1. Spirit Fanfics >
  2. Blank Space >
  3. 'Cause we're young and we're reckless

História Blank Space - Capítulo 2


Escrita por:


Notas do Autor


E ai gente, tudo certinho? E estamos aqui com mais um capítulo de Blank Space ♥ Obrigada pelo apoio de todos! E fantasminhas, deixem um comentário! Amo interagir com vocês ♥ Espero que gostem ♥

Capítulo 2 - 'Cause we're young and we're reckless


Naruto não sabia se estava surpreso ou não com o fato de uma limo ter vindo até o seu humilde apartamento busca-lo. Sabia que os Hyuga eram extremamente ricos, mas não sabia que eles eram tão ricos assim. Com ajuda de uma mulher de cabelos curtos e pretos, o Uzumaki pôs suas malas e caixas dentro do carro, que tinha bastante espaço, mais do que ele imaginava. A servente dos Hyuga avisou que não seria preciso mandar um caminhão para buscar os móveis, isso porque na mansão de Hinata os móveis eram luxuosos demais para conseguir de alguma forma harmonizar com as peças do loiro. Naruto finalmente entrou no veículo, que era dirigido por um homem de aparência mediana. Enfim deixaram o prédio. O caminho para o condomínio fechado era um pouco comprido e meio longe de seu trabalho, mas considerando que teria aquela mordomia todo dia de manhã para leva-lo para a empresa, não se importaria com a distância.

Depois de mais ou menos uma meia hora silenciosa, a limo finalmente havia chegado no condomínio chegado, todavia não estavam na mansão ainda. Mais dez minutos dentro do local reservado, estavam na mansão. A casa era enorme e extremamente luxuosa, digna de uma princesa. Parecia meio antiga pois tinha estatuas de cisnes na entrada, além da cor amarelo pastel dar um ar bem medieval para o local. O Uzumaki não aguentava mais ficar sentado, assim deixou o veículo empolgado. A servente que o acompanhou pediu que entrasse, deixando crer que ela cuidaria de transportar os objetos pessoais de Naruto. O loiro passou mais alguns minutos admirando sua nova casa, mas criava dúvidas sobre a procedência de sua morada ali: por que Hinata o escolheu mesmo tendo o conhecido ontem? Ele realmente se questionava isso. As memórias do selinho que a Hyuga havia dado nele voltaram como um filme; ela também tinha problemas com amor à primeira vista? Preferia pensar assim, já que querendo ou não, deveria ser extremamente grato a herdeira da empresa dos Hyuga.

Finalmente a porta fora aberta pela mulher de cabelos curtos, e de primeira vista um enorme hall de entrada com um lindo tapete vermelho e paredes amarelas como a parte de fora da mansão. Um belíssimo candelabro estava pendurado no alto teto da casa, sabe-se lá do que ele era feito. No final do tapete, a elegante Hinata Hyuga esperava, usando um curto vestido azul bebê. A belíssima mulher sorriu gentilmente ao ver seu novo colega de casa entrando em seus aposentos. Sem pensar duas vezes, a herdeira correu até Naruto, segurando com suas mãos delicadas as grosseiras de Uzumaki, como se quisesse chama-lo para dentro. O loiro não pensou muito, apenas deixou ser guiado pela sua... Ele ainda não sabia direito ainda.

Hinata o levou para uma linda sala de jantar: uma enorme mesa cheia de comidas de café da manhã convidava o esfomeado Naruto para comer. Uma outra servente puxou a cadeira para o loiro se sentar, e a fome do Uzumaki fez com que sua falta de maneiras gritasse um pouco mais: correu até a cadeira e sentou-se sem nem pensar em sua acompanhante, que riu ao perceber o brilho nos olhos azuis do loiro. Naruto percebeu a pequena burrada que fez e desculpou-se com Hinata, que recusou o perdão e insistiu que estava tudo bem. A Hyuga deveria sentar na outra ponta da enorme mesa, mas preferiu sentar ao lado do Uzumaki, que corou um pouco com a proximidade de sua colega de casa. Naruto já havia tido outras amantes antes, mas nenhuma tão bonita, tão clássica ou educada como Hinata — bom, ele assumia que ela era uma amante.

— Coma o quanto você quiser, Naruto. — Hinata pediu com um sorriso. — Temos muitos tipos de comidas aqui.

— Obrigado, Hinata. Estava morrendo de fome. — o Uzumaki não esperou nem um resposta: pegou um torrada e passou um pouco do favo de mel, logo em seguida abocanhando o pedaço de pão com ferocidade. — Desculpa, quer alguma coisa?

