História Black in White - Capítulo 32


Escrita por:


Notas do Autor


Amoresss, trouxe um capítulo cheios de emoções, boas e ruins :( :)

Sintam ao lerem. Espero que gostem! ♡♡

Capítulo 32 - Mudanças e desespero.


Fanfic / Fanfiction Black in White - Capítulo 32 - Mudanças e desespero.


Pov's Zac

Eu estava furioso com Lilly, eu sei que estamos atuando, mas não sabia que ela enalteceria tanto James daquela forma, eu estou surtando por essa fase que estamos enfrentando. Estou a caminho do trabalho e recebo uma ligação de Lilly.

- Oi. - respondo assim que atendo.

- Pelo amor de Deus, foi pura atuação. Fui obrigada. - ela soltou desesperada como se estivesse com medo de como eu agiria.

- Eu não aguento mais Lilly, aquele embuste tá passando dos limites. Eu vou arrumar um jeito de acabar com as gracinhas dele, pode apostar! - eu falei sem pensar no calor do ódio mesmo.

- O que você vai fazer Zac? Pelo amor de Deus não faça nada sem antes me consultar.

- Já fiz. Agora preciso desligar, estou no volante. - era uma desculpa, mas não queria ter que explicar pra ela que eu e Marlon estamos planejando acabar com James, não queria envolver ela, até porque ela jamais aceitaria. E ela já está envolvida demais nas merdas de James.

- Mas Zac...- ela tentou falar mas eu a cortei.

- Beijos linda! Nos falamos a noite. - desliguei o telefone.

Me concentrei no volante e tentei não pensar em tudo isso que está acontecendo, queria mesmo era estar livre de uma vez por todas do James, eu sabia que me envolver com Lilly não seria fácil, mas não imaginava que teria pessoas capaz de nos colocar numa situação como essa. Estaciono meu carro e subo para meu escritório.

- Senhor? - Polly me para no meio do caminho quando estou perto de entrar.

- Sim Polly.

- Um amigo seu pediu pra lhe esperar lá dentro, eu não liberei, mas ele ignorou minha ordem, espero que me perdoe. - ela parecia com medo, eu ri revirando os olhos.

- Depende de quem foi a pessoa. - disse abrindo a porta do meu escritório. - Tudo certo Polly, ele odeia ordens. - pisquei pra ela e fechei a porta. - Fala Marlon.

- Oi Zac, fiz o que me pediu. - ele tirou de dentro da mochila dele alguns arquivos.

- O que você achou? - me sentei ao lado dele com muita curiosidade.

- A cópia do testamento do pai dele. - dei ombros, não me interessava nenhum pouco. - E o ouro: A cópia do acordo que ele fez com a Inter. - ele me entregou com um sorriso maléfico no rosto. Acordo? Pensei que era negócios...

- Não posso acreditar! - falei pegando a folha e dando uma lida por cima, arregalei meus olhos quando li algo.

"...O acordo será mantido se o sócio James Peterson Stuart ter todas as ações da WorldCar em Versalhes - França, arquivadas e transferidas para seu nome. Caso não seja feito, o acordo será desfeito e a WorldCar de Washington permanecerá nas nossas mãos."

- FILHO DE UMA...- Não consegui terminar a frase Marlon me cortou.

- Eu sei Zac, eu sei. Falei a mesma coisa quando eu li. Aquele canalha não aceitou proposta de negócio algum com a Inter, eles estão juntos nessa para consegui tirar a WorldCar das mãos do seu pai. Esse sempre foi o plano inicial dele, fingiu que tinha perdido pra Inter, quando na verdade eles estão trabalhando juntos. Ou ele pega as ações completas da empresa ou a Inter ameaçou ele sobre ficar com a WorldCar de Washington pra sempre cara. - Marlon se levantou. - Confesso que o garoto é um gênio. - ele riu.

