1. Spirit Fanfics >
  2. Blessed by the Lights >
  3. Guggenheim - B

História Blessed by the Lights - Capítulo 2


Escrita por: maybezouis

Notas do Autor


Oi pessoinhas!
Antes de mais nada, esse capitulo é do ponto de vista da Bia, por isso tem o -B na frente do nome do cap. Quando for a Mari vai ter um -M etc. e tal.
Obrigada pelos favoritos e comentarios, ficamos muito felizes!
divirtam-se xx

Capítulo 2 - Guggenheim - B


22/06/2020. Sim, meu aniversário de 23 aninhos é numa segunda- feira, o que me faria querer morrer, se não fosse essa visita ilustre que eu estava esperando.

Logo depois de eu chegar em casa, tomar um banho e ajeitar algumas coisinhas, o interfone tocou e eu não podia estar mais feliz. Aquela voz inconfundível já chegou fazendo piadas e trazendo um bom humor contagiante, que qualquer nova iorquino parece que detesta. Como sempre ela chegou, meu deu o abraço mais apertado da vida e quase me derrubou, era muito amor pra só duas pessoas.

Depois de se instalar no meu apartamento, ela me fez uma surpresa um tanto quanto muito fofa que quase me fez chorar; é, eu nunca fui muito durona quando se trata de sentimentos. Quando olhei para o porta retratos que não era muito pequeno pude ver varias fotos, tiradas em (quase) todos os lugares que a gente já foi juntas! Tinha fotos desde a nossa primeira viagem pra Disney, até a última vez que a gente se viu.

Como pedido de aniversariante, eu queria muito visitar uma exposição no Guggenheim. Pelo que eu tinha visto das fotos, amei o tipo de grafite das obras e eu precisava ver bem de pertinho e a minha amiga topou, ah claro, contanto que eu fosse dirigindo.

Era minha hora de retribuir a surpresa e no meio daquele transito infernal de Nova Iorque coloquei uns CDs mais antigos pra gente ir escutando. Tinha de tudo, desde one direction 2011 até one direction 2017, Ed Sheeran, 5 Seconds of Summer e por aí vai…

-Ahhhhh going out tonight, changes into something red- Mari começou a cantar com o volume no último.

- Só espero que a noite não seja assim haha – dei uma risadinha meio sem graça porque eu me lembrava muito bem do que a musica falava.

- Que nada, hoje é o seu dia! O que você ta pensando em fazer depois da exposição?

- Ah queria sair, ir em algum pub talvez. Topa?

- É, eu não sou muito de beber, você sabe- já achei que ia levar o bolo – mas é verão, férias, NY e a gente tem que comemorar!

- A gente pode encontrar uns amigos meus então? Aí você já aproveita e conhece alguns gatinhos e você aproveita pra ver a Carol Styles haha.

- Okay, eu estou morrendo de saudades dela. Bia, ela ainda enche a boca pra falar “fofo”?

- Hahaha siiim.  Ah, então me ajuda aqui, pega meu celular e avisa nesse grupo que a gente vai no Pub La Bamba, eles sabem qual é.

Continuei contando pra ela como andavam as coisas por lá e falei também do Francesco, um gatinho com quem eu vinha saindo há algumas semanas, mas nada de especial.

Chegando na grande exposição que eu estava louca pra ver, ela me acompanhou e me deu seu palpite sobre algumas obras e por mais estranho que pareça, ela também achava aquilo meio familiar, mas ia demorar algumas décadas pra gente descobrir da onde, ainda mais porque o artista era anônimo. Que sorte não?

- Bia! Olha aquilo ali! – a Mari disse correndo para uma das pinturas – É o Superman!

- Acho que não, não é um S no peito dele. Que letra é essa, um T?

- Não sei, mas é muito legal – ela disse voltando a caminhar, e eu a segui.

Enquanto a gente subia a rampa, conversava e via as obras, minha sis olhou assustada para um cantinho do museu e disse que me encontraria em um segundo. Aproveitei para fazer uma pequena pausa para ir ao banheiro ver se estava tudo bem com a minha maquiagem porque a essas horas e com esse calor, ela já podia ter se derretido inteira.