— Então você tem modos, né? — brincou Hyuga, limpando um pouco do mel que escapava pela boca do loiro. — Brincadeira. Eu já comi, querido. Coma o quanto você quiser.

— Se é assim, vou aproveitar sua cortesia. — Naruto pegou um copo de suco de laranja. Amava um café da manhã diferente do estilo oriental. — Mas Hinata, se vamos morar juntos, gostaria de saber um pouco mais de você.

— Bem, o que quer saber? Seremos bem mais que colegas, então acho plausível o seu pedido.

Então ela realmente queria ser algo a mais.

— Bom, o que você faz? Qual seu passatempo favorito? E como assim querer ser algo a mais? — muitas perguntas de vez.

— Eu estudo para tomar posse da empresa do meu pai quando me casar; gosto de pintar. — a Hyuga começou a responder, botando o dedo em seus lábios. — E imaginei que poderíamos nos tornar amantes, não?

 

Naruto sentia que já sabia que a Hyuga queria ser sua amada, mas não entendia como tinha tanta confiança para simplesmente chamar um cara para morar consigo em apenas alguns minutos. Provavelmente seu dinheiro e sua beleza fizeram com que tudo fosse mais fácil para ela, então a sua autoestima realmente era algo que chegava a ser narcisista. O Uzumaki não mentiria, se apaixonou por ela no momento que a viu no escritório e adoraria que ela fosse sua namorada. Seria aquela a mulher de seus sonhos? Gentil e bonita? Naruto pensava e pensava sobre seu futuro a partir daquela decisão que havia tomado, e pessoalmente só via benefícios.

— Amantes, né? — o loiro hipnotizou-se pela voz doce de sua nova amada. — Não vejo pontos negativos nisso.

— Sim, amantes. — a Hyuga se aproximou um pouco mais do rosto de Naruto, que assustou-se um pouco com a aproximação repentina.

Naruto finalmente havia terminado o café da manhã mais luxuoso de sua vida. Limpou do rosto o tanto de geleia fina e favo de mel que haviam ficado presos no canto de sua boca. Hinata ria com o jeito atrapalhado de seu novo amante.

Os serventes limparam a mesa com agilidade, impressionando o Uzumaki com tal velocidade. Hinata entretanto não deixou Naruto admirar o trabalho de seus empregados, pois logo o puxou para fora da sala de jantar. O caminho foi um pouco mais curto que o loiro esperou, mas logo estavam fora da mansão mais parecida com um palácio. O jardim da casa era tão luxuoso quanto o interior. Naruto admirava toda a paisagem, com labirintos naturais e uma fonte com lindos anjos cuspindo água. Não demorou para que chegassem ao local que a Hyuga pretendia: um lindo campo com diversas macieiras, todas com lindas maçãs vermelhas e robustas.

— Isso é lindo.... — o loiro afirmou, encantado de fato com a natureza. — Mas, e aquelas ali? O que aconteceram com elas?

Naruto havia notado que algumas árvores estavam cortadas em sequência, o que dava um ar meio mórbido para uma outra parte do campo. A Hyuga não sentia esse sentimento mortífero que o campo passava, como se aquilo fosse natural para ela.

— Na verdade, tivemos um tipo de fungo naquelas árvores. — explicou. Naruto se surpreendeu que um fungo pudesse destruir todas aquelas macieiras, mas não era biólogo ou engenheiro ambiental. — Tivemos que cortar todas, infelizmente, mas conseguimos salvar algumas.

— Isso é uma pena, mas já conseguiram controlar esse tal fungo? — o Uzumaki questionou curioso.

— Na verdade sim! Espero que ele não volte mais. — Hinata suspirou, possivelmente pensando no estrago causando pela criatura. — Amanhã vou pedir para que meus cozinheiros façam uma torta de maçã americana para você. Vamos comemorar sua chegada de uma maneira mais doce, né?

Naruto sorriu dando uma leve risadinha, mas logo seu olhar azul se tornou um pouco mais sério e atento. O homem não entendia como uma garota tão incrível como aquela se apaixonou tão perdidamente por um ninguém como ele. Ele entendia que os sentimentos de Hinata pareciam reais, mas ainda não entendia como eles vieram a surgir, e como foram tão rápidos assim. O Uzumaki tinha medo de perguntar alguma coisa e acabar perdendo tudo aquilo que ele havia conquistado de maneira duvidosa.

