História Blanche - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias As Peças Infernais, Os Instrumentos Mortais
Personagens Abbadon, Agramon, Alexander "Alec" Lightwood, Alexei De Quincey, Amatis Graymark, Anna Lightwood, Asmodeus, Axel Mortmain, Camille Belcourt, Cecily Herondale, Céline Herondale, Charlotte Fairchild, Church, Clary Fairchild (Clary Fray), Eidolon, Gabriel Lightwood, Henry Branwell, Hodge Starkweather, Imogen Herondale, Irmão Enoch, Isabelle Lightwood, Ithuriel, Jace Herondale (Jace Wayland), James "Jem" Carstairs, Jem Carstairs, Jeremiah, Jessamine Lovelace, Jocelyn Fairchild, Jonathan Christopher Morgenstern, Jordan Kyle, Kaelie, Lilith, Luke Graymark, Magnus Bane, Maryse Lightwood, Maureen Brown, Max Lightwood, Max Michael Lightwood-Bane, Nathaniel Gray, Personagens Originais, Rafael Lightwood-Bane, Ragnor Fell, Rainha Seelie, Raphael Santiago, Raziel, Robert Lightwood, Sebastian Morgstren, Senhora Black, Senhora Dark, Simon Lewis, Stephen Herondale, Tessa Gray, Valentim Morgenstern, Will Herondale, Woolsey Scott
Tags Blanche, Destruição, Universo
Visualizações 3
Palavras 1.327
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Ficção, Hentai, Luta, Magia, Mistério, Saga
Avisos: Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 8 - Sumiço


As semanas passaram tão rapidamente quanto chegavam, Tessa havia finalmente acordado e se acertava aos poucos, lidando com os fatos ocorrentes do mês. Parte da garota se sentia aliviada por tudo ter finalmente chego ao fim, já a outra estava em total defesa e sem saber o que esperar do futuro. Ela havia dormido com Will porque pensara que era a última noite viva com alguém que a amava e ela amava, mas agora ela continuava a respirar e Will também. Outra parte de sua mente mantinha-se em choque graças a luta, ela ainda sentia a fúria do anjo ao combater Liebel, e também sentiu todo o medo que o dominou quando ela se tornou uma parte de quem realmente era; Tessa ficava cansada somente de pensar naquilo, e a bile subia a garganta ao lembrar das palavras de Blanche.
"Eu posso retirar a imortalidade de você com um simples piscar de olhos, Ithuriel. Não volte a me desafiar."
 Fora a frase que mais atormentou Tessa enquanto ela se recuperava, indo e voltando de seus sonhos intensos, lembrando que fora Liebel quem permitira que Ithuriel se fosse, e não qualquer outra pessoa.
  Ela devia a vida para Dante e sabia disso quando o encontrou no corredor para irem até a sala de jantar. O tempo estava escasso, eles ainda procuravam por Liebel que havia sumido após o resgate de Tessa e os Irmãos do Silêncio corriam de lá para cá, interrogando cada um que tivesse tido contato direto com a garota.
 Uma pontada de dor se apoderou no coração de Tessa ao ver o novo irmão, ela soube quem era realmente, reconheceria aquelas mãos em qualquer canto.

 William ainda não havia saído do quarto, pensando em colocar sua mente em ordem e a piorando ainda mais, visto a sequência dos fatos anteriores.
Ele tremia da cabeça aos pés, e somente pôde dizer que havia se acalmado ao chegar ao quarto tão familiar; O quarto de Liebel.
 Tudo estritamente desorganizado como era do feitio dela, somente os livros que pareciam fazer parte até de outro cômodo se mantinham organizados por volume, cor e tamanho. Ele correu até a cama, jogando-se e sentindo o cheiro da garota. Seus olhos percorreram tudo por ali, buscando algo essencialmente dela.
 Quando notou, seus dedos corriam por sua própria pele e paravam sob a marca que ela havia feito nele. Tocou-a e deixou que o nome dela finalmente dominasse sua mente, enchendo-a com as incontáveis memórias que haviam dele, Jem e Liebel. Fechou os olhos, deliciando com as imagens corriqueiras e fragmentadas; Ao voltar abri-los, Liebel estava em sua frente, ajoelhada sob ele. Parecia receosa, reservada e distante, quando Will tentou tocá-la, ela recuou.
- Por que me invocou, Herondale? - Os olhos verdes percorriam pelo quarto, reconhecendo-o. Travaram em Will, tentando esconder um alívio momentâneo.- Visto que não corre perigo algum.
- Eu...- A voz de Will havia falhado, ele se recompôs rapidamente, encarando-a de volta.- Precisava falar com você. Vê-la depois do ocorrido. Sentir você perto de mim.
- Igual sentiu Tessa? - Ela sibilou, quase soou como um canto, mas ele sabia que era exatamente como uma praga.- Estou aqui. Pergunte.
- Quem é você? Por que não me contou antes o que realmente era? O que você é? Como conseguiu fazer até mesmo um Anjo temê-la? - As palavras jorravam dos lábios de Will antes que ele as segurasse.- Por que fugiu de nós? Por que eu não consigo parar de sentir a sua falta?
  Ela observou com calma enquanto as palavras escapavam pelo ar, respirando fundo, foi até o parapeito da janela, observando o céu.
- Eu sou Liebel Anne Blanche. Sou a origem do Universo, sou tudo que qualquer um deveria evitar fazer inimizade.- Ela respondeu calmamente, dessa vez olhando diretamente para Herondale.- Até mesmo Deus. Sou intocável até mesmo para meu criador. Não os contei porque não queria ser temida ou respeitada, tratada como superior. Eu fugi porque saberia o que iria acontecer caso ficasse, e não irei suportar o questionamento tolo da Clave outra vez.- Respirou fundo, repousando as mãos lado a lado.- Não sei porque sente minha falta, você não deveria. Está noivo agora e eu serei só algo passado.

