1. Spirit Fanfics >
  2. Blackout as três da manhã >
  3. Capítulo Único

História Blackout as três da manhã - Capítulo 1


Escrita por: TheDreameralone

Notas do Autor


Oioioi gente,
Nossas parece que faz muito tempo que eu nn posto (nn faz tanto assim, mas eu to com saudade de ter criatividade o suficiente pra escrever mto durante o mês todos)

Eu tava assistindo uns filmes de terror a uns dias atrás e do nada imaginei a squad de voltron em uma maratona de terror, e isso me veio na cabeça

Não sei o que dizer sobre essa história, ela saiu muito na aleatoridade KJDKJDSDJSDK (Eu não revisei então pode conter alguns erros)

Enfim, espero que gostem!!
Bjos Boa Leitura!!
(Perdão qualquer erro)

Capítulo 1 - Capítulo Único


 

 

-Acha que é o suficiente? - questionou Acxa depois de deixar algumas das besteiras que havia comprado em cima da mesa que ficava encostada em uma parede, bem no cantinho da sala.

 

-Acho. A gente acaba com isso ainda no primeiro filme provavelmente - respondeu Veronica jogando os cobertores no sofá.

 

Já se aproximava das 18:00 e naquele dia o grupo de amigos havia combinado de fazerem uma maratona de filmes de terror. A Maratona seria feita na casa das namoradas Veronica e Acxa. Neste exato momento ambas arrumavam as coisas enquanto esperavam seus amigos chegarem. O que não demorou muito ao ouvirem um som familiar, não só por morarem em uma região um pouco mais afastada das casas mais próximas, mas principalmente por esse som ser obviamente o rádio de um carro tocando Artic Monkeys. Acompanhado de algumas vozes berrando"Why'd you olny call me when your're high?" 

 

As duas então saíram para a varanda observando o carro de modelo antigo, e com a pintura um pouco desbotada se aproximar e parar na grama do vasto terreno, a alguns metros de distância da casa. Eles pareciam estar falando algo entre si antes do primeiro deles sair do carro. O que viram foi um ponto vermelho de mullet pisando de um jeito que só faltava quebrar o chão enquanto se dirigia a varanda, e óbvio, estava se remoendo de raiva.

 

Veronica amava sua família inteira, mas Lance sempre seria seu favorito.

 

-TU ÉS PRA MIM, UM CHUCHU, QUE COLHI NA VIDAAAA - cantarolou Lance ao sair com o carro. Ele cantava na direção onde Keith estava. E este na hora se virou irritado mostrando o dedo do meio para o McClain.

 

-Vai pra puta que te pariu - rebateu o Kogane antes de saudar brevemente as duas garotas e agarrar o filhote de Husk Siberiano que ambas tinham. Keith tinha uma estranha obsessão pelo animalzinho.

 

-Se eu não tivesse presenciado o pedido, nem fodendo que eu ia achar que esses dois namoram - disse Veronica rindo antes de abraçar Lance.

 

-Tem certeza que vocês compraram comida o suficiente gente? eu to com a estranha sensação de que vai ser pouca coisa para nós seis - disse Hunk terminando de comer seu pacote de batatinhas.

 

-Relaxa Hunk, eu valho por duas hihi - disse Veronica animada antes de trancar a porta quando todos já haviam entrado.

 

Já estavam todos ali, até queriam chamar mais alguns de seus amigos mas os outros tinham compromissos. Allura e Lotor estavam viajando juntos. Romelle estava gripada. E Matt, irmão de Pidge, estava de férias na Itália com seus pais.

 

-Tá bem, a gente achou melhor esperar vocês chegarem pra fazer o chocolate quente, porque ele já ia ter ficado frio se a gente fizesse mais cedo. Preciso que alguém me ajude a fazer agora junto com a Veronica - disse Acxa.

 

-Ah tá, espera mas por que eu tenho que ajudar? porque eu não posso ficar aqui? - disse Veronica com uma voz manhosa.

 

-Dois McClains no mesmo lugar não dão certo - disseram Keith e Acxa ao mesmo tempo.

 

-A Sincronia nas vozes - riu Pidge fazendo um "top" com a mão.

 

-Então manda o Lance te ajudar poxa, eu quero ficar aqui - continuou fazendo sua voz manhosa.

 

-Esqueceu o que aconteceu da última vez? - Acxa apontou para o teto da cozinha, especificamente para a mancha de oléo que estava no teto.

 

-Tá bem, só porque eu tenho amor a minha cozinha. Hunk, você vem?

