História Bittersweet


Escrita por: ~


Sinopse:
Eu nunca imaginei que alguém pudesse me fazer tão bem com tão pouco, na verdade eu nunca imaginei que eu pudesse ficar tão dependente de outra pessoa da maneira como eu sou dele, de me trazer aquela sensação de “Porque eu não o conheci antes? Seria tudo tão diferente...” mas como ele sempre me dizia “Nos conhecemos quando deveríamos ter nos conhecido” e por mais que eu me revolte às vezes, eu acho que ele está certo...
Iniciado
Atualizada
Idioma Português
Visualizações 3.475
Favoritos 176
Comentários 33
Listas de Leitura 27
Palavras 20.294
Terminada Sim
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Rap Monster, Suga
Tags Hogi, J-hope, Suga, Sugahope, Yoonseok

Fanfic / Fanfiction Bittersweet
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Romance e Novela, Slash, Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Lista de Capítulos

Capítulo
Palavras
1.
Prólogo
4
880
1.807
 
2.
Im Still In Love
3
589
3.127
 
3.
Im Still Falling
4
489
3.874
 
4.
Im still loving you
3
487
3.769
 
5.
Im Still Not Over You
7
572
6.844
 
6.
Im Still Alive But Im Barely Breathing...
12
458
873

Gostou da História? Compartilhe!

Comentários em Destaque

Postado por ~azul46
Capítulo 6 - Im Still Alive But Im Barely Breathing...
Usuário: ~azul46
Usuário
Eu nem de longe estava pensando em ler essa fanfic hoje. Na verdade, na minha cabeça estava anotado mentalmente que um dia eu teria de lê-la, mas não era para ser hoje. Acontece que o seu aniversário está chegando e uma série de coisas entraram na minha cabeça assim como uma ventania entra em uma casa, abrindo as janelas com violência e derrubando todas as coisas das prateleiras. Eu planejava te escrever uma carta e mandar junto com os presentes, mas agora vejo que posso fazer isso por aqui mesmo. Como autora sei que comentários são sempre bons e nos fazem bem, ainda mais se são compridos, sinceros, cheios de emoções verdadeiras e principalmente, escritos por pessoas que gostamos. Talvez eu esteja misturando coisas que não tem muito a ver, mas eu mesma nunca fiz muito sentido, então, vamos lá.

Vim ler essa fanfic hoje apenas por um motivo, esse relacionado a seu presente de aniversário. Mesmo te conhecendo por pouco tempo, saiba que você tem um lugar especial no meu coração. Não sei se eu já disse isso antes, mas se já disse, repito: eu me apego muito fácil às pessoas. Tenho dificuldade para me relacionar com pessoas por causa de traumas passados e ainda mais dificuldade em vê-las se distanciar. Comentei com você que eu desgosto muito facilmente das pessoas também... É, sou meio confusa. Talvez seja por isso que quando eu conheço alguém que eu realmente goste, tenho um medo colossal que ela vá embora. Comentei que tenho muito ciumes das pessoas, não se lembra? Pois é, isso faz parte do meu medo de que elas me deixem. Também faz parte da minha carência insuportável de atenção que você bem conhece. Enfim, tenho pouquíssimas pessoas queridas por mim e que me tem como pessoa querida também. Você é uma delas, apesar do pouco tempo de conhecimento que temos. Você cuida de mim e se importa comigo. No começo achei que fosse apenas uma tarefa que recebera de outra pessoa muito importante para mim, mas (acho eu) que não é só isso. Sou muito grata por sua amizade e, mais do que isso, sua compreensão e paciência comigo. Sim eu preciso de atenção constante e sim isso é insuportável. Porém, você me ajuda e me trata como o filhotinho desgarrado que eu sou - mesmo que eu diga que não. Voltando a fanfic, eu vim lê-la por que me senti tocada e com vontade de agradecer a todo o carinho que você tem por mim, de cuidar de mim, de ler minhas coisas e de comentar mesmo tendo que criar forças para isso. Podem ser pequenas coisas mas eu sou muito grata. Disse agora pouco que eu chorei com Bittersweet, sim eu chorei e já havia parado, mas agora comecei outra vez mas não por causa da fanfic. Pode ser assustador ter uma pirralha no seu pé, chorando enquanto escreve um simples comentário de uma simples fanfic. Eu sei. Também me assusto com a avalanche de sentimentos que eu tenho todos os dias. Também sei que sempre falamos "eu te amo" uma para a outra e eu falo isso direito para outra pessoa. Claro que falamos de um jeito brincalhão, sei disso. Mas pode ter certeza que por trás das brincadeiras eu estou sendo sincera. Poucas são as amizades que me fazem sentir segura, querida e com a certeza de que a pessoa não vai me largar como tantas fizeram. Não sei se é realmente assim, mas eu me sinto assim se tratando da sua amizade. Eu te amo de verdade, você é uma amiga importante para mim. Escondo muitas coisas e guardo muitas outras, tenho motivos bobos e outros nem tanto para ser assim, mas isso tudo não cabe aqui. Só quero que saiba que em meio a tantas amizades desastrosas tenho a sua como uma das que deu certo, mesmo que assim tão, repentina...? Diria que você é uma das amigas que eu tenho como mais preciosas mesmo conhecendo por tão pouco tempo. Estranho não é? Morro de vergonha de um dia te conhecer propriamente, o que é besteira já que devia aproveitar ter feito uma amiga que mora perto de mim. Enfim, já escrevi demais e eu nem comecei a falar da fanfic ainda.. Céus. Digamos que é outra parte do meu presente.

