1. Spirit Fanfics >
  2. Blood - Chaelisa >
  3. Danger

História Blood - Chaelisa - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Oi pessoal, mais uma ficzinha para o meu perfil😍, nas notas do autor eu vou deixar os avisos e lá embaixo eu explico um pouco sobre a história.

Essa história vai conter detalhadamente:
• Sexo.
• Violência.
• Sangue ( em cenas como machucados ou mordidas)

Caso algum desses assuntos chegue a lhe incomodar eu não recomendo que leia essa história.

*O conteúdo aqui é totalmente fictício e de minha autoria*

Boa leitura ❤️

Capítulo 1 - Danger


Nesse exato momento eu estou em fuga, não sinto minhas pernas e meu corpo implorava por uma pausa, o medo e a adrenalina estão me dando forças já que eu sei que se parar eu morro. Chega a ser um incentivo, sentir a morte por perto pode assustar e nos impulsionar a ultrapassar os limites do nosso próprio corpo, mas eu já estava ultrapassando esses limites a dois ano e já não aguentava mais, só quero acordar e ver que isso é só um pesadelo... Bem longo por sinal.

Os gritos ainda ecoam na minha cabeça me causando dor, e minha visão ainda me faz alucinar vendo sangue por todo lado. Depois de tudo eu já deveria estar acostumada, mas como se acostumar a algo que pouco tempo atrás não passava de ficção ou só terror para a indústria cenográfica?!

A humanidade entrou em choque ao descobrir da pior forma que os seres de pele branca, olhos vermelhos brilhantes e presas afiadas realmente existem, descobrimos da pior maneira; Uma guerra, sangrenta e devastadora. A cerca de dois anos atrás os vampiros iniciaram uma guerra que eles obviamente ganharam, depois disso o mundo inteiro foi dominado e eles montaram seu império do horror nas capitais de todos os países. As capitais: cheias de riquezas e evoluídas no quesito tecnologia... Isso só na capital, o resto do país é a mais pura devastação e digna de cenário pós apocalíptico – coisa que realmente é.

Com toda a tecnologia e avanços os seres vampirescos - antes sombrios – agora conseguem desfrutar do brilho do astro rei, com injeções eles conseguem resistir ao sol por até 12 horas, após isso ou renovam a aplicação ou simplesmente permanecem no anoitecer. Quando eu conheci eles pelo brilho da luz eu pude, de certa forma , apreciar algo comum entre eles, a beleza. Eu devo admitir que os traços delicados e a pele de porcelana é algo impressionante e característico deles, algo atrativo para alguns humanos são os olhos vermelhos, alguns dizem ficar hipnotizados por eles (algo nunca confirmado por mim).

A capital – toca de horror deles – se tornou um lugar temido por nós, os sobreviventes. A poucos meses atrás fomos informados por alguns humanos que passaram por lá de que, agora, vampiros não matam ou transformam humanos em recém criados - que são vampiros novos e incrivelmente fortes - ,por conta do medo de uma possível escassez de sangue, eles tomaram a decisão de capturar sobreviventes e obriga-los a doar sangue. Podem se perguntar como eu sei de tudo isso, simples! Com o tempo eu conheci muitos humanos que fugiram da capital, local que eu nunca cheguei a pisar e pelas histórias eu esperava nunca chegar lá, com essas fugas um novo medo foi adquirido.

Buscadores: Vampiros já transformados – os mais velhos da equipe – que são treinados na capital para partirem de estado em estado a procura de sobreviventes, a missão deles é capturar esses humanos e levá-los intactos para a capital, afim de reabastecerem os tanques de sangue distribuídos para os vampiros, como água que saí de uma torneira. Alguns vampiros tem necessidade de carne, então dependendo da quantidade de sobreviventes capturados uma parte é enviada para um estabelecimento parecido com um “restaurante” ,onde humanos devem ser submissos e aceitar as mordidas dadas por diversos vampiros descontrolados.

Algumas coisas a mais que sei sobre caçadores eu aprendi no lugar que eu morava a aproximadamente seis meses, a fazenda acolheu a mim e os meus dois amigos que conheci quando fugi de Daegu. A fazenda era um local totalmente equipado e preparado para abrigar sobreviventes e se proteger das criaturas sombrias, mas as criaturas que nos atacaram estavam sedentos. Os três buscadores descontrolados não precisaram de mais do que 15 minutos para devorar as trinta pessoas que habitavam o local, apenas três conseguiram fugir e esses três somos nós, com experiência em nunca parar em um lugar por muito tempo, e a habilidade pessoal de correr muito rápido nós conseguimos sair dali e correr até que o fôlego fosse necessário. Eu já tinha me acostumado e já tinha criado um cotidiano na fazenda, mas aqui é o fim do mundo, nunca podemos parar.