— Sabe, Hinata. — começou já esperando o pior. — Eu só não entendo como você se apaixonou por mim. Claro, eu já ouvia muitas coisas boas de você na empresa, e sua aparência e delicadeza só fizeram com que eu firmasse um sentimento por você. E você? Por que se apaixonou por mim? Ou melhor, por que já me convidou para morar com você sendo que você mal me conhecia?

A Hyuga deu um longo suspiro. Não parecia ofendida, mas também não estava muito feliz com o que seu amado falou.

— Eu me apaixonei pela sua aparência e seu jeito bobo. Eu sempre tive tudo que queria, então achei que poderia ter você também. A cada momento que passa eu me apaixono mais pelo seu jeito, e é isso que eu quero que você sinta também. — Hinata se aproximou subitamente de Naruto, ficando a poucos metros de seu rosto. — Como posso provar que realmente gosto de você, Naruto?

O vento bateu nos cabelos, fazendo com que eles balançassem como em uma cena de filme. O silêncio causado pela aproximação inesperada de Hyuga fora demais para o loiro, que gaguejou, mas sabia que precisava quebrar aquele clima não tão agradável.

— N-Não precisa provar nada, Hinata! — Naruto segurou a mulher de olhos perolados, como uma tentativa de acalma-la. — Eu acredito quando você diz que gosta de mim. Eu só sou meio inseguro comigo mesmo. Talvez tenha motivos realmente para que você goste de mim.

— Que tal marcarmos nosso amor nesta macieira? — a Hyuga sugeriu com seus olhos brilhantes e lábios macios. — Sabe, como fazem em filmes e livros.

Naruto virou seu olhar para a árvore mais próxima, com um pouco de pena de sujar o tronco da macieira com algo tão fútil, todavia, notara que aquilo seria imensamente importante para a Hyuga, que continuaria o encarando até que ele desse a resposta.

— Por mim tudo bem, já que insiste tanto. — Naruto sorriu gentilmente.

— Ótimo! Vou pegar um canivete que tenho em meu quarto. Se puder esperar um pouco. — Antes que Hinata pudesse se afastar muito, o Uzumaki pegou as suas mãos e a puxou de volta. — O que houve?

— Não precisa disso, eu sempre levo um canivete no bolso para me defender. — o loiro disse com um sorriso bobo, retirando a espécie de arma da calça. — Não que eu esperasse que precisasse aqui! É só uma mania.

Hinata riu com a preocupação de seu quase namorado. Pegou das mãos do loiro o canivete, indo acompanhada por ela até a macieira mais próxima. Na árvore, começou a cravar a lâmina no tronco, desenhando o que desejava. Finalmente retirou o objeto pontiagudo da madeira, revelando um desenho meio torto, mas com um enorme valor sentimental: um guarda-chuva com os kanji de “Hinata Hyuga” e “Naruto Uzumaki” embaixo. Naruto deu risada, pois apesar de tudo, Hinata ainda era uma garota apaixonada.

— Do que está rindo? — a garota reclamou com um pouco mais de ar.

— Você realmente é uma garota apaixonada. — o Uzumaki não parava de rir. — Isso é algo que as meninas de doze anos da minha escola fariam.

A Hyuga puxou o ar e encheu as bochechas, visivelmente irritada. Sem pensar muito, começou a dar leves socos em seu parceiro, que não parou de rir mesmo com as pancadas que recebia. Sabia que Hinata havia se zangado com aquilo, mas tinha certeza que aquilo seria perfeito para que a mulher se soltasse um pouco mais e que fossem um casal de verdade.

— Sabe, Hinata. — Naruto segurou um dos punhos de sua amada. — Você realmente é muito bonita.

— Naruto.... — a Hyuga sorriu de maneira suave. Após alguns segundos o encarando, Hinata perdeu a vergonha e aproximou seus lábios dos de Naruto, selando um beijo que fora logo retribuído sem muitos esforços. As línguas se encontraram e o Uzumaki só conseguia pensar no quão macia era a boca da mulher que beijava. Abriu um pouco de seus olhos azuis para ver os da herdeira da empresa Hyuga, e obviamente eles estavam cerrados. Ela de fato estava aproveitando cada segundo daquilo. O beijo estava perto do que é ser perfeito, mas a falta de ar fez com que os dois recuassem. — Quer ir para o meu quarto?

— Sim, eu quero. — o Uzumaki assentiu com gosto, começando a puxar Hinata pela mão. — Bem, só me guie antes, pois não faço ideia de como chegar lá.

