História Blood - Capítulo 4


Escrita por:

Postado
Categorias EXO
Personagens Do Kyung-soo (D.O), Park Chan-yeol (Chanyeol)
Tags Abo, Alfa, Beta, Chansoo, Chanyeol, Junmyeol, Kyungsoo, Máfia, Ômega, Seho, Sehun, Suho
Visualizações 37
Palavras 2.188
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Ficção, Romance e Novela, Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 4 - Capítulo 4


As luzes vastas do sol atravessavam as finas cortinas do quarto, e assim atingiam os olhos de Kyungsoo, que agora resmungava pelo incomodo de ser acordado.

O ômega esfregou seu rosto sobre os macios travesseiros preguiçosamente antes de abrir os olhos com um susto. Não era o seu cheirinho que estava naqueles macios travesseiros, agora já sentado sobre a cama ele olhava pelo quarto luxuoso que com toda a certeza não era o seu.

— que bom que acordou - uma voz doce e feminina ecoou pelo cômodo e que logo teve a atenção do pequeno.

A moça era jovem, tinha um leve sorriso no rosto que Kyung julgou ser apenas por simpatia. Suas vestes negras chegavam até acima dos joelhos, dando a entender que a mesma trabalhava na casa.

— Eu trouxe algo para você comer, imagino que esteja com fome - o jovem moça deixou a bandeja sobre uma mesinha que até então o baixinho não havia percebido que ela segurava.

— Aonde eu estou?

o baixinho perguntou passando a mão sobre a nuca.

— É a casa do senhor Park, ele disse que estava em um beco e acabou desmaiando, por não saber onde o senhor morava ele o trouxe para cá

Agora a cabeça de Kyungsoo girava, ele lembrava que estava em uma boate com Sehun, que a alta música entrava em seus ouvidos e castigava sua cabeça, lembrava do cheiro do lugar e das luzes.Ele lembrava de cada pequeno detalhe até de como seu coração estava quando seu rosto se encontrou colado as sujas paredes do beco, porém depois disso sua mente só tinha a lembrança de um cheiro amadeirado.

— Então acho de devia agradecer a ele

A jovem afirmou com um leve sorriso em seu rosto.

— Agora ele está ocupado em uma reunião, por agora sugiro que coma alguma coisa

Antes que o baixinho pudesse dizer um obrigado a mulher, ela já havia saído do quarto o deixando sozinho novamente. A barriga do ômega estava vazia e mesmo que quisesse estar em casa nesse momento seguir o conselho da jovem mulher não iria ser de mal, apenas de olhar a bandeja com a comida a barriga dele roncava, quem negaria panquecas? Ele não seria esse alguém.

Já Chanyeol, estava com as mãos sobre a testa enquanto Baekhyun e Chen o olhavam, ambos estavam bravos e possivelmente queriam esganar o platinado pela encrenca que o mesmo havia os colocado.

— Você matou ele - começou Jongdae - e trouxe o garoto para cá, espero que você saiba a encrenca que você colocou todo mundo

Naquela noite Chanyeol havia matado um homem, só não sabia ele que esse homem era Lee Minho, um dos homens de Taeyong, uma facção perigosa e impiedosa onde seu lema era que sangue exigia sangue e mesmo que a face séria ele temia por seus homens que para ele eram como irmãos.

— Eu sei... Mas eu não sei o que deu em mim, eu apenas o soquei e trouxe aquele ômega pra cá. Na hora nem me toquei que tinha o matado

Jongin que mais um vez ficava apenas calado nas reuniões suspirou.

— Eles vão querer sangue em troca de sangue como seu tão clamado dilema diz - Kai olhou para todos, ele tinha uma suposição e talvez um plano. - Ninguém age assim de propósito, se souberem o que houve no beco vão achar que aquele ômega que está no outro quarto é seu e vão atrás dele para te atingir, é só questão de tempo

— E o que vocês sugerem? - indagou o alfa platinado.

— Ele aqui nos dá uma vantagem, se os homens do Taeyong vierem até aqui, os pegaremos se surpresa

Chen afirmou com um leve aceno, havia gostado do plano de Kai, mas algo nessa história poderia ser pior do que seu colegas imaginavam e parece que Baekhyun havia capitado apenas pela feição do alfa.

