História Black And Green - Capítulo 58


Escrita por:

Postado
Categorias Harry Potter
Personagens Alvo Dumbledore, Draco Malfoy, Gilderoy Lockhart, Gina Weasley, Harry Potter, Hermione Granger, Luna Lovegood, Minerva Mcgonagall, Personagens Originais, Ronald Weasley, Severo Snape
Tags Fantasia, Harry Potter, Hentai, Hogwarts, Magia, Personagens Originais, Romance, Severo Snape, Severus Snape
Visualizações 371
Palavras 1.604
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Fantasia, Ficção, Hentai, Magia, Misticismo, Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Aqui está o hot da madrugada ashuashuashu
Plena madrugada e a autora terminando de escrever isso kkkkkk
Me desejem sorte para que a internet volte logo, meia hora pra carregar pela net do chip nam' kkkkkk
Chega de conversa e vamos pro que interessa :3

Capítulo 58 - Amantes Incansáveis


- Um beijo molhado e quente dava início aos prazeres daquela noite. Snape havia imprensado Maeve contra a porta segurando seus braços enquanto a beijava faminto. Queria ter aqueles lábios contra os seus indefinidamente. Não estava mais se propondo a se conter, se tinham assumido um compromisso já não havia mais por que não se entregarem aos prazeres plenamente.

Suas línguas dançavam uma contra a outra, ambos se deliciando com os gostos um do outro. O moreno em um movimento rápido fez Maeve cruzar as pernas em volta da sua cintura enquanto ela afundava as mãos nos cabelos negros. Ela arfou quando ele interrompeu o beijo e desceu para o seu pescoço, beijando rapidamente da base até perto de sua orelha a fazendo gemer e se arrepiar.

- É isso mesmo que você quer? – Sussurrou pausadamente.

- Sim.

Ele a carregou deixando-a sentada na cama. Livrou-a das botas, do seu sobretudo e do vestido, deixando-a apenas de calcinha. Livrou-se também de grande parte de sua roupa, ficando apenas com a calça. Apertou as coxas dela com força algumas vezes e subiu deslizando as mãos pela barriga lentamente até chegar nos seios. Apertou-os com força tendo como resposta um gemido rouco. Deixou suas mãos ali enquanto beijava o ventre pálido fazendo trilhas molhadas que terminaram no vão entre os seios. Maeve apenas sentia os arrepios percorrerem o seu corpo, alertando cada terminação nervosa do que estava acontecendo. Snape deitou-se por cima forçando seu corpo de encontro ao dela, voltando a segurar seus braços contra a cama enquanto voltava novamente a beija-la voluptuosamente. O contato das peles desnudas causava pequenos choques, uma por estar fria e a outra por começar a esquentar rapidamente. Não tardou para que aquele calor adentrasse o corpo dele o deixando excitado.

Distribuiu chupões fortes pelo pescoço dela, alternando com mordidas e beijos. Ela se contorcia por debaixo de si, arfando. Desceu até o seio esquerdo e mordeu o mamilo puxando-o levemente.

- Olhe para mim. – Murmurou soltando os braços dela o que permitiu que ela se apoiasse nos cotovelos para poder olhar para ele. Continuou mordiscando e lambendo sem quebrar o contato visual. Os olhos da morena estavam claros e ofereciam uma espécie de calor que o fazia estremecer. Era assim que os outros se sentiam perto dela quase o tempo todo, querendo serem tragados por aquelas esmeraldas vivas. O pensamento o fez ficar com ciúme, mordeu novamente e começou a chupar sem reserva algum ainda a fazendo sustentar o olhar. Ela respirava pesado, as faces ficando vermelhas assim como os lábios, um efeito que depois ele percebeu que era atraente demais para que ele de fato se controlasse.

Abocanhou o seio direito enquanto estimulava o outro com os dedos, sentindo a excitação dela, ouvindo e vendo ela gemer. Desceu a mão até a calcinha dela, e deslizando para dentro começou massageando o clitóris sem pressa alguma fazendo movimentos circulares. Ritmava os movimentos ao seu bel-prazer subindo e descendo enquanto Maeve ficava cada vez mais quente. Ela se mexia o quanto conseguia contra os dedos dele que ficavam cada vez mais rápidos em sua intimidade enquanto sua boca não parava de ir e vir em seus seios, lambendo e mordendo, deixando sua pele vermelha.

Estava perto de chegar a um orgasmo quando ele parou e rapidamente tirou a calcinha dela enquanto saia de cima, e abrindo suas pernas enterrou sua boca completamente na intimidade dela, o que a fez arfar e arquear o corpo contra ele. Sua língua fazia movimentos em oito, ora mais rápidos, ora mais lentos. Não demorou para que ela chegasse ao seu ápice. Gemeu alto enquanto fechava as mãos nos lençóis, sua cabeça parecia ter perdido a concentração, sentia apenas aquelas mãos grandes e bem cuidadas percorrendo novamente o seu corpo e a puxando para que ficasse sentada novamente.

- Me mostre o quanto sabe usar essa boca. – Murmurou contra os lábios vermelhos dela a beijando novamente, fazendo-a provar do próprio gosto enquanto abaixava as calças e ficava apenas de cueca. Maeve tocou a ereção sentindo-se tonta e desejosa. Retirou o membro para fora o livrando do tecido e levantando-se trocou de lugar com o moreno. Ficou por cima dele, indo diretamente para a boca dele, o beijando de forma sensual, o que o atiçou mais ainda. Fez um caminho indefinido com a língua pelo seu pescoço, descendo lentamente pelo peito, indo em direção a barriga, onde ela mordiscou. Quando suas mãos quentes alcançaram a base do membro dele, ele gemeu alto e rouco. Sem cerimônia ela o abocanhou, dando a atenção devida que ele tanto queria. Em movimentos lentos e rápidos, ouviu ele gemer freneticamente. Suas mãos alcançaram os cabelos dela quando sentiu que estava na hora.