Era esperado a indiferença com que Will estava sendo tratado, mas ela não estava assim. Parecia que não suportava aproximar-se do garoto e isso talvez estivesse o machucando mais do que deveria.
- Eu não queria isso para mim, Liebel.- Sussurrou, ele parecia fora de sua própria vida agora.- Gostaria de poder ficar com você. Amar você como você própria ama os outros; Vi como faria de tudo para proteger Jem.- Ela arrumou a postura assim que o nome foi dito, e encarou Will.- Eu gostaria de ser isso para você. Mas eu não posso, Blanche. De jeito algum.
 O corpo retraído de Blanche fizera Will arrepender-se imediatamente do que havia dito, a expressão dela contorceu-se num grito reprimido, e ele notou a pequena lágrima dourada e estrelada correndo por seu rosto antes de Liebel limpá-la com uma rapidez impressionante.
- Não cite Jem perto de mim, se possível, convença-o de que estou morta.- Falou num tom duro, os olhos delas não estavam mais verdes, se encontravam das cores originais. Estelares.- E se convença disso também, porque se me invocar uma próxima vez e não estar em perigo de morte, você pode ter certeza de que não será o meu cadáver estendido. E, antes de mais nada, se achas que eu esperava algo de você, enganou-se. Já quebraram meu coração antes de você, Gwyllim Herondale; E não será você o último.
 Antes de qualquer estilo de adeus, Will sentiu o quarto rodopiar e sua visão ficar turva, os pés não moviam-se em exatidão e ele não conseguia olhar diretamente para onde Liebel deveria estar, mas conseguia enxergar o brilho intenso de onde ela estava sangrando. Então tudo parou, ele estava em pé e no chão se formava uma pequena poça de brilho - não, não era brilho, era o sangue estelar que vira escorrer de Liebel na luta.- e a própria garota estendida no chão, com a respiração entrecortada.
 Mesmo sem saber o que fazer, ele notou o símbolo Parabatai brilhando sob a pele de porcelana da garota; Antes mesmo de mexer-se para correr até Dante, ele já estava no quarto, e não vinha sozinho. Tessa e Charlotte estavam logo atrás, encarando e tentando compreender o que se passava no quarto;  Em choque, Will observava enquanto Dante desenhava um símbolo nunca visto por ele e o machucado ia se fechando aos poucos, enquanto a loura voltava a se estabilizar.
 Dante havia se levantado e levado Will até o corredor com um simples puxão pelo braço; Normalmente, o moreno teria lutado contra isso, mas nesse instante, ele simplesmente deixou-se levar.
- O que fizestes à minha irmã, Mundano? - O sussurro fizera a pele do garoto estremecer, Will conseguia sentir a fúria angelical em cada palavra de Dante, vendo-a dominar o olhar do mesmo.
 William não conseguia falar nada, baixou o olhar e limpou a garganta, encontrando poucas palavras.
- Eu...- Ele murmurou, se lembrando do que Blanche havia dito ao Jem enquanto ele fingia o sono.- Eu a disse que não poderia ser o que ela queria; Que não poderia amá-la.
- Você provocou a sentença de vida dela.- Dante havia o agarrado, os olhos reluzindo em dourado e galáxias refletindo sob a imensidão de ódio transbordada enquanto ele o mantinha encostado na parede, centímetros elevados do chão.- A única coisa capaz de machucar minha irmã é o amor não correspondido.- Ele soltou o garoto, deixando-o tombar sem jeito no chão.- E você o fez.
 O medo havia tomado Will por um segundo, antes dele ver Dante sumindo pelo corredor, voltando ao dormitório de Liebel. Os pensamentos dele voavam rapidamente entre o sangue no chão e o ódio transmitido pelos dois irmãos, ele se recompôs e começou a correr para seu próprio quarto, trancando-se lá.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...