— Se preparem para o pior - começou o baixinho. - Já estamos em briga com um facção pela morte de uma integrante, e agora de outra, mesmo que a primeira não tenha sido verdade Chaerin não perdera essa oportunidade para atacar junto

Assim uma longa conversa se instalou na sala, os garotos bolavam estratégias enquanto o platinado analisava tudo atentamente. Eram pequenos problemas que só começavam a aumentar, logo estariam como uma grande bola de neve rolando atrás de si, ou ele resolvia ou era asfixiado por ela.

Antes daquela reunião os garotos que quase viviam em sua casa, cochichavam sobre algo mas a conversa mais aprecia como um enxame de moscas. Após o alfa ouvir seu nome, Chanyeol tentou saber mais da conversa, sua mãe sempre disse que bisbilhotar era errado mas Chanyeol não era o cara mais certo da região. " o que acham que deu nele?" podia ouvir a baixa voz de byun cochichar para os outros "ele deve ter achado o ômega que o completa"

Omega que o completa, que na visão de Chanyeol não passava de uma boba crença que alfas e ômegas idiotas acreditavam, Jongdae era um deles. Após conhecer seu ômega em uma das mais improváveis e nada românticas situações os dois o Kim fazia tudo e mais um pouco pelo ômega, e pelos cantos dizia os rapazes como Minseok, seu omega, era sua alma gêmea.

Agora com os três estavam fora, o Park se encontrava parado em frente a porta do quarto onde havia deixado Kyungsoo, e se perguntava se deveria bater na porta.

— Aish a casa é minha - e assim abriu a porta atraindo o olhar de um baixinho ômega

E o que Chanyeol poderia considerar uma das piores hipóteses, seu corpo gelou em atrair aqueles olhos negros para si, por um momento sua alma se afundou na imensidão que eram eles o platinado podia sentir como se o ômega arrancasse sua alma de si, mas atualmente o que ele estava começando a arrancar era aquilo que ele considerava chamar de sanidade.

— Chanyeol?

A melodiosa você chamou o alfa, que teve a sua atenção totalmente ao baixinho que agora de encontrava em frente a si, mas não muito perto. Mas a única coisa que passava em sua cabeça era " ele lembra de mim?"

— Vejo que já está recuperado - O Park engoliu um seco antes de começar a falar. - Como se sente?

— Bem eu acho... mas por que eu estou na sua casa?

— Questão de segurança. - uma das sobrancelhas do baixinho se ergueram como se uma grande interrogação estivesse estampada em sua cara. O Park fechou a porta atrás de si e suspirou. - Acho melhor você não voltar

Se antes o ômega estava confuso agora era mais ainda, como ele poderia decidir se ele ficava ou não em uma casa que não era dele ainda mais alguém que ele começou apenas em uma noite.

— Você tá brincando comigo não é?

— Eu pareço estar brincando? - agora foi a vez a sombrancelha de Chanyeol se erguer. - As coisas... são mais complicadas do que parecem e podem ser perigosas de mais pra você...

Dentro de si seu lobo uivava, como se quisesse dizer aquele pequeno que apenas o queria proteger, indiretamente era o que o Park estava tentando fazer mesmo que achasse que isso era matar dois coelhos com uma cajadada só.

— Perigosas pra mim? Não, não eu não posso ficar aqui, eu tenho pessoas que vão dar a minha falta

— O seu namoradinho você quis dizer

Os olhos de Kyungsoo se reviraram nas orbis, Sehun com toda a certeza não era seu namorado e ele já estava cansado de ressaltar isso para todos.

— Ele não é... olha eu não vou ficar aqui e não vai ser você que vai me fazer mudar de ideia

Como um garoto tão pequeno podia ser tão teimoso? Se perguntava Chanyeol.

— Olha se você quiser pode ir, a vontade mas eu posso te garantir que você vai ficar aqui

Um leve sorriso estava nos lábios do mais alto que agora olhava o pequeno se dirigir a porta, e ele por sua vez deixou que o baixinho passasse. Ele se dirigiu a janela do quarto enquanto contava em sua mente até cinco, ele tinha um plano dos mais bobos mas que talvez iria dar certo.

Kyungsoo já se encontrava em frente a porta principal, ele iria para casa nem que fosse a última coisa que faria aquele dia e não ia ser um metido a besta que o manteria naquela casa. A cada passo ele estava perto dos portões, mas ele não esperava que o alfa estaria atrás de si e com um rápido movimentos o baixinho se encontrava agora nos ombros do mais alto.

— Me solta Chanyeol! Me solta agora! - vários tapas eram desferidos sobre as costas largas de Chanyeol

— Você não sai dessa casa, eu ia disse

— E eu posso saber o motivo?!