- Gênio? Ele é astuto. Capaz de coisas piores. Temos tudo que precisamos para acabar com ele Marlon, vamos agir. - me levantei em êxtase, queria muito acabar com aquele verme.

- Não é bem assim. - Marlon me olhou sério.

- Como não? Temos a prova em nossas mãos. Podemos entrar na justiça, ou falar com meu pai, ele precisa saber disso. - falei mostrando a folha pra Marlon que passou a mão no cabelo preocupado. - O que tu me sugere então?

- Acho melhor deixarmos que James pense que está ganhando. Podemos juntar todas as peças e dá a tacada final quando seu pai se render a ele, não é isso que ele quer? Que seu pai pense que ele é digno de assumir a gerência daqui? - concordei com a cabeça. - Vamos deixar que ele pense isso, pegamos ele com a polícia e todos esses documentos aqui. - Marlon me entregou o restante dos papéis. - Você vai querer ler todos.

Eu estava totalmente em choque com essa descoberta, e de pensar que existiam outras arquivos e documentos que ferrariam com a vida de James, era tudo que eu queria. Peguei todos aqueles papéis e guardei no meu cofre no escritório, agradeci Marlon pela ajuda e ele se foi. Me sentei pensativo na minha cadeira e comecei a formular um plano para dar a tacada final nele, precisava de tempo, tempo para ele conquistar meu pai e para eu me organizar para pegar ele de uma vez por todas. Se ele pensa que vai destruir minha família ele está muito enganado.


Pov's Lilly

Eu tinha acabado de finalizar as coisas na mansão, Sam já estava preparando um suco de morango pra gente tomar enquanto dava uma pausa antes de iniciar o almoço. Eu estava sentada no sofá mexendo no celular quando recebo uma mensagem:

"Fique linda pra hoje a noite, pedirei ao tio Simon para te levar pra jantar. Te pego às 20. Beijos priminha."

Joguei meu celular longe de raiva e gritei, Sam se assustou na hora e veio correndo até mim ofegante.

- O que foi Lilly? Tá tudo bem? - Sam estava assustada e eu comecei a rir. Foi culpa minha, eu não consegui segurar minhas angústias mesmo, cadê a Lilly de antes?

- Oh meu Deus, desculpe Sam, eu estava apenas expressando uma revolta minha, tá tudo bem sim. - eu disse risonha e ela sorriu aliviada.

- Da próxima vez só veja se eu não estou muito ocupada para soltar seus esculachos. - Sam sorriu e eu concordei com a cabeça.

- Pode deixar. - falei me levantando e indo procurar meu celular, o achando detrás da poltrona da sala. Droga, tela rachada. Burra, burra e burra.

Subi para meu quarto para iniciar meus estudos e recebo uma vídeo chamada pelo meu computador de Shawn, sorri involuntariamente.

- Fala gigante! - disse atendendo a chamada.

- Fala pequena. - ele sorriu, e estava todo desarrumado, sem camisa e com a cara inchada.

- Vejo que acordou bem tarde hoje. - falei dando ênfase no estado físico dele.

- Nunca dormir tão bem em toda minha vida. - ele deu sinal de graças a Deus com as mãos me fazendo rir. Shawn é um amigo incrível. - Mas me conte, como está o andamento para a viagem? Já viu sua passagem? Já comprou as coisas que precisa?

- Nem me lembre disso Shawn. - bati minha mão na testa. - Tô vendo que vou deixar tudo pra cima da hora.

- Nem pense em me deixar na mão viu - ele me olhou bravo e eu sorri mais ainda. Quando a mãe dele aparece no fundo do quarto pegando umas roupas dele espalhadas pela a estante atrás dele e obviamente, reclamando.

- Você não tem um pingo de dignidade comigo né Shawn? Não custa nada pegar essas roupas e coloca-las no cesto... ah meu Deus, oi Lilly querida, tudo bem? - ela se assustou assim que se virou e me viu.