É triste, porém é a nossa realidade. Realidade que eu nunca desejei enfrentar.

- Eu não aguento mais correr – Jisoo parou de repente, ela já pingava suor e seus cabelos ruivos estavam bagunçados pelo vento, já estamos consideravelmente longe e por “sorte” esses buscadores estavam a pé, o que é um pouco estranho já que todos eles tem carros prateados super tecnológicos com diversos sensores, cada vez vai ficando mais difícil fugir deles.

- Tudo bem, já estamos longe o suficiente... só não façam muito barulho tá – Jungkook alertou e tomou de volta o fôlego.

Sentamos no chão e respiramos fundo, mesmo estando sempre alerta para fugir foi um choque, em todas as nossas fugas eu nunca tinha visto vampiros surtados por sangue, nem na guerra eu presenciei isso. Quando eu perdi a minha família eu pensei que deveria desistir , mas então os dois surgiram, Jisoo sempre foi delicada e preocupada com nós dois, como mais velha tinha horas que ela tomava as decisões. Jungkook é o mais novo, porém ele sempre protegeu nós duas e diversas vezes eu vi ele se arriscar para nos ver bem.

- O que é aquilo ali – Jisoo apontou para um brilho que surgia no meio de algumas árvores, depois do abandono a vegetação tomou conta do que era para ser uma pista a caminho de Busan, a cidade mais próxima de onde a fazenda estava localizada.

- Deixem que eu vou averiguar, fiquem aí – Jungkook se levantou e seguiu até o brilho, Jisoo e eu nos encaramos e fomos atrás dele – vocês nunca me obedecem – resmungou quando nos aproximamos do brilho entre as árvores que é na verdade um carro, um belo carro e pelo design prata reluzente é dos buscadores, eles não estavam a pé então é melhor ir rápido.

Jungkook se aproximou devagar destravando a porta – que por incrível que pareça estava aberta – e abriu em um supetão, ninguém dentro. A chave estava na ignição e usamos ela para conferir o porta malas que só tinha algumas bolsas de sangue que já pareciam estar vazias a dias, com certeza abandonaram o carro assim que sentiram o cheiro de todas as pessoas que estavam na fazenda, a aglomeração de gente deve ter deixado o olfato deles louco.

O pouco que sei sobre essas criaturas é que são sanguinários e fortes, muito fortes. São criaturas que não devemos subestimar já que nessa minha pequena jornada de fuga eu descobri pessoalmente que eles são muito traiçoeiros, a arte da sedução é algo que eles usam e abusam para enganar os poucos humanos que ainda existem, ao ser enganada por um vampiro eu fui salva pela Jisoo, assim eu conheci os dois que não tinham vínculo familiar ou amoroso, só pessoas que se uniram contra um inimigo em comum.

- Vamos antes que eles voltem, alimentados vão estar mais fortes – Jisoo murmurou – como mais velha eu dirijo.

Concordamos e sentamos nós bancos de trás, a matança ocorreu no fim da madrugada, umas quatro e pouca da madrugada, corremos tanto naquela fazenda e ainda corremos mais até chegar aqui que o sol já estava nascendo, e eu nem preguei os olhos, já estava com uma sensação ruim que não me permitiu dormir a noite. Enquanto me aconchegava no banco incrivelmente macio achei uma espécie de compartimento abaixo do banco, um mapa holográfico com diversos pontos marcados em vermelho e uma arma de choque.

- Uou – Jisoo exclamou ao se virar no banco de motorista e olhar para o grande mapa a nossa frente com os pontos vermelhos piscando sem parar – O que são esses pontos? Será que é por onde eles já passaram ou lugares onde buscadores ficam mais tempo?

- Não sei, provavelmente deve ser lugares por onde eles já passaram, buscadores nunca ficam no mesmo lugar por muito tempo – respondi algo que algumas pessoas da fazendo me contaram.

- Provavelmente – Jungkook concordou comigo - a fazenda não está no mapa, então eles acharam do nada? – se aproximou e tocou um dos pontos que foi ampliado e uma imagem em tempo real apareceu – eles já passaram por lá e foram embora? É isso! eles passam, capturam as pessoas e vão embora. Olhem esses dados, lá está vazio.