A Hyuga deu uma risadinha, tomando as rédeas de Naruto. Do nada, toda a beleza que o loiro havia presenciado no momento que passou por lá deixou de ser importante. Tudo que ele queria era chegar o mais rápido no quarto de Hinata para saborear o corpo daquela linda mulher. Finalmente chegaram no interior da mansão, sendo recebidos por um homem de cabelos escuros e olhos castanhos.

— Por favor, não nos incomode nas próximas horas. Estaremos ocupados. — avisou Hinata, fazendo com que Naruto corasse por completo.

— Sim senhorita. — o rapaz curvou-se diante da herdeira dos Hyuga como se ela fosse uma espécie de rainha.

— Ei, Hinata, não precisa avisar para todo mundo o que vamos fazer, não? — o Uzumaki pediu, extremamente encabulado.

 — É que se eu não avisar, eles ficarão batendo na porta e procurando por mim. Só isso. — explicou extremamente calma, sem perder a compostura como Naruto perdeu. — Agora, vamos?

Subiram as escadas em passos curtos. Naruto ainda não havia entrado no quarto de Hinata, então não sabia o que esperar. Ao entrar no cômodo, viu uma enorme cama com lençóis azuis e colcha magenta. Um enorme tapete redondo e desenhado cobria a maior parte do chão de madeira, além de uma enorme porta que levava até o banheiro e o closet da Hyuga. Enquanto admirava a beleza do quarto, o loiro mal percebeu que a mulher se despia bem em sua frente, deixando todo seu vestido cair no chão gelado como uma pluma. Hinata usava uma lingerie preta e rendada, como se já soubesse que aquele dia rolaria algo mais quente com o novo colega de casa. Naruto encarou a beldade que estava seminua em sua frente como um tigre observando sua presa. Não demorou muito para que a Hyuga o convidasse para ataca-la, e assim fora feito: o Uzumaki pulou na mulher com ferocidade, derrubando-a na cama. Os beijos mais sensuais que os que deram antes começaram. As línguas se contornavam com ardência, como se estivessem desesperadas pelo toque uma da outra. Enquanto os lábios se uniam, as mãos de Naruto corriam pelo corpo escultural da herdeira dos Hyuga, que também passava seus dedos pelo amarelo do cabelo de seu parceiro.

Finalmente separaram-se do beijo sensual, cansados em seu fôlego, mas nada de espirito. O loiro partiu a beijar o pescoço de porcelana de Hinata, dando mordidas e chupões; tais carinhos ficaram facilmente marcados na princesa, que era branca como neve. A mulher gemia baixinho enquanto explorava as costas malhadas de seu parceiro, que continuava a saborear todo corpo da herdeira com muita fome. Não demorou para que os olhos azuis encarassem novamente os perolados, fazendo com que eles se beijassem de maneira ardente mais uma vez. Oh Deus, Hinata pensou ao sentir as mãos de Naruto descerem até seu clitóris. Um carinho delicado no pequeno botão de prazer, fazendo com que Hinata gemesse um pouco mais alto. O loiro sentiu o molhado de sua intimidade, e extremamente sedento por mais, não teve vergonha ao botar suas mãos por baixo da peça intima preta. A masturbação ficava aos poucos do jeito que Hinata mais gostava: rápida, porém cuidadosa. Não demorou para que a calcinha voasse para longe da cama. Naruto desceu dando beijos em todo corpo de Hyuga, sentindo o gosto de lavanda de seu sabonete; ela havia tomado um banho antes de recebe-lo. Logo os lábios do loiro estavam ali. Não demorou para que ele começasse a saborear toda fonte de prazer de Hinata com a língua. Ele chupava e lambia a parte mais sensível da mulher com uma enorme vontade, sentindo os pés da amada se contorcerem em seu quadril. Minutos se passaram e Naruto mantinha o mesmo animo na hora de chupa-la. Com cuidado e notando que suas unhas estavam cortadas, o Uzumaki introduziu o dedo anelar com cuidado na vagina da herdeira dos Hyuga, fazendo movimentos de vai e vem enquanto estimulava o ponto-G. Os barulhos que Hinata fazia se tornavam mais e mais altos, indicando o elevado nível de prazer que sentia com o carinho de seu parceiro. Os movimentos foram demais para a não tão inocente mulher. Ela logo se deliciou em um intenso orgasmo na boca de Naruto, que sentiu todo seu suco descer pela sua garganta. Os dois se encararam sem folego mais uma vez. Os pingos de suor de Uzumaki caiam na intimidade de Hinata, fazendo com que ela acabasse dando pequenos tremeliques pela enorme onda de prazer que acabaram de receber.

