1. Spirit Fanfics >
  2. BJ Jungk - JIKOOK >
  3. Não sou eu quem ele quer

História BJ Jungk - JIKOOK - Capítulo 14


Escrita por:


Notas do Autor


Boa leitura 💙

Capítulo 14 - Não sou eu quem ele quer


Fanfic / Fanfiction BJ Jungk - JIKOOK - Capítulo 14 - Não sou eu quem ele quer

Com o coração acelerado, toquei a campainha do apartamento do JungKooK.

— O-Olá. – Gaguejei um pouco nervoso assim que ele abriu a porta e me viu, entrei e fechei a porta. — Desculpa incomodar você no seu dia de folga.

Jun se jogou no sofá e eu respirei fundo antes de falar.

— Tem algo que eu quero fazer hoje. Posso te pedir um... favor? – Vai jimin, você consegue.

— O que é? – Ele perguntou sem interesse.

— Bem... Hã... Eu. – Apertei as minhas mãos em nervosismo. — E-Eu estava esperando que você fizesse um show particular para mim hoje.

— V-Você quer que eu faça o que? – Jun perguntou surpreso.

— E...! Claro que eu não estou dizendo de uma transmissão ao vivo. Digo, talvez uma chamada de vídeo. – Tentei explicar.

— Eu não quero. – Ele respondeu com uma expressão fechada. — Você quer que aja como se estivesse fazendo um show? Por que diabos você quer isso?

— P-Porque... – Respirei fundo antes de responder. — Eu acho que essa é a minha fantasia sexual. – Abri a minha mochila e tirei de dentro dela um pênis de borracha. — Enquanto o Jungk faz a transmissão, eu quero ir para o outro quarto com isso. Enquanto assisto o show... Eu quero enfiar esse d-dildo... em mim. E eu adoraria que o Jungk me chamasse de mochi. – Tapei o meu rosto corado pela vergonha. — Aíshi, o que eu estou dizendo?

JungKooK encara Park sem acreditar no que ouviu.

Fantasia sexual? Dildo? O que diabos deu nele para querer isso? O RM ensinou essa coisas para ele? Onde mais o jimin... Que porra eles conversaram? – Jun pensou.

— Então você quer que eu chame o seu nome enquanto olho para a câmera? – Jun perguntou com certo tédio na voz. — Parece ser bem chato, só é divertido para você.

— A-Ah! Você tem razão. – Meu rosto corou e quase me arrependo de ter pedido isso. — E-Esquece, eu só...

— Que tal o Jungk se sentar aqui e te assistir... – Jun disse cruzando os braços. — Enquanto você fode o seu cuzinho com esse dildo? Isso parece mais divertido.

— O quê? – Falei ainda sem acreditar.

Caminhamos até o quarto de transmissões em silêncio. Ele se sentou na cadeira de frente para mim e ficou me encarando.

— Faça. – Ele mandou.

— Você pode colocar a máscara do Jungk? – Pedi com o rosto corado e comecei a desabotoar minha calça.

— Porra. – Ele resmungou pegando a máscara e a colocando no rosto.

Com o coração a mil, abaixei a minha calça junto com a boxer até às coxas. Segurei um gemido que me queria escapar assim que comecei a masturbar o meu membro já ereto na sua frente.

— Hey, quando você vai enfiar esse pau em você? – Jun perguntou com as pernas cruzadas e a mão apoiada no rosto. — E você não vai tirar a roupa?

— O que? Ah... – Estou nervoso.

— Anda logo e enfia. Você disse que era sua fantasia. – Ele disse me fitando com um olhar duro.

Respirando fundo algumas vezes, terminei de tirar a minha calça e a boxer, e a minha camisa, ficando praticamente nú na frente.

Peguei o lubrificante de dentro da mochila e derramei um pouco nos meus dedos, levando até a minha entrada. Inseri um de cada vez me alargando um pouco.

Já preparado, derramei mais um pouco de lubrificante no dildo é passei a me penetrar, mordi meu lábio contendo o gemido ao sentir isso dentro de mim.

— Abra mais suas pernas. – Sua voz rouca mandou.

Fiquei com as pernas um pouco mais abertas permitindo que ele veja tudo, sem perde qualquer ângulo. Gemidos escaparam da minha boca assim que eu aumentei a velocidade do dildo, me estocando com força. Assim que senti o meu limite próximo, fui o tirando com cuidado de dentro de mim

— Hey, não tire. – A voz do jun me fez parar. — O RM te ensinou tudo isso?

— O-O que? N-Não. – Arregalei um pouco os olhos e ele se levantou vindo até mim.

— "Não", o caralho. – Apoiou uma das mãos ao lado da minha cabeça, me encarando com uma expressão de raiva. — Eu sei que vocês se encontraram. O RM te chamou para fazer o show com ele?

— Fazer o show com ele? Do que você está falando? – O encarei assustado sem entender nada. — N-Não foi isso que aconteceu...! – O encarei desabotoar a calça e livrar o membro duro de dentro e se aproximar da minha entrada que tinha o dildo dentro ainda— J-Jun espere, o que você vai fazer?

— Se você... – Ele disse raspando o membro na minha entrada. — Gosta do Jungk...– Pressionou a glande. — Você gosta do RM também. – Se enfiou por inteiro dentro de mim junto com o dildo. — Isso deve ser o que você mais quer.

— Não! Para com isso. – Gemi alto ao sentir-lo atingir a minha próstata.