- Eu vejo que Shawn é um rapaz muito desorganizado - rimos. - Oi tia, eu estou bem e você?

- Cansada querida, cansada. - ela falou e deu um tapa na cabeça de Shawn. - Agora desligue isso e vá já arrumar seu quarto. Desculpe Lilly, ele precisa ser um filho descente pelo menos uma vez na vida. Beijos querida. - ela disse me fazendo rir e deixando Shawn envergonhado.

- Beijos. - falei e acenei pra ela. - Melhor você ir. - falei quando ela saiu do quarto.

- É, melhor mesmo. Eu já comprei minha passagem, assim que comprar a sua me avise. - ele disse se levantando e pegando uns livros ao lado da sua mesa. - Vou arrumar aqui, porque daqui a pouco temos aula. Até mais lilly.

- Até Shawn. Boa arrumação pra você. - debochei dele.

- Haha engraçadinha. - eu ri e ele desligou a vídeo chamada.

Conversar com Shawn sempre me deixava mais alegre, ele sempre me matava de rir. Tudo com ele é diversão e palhaçada e eu adoro isso nele. Pego alguns cadernos na minha bolsa e começo a folear enquanto não dá o horário da aula, precisava revisar a matéria.


Pov's Marlon

Depois de passar o dia pensando em algo para acabar com o primo de Zac, decidir ir me encontrar com Lucy para discutimos sobre a decoração do quarto do bebê. Eu e Lucy estamos nos dando bem, mas nada além disso. Ela quer levar uma vida a dois, mas eu não, somos jovens pra isso, casamento é algo mega sério e eu não a amo a esse ponto. Só estou fazendo meu papel de pai e cumprindo com minha obrigação.

- Demorou bebezinho. - Lucy abre a porta e me dá um selinho.

- Desculpa, estava ocupado. - falei entrando na casa dela.

- O dia todo? - ela veio logo atrás de mim, e passou suas mãos em minhas costas fazendo uma massagem leve ali nos meus ombros.

- Era necessário. - falei relaxando e me sentando no sofá com ela.

- O que era tão importante que você se atrasou uma hora? - ela para a massagem e me olha torto.

- Coisa minha. - Vejo que o semblante dela muda. - Não começa Lucy, não te devo satisfação de tudo que faço da minha vida.

- Ah não? Pensei que estávamos juntos pra o que der e vier. - ela cruzou os braços.

- Falei isso em relação ao bebê, não a nós.

- Idiota! - ela fala firme e se levanta. - Vai embora daqui Marlon. Era melhor ter me ligado e inventado uma desculpa como sempre faz e não ter vindo. - ela parecia querer chorar, agora pronto, deu pra fazer drama. Que porra!

- Eu estava com Zac Lucy. Pronto, é isso. - falei logo antes que ela começasse com os dramas dela.

- Quê? - ela se virou em choque. Me assustei com a reação dela.

- Só isso que tenho a dizer.

- Você estava com aquele inútil? Você se esqueceu de como ele destratou a gente? Se esqueceu do pé na bunda que ele deu em você que é melhor amigo e em mim? O que deu em você? - Lucy parecia bem incomodada, agora porque?

- Não precisa se incomodar Lucy, ele pode ter errado com a gente, mas erramos muito mais. Você sabe disso.

- Não interessa quem errou, interessa que devíamos seguir nossas vidas sem ele. Mas você é tão idiota que prefere se render a ele. - ela mexia no cabelo pra controlar a agonia.

- Ele sempre foi meu amigo, queira você ou não. E estou em dívida com ele, fiz muita merda, ele nunca esperava isso de mim. - falei pegando minha chave que estava encima do sofá e indo em direção a saída.

- Onde você vai? Deixa eu adivinhar, atrás do seu amiguinho? - ela ironizou e eu revirei os olhos.

