História Black And Green - Capítulo 50


Escrita por:

Postado
Categorias Harry Potter
Personagens Alvo Dumbledore, Draco Malfoy, Gilderoy Lockhart, Gina Weasley, Harry Potter, Hermione Granger, Luna Lovegood, Minerva Mcgonagall, Personagens Originais, Ronald Weasley, Severo Snape
Tags Fantasia, Harry Potter, Hentai, Hogwarts, Magia, Personagens Originais, Romance, Severo Snape, Severus Snape
Visualizações 330
Palavras 1.883
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Fantasia, Ficção, Hentai, Magia, Misticismo, Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olha um capítulo novo aqui gentii ahsuahsuahsuh'
Hoje eu estou muito feliz por que a varinha do nosso gostosão (Sev) já está vindo pelo correio para minha cidade ahsuahsa
Duas semanas de tortura esperando essa danada chegar, já tava pra jogar uma bomba no povo -.-'
Masss chega de milongas
Aqui está!

Capítulo 50 - Defendendo e Aprontando


 

        - Umbridge havia dado uma das suas piores aulas naquela manhã. Estava se esforçando ao máximo para envenenar os ouvidos de todos ali presentes com sua voz açucarada e fingidamente cuidadosa. Tudo havia voltado como era antes, as mesmas aulas teóricas e sem treino algum. Os Lufanos olhavam de vez em quando para a morena, mas ela parecia distraída demais para tentar fazer alguma retaliação a professora. O único sinal de movimento vindo dela era a própria Maddie tentando chamar a sua atenção sem sucesso. Draco pareceu que ia dar um troço com o tanto de coisas que a professora havia pedido como trabalho enquanto cutucava Maeve.

        - Você está bem? – Perguntou cismado.

        - Minha concentração está indo para o brejo. Por mais que eu tente prestar atenção aqui a mente me tira do foco. – Sussurrou rabiscando alguma coisa em seu pergaminho.

        - Acho que te entendo. – Ele deu um sorriso torto cutucando Maddie que chegava mais perto dele e voltava.  

        - Desculpa.

        - Não precisa se desculpar, somos amigos, e eu entendo como deve estar se sentindo.

        - Ora, vejo que alguém aqui entendeu tudo muito para ficar conversando. – Umbridge aproximou-se com a varinha em mãos. – Poderia nos dizer que assunto é mais importante do que o que estamos vendo em sala?

        - Nenhum, professora. – Draco respondeu tentando não transparecer o aborrecimento.

        - Acho que sei. – Ela sorriu com aquela expressão que exalava veneno. – Estava tentando ajudar a consolar a nossa querida pela sua perda. Acho que esqueceram de dizer que a sala de aula não é lugar para isso.

        Maeve não retrucou nada. Apenas arrumou suas coisas rápida e silenciosamente bem em cima do nariz de Umbridge que não esperava que ela fosse fazer aquilo. Sentiu-se vitoriosa, em sua cabeça estava fazendo a morena recuar. Sem saber que na verdade Maeve mal prestara atenção a sequer um “a” do que ela havia dito, para sua sorte.

        Levantou-se jogando a mochila com cuidado nas costas para não machucar Maddie. Enquanto equilibrava os livros e a varinha em um dos braços, bagunçou o cabelo de Draco antes de sair andando para a porta. O olhar dela pediu um socorro que o loiro tentava entender como ajudar.

        - Se deixar esta sala antes que a aula termine, proibirei que assista as outras aulas e reprovará. – Ameaçou sorrindo.

        A sala toda se fez contra. Os murmúrios iam e vinham acusando Umbridge de ser uma má perdedora além de uma professora farsante, além de impiedosa e sem coração. Todos sabiam que se ela saísse não haveria mais chance alguma das aulas práticas acontecerem nos gramados e acabariam o ano naquela mesma lengalenga sem resultado real algum.

        - Como quiser, professora. – Maeve respondeu e saiu fechando a porta num baque surdo.

        Respirou fundo e acariciando a cabeça da cobra em seu pescoço, desceu rapidamente as escadarias aproveitando para olhar pelas janelas como o tempo estava lá fora. O azul era ponteado aqui e ali por algumas nuvens brancas, que eram seguidas de longe pelas negras e carregadas.

        - Quando as coisas irão melhorar, Maddie? –Retirou silenciosamente um ratinho morto do estoque que haviam trazido para a cobra e que agora ela carregava de lá para cá em sua mochila. – Está com fome?

          Maddie apenas sibilou positivamente para o rato sendo oferecido e o abocanhou satisfeita.

