1. Spirit Fanfics >
  2. Blood Academy >
  3. Entre costelas trincadas e queimaduras

História Blood Academy - Capítulo 8


Escrita por: e Fecruks


Notas do Autor


FEBELLA IS THE REVOLUTION IS BACKKKKK

Espero que alguém ainda lembre de Blood Academy depois de tanto tempo <3

Sim gente, só uma quarentena pra nos forçar a escrever de novo, não é mesmo?
A boa notícia é que já estamos com mais alguns capítulos no forninho e se vocês interagirem bastante a gente posta rapidinho <3

Não esqueçam de interagirem conosco nas perguntinhas das notas finais. Boa leitura nenês

Capítulo 8 - Entre costelas trincadas e queimaduras


Fanfic / Fanfiction Blood Academy - Capítulo 8 - Entre costelas trincadas e queimaduras

Ísis Laurier POV

Duas semanas se passaram e Zoe ainda se recusa a falar qualquer coisa que não seja extremamente essencial. Sinceramente, eu não tinha entendido como ela ainda não havia se tocado que tudo era para um bem maior. 

Essa questão à parte, o plano estava indo super bem. Wonho estava cada vez mais próximo de mim e mais distante da Jisoo, Jennie apenas se aproveitou do fato de que estavam todos se afastando da Royal, deixando-a apenas com a ilustre companhia de Yugyeom. E, honestamente, eu estava  dando graças a Deus, não fazia a menor questão da presença deles.

Curiosamente, minhas companhias também estavam mudando. Além de Zoe, Yoongi também estava agindo estranho, simplesmente desistiu de me ajudar com as aulas e, sempre que me via, apenas me cumprimentava para manter a educação, a mesma coisa acontecia com o seu Guardian, o que eu estranhei e muito, porque, querendo ou não, Jackson sempre é um amor com todo mundo. Porém, tenho certeza que essa mudança de comportamento seja porque Zoe contou para eles do plano e, para que dê certo, decidiram que seria melhor que eu assumisse as rédeas da situação. Ou, ao menos, é isso que eu espero, pois todo mundo sabe que a Jisoo tem que ser, de alguma forma, colocada em seu devido lugar.

Entretanto, como a primeira parte do plano era Kim Taehyung, Jeon JungKook veio de bônus, o que me surpreendeu positivamente, já que o moreno conseguiu mudar um pouco meus conceitos em relação a ele, principalmente depois do incidente que ocorreu entre ele e Zoe. Por mais que arrependimento seja uma característica humana, ele acaba se tornando uma das poucas coisas que nos impede de virarmos monstros. E, sinceramente, acredito que o Jeon estava realmente arrependido. No entanto, vale lembrar também que a companhia dele é muito boa, eu entendo a Zoe.

Jennie se mostrou um ótimo braço direito nesse meio tempo, me acompanhando e me guiando em relação ao que fazer nesse período, o que fez total sentido, já que a mesma era uma das “melhores amigas” de Jisoo e, ao mesmo tempo que nos aproximava e me atualizava das fofocas, também mostrava a “falsa-nobre” que o mundo não gira ao seu redor e até a sua própria Guardian não estava satisfeita com as suas atitudes.

Kim Taehyung já era um caso à parte. Por mais que ele fosse uma peça-chave do plano, ele não era apenas isso. Ficar com ele me deixava feliz e, cada dia mais, ele fazia questão compensar o tempo perdido enquanto eu estava fora, se mostrando mais cavalheiro e me levando a encontros quase todos os dias, além de pequenos mimos que sempre fazia questão de deixar. Se é que houvesse uma melhor parte, mesmo não estando ciente e sabendo do tal “plano”, Tae acabava me ajudando, sendo ao concordar comigo, me acompanhar nas brincadeiras e até mesmo me conectar com as pessoas que eu precisava. Todos conheciam o moreno e queriam um pouco de sua atenção, ademais saber que agora ele “andava” com a princesa, assim como nos velhos tempos, só aumentava sua popularidade, o que beneficiava a mim também. Afinal, quem não quer ficar perto da realeza?

