1. Spirit Fanfics >
  2. Black Florest >
  3. Cap. 24 - Sacrifício

História Black Florest - Capítulo 24


Escrita por:


Capítulo 24 - Cap. 24 - Sacrifício


Fanfic / Fanfiction Black Florest - Capítulo 24 - Cap. 24 - Sacrifício

- Eren – ouço alguém me chamar. Tento encontrar quem me chama mais não encontro ninguém. Só havia uma vasta escuridão. – Eren, está me ouvindo?... Petra, faça alguma coisa! – era Levi, eu ouvia a sua voz carregar preocupação e dor. – Mas o que?... Os ferimentos dele estão se curando! Mas ainda há Cristal dentro dele...

Aos poucos vejo uma luz ao longe, uma luz brilhante e acolhedora, ela me chamava... eu morri? Não posso morrer aqui, eu preciso cuidar de Levi... vou em direção a luz que aumentava aos poucos.

Abro os olhos aos poucos e vejo que minha visão voltou, e acima de mim estão os olhos mais lindos que já vi na vida, me olhando totalmente preocupado. Então a luz no fim do túnel era o brilho dos seus olhos.

- Eren! Ainda bem, eu fiquei tão preocupado – ele sorri. Percebo um pequeno arranhado embaixo de seu olho. Ele percebe o meu olhar e põem a mão em cima. – Não é nada, não se preocupe, logo vai curar.

Me sento devagar, o fogo foi apagado, havia algumas coisas ainda sendo queimados, mas nada que não dê para controlar. A Lua Vermelha ainda estava no céu, mas faltava pouco para amanhecer e os poderes dos titãs voltaram ao normal. Ponho a mão em meu ferimento causado por Kenny e não sinto mais nada, não havia nem mesmo uma cicatriz. Olho para Petra e ela abana a cabeça em negação. Isso significa que ela não me curou, o fogo deve ter feito isso.

- O que aconteceu com Kenny? – pergunto me apoiando em meu joelho para me por de pé, quase caiu mas sou segurado por Levi que me ajuda a ficar em pé. – Obrigado.

- Kenny conseguiu fugir, mas Mikasa e eu o deixamos num está de quase morte, será um milagre se ele sobreviver.

- Espero que não tenha um milagre.

- Eu também.... Temos que ir, os soldados recuaram, estão voltando para as muralhas, somente o seu amigo loiro e outro ficaram.

- Armin está bem?

- Acho que sim.

Olho em volta, tudo está tão destruído, não há nenhuma casa que esteja inteira, as barracas completamente destruídas, a fumaça subia para o céu e sumia pela densa escuridão da noite. O castelo é a única coisa que ainda está normal, e por isso, as pessoas estão a sua volta sendo acolhidos e cuidados pela Casa Ral. Vejo que alguns não tem um olho ou uma perna, outros choram debruçados em cima de seus queridos que partiram. Olhar para eles e ver que somente tão poucos titãs sobreviveram é triste, pelo menos os que não podem lutar e as crianças foram levadas para um lugar seguro.

A frente do castelo está História, ela conversa com Ymir e Reiner, enquanto aponta para os lados. Parecia estar bem furiosa.

Encostada ao muro de pedra está Mikasa, com a cabeça abaixada entre as pernas. Ao seu lado está um lobo dormindo todo enfaixado.

Levi me leva até um caixote virado onde me senta, senti olhares direcionado para mim. Mas ignoro todos.

- A quanto tempo está em pé? – pergunto para Levi preocupado, todas as vezes que o vi ele estava lutando ou machucado.

Ele não responde.

- Levi, vá descansar, não faz bem ao nosso filho você ficar em pé por tanto tempo.

- Mas-

- Eu vou ficar bem, por favor, por mim vai se sentar.

Mas Levi é teimoso que nem uma mula de manhã, invés dele ir se sentar num lugar mais confortável, ele se senta à minha frente. Eu poderia retrucar, mas não adiantaria, tentar convencer Levi a fazer alguma coisa é o mesmo que tentar fazer um cachorro a parar de latir.

Apenas suspiro.

- Há quanto tempo eu estive desacordado? O que aconteceu durante esse período?