       - Ratos tem gosto bom? – Perguntou distraída enquanto chegava ao largo corredor do segundo andar. A cobra chiou em seu ouvido como se respondesse e logo ficou quieta se enroscando totalmente.

        Maddie parecia maior nos últimos dias, e sua cor verde estava vívida e reluzente. Draco vinha alimentando ela em segredo toda vez que via que ela estava pedindo, em resposta ela estava bem mais robusta e pesada, o que não incomodava Maeve. A mochila em si era bem mais pesada do que a cobra. Dumbledore não havia se importado em deixa-la ficar com ela ali, desde que prometesse que não haveriam ataques, já que Maddie apesar de parecer mansa era uma cobra extremamente venenosa.

        - Maeve? – Alguém a chamou de uma das salas.

        Ela virou-se e viu Lupin fechando a porta atrás de si.

        - O que está fazendo fora de sala? – Perguntou estranhando.

        - Umbridge. Não estava conseguindo entender nada o que ela dizia. – Sorriu torto.

        - Não tem como realmente prestar atenção no que ela diz. – Riu. – Gostaria de te pedir um favor, se puder. – Pareceu desanimado ao terminar de falar.

        - Claro, se eu puder ajudar. – Ela tocou o braço dele ignorando os chiados de Maddie.

       - Gostaria de pedir que se fosse possível, você poderia preparar mais poção Mata-Cão para mim? O período está chegando, e eu tenho certeza que a última coisa que Snape quer ver é minha cara. – Sorriu chateado.

        - Tudo bem, eu preparo, não se preocupe. – Seus pensamentos pareceram desanuviar por alguns instantes. – Mas você está bem? Precisa de mais alguma coisa?

        - Estou, por enquanto eu estou. – Ele segurou a mão dela que estava estranhamente fria, com as suas mãos quentes. Houve um pequeno choque, mas não soltou. – Obrigada, Maeve.

        - Não precisa agradecer.

        - Ora só quem vemos aqui no corredor.

        Aquela voz galanteadora entonada para parecer sensual.

        - Lockhart, achei que estivesse em sala. – Lupin retrucou soltando a mão de Maeve.

        - Estava, deixei os alunos resolvendo suas lições. – Sorriu debochado e olhou para a morena. Aquele olhar de cobiça quase a fez recuar. – Maeve minha querida, soube do que houve, mas não pude vir para presenciar o funeral. Espero que aceite minhas condolências atrasadas. – Ele fez uma reverencia esquisita.

        - Agradeço, professor Lockhart.

        - A sua próxima aula eu suponho que seja comigo. Então por que não aproveita para vir logo comigo? Talvez eu possa lhe ajudar com o seu luto. – Aquele sorrisinho malicioso a deixava tensa.

        - Tenho que resolver algumas coisas antes, mas agradeço. – Mentiu.

     - Ora, vamos, depois você resolve. – Ele aproximou-se perigosamente de Maeve, mas não contava que Lupin a retirasse do caminho com o braço. Maddie chiou em direção ao loiro.

       - Pare com isso, Lockhart. – Lupin segurou a varinha dentro do bolso.

     - Lupin, vai me dizer que virou outro defensor dela? Quando chegará a minha vez, Maeve?  Estou ansioso por isso. – Aquela referência havia sido suja e indevida.

        - Ninguém deve ter lhe ensinado bons modos, não é? – Lupin havia retirado a varinha e a encostava agora no pescoço do loiro.

        - Quem é você para me dizer isso? Lobinho.

        - Sugiro que volte para sua sala, Lockhart, ou vai ser pior para você. – Havia uma irritação desconhecida na voz dele. – Seu senso do ridículo já foi extrapolado. Saia daqui.

        O loiro parecia pensar em alguma resposta quando o barulho de vassouras se fez presente no corredor.

        - Ora, mas o que é isso! – Fred riu.

        - Lockhart vai levar uma surra? – George zombou.

        - O que vocês estão fazendo fora de sala? – Lockhart tentou fazer a pose de autoritário falhando.

        - Não estudamos mais aqui seu bocó! – Disseram juntos.

        - Viemos a pedido de Dumbledore para pegar você, Maeve. – Fred sorriu caloroso.

        - Mas achamos que ainda ia demorar na sala da sapa cor de rosa. – George gargalhou. – Ah Lupin como você está?

      - Estou muito bem George. – Respondeu sorrindo depois de empurrar Lockhart com a ponta da varinha e voltar a guardá-la no bolso. – Vão leva-la de vassoura?

        - É o meio mais rápido e mais travesso que conhecemos. – Fred piscou.