— Você sabe por que o Tae não veio? — perguntei para Jennie, assim que ela apareceu na aula dos Royals para me acompanhar, da mesma forma que tinha feito nas últimas duas semanas, uma vez que Zoe tinha transferido essa missão para ela, pelo simples fato de não querer mais e também não se sentir à vontade com as minhas novas companhias. 

— Pelo que o JK falou, o despertador tocou e ele não acordou. — Deu de ombros. — Como não queria chegar atrasado na aula, simplesmente resolveu não vir.

Jennie era muito tagarela, mas não continuou a falar porque seu telefone tocou e ela foi responder, deslizando o dedo na tela e logo atendendo:

— Hobi? — Ela era tão discreta que eu já sabia de quem se travava. — Agora? — Deu uma pausa para a resposta. — Ok, estamos indo. 

— Indo aonde? — questionei, assim que ela devolveu o celular ao bolso. — Aconteceu alguma coisa com o Hobi?

— Com ele não, mas sim com a Zoe. — Fez uma careta. — Pelo jeito, Jimin pegou um pouco pesado no treino e parece que ela trincou uma costela.

— O quê? — Arregalei os olhos, assustada. — E onde ela está?

— No dormitório de vocês… — Segurou minha mão, já me puxando em direção aos prédios de pedra da ala direita. — Talvez, você consiga fazer alguma coisa, Iz. 

— Se ela deixar… — ponderei, já apressando os passos para acompanhá-la. 

Assim que viramos no meu corredor, me deparei com uma Zoe extremamente raivosa acompanhada por JungKook que, a essa altura, apenas ria da indignação da morena.

— Eu sinceramente não sei quem é o mais trouxa. — Ela batia o pé com força no chão. — O Yoongi por ter queimado a Ísis, ou ela por ter pedido aulas particulares para aquele esquentadinho ao invés de um professor.

— Eu não estou queimada — afirmei e comecei a observá-la. — E, pelo jeito, você não está com a costela trincada. O que está acontecendo?

— De onde você tirou essa ideia de que estou com a costela ferrada? — perguntou, cruzando os braços. 

— Aparentemente, do mesmo lugar que você tirou a ideia de eu estar queimada. O Yoongi nem fala mais comigo direito.

— Ah, eu me pergunto o porquê disso. — Nossos olhares foram em direção aos dois outros Guardians, que agora riam sem nem tentar disfarçar. JungKook apenas se aproximou da porta e bateu na mesma, apoiando-se na parede ao lado e rindo mais ainda depois de ouvir:

— Shiiii! Gente, silêncio elas chegaram. 

Eu e Zoe nos encaramos, já entendendo do que se tratava, porém assim que Jung Hoseok abriu a porta com um daqueles chapeuzinhos de festa de cone e todos ao seu redor gritaram “surpresa”, o meu coração parecia querer derreter, e eu tinha certeza que a mesma coisa estava acontecendo com Zoe, por mais que ela não demonstrasse.

Aí você se pergunta: O aniversário é de quem?

Curiosamente, o aniversário é das duas. 

Por ironia do destino, já não bastasse o fato dela ser a minha Guardian, a conexão e tudo aquilo que já conversamos sobre, Zoe Rosemont havia nascido exatamente no mesmo dia que eu, mas ela era duas horas mais velha e vira e mexe usava isso contra mim.

Nosso dormitório estava cheio de balões brancos e pretos, com faixas de feliz aniversário e com várias decorações por tudo que é canto. Todos os nossos conhecidos mais próximos estavam aqui e, para minha surpresa, até mesmo Jin, Namjoon e Jimin estavam presentes — porém o último era o único sem o chapeuzinho.

Com “todos os nossos conhecidos”, eu queria dizer: Taehyung, Yoongi, Hobi, Jackson, Wonho, Jennie e JungKook, além dos professores, o diretor, como eu já tinha dito, e alguns amigos nossos que tínhamos mais contato antes de fugirmos, mas ainda assim estavam presentes (provavelmente apenas pela comida, bebida e fofocas), assim como o Yuta, Wooyoung, Félix, Youngjae, Baekhyun, Hwasa, Joy, Jihyo e mais algumas pessoas que eram de seus respectivos grupinhos.

