1. Spirit Fanfics >
  2. Black Demon >
  3. Aura

História Black Demon - Capítulo 7


Escrita por:


Notas do Autor


Faz tempo que não atualizo a fic, que eu nem sei mais o que escrever nas notas. Nem tem como dar feliz ano novo, porque já estamos é em fevereiro, mas parece que estamos é em dezembro.

Enfim, estou eu aqui atualizando a fanfic, o capítulo ficou meio bleh então já peço desculpas, mas tentarei compensar com o próximo, tudo depende do meu psicológico.

->OS PERSONAGENS ORIGINAIS DE KUROSHITSUJI/BLACK BUTLER PERTENCEM A YANA TOBOSO.

->ESTA FANFIC NÃO TEM O INTUITO DE OFENDER, É APENAS UMA HISTÓRIA INTEIRAMENTE CRIADA POR MIM, COMPLETAMENTE FICTÍCIA.

->TODOS OS COMENTÁRIOS QUE OS PERSONAGENS FAZEM NÃO DEVEM SEREM LEVADOS A SÉRIO, AS FALAS SÃO DE ACORDO COM SUA PERSONALIDADE E HISTÓRIA DE VIDA.

Agora, leiam a vontade.

Capítulo 7 - Aura


~ 03/03/2104 ~

~ 11:58 AM ~


- Will, olha para aquela mulher na mesa perto da janela de vidro. - Uma garota loira jovem falou para o garoto à sua frente, este que olhou para o local em que a garota apontou discretamente.


- Aquela que está sentada sozinha passando o dedo pela taça de vinho? - Will perguntou e a garota loira acenou. - Ela é muito bonita, será que ela está esperando por alguém? - A mulher sentada sozinha parecia pensativa, enquanto olhava para as pessoas que passavam pela estrada, ela batia com o dedo indicador da mão direita no lábio inferior coberto por um batom vermelho chamativo, e com o dedo indicador da mão esquerda ela rodeava a taça com pouco vinho nela. Estava sentada em uma mesa para dois, com a perna direita em cima da esquerda. Ela vestia um terno xadrez cinza listras pretas e brancas, com seu sutiã rendado preto à mostra, usava também saltos bege com pequenas pedrinhas muito brilhantes os enfeitando, sua maquiagem é simples, rápida de se fazer, e ela estava também com uma bolsa pouco pequena de ombro preta. - Ela é uma mulher muito atraente. - Will passou os olhos por todo o corpo da mulher, quase babando.


- Ei, sua namorada está aqui na sua frente! - A garota loira falou o repreendendo, quase avançando em cima dele, seu olhar para Will era de querer matá-lo.


- Mirian, se acalme, estão nos olhando. - Will falou para ela que olhou ao redor e ficou em silêncio por alguns segundos encolhida com vergonha. - Me desculpe, é que não tinha a visto antes e a aparência dela é muito boa mas, eu estou com você, e eu achar ela bonita não significa que eu te deixaria aqui por ela. - Will segurou as duas mãos de Mirian, está que formou um bico, nos lábios.


- Certo, certo. - Mirian desviou o olhar de Will por um segundo. - Também peço desculpas, não é como se eu pudesse te proibir de achar uma mulher bonita. - Ela olhou para ele novamente. Will abriu um sorriso feliz para Mirian, esta que ficou com o rosto pouco corado. - Mas, é sério que não tinha percebido aquela mulher no café? - Will balançou a cabeça. - Ah, francamente, você é muito cabeça-oca! - Ela falou baixo mas, não tão baixo para que Will escutasse.


- Ei! - Dessa vez quem chamou a atenção das outras pessoas, que não eram muitas, no café foi Will. Ele se encolheu um pouco espremendo os lábios e franzindo o cenho.


- Pfft! - Mirian riu ao que escondia o rosto. Will levantou a cabeça para falar algo, mas ele não falou nada apenas riu. - Pelo o amor de Deus, Will. - Mirian deslizou a sua mão esquerda que escondia seu rosto para baixo, mostrando assim seu rosto não mais rindo. Will também parou de rir. - Já faz um tempinho que essa mulher entrou no café, todos olharam para ela. - Mirian falou levando sua caneca de latte até a boca, logo tomando um gole dele.


