1. Spirit Fanfics >
  2. Black Halo >
  3. Capítulo 20 - Nunca Esqueça, Nunca Perdoe

História Black Halo - Capítulo 20


Escrita por:


Notas do Autor


Vigésimo capitulo dessa bagaça. Acho que esses vcs vão gostar, hehe boi.

Sem mais delongas, fiquem com o cap.

Yelena de Shingeki no Kyojin na capa do Capítulo. (Musa gigante)

Capítulo 20 - Capítulo 20 - Nunca Esqueça, Nunca Perdoe


Fanfic / Fanfiction Black Halo - Capítulo 20 - Capítulo 20 - Nunca Esqueça, Nunca Perdoe

Takeda estava já dentro daquela sala escondido por 45 minutos, sentado em uma cadeira com os pés em cima da mesa. Fazia um tempo que ele estava ouvindo as sirenes lá fora, talvez até ambulâncias para levar aqueles que foram feridos pelos seus Minions.

Takeda se espreguiçou e se levantou da cadeira, um sorriso satisfeito cresceu em seu rosto.

Estava na hora de ser herói.

Takeda sorriu confiante enquanto abria a porta para sair daquele quarto. O ambiente estava silencioso porém você podia ver marcas de que ocorreu uma batalha sangrenta ali.

Sangue manchando o chão, o teto, as paredes. Tripas no chão, membros cortados como braços, pernas, cabeças, até mesmo dedos.

Takeda estava tão alegre que ia colocar o plano em pratica que pisou em uma língua decepada que estava no chão e caiu.

" Merda, cadê aqueles loucos ? " Takeda perguntou para si mesmo enquanto olhava em volta.

Havia muitos policiais, até mesmo inocentes mortos ao redor de maneiras brutais. Havia alguns loucos também claro, porém não havia nenhum vivo.

" Eles mataram uns aos outros ? Não era pra isso acontecer.. " Takeda pensou enquanto se levantava. Bateu nas roupas e fez uma careta quando viu que seu uniforme estava manchado de sangue.

" Merda. Bom, pelo menos já tenho um álibi que eu enfrentei meus próprios Minions... " Takeda pensou consigo mesmo enquanto, tentava encontrar alguém vivo enquanto andava pelos corredores da delegacia.

" Acho que não tem mais ninguém aqui, todos estão mortos. Ho-jun morto, Yelena morta. Não vou precisar mais me preocupar com esses dois. " Takeda terminou e então começou a gargalhar.

" Bom, agora é só descer as escadas e sair do prédio e pronto! Minha vida vai estar completa. Já prevejo os jornais e as notícias: Sidekick salva uma delegacia de um surto misterioso por um estudante do ensino médio que antes foi acusado de estupro depois que foi recusado pela garota que estava apaixonado. " Takeda abriu um sorriso sádico enquanto começava a rir.

" E adivinha quem vai ser culpado disso tudo ? É você Ho-jun, eu queria que você estivesse vivo e visse eu trasformando sua vida em um inferno! Logo pela noite eu vou foder a Yoriko tanto, eu só queria ver de novo a sua cara enquanto você observava a garota que amava trepando comigo! "

" Você gosta de ouvir a si mesmo né ? " A voz subita que surgiu atrás dele fez Takeda congelar em seu caminho. Lentamente se virando ele encontrou Ho-jun.

Ele estava todo encharcado de sangue, da cabeça aos pés. A roupa tinha alguns rasgados. Alguns ferimentos de cortes nos braços, pernas e no rosto que lentamente estavam se curando.

Havia uma faca enfiada em sua barriga que ele lentamente estava tirando, Ho-jun fez uma careta e jogou a faca no chão.

Na sua mão havia um machado de bombeiro todo ensanguentado e com pedaços de carne na ponta, até mesmo cabelos humanos.

" Você realmente acha que seria fácil ? " Ho-jun perguntou enquanto olhava para o ferimento de perfuração de faca que começou a se fechar bem lentamente.

" O que ? Não vai falar nada ? " Ho-jun perguntou enquanto olhava para o olhar em choque no rosto de Takeda.

" Então tá, não se mova ... " Ho-jun segurou o machado com ambas as mãos e então começou a correr em direção à Takeda. Ho-jun pulou alto e então tentou acertar Takeda com um golpe de cima para baixo.

O garoto desviou e o machado acertou o chão com bastante força e o piso foi rachado.

Takeda tentou socar Ho-jun que estava ao seu lado, Ho-jun respondeu com um soco bem dado em suas costelas de baixo para cima. Takeda perdeu um pouco de ar, Ho-jun usou a ponta do cabo do machado para acertar o " heroi " na barriga.

Takeda cuspiu saliva e se inclinou perto o suficiente para Ho-jun acertar um tapa com a parte de trás da mão, fazendo Takeda ir pro chão.

" O que foi ? Você não queria ser o herói ? " Takeda rangiu os dentes enquanto Ho-jun se aproximava com o machado em mãos. Ele se levantou em uma velocidade rápida e o agarrou pela garganta, usando a força Takeda levantou Ho-jun pela garganta e o colocou contra a parede.

Takeda sorriu cruelmente enquanto apertava a garganta de Ho-jun, que apenas ficou lá com o rosto sem esboçar nenhuma reação.

" Eu te peguei, seu filho da puta! " Takeda sorriu enquanto apertava mais a garganta de Ho-jun.

