1. Spirit Fanfics >
  2. Black and White - Wolfstar >
  3. Single Chapter

História Black and White - Wolfstar - Capítulo 1


Escrita por: 4luada

Notas do Autor


"Eu juro solenemente que não vou fazer nada de bom!"

Capítulo 1 - Single Chapter


Começava esfriar em Hogwarts, o inverno estava definitivamente a caminho, logo a neve começaria a cair e tudo ficaria inteiramente branco.

O branco era uma cor que trazia paz e calmaria para muitas pessoas. Mas um grifinório particularmente tinha uma percepção bem diferente. Remus Lupin, ficava desanimado ao ver tanto branco por toda parte, aquela cor para ele remetia sensações de tristeza.

A única coisa que Lupin gostava no meio daquilo era o contraste de Sirius Black no meio da neve, com seus cabelos negros caindo pelo rosto bem desenhado e suas roupas na maioria das vezes pretas.

Ele tinha a sensação de que o preto lhe trazia sentimentos bons. Mas tentava se convencer que aquilo não tinha nada a ver com Sirius, o amigo pelo qual era apaixonado em segredo. Lupin sentia que quando ele o abraçava nada mais importava, sentia que todos os pedaços dentro dele se juntavam o tornando completo.

Sirius era o único que despertava esses sentimentos nele, tinha uma necessidade enorme de estar entre os seus braços, o que não era difícil pois o moreno tinha um hábito de abraça-lo a todo momento sem motivo algum, e ele se controlava todas as vezes para não prender os seus lábios contra o dele, tentava disfarçar sempre que notava que estava encarando demais a sua boca.

As vezes ele tinha a impressão de que Black fazia o mesmo, mas não poderia deixar o desejo o consumir e o enganar daquela forma, pois acabaria fazendo besteira.

Lupin ficava frustrado por sentir tudo isso justamente por Sirius que além de ser seu amigo, saia com Hogwarts inteira. Ele nunca poderia dizer a ele pois preferia ter sua amizade do que não ter nada, pois perde-lo significava viver em um branco constantemente.

Quando a neve tornou tudo definitivamente branco, foi juntamente com seus amigos para fora do castelo. Como de costume Sirius usava suas roupas pretas, pois era final de semana e não precisavam usar as roupas da escola. James e Petter os amigos que compunha a formação do grupo denominado Marotos, foram correndo fazer uma guerra de bolas de neve. Lupin apenas se sentou para observa-los pois a lua cheia havia sido a poucos dias e ele estava cansado.

Remus era um lobisomem, já não era segredo para os amigos, que o apoiaram quando descobriram e inclusive se tornaram animagos que significa que poderiam se transformar em animais, para que ele não precisasse ficar sozinho durante a lua cheia. Ele seria eternamente grato aos amigos, embora ficasse preocupado em os machucar mesmo em suas formas animalescas.

Naquela tarde os três corriam animadamente pela neve e Remus ria quando acertavam o rosto do outro com aquele gelo, alternando a sua atenção a eles e ao livro que segurava. Logo Sirius desistiu da brincadeira, já ofegante. Foi em direção a Remus.

— Parece que você perdeu a guerra! — brincou o castanho ao notar a aproximação de Sirius.

— Na verdade eu só perdi a batalha, a guerra ainda não acabou! — respondeu sentando-se próximo a ele.

Remus olhou para Black ele estava com os lábios vermelhos, travou os olhos em sua boca.

Imaginou a boca de Sirius na sua, o gosto que teria o beijo dele e se era tão magnífico assim já que todas que provaram desejavam por mais... Uma coisa que ele nem precisou provar para desejar, mas desejava provar.

— O que foi Moony? — Sirius perguntou sorrindo.

"Droga" pensou Lupin, ele havia encarado demais outra vez.

— E-eu acho que estou cansado... Desculpe, disse alguma coisa?

Sirius sorriu, percebeu o nervosismo na voz do amigo.

— Podemos subir e jogar uma partida de xadrez — falou o moreno — Posso ganhar a guerra mais tarde — Abraçou Remus o puxando para perto.

Sirius tinha um cheiro amadeirado ao mesmo tempo doce, um cheiro que deixava Lupin completamente louco.