- Me concentrei mais na comida que acabamos de comer. - Will falou risonho colocando sua mão direita em sua nuca, não que ele estivesse com dor. - Mas, é esperado que ela chamasse atenção. - Will olhou para a mulher e Mirian fez o mesmo. - Ela é muito bonita, está vestindo roupas caras e um pouco muito reveladoras. - Will falou ao olhar para o sutiã da mulher, este que encobria os seios médios dela. Will logo desviou o olhar tentando evitar que sua namorada ficasse com ciúmes de novo.


- E outra, estamos em um café simples na hora do almoço, em um dia frio pra caralho, em uma cidade pequena, - Mirian começou a falar um pouco intrigada. - E ela está vestindo roupas formais, tirando a parte do sutiã à mostra, bebendo uma taça de vinho a essa hora do dia e parecendo estar esperando alguém. - Mirian chegou um pouco mais para perto de Will sussurrando para ele. - E onde foi que ela conseguiu esse vinho? Eles não vendem vinho aqui. E ela não pediu nada até agora, os empregados do café devem estar ficando impacientes.


- Você realmente gosta de saber até dos mínimos detalhes, né? - Will falou com um sorriso curto no rosto. Mirian acenou duas vezes para ele. - Ah, você é inacreditável. - Ele suspirou. Mirian se ajeitou na cadeira, voltando a posição em que estava antes. - Bem, isso é realmente anormal e eu não sei como ela conseguiu esse vinho mas, é certeza que está esperando por alguém. - Will olhou novamente para a mulher. - Ela não tira os olhos da janela como se estivesse esperando que determinada pessoa passe por ali, parece que ela nem percebeu os olhares de todos sob ela.


- Hum... - Mirian terminou de beber o seu café. - Coitadinha dela. Já faz um tempo que ela está aqui esperando essa tal pessoa. Ou essa pessoa não irá vir, ou está muito atrasada.


- Sim... - Will não falou mais, apenas observou a namorada terminar de beber o café dela.


Passaram se alguns minutos e o sino que tinha na porta de entrada do café fez barulho avisando que alguém tinha entrado.


- Nossa! - Foi a única coisa que saiu da boca de Mirian ao que ela olhou para o garoto que tinha entrado. Will seguiu o olhar da namorada e também ficou com a boca entreaberta.


Um garoto que aparenta ter dezessete anos acabou de entrar no recinto olhando para os lados, provavelmente, procurando por alguém. Todos olharam para ele, o garoto loiro sorridente, olhos azuis claros muito bonitos contornados por cílios brilhosos, tinha pouca maquiagem em seu rosto bem esculpido, não era tão chamativa quanto suas roupas caríssimas, trajava um terno xadrez preto com listras brancas sem colocar os braços nas mangas, uma camiseta gola alta também preta só que de um tom mais claro, seu sapato preto tinha saltos baixos, tinha uma correntinha em sua calça, ele usava também joias em seus dedos, pescoço e orelhas, suas unhas médias decoradas com pedrinhas minúsculas brilhantes, seu perfume doce mas, não enjoativo, chegou ao nariz dos que estavam mais próximos à ele, estes que emanaram o cheiro com vontade. Aquele garoto tinha muita beleza e, com certeza, dinheiro também. As pessoas presentes no local começaram a comentar baixinho.


Ele olhou para uma mesa não muito distante e abriu mais o sorriso, começou a caminhar até a mesa até parar e olhar para a mulher sentada na cadeira olhando para o vidro.


- Suza, você está muito linda. - Ele a elogiou, está que esticou o braço direito até ele. O loiro pegou na mão dela e a beijou. As pessoas ao redor ficaram surpresas com tal formalidade e cavalheirismo.


- Macken, já faz um tempo dês de a última vez que nos encontramos, certo? - Susan olhou para ele dando um sorriso pequeno para o mesmo, este que retribuiu.


Alois sentou na cadeira à frente de Susan, ajeitando sua roupa e passando a mão no cabelo. Era bem óbvio que todos os olhavam descaradamente, até porque eles estavam bem vestidos e tinham uma aparência muito boa.