Na tela apareceu o balanceamento com um número de humanos capturados e um mini relatório deixado pelos buscadores, nele dizia que a missão naquele perímetro foi encerrada.

- Sim, deve ser isso mesmo. A fazenda foi achada porque eles estavam famintos, vocês viram que o comportamento deles não era de vampiros saciados – Jisoo pontuou esse fato – E esses pontos me parecem suspeitos, e se eles não vão embora...

- Exato, eles não seriam burros de não deixar ninguém cuidando da cidade, não dariam ela como abandonada, certo? – falei um pouco apreensiva, poderíamos estar caminhando direto para a morte – a missão foi dada como encerrada, mas nada indica de que não deixaram ninguém lá, pelo menos um vampiro pode estar lá.

- É melhor arriscar isso do que ir para um local que não está com os pontos e logo depois dar de cara com os demônios de olhos vermelhos – Jungkook falou e no banco da frente Jisoo começou a vasculhar o porta luvas.

– Como imaginei – estendeu uma arma e encenou um disparo – they, agora estamos um pouco mais protegidos.

- Eles são imortais, Jichu – lembrei e vi ela revirar os olhos.

- Claro que não, ainda temos a opção de arrancar a cabeça – ela riu sozinha – foi assim que eu te salvei, Chae.

- Bobinha, aquilo foi sorte, ele já aparentava fraqueza e na época você tinha uma espada para auxiliar, como você conseguiu uma espada?

- Ah – ela me lançou um sorrisinho ladino – eu roub...

- Vamos logo, Busan é longe – Jungkook interrompeu, Busan foi o local ampliado e escolhido como nosso próximo refúgio – Estou com sono – ele bocejou e eu ofereci meu ombro para ele se deitar.

- Por que eu sinto que essa não é uma boa ideia? – perguntei e a ruiva me encarou pelo retrovisor.

- Temos que arriscar, Chae , podemos morrer tentando – suspirou – mas parados não podemos ficar – ligou o carro e deu partida jogando desviando de algumas árvores e jogando o carro na pista – você viu o que aconteceu quando ficamos por muito tempo em um lugar só.

Suas palavras eram carregadas de medo, mas eu falo com tranquilidade que entre nós três ela é a mais corajosa.

Deitei minha cabeça na de Jungkook que já dormia no meu ombro e fiz o mesmo que ele, não sem antes dar uma última olhada para a minha Unnie e o jeito que ela corria com o carro pela pista vazia, o sol beijava a sua pele e eu me via hipnotizada, os cabelos ruivos eram soprados pelo vento, mesmo vento que me deu mais sono ainda e sem perceber eu adormeci.


🍁🍁🍁


Acordei um tempo depois, olhei ao redor e já estamos em Busan, ou o que já foi Busan. Observei o olhar atento de Jisoo as ruas, pelo visto já estamos no interior da cidade onde tem algumas casas, e acho que ela está procurando por uma casa que não esteja tão acabada pelo tempo, ainda com Jungkook dormindo no meu ombro eu ajeitei um pouco ele e resolvi prestar atenção nas ruas também, para de alguma forma tentar ajudar a mais velha.

- Jichu – chamei e a ruiva se virou levemente para mim, ainda com os olhos presos na pista, mas acho que ela não viu o mesmo que eu – o que é aquilo no canto da pista – ao falar isso vi ela desacelerar e finalmente parar, era um corpo no parapeito da pista. Com o sono pesado eu consegui mover Jungkook para encostar no banco e destravei a porta para seguir Jisoo, preparada com a arma de choque e ela já estava com a arma na cintura segurada pela calça que usava – está morto? – olhei para o pescoço que parecia ter sido mordido, mas tinha muito sangue por cima então não tivemos uma boa visão. Era um garoto com a pele absurdamente pálida, por esse fato eu já suspeito que ele esteja morto, mas o sangue no pescoço dele parece fresco.

- Posso conferir – ela ia se aproximando e se abaixou para ver se respirava, ele segurou o braço dela e levantou bruscamente erguendo ela pelo pulso – corre Chaeyoung – ela gritou e eu vi os olhos vermelhos brilhantes, enganadas por uma merda de vampiro.