Agora finalmente falando sobre a fanfic... Lucy, por onde eu começo? Eu vim ler essa fanfic pensando em outra coisa completamente diferente. Quando você me disse para ler quando eu estivesse de bom humor, não imaginei que fosse algo assim. Sabe quando você tem certeza que as coisas vão piorar, mas simplesmente ignora e diz para o seu cérebro que tudo vai ficar bem? Quando as coisas estão indo tão bem que nem parece ser verdade. Eu me senti assim lendo essa fanfic. Já comentei que adoro ler estórias tristes apenas para chorar em meu travesseiro pelas madrugadas, como se dentro de mim não tivesse tristeza suficiente. Mas como já disse, yoonseok é diferente. Eu me coloquei inteiramente dentro desse enredo tão simples e mesmo assim tão intenso. É clichê o que vou dizer, mas pude me ver dentro da estória como se eu estivesse lá observando tudo. Na verdade, me coloquei como se eu mesma fosse Hoseok, já que acontecem essas coisas quando eu leio fanfics narradas em primeira pessoa. Pois bem, estava tão feliz por Hoseok ter conhecido Yoongi. Claro que eu já esperava que isso acontecesse, porque, dur, é uma fanfic yoonseok e é obvio que vão se conhecer, apaixonar e etc. Sabemos disso quando vamos ler uma fanfic, claro que sabemos. Mas, as fanfics boas são aquelas que nos fazem esquecer disso e ficar tão mergulhadas na estória que nos vemos torcendo para que as coisas aconteçam, mesmo sabendo que vão acontecer. Da mesma forma que torcemos para que elas não aconteçam, mesmo sabendo que as a estória deve chegar em seu clímax, sendo esse feliz ou triste. Costumo dizer que as estórias boas são aquelas que você odeia o final, detesta, tem vontade de surrar a autora. Por quê? Ora, porque você não esperava aquele final. Que graça tem ler algo e no final ser bem aquilo que você queria/ esperava que acontecesse? Gosto das fanfics que me deixam horas pensando, irritada, triste, largada em um canto pensando em como reagir. No caso de bittersweet, eu esperava um final feliz. Isso até eu descobrir que Yoongi tinha tal doença. Eu estava tão imersa no romance dos dois que nem me toquei que Yoongi podia ter algo assim. Tá, sabia que algo ruim tinha acontecido por causa da narrativa, mas estava tão cega que a noticia me atingiu assim como atingiu Hoseok. Engraçado isso, não? Posso dizer que fiquei triste da mesma forma, porque conclui que não leria mais aquelas cenas bonitas dos dois, que apenas leria tristeza e meu coração se encheu de angustia tal como o de Hoseok. Queria parar de ler naquele ponto que eu tirei a foto, queria mesmo. Queria apenas passar os olhos pelo resto e ir te xingar, mas me acalmei e me prestei a ler o resto. Já que você se preocupou em escrever, é importante. Minhas duvidas foram sanadas e a dor no peito deu uma aliviada. Já esperava que a vida deles mudasse, mas me surpreendi com o amor sincero que dividiam mesmo sabendo que não duraria muito. Quando se gosta de alguém, se aprende a gostar até de seus defeitos. Hoseok disse que o jeito bagunçado de Yoongi não o incomodava, tampouco sua mania de não comer e, no fim, sua doença. Os dois compartilhavam o mesmo desgosto de incitar pena nas pessoas. Acho que talvez foi um dos motivos que levou Yoongi a não contar nada para Hoseok, além dos que o garoto pálido citou. Apesar de diferentes, eles compartilhavam esse sentimento. Obviamente Hoseok se sentiu abalado com tudo isso, chorando pelos cantos sempre que precisava. Afinal, como se sentir bem e viver normalmente sabendo que o amor da sua vida poderia não acordar vivo ao seu lado no dia seguinte? Besteira pensar que poderiam viver uma vida normal, mas eles tentaram mesmo assim, porque o amor é mais forte que isso. Inevitavelmente Yoongi deixou este mundo, e é claro que foi dolorido. Perder alguém sempre é dolorido. Pessoas que passam por nós deixam marcas. Costumo comparar essas marcas com feridas, machucados. Gostar de alguém é bom, mas não de tudo as mil maravilhas. Amar é sofrer, é sentir dor. Quando mais você ama alguém, mais aquela pessoa te marca, te finca uma lâmina no peito cada vez mais fundo. Porém, você não sente porque o amor anestesia essa dor. A ferida começa a doer quando as pessoas partem e essa anestesia se esvai. Quanto mais profunda a ferida, mais demora para cicatrizar. Um dia ela para de sangrar, mas a cicatriz fica lá marcada para sempre. Assim são as pessoas que amamos, nos deixam marcas quando partem, e essas, doem sempre que lembramos. Pode doer muito no começo, mas com o passar do tempo você olha para aquela marca e lembra de memórias felizes, uma dor boa. Mesmo nos machucando, não podemos deixar de amar. O seu humano nasceu para amar e ser amado, machucar e ser machucado. Precisamos de amor, somos movidos a isso, mesmo sabendo que é motivo de nossos tropeços.

