1. Spirit Fanfics >
  2. Black Swan (Yoonkook - ABO) >
  3. Day After Day

História Black Swan (Yoonkook - ABO) - Capítulo 4


Escrita por: Taehyando_

Capítulo 4 - Day After Day


Jeon Jungkook

A vida não é um mar de rosas.

Perder pessoas, encontrar pessoas, ver situações que todos consideram absurdas, sentir ódio de alguns seres humanos, sentir medo, sentir felicidade, apenas sentir; é apenas uma parte do trabalho de um policial.

— Jeon. — Namjoon apareceu com um copo de café na sala, um suspiro profundo após uma longa série de papéis para organizar e o cansaço tomando conta do corpo são coisas normais do dia de uma delegacia.

— Sim?

— Taehyung quer saber mais coisas sobre o caso do Min.

— Diga-o que ele não tem direito de exigir nada aqui, não é porque passou em uma prova que pode falar com o delegado como se fosse dono do local. Taehyung ainda é um policial bastante desrespeitoso com hierarquias, vai acabar mal desse jeito. 

— Trouxe seu café.

— Obrigado.

— Deveria ir para casa cedo hoje, antes que Jimin resolva te puxar pelos cabelos, sabe como ele fica preocupado. — resmungo, mas concordo. 

— Eu irei em breve.

Namjoon deixou a sala e observo o quadro da investigação do caso do Min, um homem escorregadio demais e muito astuto; minha equipe levou meses para que ele acabasse deixando alguma falha visível e condenável. Haviam fortes indícios de seu envolvimento com uma máfia de tráfico de drogas, além de porte ilegal de armas, contrabando e assassinatos. Minha missão era prender, mas antes de tudo, proteger minha vida e uma situação com reféns exige muita calma.

— Jeon, posso entrar? — escuto a voz de Taehyung do outro lado.

— Entre — ele parece acabado, mas ignoro, não é tão incomum vindo de nosso trabalho. — estava em missão?

— Enfrentando os demônios da cabeça do meu amigo pela madrugada. Ele não dormiu com medo do que vai acontecer a partir de agora, principalmente por não ter noção de tudo o que o pai estava envolvido e eu preciso que ele saiba de tudo. Sei que não posso pedir nada, mas eu não faria isso por nenhuma outra pessoa.

— E faria por ele? O garoto pode saber de coisas, ele também não foi totalmente descartado como possível suspeito e você deve saber... — Taehyung assentiu rapidamente — embora devo confessar que ele não aparenta, ou é um grande ator.

— Yoongi provavelmente era quem mais sofria na mão daquele homem.

— Me pergunto como se tornou próximo dele, você é um policial e sabe quem era o pai dele... — questiono desconfiado. Taehyung tem um senso muito apurado e certamente pode ter entrado nessa amizade com interesse em crescer na polícia através de informações. 

— Não vou tolerar essa desconfiança mesmo que seja meu superior. Yoongi estudou comigo e eu nunca cheguei a conhecer o pai dele pessoalmente, além disso, eu não era policial. Sei que não gosta muito de mim, mas peço que não desconte no Yoongi, ele está passando por um processo difícil e como vítima, tem o direito de ser bem tratado.

— Eu não o tratei mal e você não insinue que estou usando de sua amizade para fazer mal a alguém, eu sou um policial e não misturo meus assuntos, todo mundo aqui sabe disso, nem desgostando de você eu usei minha patente para te prejudicar.

— Agradeço por isso. — ele murmurou.

— Você ainda tem muito o que aprender, é quase uma criança aqui, agora me dê licença. O relatório sobre o caso do Yoongi é restrito à equipe que está no caso, apenas posso te informar aquilo que é de domínio público ou então o próprio garoto vai ter que te contar quando vier ser interrogado aqui. Ele está sob vigilância e proteção da polícia 24 horas, não deixaremos que nada aconteça, mas esclarecimentos ou até uma ajuda dele precisa ter.

— Eu sei, obrigado pelo seu tempo. — Taehyung se levantou, bateu continência e saiu da sala dando de cara com Namjoon.

— O que foi agora?

— Nada, só um caso de assalto, mas já estão resolvendo.

— Estou cansado. 

— Imagino, você está mexendo em um ninho de marimbondo agora. Deveria parar um pouco, namorar, encontrar uma pessoa. A sua vida parece muito solitária desse jeito, amigo.

Não consigo pensar nisso. Colocar um ômega para o meio da minha situação complicada é a pior das opções. Muitos podem pensar que sou difícil de lidar, mas debaixo de toda capa tem uma pessoa com medo.

— Eu não consigo mais desde que Jisoo perdeu a vida por minha causa — suspiro ao lembrar de minha noiva, linda, brilhante e com um futuro pela frente que foi tirado por se envolver com um policial. — Tenho tantos inimigos que não consigo contar.

Preso em uma caixa.

Namjoon ficou em silêncio, ele esteve ao meu lado quando tudo aconteceu, um grande trauma que causou a minha frieza hoje. Eu sei o quanto as vítimas sofrem, tive minha vida rodeada de situações que influenciaram na minha decisão de punir os errados. Eu quis me concentrar na vida de policial, não tinha tempo para namorar, mas Jisoo era impossível, uma garota destemida, uma bailarina que estava pronta para voar no mundo inteiro e foi sequestrada por criminosos que eu enfrentava. A negociação não deu certo porque eles eram irredutíveis e não queriam resgate e eu simplesmente desabei, o pior dia da minha vida. Nunca mais amei ninguém e tranquei todos os meus sentimentos.

Nada quebra como um coração.

Enfrentar as ruas e os homens ruins é o meu motivo de viver hoje. Desejar justiça para as pessoas, liberdade.

— Senhor. Os policiais relataram que Min Yoongi deu entrada no hospital. — um dos homens da minha equipe entra falando.

— Como? Os malditos conseguiram chegar perto dele? O atacaram? — levanto irritado da cadeira.

— Não. Ele teve uma crise de pânico e está sedado no momento, mas acredito que devemos aumentar a segurança ao redor, é muito mais fácil um sequestro ocorrer com alguém sedado.

— É verdade, leve o máximo de policiais que der e faça rondas. Qualquer situação estranha, precisam avisar e tomar cuidado, peçam reforço se necessário. — ele assentiu, Namjoon me encarou, mas seja o que tiver pensado, não disse. 

Peguei meu celular e alguns papéis e passei ao seu lado para sair da sala. Os homens trabalhando não deram importância, me dirigi até a máquina café para pegar outro, é assim na vida de um policial.

Um dia após o outro.





Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...