Eu entrei em choque e puxei a arma da cintura dela disparando no pescoço dele, não serviu para machucar e sim para distraír ele, consegui dar um choque nele e ele caiu no chão um pouco tonto, o choque atingiu Jisoo também e ela acabou caindo no chão. Com lágrimas nos olhos eu consegui erguer ela e nem percebi quando Jungkook saiu do carro e a pegou no colo.

A adrenalina corria de novo pelas minhas veias e o medo se fez presente tanto no meu olhar quanto no de Jungkook, corremos para o carro e ele apoiou Jisoo no banco de trás correu para o da frente, no de carona e comigo no volante e me mantive firme e tentei dirigir o mais rápido que pude. Olhei pelo retrovisor e vi o vampiro correndo atrás de nós, meio desengonçado mas ainda rápido.

- PREGOS! – Jungkook gritou e eu retomei minha visão para a frente, a luz do sol iluminou aquele metal que significava o nosso fim e eu me tremi toda, NÃO QUERO MORRER. O pneu foi furado e o carro deslizou sendo arremessado contra a vitrine de uma loja antiga, tanto os vidros do carro quanto os vidros da vitrine se chocaram e só senti os braços de Jungkook tentando me proteger dos estilhaços.

Ele retirou o braço da minha frente e um pouco tonta eu tentei olhar para minha Unnie. No banco de trás, Jisoo , estava desacordada e com um grande pedaço de vidro cravado no braço frágil dela, este que sangrava muito assim como a sua testa que com certeza se chocou com brutalidade contra a porta do carro onde ela estava apoiada, esse carro por ser de vampiros não tinha a mínima proteção além de vidros escuros contra o sol excessivo que mesmo não ferindo a pele deles ainda incomodava os olhos. O desespero se apossou do meu corpo e permiti que lágrimas grossas caíssem dos meus olhos, de novo esse pesadelo, não quero perder outra pessoa importante.

Tentei abrir a porta do meu lado, mas ela estava emperrada pela pilastra que o carro se chocou logo depois de atravessar a vitrine. Jungkook chutou e a porta ao lado dele se abriu, logo ele correu para tentar tirar Jisoo. Ele segurou ela ainda desacordada em seus braços tomando cuidado para não movimentar o braço ferido dela e tentamos correr para fora daquela loja caindo os pedaços, pisando em vários estilhaços no meio do caminho.

Minha pele tinha cortes do acidente e meus pés agora também tinham feridas que atravessaram meus tênis velhos, Jungkook não estava muito diferente.

Precisamos nos esconder, e rápido !

Aquele vampiro não está mais por perto, ao menos visivelmente, mas com as habilidades que ele possuí deve estar sentindo nosso cheiro. Segurei seu ante braço e o puxei enquanto ele ainda tinha Jisoo nos braços, havia uma casa ali perto e subimos as escadas da pequena varanda. Mesmo correndo e com a visão embaçada pelas lágrimas que ainda caiam eu consegui ver que aquela casa era bem diferente das outras, estava em boas condições – não em ruínas como as outras – e era enorme, uma casa não! Uma mansão, esse é o título que eu dei só de ver a parte de fora.

Quando entramos eu fechei a porta e me joguei no chão, meus pés estavam doendo tanto e quando tirei o tênis já velho eu vi que meu pé estava quase em carne viva, malditos vidros. Agradeci mentalmente quando Jungkook ligou a luz, mas quando me virei para olhar para ele vi dois vampiros o segurando, um garoto baixinho e uma menina. Outro estava com Jisoo nos braços e eu vi ele se afastando com ela.

Tentei correr, mas quando me aproximei meu pé falhou e caí no chão com um pano sendo pressionado no meu nariz, minha última visão foi de um Jungkook se debatendo, ato que não parecia surgir efeito já que mesmo menores que ele, aqueles dois vampiros são claramente mais fortes. Por favor, seja um sonho.


Notas Finais


Essa história era para ser oneshot, eu me distraí e acabou que passou das 20.000 palavras, então eu acabei por dividir em capítulos que não devem passar de 10 e em compensação vão ter mais de 1.000 palavras.

Dessa vez eu decidi focar em Chaelisa e deixar outros shipps para futuras histórias, então qualquer interação aqui não é insinuação nem nada, é só para construção e evolução da história e para que outros personagens interajam, mas não chega a ser de forma amorosa.

Eu espero que esse começo tenha servido para o ponta pé inicial para o universo dessa fanfic. Peço desculpas por qualquer erro e espero que vocês acompanhem esse bbzinho que demorou para sair da minha biblioteca 😂❤️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...