— Eu... Tô bem Padfoot! Pode vencer a guerra, depois vocês me contam como foi. E ganha essa por mim — indagou se levantando.

— Tudo bem Moony, por você eu faço qualquer coisa!

Lupin ficou estarrecido, corou levemente e foi em direção ao castelo. Sirius voltou sorrindo para os amigos.

Quando acabou a brincadeira o trio retornou ao castelo, chegando no dormitório Lupin estava saindo do banho. Ao notar que os garotos tinham retornado pegou sua roupa rapidamente e voltou para se trocar no banheiro.

Sirius fitou Lupin a cada movimento enquanto pegava as roupas na mala, sabia que o castanho tinha vergonha das cicatrizes em seu corpo causado pelo lobo que habitava dentro dele. Mas para ele eram lindas, marcavam o corpo dele deixando mais perfeito aos seus olhos, mas sabia que era difícil pra ele.

Black tinha vontade de tocar cada uma delas, mas tinha medo de que Lupin o evitasse e estragasse as coisas entre os dois. Então só podia abraça-lo e tocar seu rosto e seus cabelos macios que estava sempre com cheiro de algo adocicado.

— Quem ganhou a guerra? — A voz de Remus atravessou o quarto enquanto ele saia do banheiro.

— Padfoot ganhou, esse idiota apelou! — James disse.

— Eu tinha que vencer Prongs, pelo Moon! — Sirius pregou os olhos em Remus.

— Ah, obrigado Pads! — Sorriu timidamente sentando na cama.

— Sabe, as vezes eu me pergunto até quando vocês vão ficar nesse joguinho! — James disse indo em direção ao banheiro.

Sirius apenas passou a língua na parte interna da bochecha desconsertado, ignorando completamente o comentário de James.

— Rola agora aquela partida de Xadrez? — Remus perguntou, tentando ignorar o que James dissera.

— Qual o prêmio para o vencedor? — Sirius perguntou pegando o tabuleiro.

— Hmm... a gente tem mesmo que transformar isso em uma aposta? — O rapaz perguntou revirando os olhos.

Sirius fez um biquinho enquanto sentava em frente ao outro na cama.

— Certo, o vencedor escolhe — sugeriu Remus.

— Ok, mas o perdedor não pode negar combinado? — sorriu maleficamente.

— Feito, mas lembre-se disso quando você perder — disse o outro sardônico.

— Vai sonhando, Moon! — Sirius cravou os olhos na boca de Remus.

Começaram a jogar, o lobisomem ficou com as peças pretas, portanto Black iniciou o jogo com as brancas. Porém, quem saiu na frente foi o acastanhado retirando as peças de Sirius do tabuleiro, o deixando completamente desconfortável pois ele sabia bem o que iria pedir e aquilo não poderia esperar mais do que uma partida de xadrez.

Estava em um completo silêncio e concentração, ouvia só o barulho do estalar dos dedos e dos dedos de Black batendo no joelho enquanto pensava.

— Desculpe interromper o jogo de vocês, mas James e eu vamos dar uma volta vocês querem ir? — Peter perguntou.

— Não! — Os dois responderam sem desviar o olhar.

— Vamos Peter! — James gritou da porta.

Os dois ficaram sozinhos no dormitório, compenetrados no jogo cujo o objetivo era exclusivamente sair campeão. O que era uma disputa acirrada pois eram competitivos demais. Principalmente quando o prêmio final poderia ser bem agradável.

O jogo durou bastante tempo, pois utilizavam variadas estratégias para alcançar a vitória, levando o jogo a outro patamar, pareciam dois profissionais com tantas técnicas e armadilhas.

Remus estudava o moreno todas as vezes que ele parava para pensar no próximo movimento, perdido nos cabelos negros caindo sobre os ombros, no sorriso que passava em seus lábios ao conseguir uma nova estratégia.

Com o moreno não era muito diferente ficava vidrado nos lábios do outro, notando que ele mordia o lábio e vez ou outra passava a língua úmida por eles.

— Xeque! — disse Remus sorrindo.

Sirius reparou bem a jogatina que ele havia feito, tirou os olhos do tabuleiro os cravando nos de Remus, fez então um silêncio esclarecedor. Deu um sorriso, baixou os olhos e disse o próximo movimento.

