1. Spirit Fanfics >
  2. Bittersweet Tragedy >
  3. Capítulo 1

História Bittersweet Tragedy - Capítulo 2


Escrita por:


Notas do Autor


yaaay

eu não sei o que falar aqui até por causa do horário e eu já tô com sono, mas vamo lá

não esperem nada de revelador nesse capítulo pois é apenas um resumo sobre como Danny e Jorel tiveram o primeiro contato, tá bem mixuruca mesmo

é isso, espero que gostem e boa leitura

Capítulo 2 - Capítulo 1


Jorel definitivamente era a pior pessoa quando tratava-se de expressar seus sentimentos, essa pode ter sido a principal razão pela qual ele não foi capaz de manter um relacionamento decente nos últimos meses. Mas recentemente, ele descobriu algo sobre si mesmo que nunca teria esperado. Ele realmente amava um certo alguém e esse alguém era obviamente o vocalista deles, Danny Murillo. 

Não foi algo que ele previu, simplesmente aconteceu e os sinais já existiam há um bom tempo.

Na primeira vez que aconteceu, eles estavam no palco e o show deles estava indo muito bem. O público estava agitado, o resto da banda estava animado e estava sendo uma noite incrível. Durante uma pequena pausa, Jorel observou Danny andando pelo palco cantando com um sorriso no rosto e tentando ficar um pouco próximo dos fãs, certamente Danny era um cara que qualquer um poderia admirar.

O problema era que Jorel o adorava um pouco demais.

Quando o refrão de Jorel começou ele entrou em ação, movendo-se para mais perto da borda do palco enquanto cantava, ao fazer isso, ele se agachou, ficando a alguns metros de distância da barricada de fãs.

Uma coisa sobre fazer shows era o fato de torná-los todos muito impulsivos. A adrenalina bombeava em suas veias e o suor estava praticamente escorrendo de seus rostos. Jorel terminou sua parte e recuou em seguida enxugando sua testa com a manga do suéter. A maioria das pessoas tiraria o suéter neste momento, mas ele era teimoso pra caralho e honestamente não tinha vontade.

Ele pôde ver Danny caminhando para o seu lado do palco, tão radiante como sempre. Essa era uma coisa que Jorel gostava nele, ele amava como Danny era.

Danny ficou ao lado de Jorel e passou o braço em volta de seus ombros enquanto ele continuava a cantar, Jorel podia sentir seu coração batendo forte e a mão em seu ombro parecia um ferro em brasa, ele não estava preparado para o que aconteceu a seguir, no entanto, depois que o refrão de Danny terminou o mesmo virou a cabeça para o lado e deu um beijo desleixado na bochecha de Jorel, rindo um pouco antes de voltar para seu lugar.

Foi quando ele congelou.

Suas bochechas ficaram vermelhas e Jorel olhou para o chão segurando o microfone com tanta força que os nós dos dedos começaram a ficar brancos. O que significava isso? Danny estava bêbado? Ele tinha que estar bêbado. Ou ele só tinha feito uma merda aleatória no calor do momento, talvez tenha sido só isso.

Mais tarde, nos bastidores, Jorel suspirou baixinho tirando seu suéter e colocando-o sobre o ombro. Agora, ele tinha que decidir entre duas opções.

1. Ele poderia evitar Danny completamente pelo resto da noite e, caso tivesse sorte, não sentar-se perto dele no avião.

2. Ele poderia abordá-lo casualmente e trazer à tona o beijinho na bochecha que aconteceu. 

A escolha número um fazia muito mais seu estilo. Era mais fácil evitar alguém do que trazer à tona momentos estranhos de qualquer maneira, entretanto, para sua sorte (ou azar),  Danny acabou se sentando bem ao lado dele. Pelo menos Jorel acabou ficando no assento da janela e poderia fingir que olhava pela janela. O vocalista se acomodou e (como esperado) cutucou no braço de Jorel. Ele tentou ignorá-lo a princípio e torcer para que Danny largasse o assunto e encontrasse outra coisa para fazer durante o tempo de viagem. 


Jorel não queria ser rude nem nada, a cutucada persistiu e Danny não planejava aceitar um não como resposta.

O que foi? Jorel retrucou, balançando a cabeça imediatamente, os olhos de Danny se arregalaram com a explosão repentina.  Desculpa.  ele murmurou em seguida esperando que isso pelo menos amenizasse o clima pesado. 

Você tá bem? Danny perguntou.

Jorel queria entender o por que dele estar tão preocupado consigo o tempo todo? De fato, eles eram amigos e tudo, mas Jorel poderia cuidar de si mesmo.

Sim. Estou bem. Só cansado. Minha cabeça dói um pouco.

Quer um beijinho pra melhorar?  Danny provocou, Jorel quase disse 'não' mas se conteve, lembrando que havia outras pessoas por perto e não seria uma boa ideia. 