- Bem.... Imagino que você ficou desacordado por pelo duas horas até que te encontrar. Nesse meio tempo eu estive lutando contra Kenny com Mikasa, pelo que ouvi. História havia conseguido levar todos em segurança até o rio, quando ela voltou fez os soldados a lutar uns contra os outros até morrer e depois fazia os vitoriosos se matar. Os demais vendo aquilo ficaram com medo e fugiram para a floresta. Os que ficaram foram mortos pelos Controladores de Sangue, é uma morte terrível. E os traidores foram todos mortos.

“Mas mesmo com a retirada, História imagina que ainda poderá acontecer algo maior, por isso colocou vigias nas torres do castelo. Até agora não ocorreu nada. ”

História pensa o mesmo que eu, é muito estranho os morados das muralhas declararem guerra, invadir e matar vários dos nossos para depois fugir. Também a pergunta de como eles conseguiram o Cristal, que eu saiba pelas aulas de Ymir, o Cristal é uma arma potente contra os titãs e que só é encontrado dentro de cavernas e durante os meus dezessete anos morando lá nunca ouvi alguém dizer em exploradores de cavernas. O que significa que alguém deu o Cristal para eles, alguém muito poderoso e que saiba muito dos titãs ao ponto de saber a sua fraqueza.... Alguém como...

- Essa não!! – Me ponho de pé rapidamente, olho para História que se vira para mim. – História!

Foi tão rápido que mal deu tempo de reagir. O barulho da bala era ensurdecedor, ecoou pela floresta e fez os pássaros voarem assustados. Meus olhos arregalados observa o pequeno corpo caindo no chão, uma mancha vermelha crescia em seu peito. História caiu no chão tão rápido que nem Ymir conseguiu acompanhar.

- A primeira já foi, agora falta outros.

Sua voz entrou em meus ouvidos, meus pelos se arrepiam e um choque percorre pela minha espinha. Viro-me lentamente para trás, encaro o seu sorriso sádico e o seu olhar assustador.

- Olá meu filho.

Para muitos, encontrar seu pai é motivo de felicidade, para outras eras desespero, para alguns desprezos. Mas para mim era motivo para ódio, pelo menos no meu caso. Eu fiquei completamente paralisado vendo ele, não conseguia mover um único dedo. Imagino que para os outros também seja a mesma coisa. Levi estava parado ainda sentado, com a mesma expressão que eu.

Não consigo manter meu com em pé, e caio sentado no chão.

- Bom, é lindo o momento pai e filho, mas não quero ter que lutar contra vários titãs quando a Lua Vermelha sumir. Então terei que matar todos vocês agora, já foi uma o próximo será você, Eren.

Se me dissesse antes que um pai seria capaz de matar o próprio filho, eu não acreditaria. Mas agora vejo que é possível. Meu pai engatilhou a espingarda, mirou em mim e atirou.

Eu tentaria fazer alguma coisa, mas é como se todas as energias de meu corpo tivessem sido sugadas de mim. Eu teria aceitado a minha morte se Levi não tivesse ficado em pé a minha frente, com os braços abertos. Eu gritei, chorei, tentei mover meu corpo ou utilizar meus poderes, mas nada acontecia, só via Levi parado a minha frente esperando a bala o atravessar e o tirar de mim.

Então será assim? Verei a pessoa que amo morrer a minha frente e não poderei fazer nada? Deixarei ele se sacrificar por mim?

Mas seu corpo é empurrado para o lado por um corpo que foi atingido pela bala e que cai de joelhos com o peito sangrando. Seus cabelos caem para frente e seu corpo fica fraco.

Agarrei-a antes que caia no chão, seus lábios sorriam mesmo com sangue escorrendo pelos seus lábios?

- Mikasa... por que?

- Por que?... Porque finalmente entendi que você não tem culpa pelo que seu pai fez, ou melhor, do que meu tio e Grisha fizeram para minha família. Quando eu observava você e Levi juntos eu me perguntava como vocês dois poderiam se amar?... Eu me questionava isso todo dia, então quando lutei contra Levi entendi que o amor de vocês era tão verdadeiro que nem o meu ódio ou uma questão passada poderia separar vocês – ela tosse um pouco de sangue, Levi se senta ao meu lado, chorando tanto que poderia ficar desidratado. – Ei, não chore, eu vou para um lugar feliz, estarei ao lado de mamãe e papai, feliz em saber que vocês dois estarão juntos... eu só gostaria de conhecer meus sobrinhos e mima-los, ensina-los a caçar um coelho com a boca e ver as estrelas com eles.... Mas não chore ao lembrar de mim, eu queria ensinar e aprender sobre o amor, e somente agora eu o entendo. Então não chorem. E Eren.... Você definitivamente é um Ackerman.