Nós quatro entramos no dormitório com sorrisos gigantes nos rostos e basicamente nos dividimos assim que cada “panelinha” se reuniu, no entanto, antes, Jung Hoseok praticamente se jogou na gente, em um abraço coletivo forçado, aproveitando-se da situação Jennie e JK se enturmaram no abraço e, depois de um tempinho, Taehyung me puxou de lado. Aí sim que o ambiente ficou realmente dividido. 

Zoe foi para o lado direito do recinto, enquanto Jimin, Namjoon, Jackson, Yoongi e alguns outros Guardians se reuniam com ela, desejando-a feliz aniversário. E, enquanto eu observava aquilo, pude notar um Min todo alegre caminhando até a morena e abraçando-a após dizer algumas coisas. Zoe, no começo, não reagiu, mas cedeu aos encantos do de cabelos pretos e retribuiu, sorrindo de volta. Ok, não que eu estivesse com ciúmes, apenas achei estranho, principalmente pelo fato de Yoongi ser — ou ter sido — mais meu amigo que dela. 

— Espero que ninguém tenha estragado a surpresa. — Jin veio em minha direção com um saquinho de presentes e me entregou, depois de deixar um beijo no topo de minha cabeça. — São poucas as vezes que eu saio da academia. E, dessa vez, eu fui especialmente para comprar um presente para vocês duas. Espero que goste, princesa. Feliz aniversário!

Sem conter a ansiedade e a curiosidade, rapidamente retirei a embalagem e me deparei com uma caixinha preta aveludada, ao abri-la, me vi com um anel de ouro com um cristal branco e grande no meio. Uma verdadeira jóia que me fez ficar de queixo caído. 

— Nossa, Seokjin… — Fiquei boquiaberta com tamanho carinho, eu realmente não esperava que ele fosse comprar algo para mim, muito menos com um valor tão alto. — Muito obrigada, de verdade. Eu nem sei o que te dizer. 

— Só Jin tá bom, você sabe disso. — Ele riu, levando a mão ao meu cabelo e bagunçando os fios, como se eu fosse uma criança. — É o mínimo que eu posso fazer por você. Seus pais teriam orgulho da mulher que se tornou.

Sem conseguir juntar palavras para explicar o quão agradecida eu estava, apenas abracei o mais velho e formulei:

— Não é à toa que meu pai confiava tanto em você, Jin.

Depois de um sorriso fraternal, o diretor se distanciou, indo em direção ao grupinho de Zoe, enquanto Tae, agora com uma flor na mão, entregava-a a mim.

— Não é tão cara quanto o anel, mas te garanto que é com muito carinho. — Piscou para mim assim que eu peguei e um “ownt” coletivo foi ouvido. — Feliz aniversário, minha princesa. 

Ele tomou meus lábios em um beijo rápido e carinhoso, enquanto os gritinhos se intensificaram a nossa volta. Não conseguimos evitar o sorriso ao perceber que todos agora aplaudiam e cantavam o “parabéns pra você”. Enquanto a cantoria rolava, Jennie saiu do meu quarto com um bolo branco, enquanto Hoseok saia do de Zoe com um preto, todos com velinhas acesas e os números referentes a nossa idade (agora, 22) bem no centro deles.

— Façam um pedido! — Jackson acelerou o ritmo das palmas e eu me inclinei em direção as velas, soprando-as logo em seguida. 

Meu pedido? Que tudo na academia volte ao normal e que, de preferência, consigamos viver em paz uns com os outros. Zoe fez o mesmo do outro lado, recebendo gritos de incentivo de JungKook e logo em seguida um abraço. Enquanto houve uma mesclagem dos grupinhos, Kim Namjoon e Park Jimin vieram falar comigo, felicitando-me e o professor teórico aproveitou para fazer uma raivinha no professor dos Guardians.

— Não acredito que minhas duas alunas preferidas fazem aniversário no mesmo dia — falou. — Pena que você só dá aula para uma delas, Jimin. 