- Onde você comprou esse vinho? - Alois olhou para a taça que Susan segurava com a mão esquerda. - Acredito que este café não venda vinho.

- Está certo, não vende. - Susan levou a taça com o vinho para os lábios e bebeu do líquido. - Trouxe de minha casa. - Ela respondeu ao que o encarou, Alois a olhava com um sorriso curto em seus lábios.

- Ah~ - Alois suspirou fechando os olhos e abaixando a cabeça, um bico se formou em seus lábios. - Eu iria gostar tanto de beber junto à você. - Ele abriu os olhos e levantou seu olhar para Susan, que se mantinha séria, logo retornou a sorrir.


- Jim Macken. - Susan chamou o nome 'verdadeiro' do loiro o que fez com que ele levantasse a cabeça dando total atenção para a mulher. - EU ESTAVA EM UMA REUNIÃO IMPORTANTE ENTÃO VOCÊ ME LIGOU ME PEDINDO PARA QUE EU RETORNASSE PARA MINHA CASA RAPIDAMENTE E QUE ERA UMA EMERGÊNCIA. - Susan gritou com Alois sem se importar com os olhares assustados das pessoas ao seu redor. Alois apenas escutava sem mudar sua expressão.


- Suza, não estamos sozinhos. - Alois falou calmamente sem tirar o sorriso do rosto.


Susan sentiu vontade de socar a cara do loiro, mas com certeza não faria aquilo. Não em público. Ela se ajeitou na cadeira e tomou mais um gole de seu vinho encarando Alois mortalmente.

- Eu fui para minha casa, chegando lá você me ligou novamente, quase se engasgando de tanto rir, e disse que a 'tal "emergência" - Ela deu ênfase na palavra. - não era tão importante assim. - Susan parecia que a qualquer momento iria pular em cima de Alois e espancá-lo com toda sua força, as pessoas ao redor começavam a ficar apreensivas. - Eu estava em uma reunião muito importante, agora, você acha que eu traria vinho para você? - Ela levantou uma de suas sobrancelhas, estava totalmente séria enquanto Alois continuava a sorrir. - E, outra coisa, eu gosto muito de quando você está feliz mas, nesse momento seu sorriso está começando a me irritar.

- Sim, eu sei. - Alois se recostou na cadeira. Susan estava por um fio de jogar o resto que tinha de seu vinho em Alois, mesmo sendo pouco ainda faria um bom estrago nas roupas caríssimas e bonitas. - Embora não seja uma emergência- Alois encurtou o sorriso.

- Ah, por favor, Alois. - Susan colocou a mão direita em sua testa fechando os olhos com certa força. - Quer dizer que eu saí da merda da reunião importante por causa de algo que na verdade nem é uma emergência. - As pessoas ao redor não conseguiam escutar toda a conversa mas, apenas pelo o pouco que escutaram, sabiam que o loiro não era uma pessoas tão boa. - Garoto, você realmente está pedindo por uma surra, não é? - Susan fechou o punho olhando fixamente para o loiro, este que continuava sorrindo pequeno para ela.

- Você deveria me ouvir falar tudo primeiro. - Alois mantia a calma, hora alguma se exaltou ou ficou com raiva. Susan se ajeitou em sua cadeira e bebeu o resto do vinho que tinha em sua taça, ela fez um gesto para que ele continuasse a falar. - Eu estou aqui para lhe pedir um favor. - Susan levantou uma de suas sobrancelhas, desconfiava que o 'tal favor seria algo grande, ainda mais porquê é o Alois ali em sua frente pedindo, algo está acontecendo. - Pra falar a verdade, eu irei fazer muitos pedidos para você, mas agora eu só preciso que faça apenas uma coisa para mim. - A expressão do loiro se tornou séria, apesar de sua aparência juvenil e de muitas vezes ser extrovertido, ele pode ser muito intimidador quando quer.

As poucas pessoas que estavam no café estavam curiosas sobre aquilo, parecia que estavam presenciando a cena de um filme de ação onde dois assassinos se encontram para conversarem sobre seu alvo. Todos à volta deles estavam os olhando, alguns disfarçavam, outros olhavam descaradamente e eles pareciam não dar a mínima para os outros, então apenas continuavam com a conversa. As garçonetes nem ousavam passar perto dos dois, parecia que se chegassem perto deles algo ruim iria acontecer com elas.