Seus olhos permanecem abertos, olhando para o nada, já sem vida ou cor. Todo o brilho que existia se foi. Fechos lentamente para ela poder dormir em paz.

- Que lindo, me deu até vontade de chorar. Mas vamos voltar no que realmente importa.

- Sim, vamos ao que realmente importa.

Sinto as energias voltarem para mim, sinto que tenho tanto força que poderia esmagar o mundo em um só soco. Olhar para meu pai me deu uma vontade enorme de mata-lo, de destruir a sua vida lentamente e dolorosamente.

- Olhos amarelos? – meu pai me olha assustado, recuando um pouco. –Como?

O ar a minha volta muda bruscamente, sinto o meu poder passar pelas minhas veias e explodir para fora, liberando uma massa de ar quente. Uma energia vermelha me envolve e meus cabelos crescem, assim como sinto marcas se formando embaixo de meus olhos. Então esse é o poder de um titã especial? É tão poderoso assim?

Estico minha mão em direção a meu pai e fecho meu punho. O chão começou a tremer e o céu a escurecer, o fogo vinha do próprio chão se alastrava por todos os lados. A terra se levantava, em grandes pedaços e iam para o céu formando gigantescas bolas. Raios saiam das nuvens e caiam violentamente no chão, todos tentando acertar Grisha, que corria para os lados desesperado. As grandes pedras caiam no chão e causavam grandes terremotos e perfuravam a terra ao ponto de começar a sair lava, claro não deixava nada chegar perto dos titãs ou de alguma acertar Levi ao meu lado.

Era um cenário assustador criado por uma única pessoa. Tudo acontecia de acordo com a minha vontade.

Finalmente um raio acerta Grisha que grita agonizantemente, sentido o corpo queimar com a eletricidade extremamente quente. Aquela dor que ele sente não chega nem perto da dor que Levi está sentindo e o farei pagar por fazer meu amor sofrer. O raio para e o corpo tostado de Grisha cai ao chão. O mundo volta ao normal, a lava volta à terra e as nuvens começam a ir embora, mostrando o início de uma manhã.  

Começo a me aproximar dele, não sentindo nada do que ele fez. Por causa dele os pais de Levi estão mortos, por causa dele, muitos morreram, por causa dele História pode morrer, e por causa dele, Mikasa está morta.

Ele gemia baixo e se contorcia. Ao sinto nenhuma tristeza, compaixão ou arrependimento. Não sinto nada.

- Como pode ter olhos amarelos? – ouço ele sussurrar, enquanto tenta se sentar. – É completamente impossível...

- O que tem a cor de meus olhos?

- Somente os titãs especiais mais poderosos podiam ter olhos amarelos... eles significam poder... até então somente os Ackermans poderiam ter olhos amarelos por conta de seu poder...

- Entendo.

- Eren, você sempre foi a minha maior decepção. Eu sempre soube... sempre soube que você seria o novo titã especial... sua mãe é a culpada, filha de um titã e de uma normal... criou um demônio, por isso não senti nada quando a matei, pois ela também é um demônio.

O que? Minha mãe!? Ele a matou?!

- Desgraçado...

Chuto o seu rosto, que fez vários dentes voarem...

- Eu espero que você sofra, sofra após a sua morte, que não tenha o descanso eterna que e passe a eternidade sendo atormentado. Que Soldes não tenha pena de sua alma.

 O chão começa a se abrir, e esqueletos queimando começam a subir para a superfície, puxando o corpo de Grisha para o buraco. Ele grita, esperneia, tenta se agarrar a alguma coisa, mas era arrastado. Ele grita por meu nome pedindo misericórdia, e eu respondo apenas sorrindo.

O buraco se fecha após a sua passagem, sendo levado por Soldes para o inferno.

Levi se põem ao meu lado, tocando em meu braço. Sorrio e o abraço, sentindo o seu doce cheiro.... Puxo seus lábios e o beijo.

- Acabou? Está tudo acabado? – ele pergunta quando o solto.

- Não, está foi apenas a batalha.... A guerra ainda está por vir...

 

 

 

 

(...)

- Sim, a guerra ainda está por vir, se prepare Eren Jaeger pois eu o matarei.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...