 

-Claro - disse animado.

 

-Certo, vocês 3 podem ir arrumando os filmes ai - e assim Acxa, Veronica e Hunk foram até a cozinha - que era ligada com a sala - e foram preparar o chocolate quente.

 

-Eu vou é fechar essa janela, que frio da desgraça - Lance se levantou esfregando os braços com frio e fechando os vidros da sala, já estava até mesmo começando a nevar.

 

Keith brincava alegremente com o pequeno Husk. Apesar de todo o seu mau-humor, assim como qualquer outra pessoa - normal - Keith amava animais.

 

-Eu também quero ter minha vez de brincar com ele sabia e-boy? - disse Pidge se sentando em pernas de índio no sofá, e fingindo estar irritada.

 

-E-boy? vai pra porra Pidge - rebateu o Kogane prensando o filhote em seu peito, e este apenas levantou sua pequena cabeça começando a cheirar e lamber o queixo de Keith - Não me lambe - Pidge foi aproximando lentamente sua mão, quase encostando no filhote, mas Keith o afastou um pouco - Não, não põe a mão não - Pidge tentou repetir o ato mas Keith se afastou ainda mais desta vez e se irritou mais - NÃO , NÃO PÕE A MÃO - Keith por impulso deu um tapa na mão da Holt, obviamente não havia doído tanto assim, mas acham mesmo que Pidge iria perder uma chance de zoar seu emo favorito?

 

-Espera você me bateu? KEITH KOGANE VOCÊ ME BATEU? - disse um falso tom choroso.

 

-Espera ai tu bateu nela? TU BATEU EM UMA MULHER KEITH? ALÔ POLICIA? - disse Lance fingindo discar o número de emergência.

 

Keith obviamente sabia que era apenas brincadeira dos dois, mas aquilo estava o deixando um tanto quanto inseguro, insegurança essa que ele como de costume; transformava em raiva.

 

-Eu não...Ah vão pra puta que pariu vocês dois - disse jogando o cobertor por cima do corpo e se escondendo ainda com o Husk em seu colo.

 

Lance e Pidge riram antes de irem até o computador que estava conectado a televisão, e assim entraram no site para ver filmes e entraram na categoria de terror. Após alguns breves segundos de dúvida, ambos escolheram o primeiro filme. Os três que estavam na cozinha ainda iriam demorar alguns instantes para voltarem.

 

-Ae, o que a gente faz se o demônio invadir a casa? - disse Pidge relaxando o corpo na outra ponta do sofá, e comendo um pouquinho de pipoca.

 

-Sei lá, chama todos os Santos que existem - respondeu Lance aconchegando Keith em seu colo, e sim, Keith ainda estava com o Husk no colo - Eu vou é tacar sal na porta, pera ai, licença amor - disse antes de tirar Keith com cuidado de seu colo e o deixar no sofá, aproveitando para deixar um beijo em sua testa antes de ir até a cozinha - Veronica onde tem sal?

 

-Naquele armário ali - apontou para o móvel - pra que o sal?

 

-Colocar na porta ué, não quero que o capeta venha abusar do meu corpinho lindo não - disse pegando rapidamente o pote de sal e saindo correndo, antes que uma das duas garotas ali presentes o xingassem.

 

-Você realmente vai fazer isso? - idagou o de Mullet.

 

-Vou, apesar de tudo eu amo vocês, e quero o capeta longe de mim - disse enquanto abria a porta da frente e fazia um risco com um pouco do sal no chão - Pronto, garantia de um dia só - e assim guardou o pote de volta no armário da cozinha, antes de voltar a sala e retornar para o lugar que estava e trazer Keith de volta ao seu colo.

 

-Você que vai limpar aquilo Lance - disse Veronica ainda na cozinha.

 

-Tanto faz, o que importa é que o demônio não entre.

 

-Vira essa boca pra lá Lance, eu hein - disse Keith tombando sua cabeça para trás e encarando Lance.

 

-Pronto, o chocolate quente tá servido - Hunk chegou da cozinha com uma bandeja com as canecas de chocolate quente.

 

Logo os 6 se arrumaram no sofá. A sorte é que o móvel era grande, e levando em conta que os dois casais obviamente queriam ficar agarrados, obviamente sobraria um pouco mais de espaço. Dito e feito, Pidge foi apagar as luzes e colocou no primeiro filme. Vira e mexe algum deles fazia algum comentário sarcástico sobre algum acontecimento.

