História Bitter Revenge - Capítulo 34


Escrita por:

Postado
Categorias Aaron Carpenter, Cameron Dallas, Carter Reynolds, Hayes Grier, Jack & Jack, Jacob Whitesides, Mahogany LOX, Matthew Espinosa, Nash Grier, Nate Maloley, Sam "Wilk" Wilkinson, Shawn Mendes, Taylor Caniff
Personagens Aaron Carpenter, Cameron Dallas, Carter Reynolds, Hayes Grier, Jack Gilinsky, Jack Johnson, Jacob Whitesides, Mahogany LOX, Matthew Espinosa, Nash Grier, Nate Maloley, Personagens Originais, Sammy Wilkinson, Shawn Mendes, Taylor Caniff
Tags Aaron Carpenter, Cameron Dallas, Carter Reynolds, Hayes Grier, Jack & Jack, Jacob Whitesides, Magcon, Mahogany Lox, Mattew Espinosa, Nash Grier, Nate Maloley, Sammy Wilkinson, Shawn Mendes, Taylor Caniff, Wesley Tucker
Visualizações 121
Palavras 1.719
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, Ficção Adolescente, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 34 - Mine son


Fanfic / Fanfiction Bitter Revenge - Capítulo 34 - Mine son

Jeniffer


"Jen"

"Wes ?"

"Você que é a mãe desse menino?" Wesley perguntou me olhando incrédulo.

"Wes... eu...e-eu..." Tentei falar mas as palavras não saiam.

"Quando você ia me contar que tem um filho Jeniffer ?" Perguntou me encarando com um olhar acusatório e mais uma vez as palavras não vieram.

"Você não ia contar não é mesmo ? Não acredito que você teve coragem de me esconder isso." Falou indo em direção a porta.

"Espera." Pedi segurando seu braço.

"Me deixa Collins." Disse puxando seu braço e saiu da saleta acompanhado pela irmã.

"Nossa, se ele ficou assim só de saber que você tem um filho, imagina quando descobrir que é o pai do menino." Matt comentou.

"Por que você contou tudo pra ele logo Jen ?" Taylor perguntou enquanto eu abraçava meu filho tentando não chorar.

"Porque aqui não é o lugar pra isso." Respondi. "Eu vou pra casa." Avisei passando pela porta.

"Nós também vamos." Shawn disse pegando a bolsa que estava pendurada no meu ombro.

"Perdi alguma coisa ?" Cameron apareceu depois de um bom tempo sem dar as caras.

"Nada que seja da sua conta." Respondi irritada.

"Wow! Guarda as facas, só fiz uma pergunta." Disse levantando as mãos em sinal de rendição, o que me irritou mais ainda.

"Vai pro inferno Cameron." Gritei com ele.

"O que eu fiz gente ?" O idiota perguntou. 

"Cam, por favor, agora não é hora." Anna disse.

"Eu só quero saber o que aconteceu ?" Insistiu.

"O Tucker descobriu que a Jen tem um filho." Carter respondeu. 

"Então ele já sabe que é pai do Ian?"

"Não, ele não sabe." Respondi. "Agora cala essa droga dessa boca e me deixa em paz."

No caminho pra casa fui pensando na decepção que vi no olhar do Wesley antes dele ir embora, e as palavras de Matthew logo depois que Wes foi embora me atingiram com força, quando ele descobrir que é pai do Ian, ele vai me odiar e não vai me perdoar nunca por ter escondido isso dele.


Wesley


Não dá pra acreditar que ela escondeu algo tão sério assim de mim. Um filho, a garota que eu amo tem um filho e não ia me dizer nada.

"Por quanto tempo ela achou que poderia esconder isso de mim ?" Perguntei entrando em casa batendo a porta.

"Calma Wes, ela pode ter os motivos dela pra não ter te contado não, você não acha ?" Sarah disse.

"Que motivos ela teria pra esconder de mim que tem um filho ? Isso não faz sentido." Falei andando de um lado para o outro da sala.

"Talvez ela achou que você não fosse querer ficar com ela se soubesse sobre a criança." Argumentou.

"Não, eu não acho que seja isso... Você de novo não droga." Me irritei vendo uma mensagem do mesmo número desconhecido aparecer na tela do meu celular.