— Acredite, uma já dá trabalho o suficiente — caçoou do próprio Royal, enquanto Zoe chegava na conversa. — Mas se bem que a Ísis não parece problemática.

— Ei! — A morena se intrometeu. — Você que não é jovem o bastante e não entende, senhor cento e um anos mais velho. 

— Só até mês que vem, depois disso eu recupero os cento e dois anos de diferença. — Riu, recebendo um empurrão do mais alto. 

— 13 de outubro está quase aí — Zoe concordou, enquanto eu apenas arqueava as sobrancelhas pelo fato dela saber a data precisa. Acho que nem a de Tae eu sabia direito.

Como se estivesse escutando a conversa toda e percebido que a Guardian agora falava com seu professor animadamente, Jeon JungKook aproximou-se e colocou o braço sobre o ombro da morena.

— Gostou da surpresa que eu, o Tae, o Hobi e a Jennie fizemos para vocês? 

— Adorei. — Sorriu, depositando um beijo na bochecha do maior. — Muito obrigada, vocês pensaram em tudo.

— Principalmente em deixar a festa com a cara de nós duas. Amei os detalhes em preto e branco — complementei.

 — Bom, vamos deixar vocês se divertirem. Vamos, Nam? — O loiro dá um tapinha nas costas de seu Royal, que termina o resto o conteúdo do seu copo em um gole e concorda com a cabeça.

— Vamos, sim. Obrigado pelo convite, Jeon! Divirtam-se, mas não esqueçam que amanhã tem aula, e ouvi falar que o professor de vocês é um crápula e não perdoa atrasos. — Kim Namjoon pisca um de seus olhos e ri com a própria piada. — Até amanhã, crianças.

— Não bebam demais, treino não combina com ressaca — Jimin alertou. — Não pense que é só porque hoje é seu aniversário que amanhã vai ser mais tranquilo como presente.

— Não esperaria nada diferente de você, senhor Park. — Riu, levando o copo aos lábios. — Pode deixar que não vamos exagerar, ainda estou quebrada do treino de hoje, não acho que vou conseguir dormir muito tarde de qualquer maneira.

— Ah, vai sim — JungKook diz, em tom malicioso. — Mas pode deixar que não vamos nos atrasar, não. Vejo você amanhã, professor. Espero que tenha uma noite tão divertida quanto a minha.

O Guardian o encarou com a clara expressão de que aquilo tinha sido mega inconveniente, trincando o maxilar. Virou-se para mim e para Zoe, fazendo uma reverência para nós duas e desejando feliz aniversário mais uma vez. Namjoon fez o mesmo — de uma forma um pouco mais simpática — e seguiu com o loiro para fora do quarto. Não demorou muito para Seokjin fazer o mesmo, avisando que sairia para que a festa finalmente rolasse e que, ao contrário do que os outros professores tinham dito, deveríamos curtir bastante a festa sim, porque ainda éramos jovens e devíamos aproveitar o máximo possível.

Conversamos um pouco mais naquela rodinha, a minha Guardian permanecia ali, porém evitava ao máximo falar diretamente comigo e, quando precisava, apenas concordava ou negava com a cabeça, o que era no mínimo estranho, principalmente porque todos ali (exceção ao Tae, mas não era como se ele não pudesse) sabiam do plano. Após alguns minutos, JK a puxou para dançar e continuei dando atenção aos demais convidados.

— Acho que está na hora de eu roubar você um pouquinho para mim, não é? — pergunta, puxando-me pela cintura. 

— Depende… O que tem em mente? — questionei, por mais que já tivesse uma ideia do que o nobre queria. 

— Tem mais um presente de aniversário que eu preciso te entregar, mas escondi no seu quarto, vamos ter que ir lá pegar. — Sorriu de uma maneira nada inocente.

— Mas a festa… 

— Fazemos a nossa própria — completou, estendendo a mão em minha direção, a qual eu peguei prontamente.

O moreno me guiou a passos lentos até a porta do meu quarto, até que eu senti uma pressão em meu pulso, impedindo-me.

— Ísis — Yoongi ditou em um tom baixo, interrompendo o que quer que fosse acontecer. — Eu preciso falar com você.