Hm... tá tudo bem, vai passar. Jorel gaguejou enquanto falava, mas Danny estava completamente alheio a tudo o que ele falava.

Ah, tudo bem. Foi mal, eu só tava brincando. Danny respondeu meio desconcertado e encolheu os ombros em seguida.

Agora Jorel se sentia mal. Ele era 100% favorável a Danny beijando sua bochecha novamente. Ele revirou os olhos e passou a olhar para a janela.

Mais tarde, ele se despediu de Danny antes de deixar o aeroporto, ficando com a imagem do mesmo sorrindo em sua cabeça durante todo o caminho para casa.


▪▪▪


Na segunda vez, já haviam se passado pelo menos cinco meses desde o primeiro incidente quando Jorel foi convidado a uma social na casa de George e ele tinha a exata consciência de que não haviam apenas drogas lícitas naquela residência. Sexo, drogas e muito rock’n’roll eram os elementos que nunca faltavam nas festas dele (deixavam a festa completa, pelo menos para si), não que ele seja um viciado, eram coisas que apenas o deixavam extasiado e completo.

Era o que o deixava feliz, sua vida já não colaborava em muita coisa, uma vez que seu irmão havia cometido suicídio quando Jorel era adolescente e quem havia o criado era seu pai, alcoólatra.

Já passavam das três da manhã, Jorel se encontrava sentado na calçada em frente a casa, fumando um cigarro. Uma garrafa de uísque Red Label era o que o acompanhava, sua melhor amiga nas horas mais insanas.

Dylan sumiu para dentro da casa e ele ficou conversando com Danny, eles já estavam para lá de bêbados. Jorel nem tanto porque estava bebendo menos, mas Danny sim, já que ele não teria o trabalho de dirigir para casa porque Jorel havia lhe oferecido uma carona na volta, então ele tinha que pelo menos ficar em pé sem cair. Jorel estava enxergando tudo normal e conseguia controlar seus pensamentos ainda, então significava que ele ainda estava bem.

As tantas merdas que falavam e que seriam capazes de encher uma enciclopédia não contavam como índices de “alcoolismo” porque eles falavam merda na maior parte do tempo.

E estava realmente tudo muito bem, descontraído, até a noite divertida virar de cabeça para baixo.

Depois de algum tempo Danny pediu para ir com ele buscar mais cerveja no mercado próximo dali, Jorel o seguiu até seu carro e pediu para dirigir, não iria entrar no carro com um cara bêbado. O mercadinho era perto Danny foi rápido ao escolher várias caixas de cerveja e pagá-las no caixa, Jorel deveria ter prestado mais atenção ao modo como ele o olhava. Deveria.

Foi logo após deixar a última caixa no porta-malas e abaixar a tampa, não teve clima ou longas olhadas, Danny apenas segurou Jorel pela lapela da camiseta que estava usando e puxou-o para perto, chocando seus lábios com força. Era a primeira vez que Jorel beijava um cara e foi completamente estranho ele ser a pessoa forçada contra o carro e ter os cabelos puxados. Danny deslizou a língua pelo seu lábio e o instinto de Jorel foi deixá-la passar, algo no fundo da sua cabeça mandava ele empurrá-lo, mas sua curiosidade estava falando mais alto e assim que suas línguas se tocaram ele não teve qualquer sentimento mais profundo a não ser tesão quando Danny apertou-o ainda mais contra o carro.

Eles se beijaram por alguns minutos e poderiam ter continuado se não fosse o empurrão assustado que Jorel deu quando Danny encostou no seu pau por sobre o jeans.

— Desculpa... — Danny murmurou parecendo desconcertado. Jorel notou o volume em sua calça e logo percebeu que Danny não estava muito diferente.

— Olha, eu… Eu não sou gay. — foi tudo que conseguiu dizer um pouco chocado por sua própria reação.

— Eu também não sou. — Danny abriu um sorriso sacana e voltou a se aproximar selando brevemente seus lábios. — Gosto e muito de mulher, mas você e essa sua carinha me dão um puta tesão.

Jorel engoliu em seco um pouco confuso.

— Nós precisamos voltar, eles estão esperando a cerveja. — respondeu sem jeito antes de se enfiar dentro do carro e ficar em completo silêncio esperando-o. Logo Danny entrou e continuou calado.

Um pouco depois, quando chegaram. Jorel estava tirando as caixas do carro e Danny estava ao seu lado lhe ajudando, quando sussurrou para ele antes de seguir para dentro da casa:

— É nosso segredo, você sabe onde me encontrar quando quiser.

Jorel não respondeu, apenas o observou seguir confiante por entre as pessoas, ele precisou tomar um tempo antes de levar tudo para cozinha, onde não encontrou sinal de Danny.

E a partir daí as coisas só pioraram.


Notas Finais


é :/


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...