- Diga. - Susan e Alois continuavam a se encarar. Alois suspirou.

- Poderia cuidar da mansão Phantomhive amanhã à noite? - Susan ficou em silêncio por alguns segundos tentando entender o pedido.

- Uh... - Susan não sabia o que responder, esperava que Alois lhe contasse mais detalhes do porquê, mas ela esperou em silêncio e ele não disse nada. - Por quê? - Susan por fim perguntou 'vendo que ele não iria prosseguir.

- Irá acontecer uma coisa amanhã à noite. - Susan se sentiu insatisfeita com os poucos detalhes. Alois percebeu isso. - Sei que quer saber de tudo, mas eu não posso contar todo o porquê disso agora e aqui. - Alois colocou as mãos juntas em cima da mesa de madeira clara aproximando se mais de Susan, esta que se aproximou também. - Eu preciso que você vá para a mansão Phantomhive antes das 22h00m, você pode fazer isso? - Susan sabia que não adiantava pensar muito naquilo de um jeito ou de outro ela iria fazer o favor.

- Bem, se eu aceitar você terá que me contar tudo por trás disso. - Susan bateu o dedo indicador na mesa. - E, depois disso, talvez possamos beber vinho juntos. - Ela sorriu pela primeira vez naquele dia com Alois, este que retribuiu o sorriso.

- Eu prometo. - Susan soltou uma risada baixa, era raro ouvir aquilo. - Quando você chegar na mansão, Sulli estará lá e, depois eu também. - O sorriso de Susan se alargou.

- Hum, que notícia boa. - Susan se recostou na cadeira e Alois fez o mesmo. - Poderei ver a minha garotinha de novo.

- Agora... - Alois afastou a cadeira e se levantou.

- Huh? - Susan observou o loiro ajeitar a cadeira perto da mesa e andar para mais perto dela. - Está indo embora?

- Sim, eu tenho alguns assuntos para resolver. - O loiro segurou a mão da mulher a levando para perto dos lábios sem os encostar. - Já agimos de forma suspeita o bastante. - Ele depositou um beijo na costa da mão de Susan. - Na próxima vez conversaremos mais, desculpe se causei algum problema para você. - Alois mostrou o seu melhor sorriso.

- Não, até parece. O único problema que você causou foi ter me feito sair da reunião importante que poderia fazer a empresa mais famosa, fora isso tudo bem. - Susan falou sarcástica sorrindo para ele.

- Que ótimo! - Alois soltou a mão de Susan. "Esse filho da" Susan pensou em dar um tapa nele de despedida, mas talvez na próxima. - Até depois.

- Vai, vai! - Susan voltou a se sentar como estava antes, ela sairia do café depois até porque precisava esfriar mais a cabeça, e o seu chefe certamente irá ficar com raiva.

Alois foi seguido pelos olhares da maioria dos que estavam no local, antes que ele fechasse a porta de vidro do café, ele passou os olhos por todas as pessoas que o olhavam, ele ainda com um sorriso no rosto acenou com a cabeça.

Todos no local que prestaram atenção nos dois, de alguma forma que não conseguiam explicar, os acharam assustadores. Tudo foi muito estranho para ser deixado de lado, todos conversavam sobre aquilo em específico.

Em todo momento não conseguiram desviar o olhar, pois algo ao redor deles parecia ser tão sombrio e sinistro, apesar de conseguirem escutar poucas coisas da conversa, coisas que não faziam sentido para eles, não conseguiram desviar os olhos dos dois. Eles próprios estranharam suas ações.


~ 04/03/2104 ~

~ 11:12 PM ~

- Sullivan! - Susan chamou o sobrenome de Sieglinde fazendo a garota olhar para a mulher mais velha atrás de si, saindo da mansão Phantomhive.


- Susan. - Sieglinde esperou qur Susan chegasse mais perto para poder abraça-lá. Susan dava passos rápidos indo de encontro com a Sieglinde. - Faz um bom tempo que não a vejo. - Assim que as duas estavam perto uma da outra envolveram-se em um abraço apertado, Susan deixou um selo na bochecha esquerda de Sieglinde.