— Você não está vendo que ela está ocupada? — Taehyung perguntou, com a calma de sempre.

— Eu falei com a princesa, não com você — respondeu, ignorando o mais alto. — Cinco minutos, é tudo que eu peço.

Revezei meu olhar entre os dois vampiros, um segurando em cada braço meu, como se disputassem, o que realmente faziam, a minha atenção. Ponderei por alguns instantes. Yoongi ainda não tinha falado comigo e, querendo ou não, já havia deixado claro que seria por pouco tempo. Agora, com Tae, eu poderia — e provavelmente, teria — a noite inteira.

— São cinco minutos. — Virei-me para Tae, afirmando. — Eu já volto.

O nobre soltou a minha mão sem mais delongas e a contragosto, dizendo que iria caçar uma bebida e me esperaria no quarto. Já o de cabelos pretos, rumou até a saída, comigo em seu encalço, buscando um pouco de privacidade.

— Eu não quero tomar muito do seu tempo, já que claramente tem coisas melhores para fazer do que ficar conversando com um Royal qualquer, como já mencionou — disse, rindo sem humor. — Mas, antes que isso tome proporções ainda maiores, eu preciso falar com você. Que diabos está fazendo, Ísis? 

— Eu mencionei o quê? — indaguei, sem entender nada. — Eu realmente não estou entendendo.

— Quem não está entendendo sou eu. — Cruzou os braços. — Ísis, você não acha que está levando tudo a sério demais? Olha a sua volta, acha que esse plano está fazendo bem para você e para as pessoas com quem se importa? Isso se você ainda ligar para isso...

— Yoongi, você sabe que isso tudo tem um motivo, eu não posso apenas fechar os olhos enquanto a Jisoo e sua trupe aterrorizam a academia! Eu pensei que a Zoe tinha contado tudo para vocês.

— Ela contou, mas ainda assim acho que está indo longe demais! Você conseguiu afastar a todos e pode ter certeza que não foi por causa do plano — ditou, convicto de suas palavras. — Até o Jackson, e olha que eu nem achei que isso fosse possível. Não só ele, mas a Zoe também.

— Quer dizer que eles sabem o que está acontecendo, mas não entendem que é por algo muito maior? — questionei. — Yoon, você viu o que o Yugyeom fez comigo na frente de todo mundo, ouviu que a Jisoo disse que eu deveria ter morrido junto com os meus pais. Já não acha que isso é o bastante?

— Acho, mas é muito pior o fato de você estar se tornando exatamente igual a ela para vencê-la. — Suspirou. — E, olha, eu não falaria isso para outra pessoa, simplesmente deixaria que ela se ferrasse e pronto, mas eu realmente me importo com você e não quero que acabe sozinha no final. A Zoe é muito cabeça dura para dar o braço a torcer e dizer para parar com esse plano estúpido, mas, pelo amor de Vlad, para com isso!

— Mas você não entende…

— Ísis, para. Você que não entende. — Levou suas mãos aos meus ombros, sacudindo-me de leve como um “acorda”. — Já foi longe demais. Olha para a festa de hoje, todos foram falar com você por educação, e apenas isso. Sua própria Guardian não quer mais olhar na sua cara, e a única pessoa que aguenta ficar do seu lado é o insuportável do Taehyung. E digo mais, se você não fosse da realeza, eu te garanto que ele não estaria com você, e nenhum outro dos seus novos “amigos”.

— Não fala isso, você nem ao menos o conhece! — argumentei, colocando as mãos na cintura. — Posso te garantir que ele não é assim.

— Poxa, que peninha. — Fez um bico, completamente debochado. — Seu príncipe encantado é tão bonzinho e injustiçado que nem percebeu que seus melhores amigos estão deixando de falar contigo. Ou, se notou, não deu a mínima. Me lembre de dar o prêmio de namorado do ano.

— Ele não é meu namorado — disse, sem convicção.

— Que seja, chame como quiser. De qualquer maneira, conhecendo ele como você diz que conhece, acha o Kim foi realmente esse santo todo enquanto não esteve aqui? — Arqueou a sobrancelha, sugestivo. — Se acredita que sim, vocês dois se merecem.