 

Em um momento uma criatura de olhos ensanguentados apareceu na tela e ficou encarando o protagonista.

 

-Que é isso mano, a mina tem um sharingan - disse Lance enfiando um bocado de pipoca em sua boca, sim, tudo de uma vez só.

 

-Corre meu amigo, vai ficar ai parado que nem um trouxa? - disse Pidge apontando para a TV enquanto se embrulhava ainda mais nos cobertores.

 

Mas então o clima ficou sério, e a música prendeu todos a televisão, e como se é esperado de um filme de terror, todos levaram um belo de um susto. Tanto que Pidge, Hunk e Lance chegaram a gritar, mas não muito alto. Mas não demorou um minuto sequer para os 6 começarem a rir como hienas.

 

Eles estavam rindo da própria cara pelo susto? não. Acontece que, o tão falado Husk havia dormido no colo de Keith, e embora o Kogane não tenha gritado, ele havia sentido o choque do susto e seu corpo deu um breve pulo. Isso fora o suficiente para o Husk acordar também assustado e pular do colo de Keith. Porém o coitado do animalzinho saiu pulando e acabou caindo dentro do balde de pipoca que estava na mão de Keith, e por tanto o cachorro, quanto o pote, serem pequenos, o filhotinho havia ficado preso com suas patinhas traseiras balançando pra fora do balde na esperança de conseguir sair dali.

 

A sorte era que como Keith estava dividindo a pipoca com Lance, seu balde já estava vazio. Mas aquela cena fora tão cômica que até mesmo Keith e Acxa estavam chorando de tanto rir.

 

-TIRA ELE DAÍ COITADO KKKK - Pidge nem conseguia falar direito de tanto que seu peito doía.

 

Lance tentou dizer alguma coisa mas falhou miseravelmente, este iria infartar se não parasse de rir.

 

-O meu amor vem cá - disse Acxa ainda rindo porém esticando os braços para que Keith lhe entregasse o pote, e foi o que o mesmo fez enquanto ria.

 

-Tadinho do meu filho - Acxa deitou o balde e Veronica puxou o Husk pelas patinhas e o aconchegou em seu peito - Moral da história, não assistam filmes de terror com um Husk no seu colo.

 

Os seis demoraram para recuperar o fôlego mas continuaram assistindo o filme tranquilamente. Aquele filme era do tipo terror sobrenatural, então não era tão pesado. Mas em compensação, logo aquele filme acabou, e após alguns fazerem pausas para ir ao banheiro, decidiram colocar um terror slash, mesmo sabendo que a maioria deles não tinha estômago pra esse tipo de filme.

 

-'Mor eu vou vomitar, puta que pariu - disse Veronica cobrindo os olhos em uma cena de tortura e se escondendo na curva do pescoço de Acxa.

 

-Não vomita em mim - respondeu a garota de cabelos roxos sem tirar sua atenção da tela.

 

-Minha nossa senhora, a Allura e o Lotor é que iam gostar desse filme, que horror - até Lance se enjoou com a quantidade de violência presente no filme.

 

Mas todos conseguiram o ver até o final. E mesmo que já fosse quase madrugada, colocaram mais um filme. Aquele era um pouco mais longo, porém todos se demonstraram interessados. Aquele era uma mistura entre o slash e sobrenatural, então estava de bom agrado. Tudo estava indo bem, o filme tinha uma história interessante. Eles tomaram um susto com uma cena, mas obviamente já esperavam por isso

 

Mas eles definitivamente, não por esperavam por aquilo.

 

Outro susto? não.

 

Um Blackout.

 

Foi um apagão na casa inteira, tudo estava um verdadeiro breu.

 

E para completar, os gritos perfeitamente sincronizados dos seis após a energia acabar. Na verdade, só Veronica e Hunk haviam se assustado com o blackout, mas o grito de ambos fora tão alto que levou os outros quatro ao lado a gritarem junto.

 

-AH MAS VAI PRA PORRA - Gritou Lance assustado e irritado.

 

-ISSO AI É A PRAGA QUE O CAPETA JOGOU PORQUE O LANCE E A VERONICA DEBOCHARAM DA CARA DELE - exclamou Pidge.

 

Acxa balançou o celular até a lanterna acender. Não estava totalmente um breu, pois ainda era possível enxergar um pouco por conta da luz da lua que entrava pelas janelas.

 

-Ah olha que beleza, são três da manhã, a hora morta, é a hora dos espíritos entrarem na casa de todo mundo. É você Satanás? - disse Lance um tanto quanto ansioso. Nem tentava disfarçar o fato de que estava com medo.