— A sua vida tá em perigo e eu não quero que você morra!

Kyungsoo se calou por um longo momento, Chanyeol o carregava novamente para dentro da casa suspirando por suas costas não serem mais uma alvo de tapas, mas também pelo o que disse. Ele sabia que não era mentira, infelizmente não era. Devagar o alfa deixou o baixinho sobre uma das poltronas da sala e se abaixou para ficar a sua altura.

— Escuta, eu sei que você não me conhece direito... Mas me deixa salvar a sua vida como você salvou a minha

Agora Kyungsoo se encontrava encarando os olhos de Chanyeol que eram mais encantadores do que imaginava, ele suspirou e a coisa que ele ia fazer agora era a mais maluca.

— Tudo bem, eu fico

Mesmo que involuntariamente Chanyeol sorriu, seu coração ficou aliviado e ele mal sabia que o mesmo se encontrava apartado. Algo crescia ali mesmo que aquele teimoso alfa negasse com todas as suas forças. Chanyeol acompanhou o baixinho até o quarto que a partir de hoje seria seu, o Do queria pensar, pensar se aquilo era uma boa ideia e ele reparava que fosse.

— Eu venho te buscar quando o jantar estiver pronto

Soo sorriu de lado e afirmou antes de fechar a porta e deixar o Park olhando para a mesma. Mesmo que não tivesse percebido ele ainda esboçava aquele sorriso bobo nos lábios.

— Vejo que alguém está apaixonado

A voz feminina chamou a atenção do alfa que logo olhou para de onde ele vinha vendo a baixinha ômega segurar um sorriso.

— omma o que faz aqui? - perguntou de imediato andando em direção a sua progenitora podendo a abraçar.

— Vim ver o meu filhote os meninos me falaram sobre o que está acontecendo e resolvi vir

— Certo - Park acompanhou a mãe até a sala onde a mesma se sentou olhando o filho - E sobre o que quer falar

— Primeiro sobre o motivo desse sorriso, eu só vi você sorri assim uma vez na vida meu filho 

— Primeiro sobre o motivo desse sorriso, eu só vi você sorri assim uma vez na vida meu filho

Chanyeol revirou os olhos enquanto se servia de um copo de whisky, ele não queria lembrar disso agora e ele não estava apaixonado como a mãe alegava.

— Eu não estou apaixonado

— Claro que não, eu sou sua mãe Chanyeol te conheço tão bem quanto qualquer outro - A senhora Park Eunhee chamou ia das empregadas da casa que por ali passava que logo teve a sua atenção - Querida me traga uma xícara de chá de hortelã por favor

A jovem afirmou e logo sumiu da vista de senhora que voltou a olhar o filho.

— O que ele te faz sentir? E não minta pra mim

O park sabia que pelo menos para sua omma ele não podia mentir, ela saberia a verdade uma hora ou outra. Ele se sentou em sua frente e passou a mão sobre seus fios de cabelo.

— É estranho... eu não o conheço direito e ele já me faz matar um homem

Eunhee deixou uma baixa risada sair de seus lábios com a fala do filho.

— Ele me deixa com medo omma, não dos outros mas com medo dele sumir, ele fez meu lobo se agitar e meu coração disparar em apenas pensar que ele poderia estar lá fora sem a minha proteção.

A senhora Park sorriu e colocou a mão dela sobre a do filho, ela o entendia mais que tudo e sabia pelo o que deu filhote estava passando.

— Quer um conselho de mãe? Não deixa ele ir meu filho, talvez seja ele que te amara tão intensamente que ficará do seu lado independente de tudo... Siga seu lobo e ainda mais seu coração.

Naquela momento o alfa sorriu, se a mãe estiver certa talvez ele pudesse tentar. Mas a vida dele era tão complicada que isso fazia ele temer pelo pequeno, como temia por todos a sua volta. Mas se ele poderia proteger o jovem ômega, ele faria isso e se ganhasse o coração dele no meio do caminho ele lutaria por ele.


Notas Finais


Oiê meus anjinhos
Desculpa por esse cap de ele não estiver bom, eu tava com umas complicações pra desenvolver ele 😥
Mas eu tentei ao máximo trazer algo bom.

Eu esqueci de dizer que, o Chanyeol e o Kyungsoo tem uma boa diferença de idade já que o Soo é universitário ainda, então imaginem ele com 20, 21 anos por aí
Já o Chanyeol tem a idade normal dele

Bom até o próximo capítulo meus anjinhos ❤️💓


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...