- Estou indo reparar um erro meu, não importa a forma que encontrei pra isso. Já você? Fique aí, se lamentando e jogando a culpa nele quando na verdade, você tá carregando a consequência de um erro que você também cometeu. - fui duro com ela, eu sei. Mas estava cansado. Lucy me pressiona muito, em muitos aspectos. Vi que algumas lágrimas rolavam no rosto dela e aquilo apertou meu coração, fui até ela abraça-la e ela me empurrou, o olhei sem entender e ela me deu um belo tapa na cara.

- Vai embora! - ela disse e saiu andando em direção a seu quarto. Fiquei ali parado processando o que ela acabara de fazer e aceitando que eu merecia. Fechei a porta da casa dela com força, pois a culpa é minha, estou focando tanto em ajudar Zac que estou deixando Lucy de lado. Ela está carregando um filho meu, eu tenho que continuar do lado dela independentemente de tudo. Mas também, preciso reparar todos os meus erros, e tenho que começar por alguém.


Pov's Lilly

...

Já estava anoitecendo e eu estava nervosa, uma mistura de medo e agonia pesava meu corpo, eu não queria sair com James, não mesmo. Mas eu tinha que fazer isso, ou já era tudo. Respirei fundo e fui até meu guarda roupa, procurar uma roupa qualquer, estava sem ânimo, sem disposição, sem nada. Peguei um vestido simples, e um tênis branco, sim, eu não iria de salto a nenhum lugar com James.

Me aprontei toda e passei meu perfume mais barrela, soltei meus cabelos que estavam sujos e eu não estava nem aí. Me olhei no espelho e sorri, James vai odiar tudo isso, mas dane -se. Abri a porta do meu quarto e dei uma olhada pra ver se não havia ninguém e corri para o quarto de Zac, precisava falar com ele.

- Zac? - falei baixinho entrando. As coisas dele estavam encima da cama, então era sinal de que ele estava em casa. Caminhei até o banheiro e me assustei quando o vi nu tomando banho, aquela cena me excitou. Sorri maliciosa e morri meu lábio inferior, Zac percebeu minha presença ali e se assustou, me fazendo rir muito.

- Não ouvi você bater! - ele brincou e abriu o box do banheiro. - Uau, você está... é, diferente. - ele riu pegando sua toalha e se cobrindo.

- Me arrumei "lindamente" para o senhor James. - dei ênfase no lindamente e sorri. Zac arqueio a sobrancelha. - Vim avisar que vou sair com ele. Me obrigou a ir a um jantar. - revirei meus olhos.

- QUE FILHO DA PUTA. - Zac deu um murro na parede me fazendo assustar de leve.

- Para Zac, calma. Você sabe o que estamos enfrentando. - falei me aproximando dele.

- Estou farto daquele bostinha, olha o que te obriga a fazer, é difícil pra mim ter que aguentar tudo isso calado Lilly. - Zac colocou suas mãos em meu rosto.

- É difícil pra mim também, você sabe disso. Mas eu faço qualquer coisa pra manter o que temos juntos. - encosto minha testa na dele e vejo Zac fechar os olhos. - Isso uma hora vai acabar, e tudo ficará bem. - colei nossos lábios em um beijo calmo e intenso, Zac me apertava contra seu corpo e eu acariciava seus cabelos e nuca. Sentia a mão de Zac apertar minha cintura quando o beijo começou a acelerar, e sem querer a toalha que estava enrolada na cintura dele caí e sinto seu membro já meio endurecido roçar na minha intimidade, eu paro o beijo e encaro aquele belo membro sorrindo. Zac rapidamente se abaixa para pegar a toalha e eu o impeço, ele me olha duvidoso e eu ajoelho, Zac dá um sorriso malicioso e eu levo minhas mãos até o membro dele e faço movimentos de vai e vem ali, Zac bagunça meus cabelos e o vejo gemer de leve, aquilo me excita muito e eu levo minha boca até a intimidade dele beijando e lambendo enquanto minhas mãos não param de trabalhar, acelero os movimentos e Zac geme mais alto, ele segura meu ombro e me olha fixamente.