 

-O que eu fiz pra merecer isso? - Keith passou as mãos no rosto suspirando. Porém era nítido que sentiu um pouco de medo, era notável pelo aperto que fazia na camisa de Lance.

 

Todos começaram um bate boca sem lógica alguma nos argumentos. Mas se calaram ao ouvirem um som na porta da entrada.

 

-Ai Jesus...- A alma de Veronica já havia ido e voltado de seu corpo umas 3 vezes naquele momento.

 

-Vai dar merda, vai dar merda vai, vai dar merda vaaaai - cantarolaram Pidge e Lance ao mesmo tempo.

 

-Keith, Acxa, vocês são os corajosos, vão lá - Veronica puxou o cobertor e se levantou puxando a namorada pelo braço.

 

-Quais eram as chances disso acontecer? - ainda relutantes os dois foram até a porta.

 

Não iriam admitir mas estavam com um breve receio se deveriam abrir ou não a porta. Keith mandou seu medo para o alto e abriu de uma vez, e só se deparou com a visão escura da mata que ficava a frente da casa. Todos olharam para os lados não vendo nada, nem mesmo as luzes da cidade um pouco longe estavam acesas. Fora um blackout geral.

 

Lance olhou para o chão da varanda vendo que o sal já não estava mais ali, havia se espalhado e quase nem era mais possível ver ele.

 

-Sal vagabundo, agora já era - exclamou o McClain dando meia-volta e entrando.

 

-Calma, se Deus quiser a energia volta daqui a pouco e tudo fica tranquilo - afirmou Pidge tentando se acalmar.

 

Mas então o coração de todos parou quando começou a ventar. Porém como a área era mais rural por ali, os ventos balançavam algumas árvores com força e acabavam fazendo sons agudos extremamente altos, muito semelhantes a alguém imitando um fantasma - ou de fato; o som de um fantasma.

 

-Fecha essa porra - Lance rapidamente tirou a mão de Keith da maçaneta e fechou a porta logo a trancando. Nenhum deles ali era de fato boca suja, mas, o melhor jeito de acalmar o medo até então era xingando.

 

-A gente vai morrer!! - choramingou Hunk.

 

-Ninguém vai morrer aqui, calma, foi só um blackout - disse Keith tentando acalmar o amigo, embora ele próprio já estava ficando com medo.

 

A fora naquele instante que todos ali perceberam que o universo definitivamente não gostava de nenhum deles pois logo ouviram barulhos na varanda da casa.

 

-Eu escolho Deus, eu escolho ser amigo de Deus - cantarolou Lance coma voz fina de tanto medo.

 

-Para com isso meu deus eu vou infartar - Pidge se agarrou a Hunk com medo.

 

-Alguém tem coragem pra ir ver o que foi isso? - disse Veronica.

 

E fora ali então que os outros 4 olharam para Keith e Acxa. Os dois se olharam suspirando e ligando as lanternas de seus celulares a saindo para a varanda.

 

Os outros 4 foram atrás em passos lentos. O som fora escutado na parte dos fundos da casa. Keith e Acxa iam andando devagar até contornarem a casa. Ao chegarem nos fundos não viram nada fora do lugar. Isso até Lance pela milésima vez começar a cantarolar.

 

-O Sangue de Jesus tem poder, tem poder, faz o inferno estremecer - Cantarolou enquanto apontava a lanterna de seu celular para a porta dos fundos, que a princípio, estava aberta - Veronica você não trancou a porra da porta?

 

-Que eu me lembre eu tinha fechado sim - disse a McClain coçando a cabeça.

 

-Será que dá pra vocês refletirem sobre o fato de que; se a porta está aberta, alguma coisa ou alguém entrou na casa? - disse Pidge escondendo seu medo com seriedade e deboche da situação na voz.

 

-Puta que pariu - agora Acxa estava com o peito gelado de tanto medo.

 

Keith seguiu com sua lanterna acesa até estar próximo a porta. Os outros foram logo atrás de si em passos lentos. Keith esticou sua mão para puxar a maçaneta da porta entre aberta. Estava prestes a abrir a porta quando de repente.

 

BOOM, outro susto seguido de gritos por parte dos seis.

 

Motivo do susto; um demônio? Não, apenas o celular de Keith que havia começado a tocar. O Kogane havia até mesmo deixado o celular cair de sua mão. Sinceramente, não havia momento pior para sua mãe lhe ligar?

