História Black Eyes - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Supernatural
Personagens Abaddon, Amara, Ash, Bobby Singer, Castiel, Chuck Shurley, Claire Novak, Crowley, Dean Winchester, Jody Mills, Mary Winchester, Personagens Originais
Tags Dean, Drama, Romance, Sam, Singer, Supernatural, Winchester
Visualizações 12
Palavras 936
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Sobrenatural
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Spoilers, Suicídio, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


"There's a lady who'sure/ tem uma moça que tem certeza
All the glitters is gold/ que tudo que brilha é ouro
And she's buying a stairway to heaven/ e ela está comprando uma escadaria para o céu"

Capítulo 2 - No feelings


Fanfic / Fanfiction Black Eyes - Capítulo 2 - No feelings

Ela o cumprimetou. Em milésimos de segundos ele retirou a mão, como se a tivesse queimado.-Ash!-exclamou.-Ashley! Puta merda!-ele não sabia se olhava para a mão machucada ou para ela.

_Sammy...

_Minha mão, eu...

_Calma, Sam.-ela pediu, rindo.-Eu... eu queimei sua mão?-perguntou. Tudo ainda estava muito estranho e particularmente desconfortável.

_É, mas tá tudo bem, eu acho.

_Deixa eu ver.-ela pegou o braço dele, com receio de queimá-lo novamente, mas não foi isso que ocorreu.-Ah, Sammy.

_É só colocar um gelo, Ash.

_O quê?!-questionou, como se o que dissera fosse algo totalmente absurdo e horrível.-Sabe o que acontece quando você coloca gelo numa queimadura, Sammy? Você QUEIMA a QUEIMADURA. Dez minutos na água corrente e gelada.-ele abriu a boca para argumentar mas ela logo o interrompeu.-Agora!-ela sempre teve esse jeito meio materno com os meninos, porque honestamente, eles eram tudo o que ela tinha e vice-versa.

Sam os guiou até a cozinha, segurando seu antebraço, ainda com bastante dor. 

_Uau, esse lugar é tipo a Batcaverna.-ela diz, olhando em volta.

_Dean disse a mesma coisa.-ele respondeu, rindo e colocando a mão embaixo da torneira e sentindo um alívio imediato. Ash limpou a garganta, um pouco constrangida com o comentário.-E então? Vai explicar o que aconteceu?-Ela o abraçou, ele retribuiu, embora sua mão continuasse em baixo da torneira.-É tão bom te ter de volta, Ash. 

_Nós temos tanta coisa pra conversar.

Eles se sentaram na mesa e Sam explicou tudo o que aconteceu do momento que ela partiu até o momento atual. Algumas partes foram extremamente difíceis, como a morte de Jo e Ellen, ou a morte de seu próprio pai. 

Ela se levantou com lágrimas nos olhos e começou a abrir todos os armários

_O que está procurando?-perguntou Sam, percebendo com clareza o desespero em seus olhos e suas mão trêmulas.

_Vocês não tem bebida aqui?-questionou, se virando pra ele.

_Ali.-respondeu, apontando para o único armário que ela não havia procurado.-Ash, você está bem?

A garota pegou uma Jack Daniels e a abriu, tomando dois goles do líquido e se esforçando para não fazer nenhuma careta.

_Agora eu estou.-Castiel se mantinha calado e imóvel, apenas observando.-Como eu posso ajudar vocês?-ela se sentou mais uma vez e agora falava com um tom de empolgação na voz.

_Dean está totalmente fora de controle e nós achamos que você é a única pessoa que pode pará-lo.-disse o anjo, finalmente se pronunciando.

_Pará-lo como, Cass?

_Convença ele a voltar pra casa.

_Ele é um demônio.

_E você é a única pessoa que ele escutava, talvez ele te escute agora.

Ela se calou. Talvez Castiel estivesse certo.

_O que eu tenho que fazer?

O anjo sorriu.

_Ele está num bar com Crowley, o bar está completamente protegido por demônios. Entre lá e converse com ele.

Ash olhou para baixo, mordendo o lábio como sempre fazia quando estava concentrada.

_Mas o impacto que eu tive na vida dele foi muito maior que na vida de Sam. Talvez a consequência seja muito pior. 

_Teremos que ver. 

*******

 

_É aqui. Tchau, Ash.-Sam a abraçou e beijou sua testa. Esticou a mão entregando uma arma pra ela, mas ela recusou.

_Não vou entrar armada lá, Sammy. Não sou uma ameaça e nem quero ser. 

_Sua escolha.

_Não esperem por mim.

Ela acenou para Castiel e percorreu alguns metros até chegar na porta do bar. 

Suspirou fundo e entrou no local, sorrindo. Imediatamente avistou Dean. Todos os demônios foram para cima dela e ele percebeu a confusão.

Mas aquele rosto. Aquele rosto no meio dos demônios, o rosto que não mostrava fraqueza, ou nem sequer medo da situação. Aqueles olhos que o fitavam e um sorriso amargo no rosto, enquanto os homens procuravam alguma arma em seu corpo.

_Esperem, esperem.-diz ele, se levantando do banco.-Deixem ela em paz, eu cuido disso.-ele não sabia por que estava fazendo isso, ou o que tinha naquela garota, mas sabia que era algo importante.

Ela lhe parecia tão familiar. Era como se tivesse esquecido o rosto do seu pai ou da sua mãe. É aquela sensação de esquecer a palavra que você sempre usa, e que está na ponta da sua língua, mas que continua entalada na garganta.

_Saiam daqui.-fala Dean, sem tirar os olhos da garota.-Saiam daqui!-repete, ao ver que ninguém se mecheu. Crowley se levantou também e encarou ele, saindo.-Quem é você?

O bar estava completamente vazio exceto por eles dois, que estavam a cerca de dois metros de distância um do outro.

_Ashley. Ashley Singer.

_Singer? Como Bobby Singer?

_Eu posso te mostrar quem eu sou.-ela deu dois passos.

_Não se meche.-ela o ignorou e continuou andando.-Eu disse pra não se mecher.

_Eu não vou te machucar, Winchester. E você sabe disso.

Aquelas palavras o antigiram como o tiro de uma espingarda em seu peito. "Winchester". Era tudo tão familiar e tão confuso. A garota colocou a mão em seus ombros e seu primeiro instinto foi beijá-la. Mas não. Ele não podia, nem sequer sabia quem ela era. Ele esticou a mão e colocou o corpo dela contra a parede. Sua mão queimava numa dor insuportável e aos poucos as memóriam voltavam. 

_Ash!-ela se engasgava e ele continuava com a mão em seu pescoço.-Castiel e Sam te mandaram aqui, não é?

_Sim. Sim, mandaram. Mas eu estou do seu lado.

_Eu não confio em você.

_Eu sou igual a você, Winchester.-seu rosto já estava ficando vermelho e se arroxando, quando seus olhos, antes verdes, se tornaram inteiramente pretos.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...