Desconhecido : Vc é mais devagar que uma tartaruga hein

Me : O que vc quer ?

Desconhecido : Dizer que vc ainda não se fez a principal pergunta

Me : O que ? Do que vc está falando ?

Desconhecido :  A pergunta certa é "Quem é o pai do pequeno Ian ?

Fiquei tão irritado ao descobrir que a Jeniffer tem um filho que não parei para pensar nisso, se ela tem um filho essa criança tem que ter um pai, provavelmente ela deve ter ficado grávida de algum brasileiro.  Outra mensagem. 

Desconhecido : Talvez assim fique mais fácil pra vc

Desconhecido : O pequeno tem um pouco mais de um ano e meio

Desconhecido : Faça as contas Tucker, vc é inteligente o suficiente pra saber que 1 1 é igual 2 

"O menino tem um pouco mais de um ano e meio, a Jeniffer foi embora daqui um pouco mais de dois anos atrás."

"Em que você está pensando Wes ?" Minha irmã perguntou e eu lembrei dela falando que ele era a minha cara. 

"Sarah aquele menino, aquele... garotinho, você acha que ele pode ser meu filho ?" Perguntei.

"Como você é lerdo, eu percebi isso no momento em que a Jeniffer entrou naquela sala." Respondeu com um tom de quem me achava um perfeito idiota por não ter notado isso antes.

"Ela não teve coragem de fazer isso." Falei transtornado saindo de casa.

"Wesley espera, aonde você vai ?"

"Tirar essa história a limpo." Respondi entrando no carro e saí cantando pneu.

Minha cabeça estava à milhão, um filho, eu posso ter um filho, se aquele garotinho for mesmo meu filho eu nunca vou perdoar a Jeniffer por ter escondido isso de mim.

Quando cheguei na rua onde ela mora parei em frente a casa mas simplesmente não consegui sair do carro, não sabia o que fazer se aquela suspeita se confirmasse.

Fiquei alguns minutos parado alí, olhando pra casa onde por várias vezes entrei escondido no meio da noite e então tomei coragem e fui até lá, toquei a campanhia e quem abriu a porta foi a própria Jeniffer, com uma expressão devastada no rosto.

"Quem é o pai dele ?" Perguntei antes dela dizer qualquer coisa.

"Eu ia te contar." Ela disse sem responder minha pergunta, o que confirmou minhas suspeitas, mas eu queria que ela dissesse com todas as letras, eu precisava ouvir a confirmação da boca dela, por isso perguntei de novo.

"Quem é o pai dele Jeniffer ?"

"Você." Respondeu chorando.

"Como você pôde fazer isso ? Como você teve coragem de esconder isso de mim ?" Gritei com ela que recuou alguns passos pra longe da porta.

"Ei, vocês podem discutir mais baixo ? O Ian está dormindo." Maria apareceu no alto da escada.

"Isso que você fez é cruel, eu tinha todo o direito de saber que tenho um filho, você é uma pessoa horrível Jeniffer."

"Não Wesley, você que foi uma pessoa horrível, ou já esqueceu de tudo que me fez ?" Questionou me olhando com mágoa e raiva nos olhos.

"Isso não justifica você esconder o MEU FILHO de mim."

"Justifica sim, você me humilhou, me mal tratou, me deixou literalmente no chão." Rebateu apontando o dedo pra mim. "O que você queria que eu fizesse ? Que eu contasse na frente de todo mundo que eu estava grávida ? Que você ia ter um filho com a esquisita da escola ?"

"EU TINHA O DIREITO DE SABER." Gritei sacudindo ela pelos ombros.

"Tire as mãos de cima dela." Mendes apareceu me empurrando pra longe da menina que chorava aos soluços. "Tudo bem Jen ?" Perguntou pra ela.

"Sim eu... eu tô bem Shawn."

"Se você tocar nela de novo..."

"Shawn, não. Por favor me deixa sozinha com ele." A morena pediu.

"Eu vou ficar lá em cima com as meninas, qualquer me chama." Deu um beijo na testa dela e saiu esbarrando em mim.

"Eu ia te contar." Jeniffer disse sentando no sofá. 