— O que você quer dizer com isso?

— Nada, Ísis, esquece. — Olhou para os próprios pés. — Eu preciso ir, feliz aniversário, princesa. Se cuida, já que eu não posso mais fazer isso por ti. 

Sem dizer mais nada, nem ao menos esperar uma resposta, o mais velho apenas me deu as costas e saiu andando. Fiquei alguns segundos raciocinando o que tinha acontecido ali, tempo o suficiente para que a silhueta do Min saísse de minha visão. Tentei ignorar o fato de ter levado um choque de realidade imenso e completamente inesperado e voltei para a sala, enquanto o resto dos meus amigos — que, talvez, nem me considerassem mais assim — aproveitavam o que também era minha festa. 

Fiquei observando-os um pouco, imaginando que eu poderia estar ali, curtindo junto com eles da maneira que deveria, dançando como uma louca com Zoe, fazendo piadas com Jackson e Hoseok e, de bônus, enlouquecendo com Jennie. Mas, aparentemente, com exceção a última e por conta de meus atos, ninguém queria saber de mim, ou seja, também não sentiriam minha falta caso eu decidisse fugir da minha própria festa, e foi exatamente isso que eu fiz.

Ainda desolada, segui para o meu quarto sem que percebessem e abri a porta com cautela, fechando-a logo após ter entrado.

— Sai, demônio! — Taehyung exclamou, fazendo com que eu arregalasse meus olhos com a cena e, rapidamente, corresse para ajudar. — Tira esse bicho de mim!

— Nelson! — Peguei o bichano com cuidado, vendo que o gato (sem noção nenhuma) partiu para cima do nobre sem nenhum medo. — O Tae é amigo, não precisa machucá-lo! 

— É, bola de pelos. — O mais alto fez um bico enorme, assim que o tigrado estava em meus braços lambendo a pata. — Como se você não me conhecesse.

— Ele é um pouco raivoso, não liga — falei, colocando o gato dentro do meu closet e fechando a porta. — Desculpa por isso. Ele não gosta muito de seres de outras espécies.

— Tudo bem, eu acho. — Ajeitou o seu cabelo e suas roupas, que estavam desajeitadas por conta do “ataque surpresa”. — Que tal continuarmos de onde paramos?

— Tae, me desculpa, mas eu não estou no clima — assumi, passando a mão por seus fios bagunçados. — Acho que preciso ficar sozinha um pouco, foi uma longa noite.

Parecendo não ter escutado minhas palavras, o mais alto se inclinou em minha direção, depositando beijos na extensão de meu pescoço. 

— Vamos lá. Eu posso fazer essa sua indisposição sumir rapidinho — insistiu, dando uma mordidinha na minha orelha. 

— Eu sei que pode, mas eu realmente não quero. — Deixei claro, afastando-o e encarando-o. — A gente deixa para outro dia.

— Eu fiz alguma coisa, Iz? — perguntou, analisando a situação. — Se fiz, me diz o que foi.

— Você não fez nada. — Suspirei, olhando ao redor. — Eu só não estou com cabeça.

— Tem certeza? Podemos...

— Tenho, Taehyung. Já chega. — Assim que seu nome saiu de minha boca, ele deu um passo para trás. — Não aconteceu nada, eu só quero dormir um pouco. Se quiser curtir a festa...

— Tudo bem. Me desculpa se eu insisti demais, eu não queria te deixar irritada. — Ele me fitou, parecendo preocupado. Em seguida, veio em minha direção e deixou um beijo no topo de minha cabeça. — Eu vou para o meu quarto. Não acho válido comemorar a sua festa de aniversário se não estiver junto.

— A festa também é a Zoe e você sabe disso.

— E acha que ela não está curtindo com o JK? — questionou. — De qualquer forma, boa noite e me desculpe, princesa. Qualquer coisa que precisar, sabe onde me procurar, até se mudar de ideia…

— Tae… — O repreendi com o olhar, vendo seu sorriso quadrado.