— Xeque mate! — exclamou enquanto a peça movia e seu cavalo fazia o movimento final derrubando o rei.

Remus pareceu não acreditar que ele havia deixado passar, ficou boquiaberto estudando onde ele tinha errado.

— Mas...

— Sinto muito lobinho, mas eu ganhei e agora eu escolho o prêmio — disse vitorioso.

— Eu tinha tudo para ganhar...

— Eu não trapaceei se é o que está pensado, você viu não tinha como — sorriu.

O lobisomem cruzou os braços, mordeu levemente os lábios e ficou em silêncio. Estava certo de que ganharia mas talvez tivesse se distraído demais vendo Sirius concentrado escolhendo qual peça mover. Respirou fundo.

Já o moreno se divertia com a situação, o olhar de incredulidade do lobisomem aumentava ainda mais o seu ego.

— O que você quer? — perguntou revirando os olhos.

 — Quero que você me conceda 5 desejos — falou simplista.

— Tá de sacanagem Sirius? — Lupin disse boquiaberto.

— Moony, você aceitou é isso que eu quero!

 O castanho encarou com os olhos semicerrados, afinal ele tinha razão os termos eram claros, só não esperava que o moreno ia tirar proveito pedindo mais de uma coisa, deveriam ter deixado explícito que era apenas uma, logo concordou balançando a cabeça e jogando as costas na cama atrás de si.

Black sorriu satisfeito, pensou em ir com calma nas suas reivindicações.

— Primeiro desejo, quero que você me conte um segredo.

— Não tenho segredos com vocês Pads! — disse fitando o teto.

— Eu sei que você tem... quero o pior deles!

— Eu confesso que tenho um... mas não acho relevante. Estou apaixonado há anos por uma pessoa — suspirou.

Sirius ficou sério, Lupin estava apaixonado por alguém e aquilo tirou todas as suas esperanças. Se o acastanhado não estivesse deitado na cama teria notado a cara de desapontado do moreno.

— Pads... tá tudo bem? — questionou, sentando-se ao notar que ele ficou em silêncio.

— Sim, eu só... não esperava por essa — O castanho franziu as sobrancelhas — Agora, desejo que você tire a camisa — pediu deixando de lado a cautela.

Lupin refletiu, Sirius sabia que ele não gostava de ficar sem camisa na frente dos outros, mas não poderia discutir. Então tirou a camisa deixando exposta a sua pele pálida com as cicatrizes espalhadas.

O moreno assistiu cada movimento do rapaz retirando a camisa, tomando cuidado para não babar. Tirou o tabuleiro de xadrez da frente deles, aproximou a mão de uma bem no peitoral de Lupin.

— Posso? — perguntou antes de encostar.

Remus estava completamente confuso sobre aquele pedido, mas estava curioso para saber o que aquilo significava.

Sirius passou os dedos sobre as cicatrizes delicadamente, a pele de Remus se arrepiou com o contato.

— Pads... — começou a falar.

— Suas cicatrizes são lindas Moony, sei que você se envergonha delas e vive as escondendo. Mas elas mostram a sua força, que você é mais forte do que aquilo que o feriu. Você é maravilhoso Remus! — Sirius falou.

— Olha Sirius... — Pegou a camisa.

Sirius puxou a camisa da sua mão.

— Moony...

— Terceiro desejo Sirius? — disse impaciente cruzando os braços.

— Desejo... — suspirou — Um beijo seu Moony!

Remus sorriu, se aproximou de Black e o beijou no rosto. Mas antes que pudesse se afastar o moreno segurou a sua nuca, deixando os seus rostos definitivamente próximos.

— Não, desse jeito — explicou antes de colar os seus lábios nos dele.

Lupin arregalou os olhos, provavelmente ele estava tendo algum tipo de alucinação. Mas não, sua boca estava mesmo colada a de Sirius.

A língua do moreno se movia com agilidade dentro da sua boca, e ele correspondeu inteiramente aquele beijo que tanto almejava. O beijo não poderia ser melhor, e ambos tinham certeza que era o melhor que eles já haviam dado na vida. Embora não desejassem se afastaram para colocar o ar de volta aos pulmões, Sirius mantinha os olhos fechados, não tinha coragem de olhar para Lupin. O amigo tinha acabado de confessar que amava uma pessoa e ele havia o beijado, a única probabilidade era que o odiasse a essa altura.