        - Tomem cuidado. – Virou-se para Maeve. – Agradeço muito, mesmo.

        - Não precisa. – Sorriu e piscou para ele. – Agora quem vai me levar?

        - Eu. – George sorriu. – Fred está levando algumas coisas perigosas com ele. – Baixou a vassoura e esperou Maeve sentar-se.

        - Eu levo seus livros. – Fred passou com a vassoura perto dela e pegou os livros e a varinha.

        - Cuidado meninos! – Lupin deu um último aviso quando eles saíram voando.

      Os corredores aos poucos iam parecendo borrões. Maeve tentava segurar a boca de Maddie para que ela não mordesse o ruivo enquanto segurava-se na cintura dele para não cair.

       - Iremos dar uma passadinha rápido no corredor do Filch, temos uma surpresinha para ele. – George murmurou.

      - Algumas bombas de bosta e alguns fogos devem resolver. – Fred dobrou no corredor e saiu jogando elas enquanto elas caiam e explodiam nas armaduras derrubando-as. Filch não demorou a aparecer.

        - Surpresa! – Gritaram juntos enquanto soltavam alguns dos fogos que viraram uma espécie de cobra que saiu voando em direção ao zelador que correu de uma forma estranha para se livrar dele. Filch tropeçou em um elmo caído e acabou esbarrando em Cassandra que virava o corredor bem naquela hora. Ambos saíram rolando pelo chão enquanto os fogos explodiam bem perto deles.

        - Me passa a varinha Fred. – Maeve pediu e ele jogou para ela na mesma hora. – Que tal deixarmos eles parecendo dois duendes verdes?

        - Manda ver! – Sorriram.

      - Chromos Prasius! – Apontou a varinha e dela saiu um feixe de luz verde que acertou em cheio os dois alvos caídos. Instantemente eles ficaram verdes, o que fez os dois gritarem ao se olharem e caírem novamente no chão, escorregando nos resquícios das bombas de bosta. – E para finalizar, Fumos! – Uma nuvem de fumaça começou a sair da varinha de Maeve deixando o ar embaixo das vassouras turvo. Não dava para ver mais nada quando saíram em disparada nas vassouras rindo.

        - Duvido eles conseguirem sair dali tão cedo! – Fred gargalhou. – Não dá para ver nada!

        - Você é boa nisso! – George sorriu olhando para trás.

        - Sou boa em aprontar com quem não gosto. – Sorriu brincalhona, se sentindo distraída.

        Viraram vários outros corredores, onde agora alunos saíam em disparada para as suas outras aulas. Maddie parecia ensandecida chiando e batendo a cabeça em Maeve.

        - Calma, já vamos descer, apressada. – Riu.

        Ao chegarem no gramado principal, avistaram lá embaixo Dumbledore e Snape que esperavam por ela. O moreno amaldiçoou os gêmeos ao ver que foram eles que Dumbledore havia mandado buscar ela. A carranca típica instalou-se em seu rosto enquanto ele reclamava ríspido.

        - Por que mandou logo eles, Dumbledore?

       - Eles são amigos Severo. E creio que estavam brincando no meio do caminho, por isso se atrasaram. – Sorriu ignorando a cara de quem ia matar alguém do moreno.

      George e Fred quase pousaram com suas vassouras a alguns metros dos dois, ficando apenas uns três palmos acima do chão. Maeve desceu ainda se segurando em George e pegou os livros que estavam com Fred.

        - Shh. Segredo. – George colocou o indicador nos lábios.

        - Não pode contar. – Fred sorriu.

        - Tudo bem. – Ela olhou para os dois.

        - Agradeço pelo favor, meninos. – Dumbledore sorriu.

        - Agora estamos indo, a Gemialidades Weasley precisa de nós! – Disseram juntos.

        Entretanto antes de irem continuaram parados do lado de Maeve que ficou confusa momentaneamente. Ambos se aproximaram e lhe deram um beijo demorado e molhado nas bochechas o que a fez arregalar os olhos e corar. Maddie não se mexeu, estava zonza. Saíram antes que Snape pudesse jogar qualquer maldição nos dois. Dumbledore sorriu ao ver a cara constrangida de Maeve que ainda parecia confusa, e ao ver os infinitos Avadas que o moreno jogava somente pelo olhar contra as vassouras que já estavam longe o suficiente para escaparem de qualquer tentativa.

        Os Weasleys entrariam de vez para sua lista negra. 


Notas Finais


Eu que não queria entrar nessa lista negra ó, muito medo :x ahsauhsuahsuahsu


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...