"E quando você pretendia fazer isso ? Quando ele já fosse adulto e você já tivesse enchido a cabeça dele de merdas a meu respeito pra ele me odiar ?" Acusei.

"Eu não sou o monstro aqui Wesley, você sabe disso, eu não sou a vilã dessa história."

"Isso não importa, você foi fria, calculista e mentirosa. Você brincou comigo, jogou com a minha vida e a vida de uma criança. VOCÊ NÃO TINHA O DIREITO DE ESCONDER MEU FILHO DE MIM."

"PARA DE GRITAR COMIGO, PARA DE APONTAR ESSE DEDO PRA MIM, VOCÊ NÃO SABE O QUANTO EU SOFRI DURANTE TODO ESSE TEMPO LONGE DAQUI, EU IA TE CONTAR NA DROGA DAQUELE DIA EM QUE VOCÊ E SEUS AMIGOS FIZERAM AQUELA CRUELDADE COMIGO." Gritou levantando de onde estava e começou a desferir socos em mim.

"PARA DE TENTAR JUSTIFICAR SUAS MENTIRAS JENIFFER, VOCÊ SABE QUE ESTÁ ERRADA." A segurei para que parasse de me bater.

"Pelo amor de Deus o que está acontecendo aqui ?" A mãe dela entrou na casa perguntando.

"Desculpa Jen, mas ele acordou e não para de chorar." Maria desceu as escadas com meu filho no colo, na hora não pensei em mais nada, só queria pegá-lo e abraçá-lo apertado e tentar recompensar todo esse tempo em que fomos privados de ficar juntos.

"Meu filho, meu filho." Falei tirando ele dos braços da Maria. "Acabei de te conhecer mas já te amo mais que tudo nesse mundo." O segurei firme em meus braços sendo invadido pelo melhor sentimento do mundo que é o amor de um pai pelo seu filho, e naquele momento eu só queria protegê-lo de qualquer coisa que o pudesse fazer mal.

"Aonde você vai ?" Jeniffer perguntou quando fui saindo em direção à porta.

"Eu vou levar ele pra minha casa." Respondi.

"Não. Você não vai levar ele, me dá meu filho aqui Wesley." Ela tentou tirar o menino de mim mas me afastei impedindo que conseguisse.

"Ficou louco ? Devolve o menino pra mãe dele Tucker." Mendes  disse fazendo um movimento pra tomar o Ian de mim, mas as meninas o segurou.

"Não Shawn."

"Você não tem condições de cuidar dele Jeniffer."

"E quem é você pra dizer se eu tenho ou não condições de cuidar do meu filho ?"

"A pessoa que encontrou ele sozinho, perdido no shopping hoje enquanto você fazia sabe se lá o que com seus amigos, você é uma irresponsável Jeniffer e não vou deixar o MEU FILHO nem mais um minuto com você." Falei saindo da casa.

"Devolve o meu filho agora Wesley, ou eu chamo a polícia." Ameaçou.

"Pode chamar, ele é meu filho também e tenho todo o direito de levá-lo comigo."

"Não é assim que as coisas funcionam garoto." A mãe dela disse. "Entrega o Ian e depois vocês conversam como pessoas civilizadas pra resolver essa situação."

"Não tem mais nada pra ser conversado aqui, eu vou levar meu filho comigo e pronto." Afirmei abrindo meu carro.

"Se você levar o Ian, eu chamo a polícia e digo que você sequestrou meu filho." Jeniffer disse com o celular na mão.

"Vai em frente, eu já disse, eu sou o pai e tenho direitos também."

"É mesmo ? Onde está escrito que você é o pai dele ?" Mendes perguntou. "Não tem nenhum papel que prove isso, então na lei você não é nada dele, o que configura sequestro se você levar o menino sem a autorização da mãe dele." Acrescentou tirando meu filho de mim o levando de volta pra dentro da casa.

"Isso não termina aqui Jeniffer, eu vou voltar pra buscar o meu filho e vou fazer isso com a ajuda da lei e você não vai poder fazer nada pra me impedir de levar ele." Avisei antes de entrar no carro e ir embora com o coração destruído por ter que deixar meu filho com uma mãe fria e irresponsável como ela.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...