Novamente ela estava por cima dele, posicionando-se rapidamente sobre o membro o fazendo deslizar para dentro dela lentamente.

- Chegou a hora de sofrer um pouquinho. – Ela sorriu maliciosa.

Ela o cavalgava do modo como queria, começando lentamente, sentindo cada movimento dentro de si, aumentando a velocidade e novamente parando indo para o mesmo ritmo lento e cadenciado. Snape gemia descontrolado, queria que ela fosse mais rápida o que ela não obedeceu de imediato, apenas quando sentiu as mãos dele segurando em sua cintura com força ela deixou-se levar pelo modo como ele queria. Maeve o olhava selvagem, os cabelos revoltos e bagunçados e um sorriso sensual que começaram a lhe tirar do sério.

Ele interrompeu a penetração apertando as coxas dela. Maeve obedeceu a contragosto ao olhar dele e mal havia saído de cima ele a fez virar-se de costas para ele que a guiou para que ficasse de quatro. Snape separou bem as pernas dela e segurou os cabelos enrolando-os na mão esquerda e puxando-os com a força adequada, fazendo-a vir um pouco mais para trás e sentir o membro duro roçando novamente em sua intimidade.

- Olha o que você fez comigo.

- Vamos logo... – Gemeu sentindo os cabelos serem puxados novamente.

- Me diga o que você quer. – Murmurou rouco sentindo que a demora só piorava.

- Quero você dentro de mim, com força... – Sentiu um tapa em suas nádegas onde uma marca quente apareceu deixando-a mais excitada e pronta para a penetração.

- Certeza? Não vou ter pena. – Ele sussurrou pausadamente.

- Absoluta.

Outro tapa ressoou e logo ela foi preenchida com o membro. Gemeu alto enquanto sentia ele puxando seus cabelos e apertando sua cintura. Os movimentos de vai e vem ficavam cada vez mais acelerados arrancando gemidos ensandecidos dela que pedia que ele fosse cada vez mais rápido. Por sua vez ele aumentava o ritmo e depois ia mais lento, profundo, sentindo o interior dela o abraçar com aquele calor que aumentava cada vez mais. Observou a marca em suas costas, a pele envolta do dragão parecia nunca ter sido machucada, entretanto agora estava vermelha como se sinalizando que seu corpo estava aumentando a temperatura. Ele podia sentir muito bem todo aquele calor que o inundava, não havia como resistir.

- Mais rápido, Severo.... Por favor... – Ela pediu.

- Como quiser.

Ela sentiu os movimentos aprofundarem dentro de si, mais rápidos e fortes. Todo o seu corpo denunciava que estava perto de chegar ao orgasmo, sentia arrepios irem e virem deixando seu corpo ainda mais excitado e pronto para chegar ao momento esperado. Como havia prometido, Snape não teve pena dela. Cada gemido era punido com um puxão de cabelo, ou um tapa generoso em suas nádegas, que a fazia cada vez mais pedir para que ele aumentasse o ritmo.

O orgasmo foi inevitável, ambos entregues um ao outro, o prazer inundando-lhes o corpo e retirando momentaneamente os pensamentos em suas mentes. Derramaram-se juntos, satisfeitos. Maeve tentava recuperar o fôlego quando sentiu ele puxar seu corpo para perto do dele enquanto seu cabelo era liberado dolorosamente do aperto. Suas mãos alcançaram os seios de Maeve sentindo os mamilos enrijecidos enquanto beijava as costas dela pausadamente, sentindo aquele cheiro maravilhoso que o fazia querer tê-la por perto o dia inteiro.

- Está me fazendo perder a sanidade. – Murmurou rouco sob sua pele gerando um arrepio forte em sua espinha.

- Eu sei. – Ela murmurou rouca segurando as mãos dele por alguns instantes antes de se virar e o encarar sorrindo maliciosa.

Um dos seus sorrisos tortos repuxou-se nos lábios finos. A cada vez que faziam amor, sentia-se cada vez mais perdido naqueles olhos, naquele cabelo, naquela pele que cheirava a flores e frutas, naqueles lábios que ficavam avermelhados quando seu corpo esquentava. Parecia uma pintura que a cada dia se renovava apenas para ele.

- Me ama mesmo? – Perguntou como se duvidasse.

- E por que não amaria? – Ela chegou mais perto afastando os cabelos dele com os dedos.

- É estranho. O que não deixa de ser bom. Não tão apropriado devido a ... – Seus olhos se guiaram novamente para a boca dela que alcançou a sua com um sorriso malicioso. Beijaram-se sem pressa, sentindo o corpo um do outro com as mãos, acariciando partes sensíveis, testando os movimentos e reações.

- Está na hora de você dormir. – Murmurou contra os lábios dela sem se afastar.

- Eu não quero.

- Não tem o que querer. – Retrucou.

- Só mais um então.

Ele puxou ela novamente para um beijo, mas dessa vez um beijo voluptuoso, cheio de luxúria, possessividade, paixão e vontade de continuar o que haviam feito. Ela correspondeu na mesma moeda sentindo vontade de nunca mais o soltar.

- Chega. Daqui a pouco você tem que ir.

- Tudo bem. – Suspirou.

Deitaram-se abraçados ainda respirando fundo.

 Dormiram imediatamente, satisfeitos e por um breve momento esquecidos do que viria pela frente.


Notas Finais


UIA :3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...