- Eu vou gozar... - ele fala pedindo pra eu me afastar ou minha cara seria um alvo para seu orgasmo. Continuo ignorando o que ele pediu, quando ele leva sua cabeça pra traz de tanto prazer, me levanto e continuo fazendo os movimentos de vai e vem, mas em pé, olho no olho, encarando Zac gemer, eu estava ficando louca, quando ele goza e respira fundo me puxando pra um abraço, sinto seu orgasmo quente escorrer pelas minhas pernas, aquilo me fez rir e ele também. Nos beijamos novamente e fomos caminhando até a cama. Quando meu celular toca, eu me assunto e atendo rápido.


- Alô...? - eu estava ofegante.

- Estou lhe esperando aqui embaixo, onde está? Passei no seu quarto e não lhe vi. - James fala e eu me desespero. MERDA!

- Tô descendo. - desligo o telefone na cara dele. - Preciso ir. - falei dando um selinho apressado em Zac.

- Que droga! Estava tão bom, mas aquele embuste tinha que estragar. - Zac falou revoltado e pegou sua toalha, limpando minhas pernas e um pouco do meu vestido, eu ri com aquele ato. - Não quer aparecer no seu encontrinho com isso. - ele brincou.

- Queria era ficar aqui e terminar o que a gente começou. - o beijei novamente.

- Vai logo, antes que ele encha seu saco. - Zac separou o beijo e me empurrou de leve até a porta. - Quando chegar, passa aqui no meu quarto pra gente terminar o que começamos, o que acha? - ele sugeriu e eu sorri e pisquei pra ele, indo até o elevador.

Eu estava indo para um jantar com a pessoa que mais odeio, extremamente excitada e por sinal, molhada por uma pessoa que eu sou apaixonada. Tem como odiar muito mais a pessoa que me obrigou a isso?

- Está linda! - James falou assim que me viu sair do elevador. - Poderia estar melhor confesso, mas tudo bem, da próxima lhe dou um presente para ajudar na sua arrumação.

Garoto estúpido! Ousado! Nojento! Eu odeio tanto.

- Vamos logo?! - falei indo até a porta.

- Espera. - ele falou e eu me virei. - Tá meio molhado aqui na barra do seu vestido. - gelei na hora.

- Deve ter sido água quando fui escovar meus dentes. - sorri falsamente e me virei de volta pra porta. Respirei aliviada torcendo pra ele ter acreditado.

Depois de minutos apenas calada ouvindo James falar, falar e falar, chegamos ao restaurante. Era um lugar bem rústico e confesso, bem bonito, lugar digno para se estar com alguém que ame, não com um ladrão de empresa e de namorada. Fechei meus olhos e respirei fundo, eu queria esganar James, mas precisava manter a pose de boa moça por agora. Ele abriu a porta do carro pra mim e eu sair, não parava de pensar em Zac, pensamentos impuros pois, tínhamos acabado de ter uma quase transa, queria estar lá agora, com ele. Droga!

Caminhamos até o local e nos sentamos em uma mesa que ele reservou pra nós, James fez os pedidos e me serviu um vinho. Brindamos a idiotisse dele.

- Você deve estar se perguntando o porque de eu ter trago você até aqui. - ele disse passando o dedo na boca da taça de vinho, sem me olhar.

- Faz parte do seu plano maligno. No qual fui obrigada a me envolver. - sorri ironicamente e dei um gole no vinho.

- Vai com calma priminha, não quero te entregar para meus tios bêbada. - ele riu e eu revirei meus olhos.

- O que você quer de mim então? Fala logo que droga você quer! - estava começando a ficar furiosa com o jeito cínico dele.

- Quero que namore comigo. Aposto que primo e prima não é problema pro tio Simon, até porque você não é uma filha de verdade não é mesmo? - ele cruzou os braços e sorriu de lado.