Tinham duas portas, uma para o banheiro masculino e outra que não tinha plaquinha ou indicação que era banheiro feminino, mas eu não prestei muita atenção nisso e logo fui entrando. Quando me dei conta que estava no lugar errado já era tarde demais.

- Yes Sir, I’ll tell them to do this right now. – disse uma voz grossa.

Não pude evitar e dei uma espiadinha, me escondendo atrás de uma coluna. Pude ver de onde vinha a voz grossa, era o segurança da entrada. De frente para ele, um rapaz com as tatuagens dos braços a mostra, tinha mais ou menos 1,75m de altura, o cabelo preto e, espera,aquelas tatuagens... Ai meu deus, se fosse quem eu estava pensando, a Mari teria que descobrir onde eu estava pra poder me socorrer. Eu só queria poder ouvir a voz dele pra poder ter certeza de que era...

- Is any of my special guests coming today? – disse ZAYN MALIK

Ahhhhhh puta que pariu!!!!! Agora sim eu tinha certeza de quem era. Comecei a sentir uma tontura horrorosa e minha vista começou a ficar embaçada. Ouvi mais algumas palavras sendo trocadas e depois de um tempo a porta bateu.

- Ah não Bia, isso não é hora de passar mal! – disse baixinho para mim mesma numa tentativa de fazer meu corpo reagir.

Ouvi alguns passos vindo em minha direção. Gelei. Se fosse o segurança, ele ia me fazer um monte de perguntas e certamente ia me expulsar de lá. E se fosse o Zayn eu ia morrer de vergonha por estar pálida e parecendo mais fraca que o normal.

Quando os passos pararam na minha frente, pude ver um par de botas, uma calça preta rasgada nos joelhos e uma camisa com as iniciais ZM gravadas do lado direito do peito.

- Ai caraca! – pensei alto antes de olhar para o rosto da pessoa.

Quando finalmente fui subindo os olhos pude ver uma barba escura, uma boca que eu sempre fui louca para beijar e um par de olhos... Verdes? Castanho? Não sei, mas eram mais lindos ainda ao vivo.

- Are you ok?- eu presumi que era o que saia dos lábios dele, porque nesse momento minha audição tinha ido pro espaço também.

- I... I don’t think so. - não era a primeira coisa que eu planejava falar pra ele mas foi o que eu consegui pronunciar.

- Você tem certeza que não quer que eu chame uma ambulância ou os seguranças?

- Sim, só não é todo dia que a gente encontra o Zayn Malik por acaso, né?

Ele deu uma risadinha sem graça percebendo que eu era fã das antigas, mas ao mesmo tempo ele me olhava de um jeitinho carinhoso.

-E você veio até aqui trás de mim? – meio convencido.

- Ah não, eu vim ver a exposição, que por sinal está maravilhosa e estava procurando o banheiro, mas acho que entrei pela porta errada.- arranquei uma risadinha fofa dele.

- É, acho que você errou a porta, mas conseguiu me achar, o que quase ninguém esta conseguindo fazer ultimamente.

- Sorry ?!?!

- No, it’s fine. Foi só um desabafo mesmo. Quer anotar meu número caso você entre por outra porta errada? Haha

- Ok- passei meu celular para o moreno e esperei que ele terminasse de anotar o número pra eu poder sair gritando por aí.

- Nice to meet you ...?

- Beatriz.

- alright, Be. – AHHHH meu deus, ele tinha acabado de me dar um apelido? - E obrigado.

- Por te achar?

- Nah, por gostar da minha exposição.

- No way! É sua? Parabéns mesmo, ficou demais!

- Isso significa muito pra mim! Até mais babe.

Fui tentando me recompor ao poucos e caminhei até a porta pela qual e tinha entrado, até que eu me lembrei que tinha deixado alguém para trás. Então fui ao encontro da minha companheira de aventuras. Ela precisava saber o que tinha acontecido.

 


Notas Finais


O que acharam?
Continua, para? segue em frente, desiste?
hahahaha COMENTEM!
xx


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...