- Você está incrível como sempre. - Susan se distanciou um pouco de Sieglinde, mas não deixou de segurar os braços dela.

- Digo o mesmo para você, Susan. - Sieglinde sorria simples para a mulher à sua frente.

- Eu amo presenciar todo esse sentimento fraternal que vocês duas têm, mas - Alois começou a falar chamando a atenção das duas mulheres em sua frente. - precisamos conversar sobre alguns acontecimentos bem- Ele foi interrompido por Susan.

- Espera, você me fez sair da minha vida pacífica que eu tinha naquela cidade chata, com aquele emprego chato e com aquelas pessoas chatas. - Susan apontou o indicador para Alois, este que continha seu sorriso habitual. - Agora, você quer que eu não converse com as pessoas que não vejo a meses e sinto sua falta.

- Do jeito que você fala parece que eu lhe fiz um favor ao te tirar daquela sua vida chata. - Alois falou rindo. Susan grunhiu quase indo para cima de Alois, se Sieglinde não tivesse a parado. - E, também não é assim, né? Eu nunca faria isso. - Alois gargalhou.

- Não existe mais cínico. - Sieglinde se referia ao loiro, que tinha irritado Susan.

- É sério, temos que conversar sobre o que está acontecendo. - Alois falou, inexpressivo.

Susan e Sieglinde olhavam para Alois sérias, Sieglinde sabia que tudo o que estava acontecendo eram apenas coisas estressantes para Alois, que era sempre ele um dos primeiros a saber e o que sempre tomava a responsabilidade de tudo; as suas ações e as dos que estão envolvidos, qualquer coisa que der errado será colocado em cima dos ombros de Alois.

Susan também sabia de toda responsabilidade que punham em cima de Alois, mas sempre era uma das últimas a saber sobre o que estava acontecendo realmente, às vezes era sua culpa por se afastar à procura de uma vida mais tranquila, todavia era arrastada para outra 'guerra' que eles causavam.

- Eu espero que isso não tenha algo haver com o gêmeo. - Susan falou já exausta de todas as encrencas em que eles se envolviam, se lembrando da última vez em que ela teve que se juntar a eles, e quase perdeu sua cabeça, literalmente.

- Não se preocupe, não existe mais nem mesmo um fio de seu cabelo na terra. - Alois continuou inexpressivo, percebendo que Susan ainda não estava completamente centrada na conversa.

- Estou odiando toda essa merda! - Sieglinde, praticamente, gritou ao que em sua mente passava tudo que Alois lhe dissera antes, ela passou a mão pela testa subindo até os cabelos pretos, andou mais para o lado, se afastando um pouco dos outros dois.

- Que merda é essa que está acontecendo? - Susan perguntou já cansada de tanta demora para lhe dizerem tudo.

Sieglinde se virou para Susan, a olhando entre os dedo, como se verifica-se se Susan ainda estava ali com eles.

Alois continuou inexpressivo, este que cruzou seu olhar com o de Sieglinde, todavia voltou os seus olhos azuis para os carmesim, que o ditaram de volta na mesma intensidade.

- O jogo virou. - Alois falou. - Desta vez, nós somos as presas.


Notas Finais


Este capítulo está pequeno comparado aos últimos que postei, mas acho que com capítulos pequenos posso atualizar mais frequente. Uma coisinha, eu acho que não postarei apenas nos sábados, talvez eu poste no domingo as vezes, algumas vezes raras talvez eu poste dois capítulos em um dia, mas só talvez.

Agora deixarei links das roupas que eles estavam usando (porque eu não sei nada sobre moda, portanto, não sei descrevê-las direito):

->Roupa da Susan na cafeteria: https://pin.it/5amcpaou4g6nbq

->Saltos da Susan: https://pin.it/k2jl7oy7j7wfiv

->Bolsa da Susan: https://pin.it/mai3nsecscv5db

->Roupa de Alois na cafeteria: https://pin.it/4bilyala52g6lw

->Sapatos de Alois: https://pin.it/dbikjviyqrzszj

Bom, sei que o capítulo está meio merda, mas infelizmente o meu psicológico está fudido então, não pude fazer muito.

Até o próximo.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...