- MAIS NEM MORTA SEU CANALHA! TE ODEIO. - soltei alto demais e as pessoas do lado começaram a nos encarar. - Qual a porra do seu problema James? - abaixei meu tom e meus olhos já estavam marejados tenho certeza, mas isso era demais pra mim.

- O problema é que eu me apaixonei por você. Mesmo você não dando a mínima pra mim e me odiando, você mexeu com minha cabeça. Só isso. Quero você pra mim, quero dá esse gostinho de derrota para Zac. - ele piscou e eu apertei a taça que estava segurando com muita força. 

- Eu nunca, NUNCA, vou namorar você. - falei com toda minha raiva e ele riu.

- Nunca é uma palavra pesada Lilly. Você prefere nunca me namorar e também NUNCA poder ficar com Zac? Porque é isso que vai acontecer quando tio Simon e tia Eliza descobrir o romance de vocês. Imagina a cara dos dois! - ele olhava pro lado como se estivesse vendo algo. - Seria hilário ver Zac ouvindo umas poucas e boas do seu papaizinho. - James sorriu alto.

- Vai pro inferno James! - me levantei bruscamente e fui direto ao banheiro. Estava segurando o choro por muito tempo, mas assim que entrei me joguei no chão e comecei a chorar. Aquilo estava me matando. Disquei o número de Zoey.

- Oi amiga. - ela atendeu sorridente. - O que aconteceu? - ela perguntou assim que ouviu meu silêncio e algumas fungadas do choro.

- James. Ele, ele quer que eu namore ele. Eu não estou suportando isso Zoey, não estou. - falei em prantos.

- Calma Lilly, onde você está agora? Vou até você. - ela falou desesperada.

- Não! Você não pode. Estou no restaurante com ele, só que agora estou em prantos no banheiro. - falei tentando enxugar minhas lágrimas.

- Meu Deus Lilly, esse garoto está te fazendo sofrer. Isso não é justo. Ele é um demônio! - Zoey parecia estar chorando comigo.

- Isso dói muito Zoey, muito. Não sei o que fazer, não quero aceitar isso, mas também não quero perder Zac, isso vai acabar com nossa família.

- Eu sei que você gosta de Zac, mas você precisa pensar em você também Lilly. Olha teu estado agora, não posso te ver, mas posso imaginar. Levanta agora e faça o que tem que fazer, diga não a ele. - Zoey foi firme comigo.

- Eu vou fazer isso mesmo, quer saber, dane -se James e seu plano diabólico. Eu não vou continuar envolvida. Eu e Zac veremos um outro jeito de acabar com ele. - eu disse me levantando do chão do banheiro.

- É isso aí garota! - Zoey parecia mais aliviada.

- Obrigada por sempre me ouvir Zoey.

- Obrigada você por contar sempre comigo coisinha, sabe que amo você né?

- Eu sei. - rimos. - Agora preciso desligar. Obrigada mais uma vez. Amo você.

- Beijos, me avisa qualquer coisa.

Desliguei o telefone e me olhei no espelho, respirei fundo algumas vezes e enxuguei as lágrimas. Pensei o que falar, o que fazer e tomei uma decisão. Sair daquele banheiro numa força brutal e me sentei na mesa, James me encarava rindo e ao mesmo tempo cínico.

- A comida já estava esfriando, e...- ele ia soltar mais umas merdas dele mas eu cortei.

- Eu aceito! - falei firme e James me olhou confuso, mas depois riu, um sorriso de satisfação. Eu estava um caos por dentro, mas precisava proteger Zac. 


Notas Finais


EITA!!!! Por essa vocês não esperavam né? Kkkkkkkk

O que mais chocou vocês?
- Marlon querendo reparar os erros?
- Ou Lilly ter aceitado a proposta do namoro? Hahaahahah pesado né gente. Mas fiquem calmas, tudo vai melhorar...Ou Não kkkkk até o próximo! Espero que estejam gostando ♡


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...