 

-Mãe são três da manhã!! Por que você tá me ligando? - exclamou irritado pelo susto.

 

-Talvez porque você seja meu filho e eu te conheça o suficiente pra saber que você não tá dormindo a essa hora - debochou Krolia - E também porque você disse que ia mandar mensagem pra mim quando chegasse na casa da Veronica e da Acxa e eu to esperando até agora.

 

Sério? Ela havia ligado para Keith as três da manhã apenas para lhe dar bronca por não ter ligado pra ela?

 

-Mãe, você me assustou - disse rangendo os dentes.

 

-Orra sogrinha, quase matou todo mundo do coração aqui - gritou Lance no fundo.

 

-Eita foi mal então - riu - desculpa, eu já to indo dormir. Por favor tragam o meu mini clone de volta amanhã.

 

-MÂE!! - Keith ficara muito envergonhado após os amigos começarem a rir de si - Tchau amanhã eu falo com você - se despediu antes de desligar a chamada.

 

-Nossa senhora como eu ainda 'to viva? - Pidge ainda tentava se recuperar do susto.

 

Keith ligou sua lanterna e entrou pela cozinha. Começou a andar procurando por algum coisa, os outros também procuravam por algo mas não havia praticamente nada de diferente ali. Veronica aproveitou para então trancar a porta dos fundos e ir trancar a da frente.

 

E mais uma vez, um som fora escutado fazendo todos se arrepiarem. O som agora fora ouvido do andar de cima. Os seis foram até a escadas, mas mesmo com a lanterna apontada para o topo as escadas eram extremamente escuras, o que só piorava o medo.

 

-Em uma escala de um a dez, quais são as chances do capeta empurrar a gente dessa escada quando a gente subir ela? - debochou Pigde.

 

-Um milhão - respondeu Lance.

 

E então o som dos ventos que pareciam fantasmas foi ouvido e um som estrondoso fez todos ali perderem o 1% de coragem que tinham para subir aquela escada, som este que era o de uma porta fechando com força.

 

-Cara, Veronica e Lance vocês vão na frente agora - disse Pidge.

 

-Por que a gente? - disseram os dois com medo em um tom de voz choroso.

 

-Porque nos filmes de terror os Padres sempre falam em espanhol.

 

-É LATIM SUA ANTA!! - céus, Lance estava morrendo de medo.

 

-E a gente nunca poderia ser padre. Cara a gente é tudo gay, a carteirinha de hétero venceu faz tempo - aquele comentário vindo de Veronica fez os outros se esquecerem brevemente do medo que sentiam e começarem a rir.

 

E com muita relutância dos dois tomaram a frente foram subindo a escada lentamente com a lanterna de seus celulares acesas. Várias portas do segundo andar estavam fechadas, então não sabiam qual delas era a que havia sido fechada. Mas então ouviram outro som vindo de um cômodo. Certamente era ali que a porta havia sido fechada.

 

Veronica foi se aproximando da porta com sua lanterna. Quando ia abrir deu um passo par trás por conta do  susto. Todos sentiram seu sangue gelar por conta dos sons que eram ouvidos pela porta. Era como se alguma coisa estivesse se chocando contra a porta. E o som do vento foi ouvido novamente junto ao som de outra coisa batendo com força dentro do quarto. Todos ali já haviam perdido suas almas. Um som de corte e arranhão eram ouvidos contra a porta e o som de algo batendo continuava alto. Sim eles já estavam gritando de medo.

 

Todos haviam derrubado seus celulares e assim suas lanternas apagaram. Hunk e Pidge haviam tropeçado e caíram no chão e estavam se abraçando de tanto medo. Keith e Acxa cambalearam para trás e começaram a tremer. Veronica correu para se agarrar a sua namorada, e Lance estava na frente de todos fazendo....bem, não era possível dizer ao certo o que ele estava fazendo.

 

-JESUS, AVE MARIA , PAI DO CÉU - Lance de tanto medo pronunciava algumas palavras totalmente desconexas e sem sentido - BÊNÇÃO, BÊNÇÃO, PAI CRENTE, PAI CRENTE - repetia em direção a porta enquanto fazia diversas vezes o sinal da cruz.

 

E então do nada os sons pararam, tudo ficou um completo silêncio. Era possível até mesmo ouvir como os corações dos seis batiam rapidamente em perfeita sincronia. Acxa respirou profundamente. Entrelaçou seus dedos aos de Veronica e foi lentamente saindo do canto do corredor e foi se aproximando da porta. Ao ficarem frente a frente com a porta as duas resolveram abrir juntas. E por fim, finalmente abriram.

