1. Spirit Fanfics >
  2. Black Hat x Dr.Flug >
  3. Faxina

História Black Hat x Dr.Flug - Capítulo 5


Escrita por:


Notas do Autor


Opa galera, sei que sumi por dezenas de anos, desculpa e desculpa. Além de estar ocupada com essas aulinhas do EaD eu também tava com preguiça (novidade)

Enfim. Espero que aproveitem o capítulo!

Capítulo 5 - Faxina


Black Hat... esse era o nome dele. Eu estava procurando Demência na multidão, enquando Black Hat estava discando alguns números em um telefone bem macabro.

- Alô? Espero que a limosine esteja perto! ... O quê? ... Sim, já estou vendo ela. Adeus. - ele desliga o telefone e o manda para alguma dimensão, como se fosse um pequeno portal verde. Ele estava do meu lado, um pouco mais a frente. Quando percebo, ele dá uma olhada de canto de olho para mim, e depois olhou pra estrada que estava vindo uma limosine. A limosine era preta com alguns detalhes vermelho-escuro, sem contar que tinha uma decoração chique e macabra na frente.

- Venha logo, entre. - Ele fala isso me puxando pelo pulso e me jogando dentro da limosine, e em seguida ele entra e fica perto da janela.

Já tinham se passado alguns minutos, e estava um silêncio assustador.

- Bom, er... c-cadê a Demência BlackHa-

- Pra você é Senhor Black Hat. Ou apenas me chame de chefe.

- C-claro! Desculpa Senhor. - depois disso, ouve uma pequena "pausa" de alguns segundos até ele resolver me responder.

- Demência vai se virar sozinha. Ela veio pra cá, ela sabe voltar. Faz parte do treinamento.

- Treinamento?

- *suspiro* Exato, doutor. Ela é segurança da casa. Você faz perguntas demais sabia? Só me deixe quieto. - percebo que ele já está incomodado.

- Nha, não tenho culpa de ser curioso. - eu digo isso me apoiando e olhando para a janela do carro.


*Quebra de Tempo*


Algum tempo depois, o carro para na frente do assustador casarão em formato de cartola - que sempre me dá arrepios. Eu saio do carro e dou um longo suspiro de desmotivação olhando pra aquela casa.

- Vai ter que se acostumar assim mesmo, doutor~. Você vai passar um tempo considerável aqui. - ele diz isso como sempre com seu grande sorriso no rosto. Ele dá sinal para a limosine ir embora e nos dirigimos á casa.

Abrindo a porta, BlackHat fica parado do meu lado, me observando enquanto eu analiso todo o interior da casa. De início, era uma grande sala com uma escada consideravelmente grande no meio. Ao lado esquerdo, dava pra ver 2 portas, que estavam separadas. Ao meio delas tinha uma grande televisão, com um sofá na frente. Ao lado esquerdo, tinha uma porta e mais pra frente uma abertura que provavelmente era a cozinha. Subindo as escadas tinha um corredor vertical e tinha mais algumas portas, que eu suponha que seja o quarto do chefe, e sei lá mais o que.

- Observe. Ali é a cozinha, como você vê. No lado esquerdo tem duas portas, uma é a lavanderia e o outro é seu novíssimo laboratório! Hahaha! - ele dá uma gargalhada altíssima que até ecoa pelos cômodos.
- Irei me retirar. Ali é meu escritório, sempre bata a porta antes de entrar. Você pode explorar seu novo laboratório. - ele se retira e sobe as escadas, depois entra no seu escritório.


Ainda relutante com aquele ambiente novo e macabro eu tento começar a me familiarizar com o lugar.

- Black Hat disse para eu ver meu laboratório, melhor eu não perambular muito pela casa... - vou em direção ao cômodo que seria meu novo laboratório. Eu paro em frente a porta, e dou um suspiro.