— Juro que parei. — Piscou para mim, pegando seu casaco e indo até a porta. — Bons sonhos.

— Para você também — respondi, vendo-o sair do meu quarto. 

Assim que estava sozinha, agradeci aos céus pelo meu dormitório não ter tanto barulho, mesmo com a festa lá fora. Corri para o meu closet e peguei meu pijama, já soltando o meu gato que, contente, foi para a minha cama e deitou sobre um dos travesseiros. Após estar devidamente vestida, sentei-me ao seu lado e, fazendo um carinho no bichano, comecei a pensar.

 As palavras de Yoongi tinham sido fortes o bastante para que eu despertasse desse meu pseudo-universo em que tudo dava certo. Acordei tão bem que perdi o clima para qualquer tipo de comemoração em meu próprio aniversário. Ainda na beirada da minha cama, suspirei e, antes de acomodar nela, dei uma breve analisada no meu quarto para ver se estava tudo direito, agradecendo a Vlad pelo barulho da festa não estar lá tão alto. Até que, em meio aos meus devaneios, fixei o olhar na minha poltrona, onde uma embalagem de presente estava, sem nem chamar a minha atenção antes. O que eu seriamente me assustei, uma vez que ela era realmente grande e estava bem ali. Eu tinha que ser um pouco mais atenta. 

Levantei-me e fui em sua direção, pegando-a com um pouco de dificuldade e já retornando para onde eu estava para abri-la. Realmente parecia uma daquelas caixas de presentes de filme, perfeitamente decoradas e embaladas, porém bem maior.

Desmanchei o laço com cuidado, deixando a fita ao lado enquanto retirava a tampa. Sorri ao ver um daqueles travesseiros enormes de se abraçar, com o bônus da camiseta xadrez de Kim Taehyung que eu tanto adorava, exatamente como eu queria. Era praticamente do meu tamanho, e com uma fronha branca, feito para suprir minha necessidade de dormir abraçada as pessoas, enquanto não tinha ninguém para agarrar. 

Ri para mim mesma, colocando a caixa ao lado da minha mesinha de cabeceira e o travesseirão na cama, o qual Nelson já fez questão de estrear, deitando em cima, e puxando um papelzinho que estava pendurado na embalagem, o qual eu não havia percebido antes. Eu realmente tenho que prestar mais atenção.

“Espero que seja igual ao que queria, princesa, porque pedi para fazer especialmente para você. Aproveite sua noite — KTH.”

Não consegui evitar aquele sorrisinho bobo que cismava em aparecer, mas, de qualquer forma, o ocorrido no dia não parava de martelar em minha cabeça, independente da felicidade que eu tinha ficado naquele tempinho.

Kim Taehyung era realmente um príncipe e, com toda certeza, já tinha conquistado grande parte do meu coração. Entretanto, por mais estranho que pareça, eu confiava em Min Yoongi, mesmo com o pouco tempo e as poucas palavras trocadas. 

Agora resta saber em quem eu vou decidir acreditar, no sapo esquentadinho ou no príncipe encantado?


Notas Finais


E aí gente, o que acharam? O circo vai pegar fogo ou não vai? Clima de tensão entre os brothers.

Vem com a Febella nas perguntinhas:
1) Se você fosse convidado pra essa festa, iria para qual lado (preto ou branco)? Iria puxar aquele papinho interessante com quem?

2) Se você estivesse entre o príncipe e o sapo nessa situação, em quem acreditaria?

Mais uma vez muito obrigada por acompanharem BA e surtarem conosco, posso garantir que essa história é MUITO querida por nós e ficamos muito felizes de poder dividir esse universo com vocês.
Se cuidem, bebam bastante água, lavem as mãos direitinho e fiquem em casa! Vamos nos cuidar nesse momento complicado para o mundo, certo?

LEMBRANDO que tem um grupo para os leitores da Bella e nós duas sempre estamos por lá interagindo com a galera, então se quiser entrar lá para xingar a Jisoo com a gente ou babar nos meninos, está mais do que convidadx:
https://chat.whatsapp.com/COw1icQbqDNBUKcWbtRKTO

XOXO


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...