— Arg. Você está muito apertado. – Ele disse entre dentes e começou a se mover.

— E-Eu não vou aguentar. – Falei soluçando, a pressão sentindo os dois era muito para mim. — T-Tira logo.

— Por que eu deveria? Se você quer foder com o RM, precisa lidar com algo assim. – Ele continuou a se mover rápido e forte. — Se você quiser, pode sair com todos os outros BJ'S também.

Isso doía. Lágrimas começaram a deslizar pelo meu rosto, eu não aguentava mais. Cravei as minha unhas em seus ombros cobertos pela camisa, descontando o que eu sentia.

— Eu achei que você fosse um nerd quietinho, mas acho que você é do tipo que...

— Não e nada disso. – O interrompi com o meu grito. — O RM quer outra pessoa.

— Quem? – Jun parou de se mover e perguntou com a respiração ofegante.

Seokjin..!

                         °°🍒°°

Flashback on

Sentando em um banco de um bar gay com um copo de whisky na mão. Namjoon olhava em volta tentando achar alguém para essa noite. 

Eu esperava fisgar alguém, mas parece que estou falhando novamente essa noite.

— A conta por favor. – Pedi frustado. 

Antes de ir embora fui até o banheiro e parei na porta encarando um rapaz sentado do chão, parecia estar dormindo de bêbado.

Ele deveria aprender a se controlar.

— Huuuaaaa. Estou tão bêbado. – Ele começou a rir. — Aqui parece tão legal. Hey, você! Sr. Bonitão. – Me encarou soluçando. — Você poderia me ajudar a chegar em casa?

Eu? "Senhor"?

— O que? – Falei ainda surpreso.

— Cara, algum babaca que eu não conheço disse que me pagaria uma bebida, então eu aceitei... – Ele começou a rir outra vez. — E foi tipo, BAM! De repente eu estava totalmente confuso.

— Ahh... Eu vou chamar alguém que trabalha aqui para ajudar. Você se vira depois. – Falei dando um suspiro cansado.

— Não!! O cara que trabalha aqui também está envolvido. – Ele começou a fazer birra. — Aquele maldito pediu para batizar a minha bebida para poder se aproveitar de mim. E eu vi claramente aquele cara colocando alguma coisa dentro dela. Se eu sair desse banheiro, ele vai me arrastar para algum motel.

O encarei durante um tempo até decidir ajudá-lo.

— Onde você mora? Chamarei um táxi para você. – O puxei pelas mãos o fazendo ficar de pé. — Se apoie em mim.

— Nossa, senhor, você é um cara muito legal. – Soluçou. — O mundo está cheio de pessoas legais como você, mas por que eu só me atraio pelos merdas? – Ele virou o rosto e me encarou. — Você também é um deles?

— Eu pareço do tipo que faz isso? – Arquei uma sobrancelha.

— Então... – Ele ficou na ponta dos pés e disse. — Quer se divertir comigo essa noite?

O encarei incrédulo até escutar uma risada sua

— Brincadeirinha. – Ele sorriu.

O ajudei até a saída do bar e chamei um táxi, este que não demorou muito para chegar e o levar para casa.

— Ele é fofo. – Falei vendo o táxi de distanciando.

Acho que eu estava totalmente interessado nele, porque continuei pensando nele depois daquela noite. Fui ao mesmo bar novamente, mas não o vi por lá.

Então eu disse para mim mesmo que não era para ser. E me esqueci dele.

Algum tempo depois, eu estava assistindo uma transmissão do BJ Jungk, ele era cheio de energia e com certeza encontrou alguém. Eu estava entediado, talvez me encontre com ele.

Marcamos de nos encontrar em um cafeteria perto da faculdade que ele estuda.

— Me pergunto onde posso encontrar alguém de confiança... – Parei de falar assim que os meus olhos focaram no garoto do balcão.

Oh! É ele.! O mesmo garoto do bar.

Eu não tinha visto antes por que tinha outra pessoa no caixa.

— E aquele garoto do balcão, nada mau, não é? – Falei com um sorriso no rosto.

Terminando a nossa conversa, fui até o balcão.

— O café estava delicioso. Vocês devem ter excelentes grãos de café aqui. – Agradeci ao garoto que me atendeu.

— Ahh, obrigado. – Ele respondeu com o rosto um pouco corado.

Olhei para o garoto do bar e sorri para ele, que me encarou confuso.

Eu acho que ele não se lembra de mim. Está totalmente diferente daquela vez que estava bêbado.

Me perguntei como aquela expressão orgulhosa quando eu acabasse com ele. Só de pensar nisso me deixou tão excitado que os outros submissos não conseguiam me satisfazer.

Continuei tentando como tê-lo em minhas mãos. E no fim acabou acontecendo de uma inesperada.

Ah então, o outro garoto que trabalha com ele e o parceiro sexual do Jungk. Eles são horríveis em disfarçar. É realmente fofo.

Eu deveria fazer amizade com esse garoto para obter mais informações sobre ele.

— Ah, jimin na verdade... Eu tenho um favor para te pedir. Consegue me ouvir? – Inclinei um pouco o corpo para sussurrar.

— Huh? O que foi? – Ele perguntou curioso.

— Honestamente, estou interessado naquele cara que trabalha com você. – Falei sincero abrindo um sorriso.

Flashback off

Foi isso que aconteceu? – Jun perguntou ainda surpreso, recebendo vários acenos desesperados. — Então isso nunca foi sobre você? 


Notas Finais


Até a próxima att amores 💗


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...