O garoto sendo enforcado soltou o machado, Takeda pensou. Porém, Ho-jun simplesmente enfiou seus dois dedos em ambos os olhos de Takeda.

O garoto gritou de dor repetidamente, e soltou Ho-jun que caiu de joelhos. As suas orbitas foram danificadas mas não esmagadas o bastante para Takeda ser cegado de fato. Apenas podia ver embaçado.

Ho-jun se levantou e pegou novamente o machado que estava no chão, olhou para Takeda que estava gritando enquanto segurava os olhos com sangue vazando através de seus dedos.

Takeda virou seu rosto para Ho-jun, vendo ele lentamente se aproximando pelos olhos danificados. Ele se virou e começou a correr na direção oposta.

Ho-jun começou a seguir porém sons de tiro ecoaram no corredor e Takeda caiu no chão.

Ho-jun ficou um pouco confuso, havia mais algum policial vivo ? Ao se virar viu uma mulher bastante alta.

Cabelos loiros curtos em um corte retos, grandes olhos escuros. Ela estava suja por algumas manchas de sangue no rosto. Ela usava um uniforme militar negro e em sua mão segurava uma pistola com fumaça saindo do cano.

Takeda gritou de dor e frustação. Ho-jun ficou olhando para a mulher que andava lentamente na sua direção.

" Você está bem ? Parece que fomos os únicos que sobrevivemos aqui " A mulher disse enquanto olhava para Takeda que começou a se arrastar para longe deles.

" Você quer que eu te ajude ? " A mulher perguntou enquanto olhava para Takeda e então virou seu olhar para Ho-jun.

" Sim, segure ele " Ho-jun disse e a mulher assentiu. Ambos seguiram Takeda que estava se arrastando.

A mulher deu outro tiro em Takeda, acertando a sua panturrilha esquerda. Takeda gritou enquanto parou de ser arrastar por causa da dor. A mulher então subiu em cima de Takeda e olhou para Ho-jun.

" Eu quebro os braços dele e você os corta fora, tudo bem ? " A mulher perguntou enquanto olhou para Ho-jun que assentiu sem dizer nada.

A mulher então colocou o joelho contra o cotovelo de Takeda e pegou seu pulso, e então como uma alavanca, ela o puxou.

O som forte de estalo foi ouvido pelos dois, Takeda deu um grito horrível. Yelena saiu de cima e foi para o outro braço, o direito. Colocou seu joelho no cotovelo porém Takeda começou a se debater.

Ho-jun então se abaixou e começou a quebrar os dedos da mão direita de Takeda para deixar o garoto quieto. Quando quebrou finalmente o último dedo, Takeda já não tinha muitas condições para se mover e chorava de dor.

Yelena colocou seu joelho em seu cotovelo e novamente quebrou o braço do garoto, Outro grito de dor foi ouvido pelo corredor e porque não pelo prédio todo.

Yelena saiu de cima de Takeda e se aproximou de Ho-jun.

" Esse fica como nosso segredo, matamos eles aqui. A versão que vai sair é que ele tentou usar os poderes para manipular a todos porém foi morto quando os outros policiais enlouqueceram de ódio. " Yelena disse enquanto ficava ao lado de Ho-jun. Ho-jun se aproximou e pegou o machado com ambas as mãos.

Em um movimento, Ho-jun cortou o braço esquerdo de Takeda fora. Sangue espirrou do ferimento e Takeda ficou se debatendo que nem louco enquanto gritava. Ho-jun sentiu lágrimas de libertação sair de seus olhos. Era como se ele tivesse tirando um enorme peso das costas.

O próximo braço, antes o Ho-jun pisou em cima dele e ficou o pressionando contra o chão. Se passaram alguns segundos e finalmente ele cortou fora o último braço de Takeda, que estava já fazendo barulhos guturais com a boca igual à um animal.

Takeda começou a virar a cabeça para o lado e para o outro e começou a tremer. Ele estava entrando em choque.

" Ei, Takeda..." Ho-jun começou, com um sorriso aliviado enquanto lágrimas saiam de seus olhos.

" Queime no inferno, tá bom ? Eu te garanto que só os seus parentes vão sentir falta de você. " Ho-jun disse e então, segurando o machado com ambas as mãos balançou ele de cima para baixo em sua garganta, por fim Takeda foi decapitado.

Ho-jun soltou o machado enquanto começou a chorar de felicidade e soluçar. Yelena viu isso, se aproximou dele e o abraçou o confortando.

" Vamos embora daqui, e deixar os outros policiais entrarem. " Ela disse enquanto segurava Ho-jun em seus braços.

" Quem é você... "

" Meu nome é Yelena, não se preocupe. Eu irei cuidar de tudo o que ele te acusou. " Yelena disse enquanto Ho-jun assentiu.

" E então... Vamos ? " Ela perguntou enquanto olhava para Ho-jun que tinha ainda uns pequenos ferimentos de corte no rosto.

" Sim, vamos.. " Ho-jun sorriu, fechando os olhos enquanto chorava de felicidade, se sentindo aliviado como nunca....


Notas Finais


Pronto, os próximos capítulos podem demorar porque eu tô com um monte de fic pra postar que tá na cabeça tmb.
Tô com umas ideias bem loucas, ou não pode dar um tesão em escrever cap pra essa fic e eu broto do nada.

Eu ainda tenho que traduzir pros gringos pelo google que é uma bosta, mas eles tão gostando da fic tmb.

Futuramente vai ter mais, muito mais.

Espero que tenham gostado do cap, até mais.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...