu um gole. - Nossa. - Outro gole. - Que chá ruim, o que você colocou aqui dentro? - Bebe mais.


S/n: Gengibre deixa com um gosto amargo. Como assim não lembra o nome dela?  


Taehyung: É aquela clássica desculpa de professor, mais fácil aprender o nome de um indivíduo do que de dozentos pirralhos. - Termina de beber o líquido e deixa a xícara em cima da pia. - Só lembro que ela é louca, acredita que colocou o pai para ir atrás de mim, na minha casa?


S/n: Que merda você fez? 


Taehyung: Assumi namoro com a Hyuna, e não com ela. Agora estou sendo caçado vivo, e correndo o risco de ser castrado. - Caminho com ele até a sala.


S/n: Pensava que só eu te odiava, estava até começando a me sentir mal por isso, mas pelo visto me enganei, se mais pessoas te odeiam, o problema deve ser com você.


Taehyung: Ódio é distribuído de graça pelas pessoas, o que os outros acham de você não te define. - Me sento no sofá, mas ele permanece em pé.


S/n: Ótimo, já estou me sentindo mal de novo. Você é cruel! - Tapo meu rosto com as mãos.


Taehyung: Você é fofa. - Me levanta do sofá em um abraço apertado. 


S/n: Poderia, por favor me soltar? - Ele frouxa seus braços ao meu redor e me encara com aquele sorriso de sempre.


Taehyung: Não se sinta culpada por me odiar, se fosse ao contrário talvez eu nem gostasse de você tanto assim. - Sela nossos lábios rapidamente e me encara novamente. Oh, céus, o que ele acabou de fazer?! - S/n, você está bem? Nunca te vi tão vermelha. - Posso sentir meu rosto entrar em combustão, essa foi a maior aproximação da minha vida. 


S/n: Eu- O telefone começa a tocar. - E-eeh, com licença. - Saio de perto dele e corro até o aparelho grudado na parede. - Alô? Não posso falar agora, se for Titia, estou bem e te amo, se for qualquer outra pessoa me deixe em paz, obrigada, de nada. - Suspiro e volto até a sala, onde não tinha mais ninguém.







.

.

.


Notas Finais


Estou com sono, mas estou aqui.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...