Amor é controverso, é dor, é calor, é bipolar.

É agridoce.

Queria poder dizer muitas mais coisas, mas como só comentei no ultimo capitulo, tudo ficou condensado nessas palavras que talvez nem façam sentido. Como li no primeiro capitulo, as coisas acontecem quando tem que acontecer. Acredito que não li essa fanfic antes porque ela tinha que ser lida agora. Espero que depois de tudo isso você consiga tirar algo de proveitoso desse comentário. Ah, já parei de chorar faz algum tempo, não se preocupe. Também vou deitar logo que acabar de escrever e não posso te prometer que vou dormir cedo, porque quero ler mais alguma coisa antes de dormir (como sempre).

Ah, acho que não vou dizer mais nada. O que eu não disse com palavras, está dito nas entrelinhas e sei que você entenderá. Gostei muito dessa fanfic, pelos motivos que já disse e por vários outros que deixo sua imaginação pensar sobre. Obrigada por escrevê-la. Obrigada por me aguentar. Obrigada por ser você mesma e por ser minha amiga. Eu não mereço essa atenção, carinho e amizade.

Espero ler mais coisas suas, não só para retribuir sua atenção às minhas, mas porque gostei do fundo do coração.

Eu te amo, até mais <3
Postado por ~gayh0pe
Capítulo 5 - Im Still Not Over You
Usuário: ~gayh0pe
Usuário
Odeio esquecer o que comentar, talvez seja porque você sempre me mata um tantinho e esqueço-me de ressuscitar. Como se tornou um costume por adorar ler milhares de vezes todos os capítulos e ficar sem palavras com cada um deles e nunca consigo acrescentar algo que eu sinto que eu tenha esquecido.
Foi por pouco tempo que resolvi achar uma fic de meu agrado sobre meu otp, pode ter sido coincidência achar essa e ficar encurralada em meus próprios sentimentos com o prólogo. Por que diabos me sentiria assim? Por que foi algo que me pegou desprevenida querendo saber um pouco mais sobre o que aconteceria ao decorrer. Desde que Hoseok recitava lembranças do seu passado mostrando o fracasso de agora. Um garoto que quando criança não tinha nem mesmo amor próprio, e nem por sua mãe que nem eu sei se tentava agir como uma. Bebia, fumava e se lamentava por ser o errado, por ser o incerto e o inútil disso tudo. Mas foi só conhecer uma pessoa de pele extremamente pálida com um encantador sorriso gengival para sua vida se encontrar no eixo certo. Aquele que não acreditava no amor, aquele que achava que todas as pessoas são iguais e filhos da puta. Aquele que não tinha esperança. Uma pessoa apareceu para mostrar o contrario virar o seu mundo de cabeça pra baixo voltar na mesma direção que a sua. Que existe amor e a paz plena, e isso bastava apenas correr atrás e procurar. Talvez fosse o acaso que os uni-o. Talvez fosse o destino. Talvez fossem eles mesmo que seguiram o mesmo