Ainda com os olhos fechados fez outro desejo.

— Quarto desejo Moony, eu quero mais um beijo.

Lupin tomou os lábios de Black adentrando a sua boca com a língua segurando o seu rosto com as mãos, de alguma forma acabou parando em seu colo inclinado sobre ele e Sirius segurava o seu quadril o puxando contra o dele.

Ele segurava para que Lupin não descolasse os seus lábios, pois era o último que ele poderia pedir. E não parou até que não conseguisse mais respirar.

Quando se afastaram o moreno preparou para abrir os olhos. E quando abriu viu Remus completamente corado em seu colo, com a boca entreaberta e os olhos semicerrados em êxtase por causa do beijo, porra queria poder beija-lo de novo mas não podia mais.

— Último desejo! — murmurou. — Eu desejo que você me perdoe por isto, que não se afaste de mim por favor! Eu não suportaria perder a sua amizade, sei que provavelmente...

Lupin tomou novamente os lábios levando as suas mãos para os cabelos negros, segurando fortemente. Sirius agarrou novamente seu quadril soltando um gemido abafado. Não sabia o porquê mas Remus estava o beijando de novo e a forma como ele puxou seus cabelos lhe tirou o resto do juízo que tinha.

O deitou na cama e beijou o seu pescoço, chupou o lóbulo da sua orelha o fazendo gemer. Deslizou a boca pelo seu abdômen lambendo todas as cicatrizes de Lupin.

— Pads — gemeu o seu apelido.

Sirius voltou a consciência e parou ali mesmo, dando um último beijo na barriga de Lupin voltando a atenção para seu rosto.

— O que foi? — perguntou Lupin chateado.

— Olha Moon, não tá certo — Sirius disse.

Os olhos do lobisomem o fitava confuso e começou a levantar com raiva, Sirius segurou o seu braço.

— Moony, deixa eu explicar... eu quero você, mas eu não acho certo por que você tá apaixonado por outra pessoa, eu não quero que seja assim.

— Desde quando você se importa com isso? Você já ficou com toda Hogwarts Sirius!

É ele tinha um ponto. Um ponto que para infelicidade do moreno era verídico.

— Remus, com você é diferente! — disse em sua defesa. — E eu até posso ter beijado quase toda Hogwarts, mas eu só estava tentando esquecer você... mas não deu certo — confessou.

— Sirius você só pode tá de sacanagem isso é pegadinha sua e do James né? — ironizou

— Moony — balbuciou.

— Pode sair rapazes, a pegadinha acabou... — gritava no dormitório.

— Remus! — gritou, atraindo a sua atenção. — Eu sou fodidamente apaixonado por você, eu não brincaria com uma coisa dessas! Eu te amo Remus. Sei que é tarde para isso, que você pensa que eu sou um canalha e que não tenho sentimentos, mas eu não poderia mentir sobre isso você é importante pra mim... E-eu sinto muito... — Sirius cobriu o rosto com as mãos e os olhos já se enchiam de lágrimas.

— Padfoot... — sussurrou chocado e emocionado. — Padfoot, é por você quem eu estou apaixonado!

Sirius piscou algumas vezes, para ter certeza que não era sua mente pregando uma peça. 

Lupin repetiu e bastou para que o moreno o puxasse para si e tomasse novamente os seus lábios, pegou a sua varinha rapidamente e fez um feitiço silenciador e trancou a porta para que não fossem interrompidos.

Deitou o castanho de volta na cama, deslizou as mãos por todo seu corpo sem hesitar em nenhum momento, tendo como resposta os gemidos de seu amado.

Enquanto estava nos braços de Sirius, o acastanhado percebeu que era mais fácil quando colocavam o preto no branco. Percebeu que além de jogadores eles eram peças, pois a vida é como um jogo de xadrez e a mão que move as peças o destino.

E o destino tinha o jogado diretamente nos braços do seu amado. Então agarrou o seu rei, montou no cavalo e xeque-mate! 


Notas Finais


Achei essa Fanfiction salva nos meus documentos, estava lá desde dezembro, então pensei. Por que não? E aí está.
Espero que tenham gostado.
"Malfeito Feito!"


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...