Diferente de todo o ambiente gótico e macabro da casa, o laboratório era o mais "amigável". Um lugar simples, não muito grande porém confortável para se mover. Havia algumas mesas encostadas nas paredes brancas com vários acessórios que mesmo meio empoeirados seriam úteis, aquele lugar só precisa de uma faxina. E também encontado na parede, no centro das outras mesas, havia uma escrivaninha, não tinha nada (ainda). Na outra extremidade havia uma estante com alguns livros, porém havia alguns "exclusivos do submundo". Com ideias de armas mortais, pistolas, venenos poderosos, e qualquer coisa mortal que você consiga pensar.
- Aqui tem muitas coisas interessantes pra um "cientista maligno novato"...



...




- Ué, mas o que eu faço agora? - parei pra pensar por alguns segundos, e eu não pensei em nada ou nenhuma arma pra fazer.
- Talvez Black Hat queira que eu só me acostume com o ambiente... aliás eu posso fazer uma faxina. Parece que nenhuma alma pisou aqui faz séculos...

Remexendo algumas coisas aqui e ali, achei algumas caixas perto de um armário que tinha no laboratório. Havia algumas tranqueiras e armas mal acabadas, sem contar os quilos de poeira que acumulou durante esse tempo. Como eu não queria pertubar Black Hat, fui eu mesmo na lavanderia e achei uma vassoura e um espanador, justamente o que eu queria.
 
Quando eu estava entrando dentro do laboratorio, escuto a porta da frente se abrir de forma meio brusca.

- OPA GALERA, DEMÊNCIA NA ÁREA! - aaah, claro... Demência, óbvio. Ela chegou mais cedo do que eu imaginava. - Eae Flug!! Já se sente em casa?

- Aah, oi Demência. Que bom que não chegou muito tarde. Eu estou só fazendo uma pequena faxina aqui, tá um chiqueiro. Aliás, você poderia me ajudar em algumas coisas? Tem umas caixas bem pesadas ali...

- Nah, eu tô sem fazer nada mesmo!



*Quebra de Tempo*



Finalmente desativamos o modo "Flug e Demência Faxineiras" e conseguimos deixar o laboratório decente. Havia algumas tranqueiras e coisas quebradas (ou melhor, despedaçadas, aquilo não tinha salvação) e então com a ajuda da Demência colocamos tudo em uma grande sacola.

- Demência, como não conheço muito o lugar você poderia levar o lixo pra fora?

- De boa. - ela levanta a sacola do chão com um pouco de facilidade, o que me impressiona já que estava bem pesada, eu sou um graveto mesmo...


Enquanto isso eu estava pegando as coisas que tirei da lavanderia, e fui colocar no lugar. Porém, ao passar perto da escada eu sinto uma presença e me viro com um susto, não havia nada. Eu abro a porta da lavanderia, deixo a vassoura no lugar, e guardo as outras coisas, eu pisco meus olhos e então...

- S-SENHOR BLACK HAT! - do nada ele brota na minha frente e fecha a porta da lavanderia atrás dele, não sei como ele fez isso, porém tive um infarto.

- Infernos, não precisa gritar. Eu que sou dono da casa, vai ter que se acostumar com isso... - ele disse isso com o clássico sorriso dele, o que por algum motivo me deixou alarmado.
- Então Dr. Flug, resolveu virar empregado da casa? - ele disse depois de ver que eu estavam com o espanador. Cadê a Demência que não chega logo??

- Black Hat eu est- atchim!



...




Céus, o que foi aquele espirro? Um gatinho espirrando seria mais amendrotador que aquilo. Eu e Black Hat nos encaramos por alguns segundos e... ele parecia... corado?? Nah. Deve ser só impressão minha.

- A-Acho que isso afirma a minha pergunta. - Black Hat sai com um pouco de pressa e me deixa na lavanderia. Fiquei parado por um minuto, mesmo que eu não conhecesse Black Hat á muito tempo, sei que ele não é um cara que gaguejaria por qualquer coisa.
- Que estranho...

 


Notas Finais


Espero que tenham gostado!! Tentei dar um caprichada e fazer o capítulo com mais palavras...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...