caminho, seguiram as mesmas pistas e se esbarram por acaso. Foi o pequeno garoto pálido que lhe mostrou que existem pessoas boas no mundo, e ele foi uma delas. Cuidou das feridas que nunca se cicatrizavam, as costurou com o seu amor. A vida vale a pena quando você tem a oportunidade de muda-la. Hoseok é como um enigma como todo enigma tem seu mistério, Yoongi foi o detetive desse caso. Yoongi seguiu as pistas, cada pista havia um obstáculo, atravessou o medo, a falta de confiança, o mundo e achou algo mais precioso que nenhum outro detetive poderia achar, que em nenhum outro museu pode se possuir uma peça tão rara, o coração do Hoseok. Yoongi era a luz do fim do túnel obscuro preenchido com as magoas do Hoseok, Yoongi não foi só uma pessoa qualquer ou de pouca importância do pequeno. Foi o seu primeiro amor, mostrou que o errado do Hoseok pode ser o certo, que todo espinho esconde e protege uma bela e magnifica rosa. E eu acho sim que a vida do Hoseok valeu a pena pelo menos uma única vez. Ele sentiu o amor, a confiança, o afeto, os mimos, a paixão e descobriu o amor verdadeiro. Sua vida pode continuar e ter sido um fracasso, a cada fracasso novos erros, a cada novo erro uma oportunidade, a cada oportunidade uma única chance. Ele aproveitou essa chance da melhor forma possível. Foi amado e amou. Protegeu e foi protegido. Cuidou e foi cuidado. O fez feliz e foi feliz. A felicidade as vezes dura eternamente e as vezes dura pouco, mas quando se aproveita cada pequena coisa dela, faz que tudo quando se tem o seu fim, valer a pena. Eu te entendo Yoongi, mesmo com essa doença você não queria trazer mais um problema pro Hoseok, você mesmo sabia o quanto ele é uma pessoa problemática. Nada podemos fazer quando nossos caminhos já são escritos e escolhidos. Você foi o azul que preencheu com todas as cores infinitas do universo o céu do Hoseok.
Podemos ser felizes mesmo com tão pouco.
Perdão por escrever nada com nada e por ser tão confuso, eu não consegui segurar as lágrimas ate o final mesmo que eu ame finais assim. Fico a pessoa mais sensível do mundo com essas coisas. De verdade, essa fanfic foi uma das coisas mais lindas que já li. Refleti, senti, amei cada detalhe dela, amei cada personagem incluído, afaguei a dor dos mesmos com a minha. Senti desespero, senti felicidade, e senti algo sendo arrancado agora junto com minha alma pelo fim. Tenho que me acostumar, todo começo de uma história sempre tem o começo, meio e o fim. Eu poderia dizer em voz alta cada fala decorada em minha mente, eu poderia dizer em voz audível o quanto você é uma rapariga. Obrigada de verdade por compartilhar essa estória magnifica com seus leitores que comentaram e até mesmo os fantasmas. Você está de parabéns, estou sem palavras.