 

E novamente, os seis gritaram, ao verem uma pequena figura preta sair correndo apressadamente do quarto e fazer todos dessa vez caírem no chão por conta do susto. Estavam assustados demais para perceberem que aquele som agudo e assustador e que fazia eles se arrepiarem por completo, não era nada mais nada menos do que; um gato

 

Sim, um gato.

 

Mas o gato estava correndo feito um louco pelo corredor enquanto miava alto. Logo o filhote de Husk subiu as escadas correndo assustando todos e logo se iniciou uma briga de cão e gato. Isso até o gato voltar correndo para o quarto que estava antes e pular pela janela que estava aberta.

 

Demorou alguns minutos para eles se darem conta do que havia acabado de acontecer ali. E então todos pegaram os celulares que estavam no chão e acenderam de novo as lanternas.

 

-Amor eu nunca mais vou dormir de novo - disse Lance começando a rir de nervoso enquanto acariciava os fios escuros de Keith, que estava deitado por cima de si com a cabeça em seu peito. Keith fez um som manhoso e choroso contra o peito de Lance.

 

E para deixar o momento mais cômico ainda; a luz havia voltado.

 

-QUE PORRA FOI ESSA?? KKKKKKK - disse Pidge começando a rir extremamente alto.

 

-ERA SÓ UM GATINHO - chorou Hunk.

 

Veronica e Acxa estavam agarradas rindo baixo. Veronica se levantou e foi até o quarto pelo qual o gato fugiu e acendeu a luz. Logo ficou claro o que havia acontecido ali. O Gato subiu na varanda após o blackout. Veronica não havia fechado a porta dos fundos e o gato deu a volta e entrou por ela. Quando eles estavam do lado de fora ele deve ter subido as escadas e se enfiou no quarto. A Janela estava aberta e como ventava muito forte naquele dia, o vento fora o que fez a porta fechar. E o gato assustado começou a pular contra a porta tentando a abrir, isso era confirmado pelas marcas de garra que Veronica viu atrás da porta. E o outro som era da janela abrindo e fechando.

 

Todos ali haviam perdido suas almas por conta de um gato clandestino na maratona de filmes.

 

-Eu quero ir pra casa - choramingou Pidge.

 

Todos já estavam exaustos após o susto, e também, já eram quase 4 da manhã. Acxa guiou os quatro até os outros quarto onde cada um dormiu em um estalar de dedos. Logo após, as duas se certificaram que tudo estava trancado na casa, e que o gato realmente havia fugido, e assim foram se deitar e dormiram.

 

No dia seguinte todos acordaram quase meio-dia. Todos tomaram café juntos e começaram a rir do ocorrido na madrugada. Algumas horas depois estavam todos no gramado da frente da casa se despedindo.

 

-Tchau garotas. Ham, obrigado por me darem uma experiência de viver um encontro com o demônio eu acho?? - riu fazendo os outros rirem também - tá tchau, eu já vou entrar no carro - e assim Lance foi se dirigindo até o carro, enquanto carregava Keith em seu colo estilo noiva, enquanto este se entregava cada vez mais ao seu sono.

 

-Obrigado pela noite pessoal, foi engraçado no fim das contas - e assim Hunk se também foi até o carro.

 

Pidge fora a última a se despedir e entrou no banco do motorista do carro. Hunk colocou seus fones de ouvido enquanto abria um pacote de bolachas que sempre deixava no carro. E no banco de trás Lance se deitava no banco e deixou Keith deitado entre suas pernas, cobriu o Kogane com a manta que estava ali antes de pegar seu celular e seus fones enquanto fazia carinho nos fios escuros.

 

E quem iria dizer que um simples gato clandestino havia feito todos terem uma noite deveras assustadora, engraçada, e acima de tudo; estranha.

 

 

 

 

Fim

 

 


Notas Finais


Mano eu realmente nn sei o que dizer a respeito dessa história KSJAKDJKSJ

Eu deveria colocar mais Veracxa nas minhas fics? (Elas são tão fofas mano, e eu amo tanto elas)

Eu realmente não sei o que dizer sobre essa história KJSKDJKDS Se você leu até aqui meus parabéns, você tem alguns parafusos a menos >>>ALGUNS<<< KJKSJKA

Enfim, obrigada por lerem
Bjos cueios!!
Até a Próxima!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...