— V-Você tem camisinhas? — o loiro perguntou enquanto passava as mãos pelo cabelo da Hyuga. — Eu acho que esqueci as minhas no apartamento antigo.

— Tenho. — Hinata sorriu de maneira pervertida ao dizer aquilo. — Estão aqui.

A mulher foi até a mesa de cabeceira, abrindo a gaveta com cuidado e puxando um preservativo. Antes de abrir o pacote, despiu Naruto com carinho, dando ligeiros beijos pelo corpo do loiro. Ao finalmente tirar sua boxer, liberando o pênis das roupas apertadas, abocanhou o membro como se fosse fugir. Hinata chupava e lambia primeiramente a cabeça do pau com cuidado, sentindo o gosto másculo por toda sua boca. A mulher continuava a aprofundar o boquete, chegando até quase a base da pica, coisa que era difícil para a maioria das mulheres que Naruto havia transado. Após deixar o homem em êxtase, finalmente abriu o pacote e pôs a camisinha no membro ereto. Hinata deitou-se na cama mais uma vez, abrindo seus grandes lábios com os dedos, convidando o Uzumaki a entrar.

O pedido da Hyuga fora uma ordem: o membro de Naruto entrou como uma luva na entrada de Hinata. De primeira a entrada doeu um pouco, mas logo quando o Uzumaki começou a movimentar o membro lentamente, o prazer começou a surgir. Enquanto o loiro fazia movimentos de vai e vem com o quadril, ele puxava os lábios da mulher com prazer, dando leves mordidas em seu beiço. O movimento tornava-se mais rápido com o tempo, deixando Hinata extremamente pirada com a pegada do parceiro que havia escolhido para si. A Hyuga sentia o pau entrando e saindo, deixando sua intimidade completamente alargada pelo tamanho e grossura. Ela pedia a Deus que aquilo não fosse um sonho, que aquilo de fato fosse um homem perfeito na cama com ela.

Depois de alguns minutos naquela posição, Naruto retirou seu membro de dentro da princesa, posicionando ela de quatro. Hinata sentiu mais uma vez o pênis do loiro entrando em sua vagina, preenchendo todo seu interior com prazer. O Uzumaki segurava a mulher pelo quadril, voltando com os movimentos. Ela soltou um gemido manhoso com as estocadas que recebia em seu útero, sentindo que logo seu companheiro chegaria ao ápice da relação. Depois de alguns minutos, Naruto murmurou algo que foi incompreendido pela herdeira dos Hyuga, todavia, percebeu o que havia dito quando ele retirou seu pau, revelando uma camisinha cheia de esperma em seu interior. Hinata sorriu de maneira gentil, abraçando seu companheiro com carinho. O sexo havia sido incrível. Os dois estavam exaustos.

Hinata deitou na cama, indicando para Naruto aonde era o banheiro antes de fechar os olhos delicadamente. O Uzumaki levantou-se e foi em direção a porta do closet, onde o banheiro também estaria. De maneira singular, o loiro encarou a amada que parecia querer dormir, então sem incomoda-la, levantou da cama ainda nu e foi ao banheiro.

— Eu realmente gosto de você, Naruto. — a mulher disse com carinho.

— Eu também, Hinata. — o homem não negaria que falou mais aquilo pela pressão, mas sentia que realmente estava apaixonando-se perdidamente pela Hyuga.

Naruto finalmente entrou no banheiro para se limpar.

— E você será somente meu. — sussurrou Hinata, abrindo seus olhos repentinamente.

 

 

New money, suit and tie

I can read you like a magazine

Ain't it funny? Rumors fly

And I know you heard about me

So hey, let's be friends

I'm dying to see how this one ends

Grab your passport and my hand

I can make the bad guys good for a weekend

 

So it's gonna be forever

Or it's gonna go down in flames

You can tell me when it's over

If the high was worth the pain

Got a long list of ex-lovers

They'll tell you I'm insane

'Cause you know I love the players

And you love the game

 

'Cause we're young and we're reckless

We'll take this way too far

It'll leave you breathless

Or with a nasty scar

Got a long list of ex-lovers

They'll tell you I'm insane

But I've got a blank space, baby

And I'll write your name


Notas Finais


Nunca mais escrevi uma cena de sexo inteira, espero que tenham gostado de qualquer maneira ♥ Beijos e até o próximo capítulo ♥


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...