História Blood and Tears - Imagine Reiji e Shuu (EM HIATUS) - Capítulo 18


Escrita por: ~

Postado
Categorias Diabolik Lovers
Personagens Ayato Sakamaki, Azusa Mukami, Cordelia, Kanato Sakamaki, Kou Mukami, Laito Sakamaki, Personagens Originais, Reiji Sakamaki, Richter, Ruki Mukami, Shu Sakamaki, Subaru Sakamaki, Tougo Sakamaki "Karlheinz", Yui Komori, Yuma Mukami
Tags Blood And Tears, Diabolik Lovers, Reiji, Reiji Sakamaki, Shu, Shu Sakamaki
Visualizações 233
Palavras 1.127
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Fantasia, Ficção, Hentai, Magia, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Suspense, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Boa leitura amorzíneos!

Capítulo 18 - Posso Te Chamar de Kina?


Akina ON

Meu primeiro dia de aula foi ótimo, a não ser pelas putianes, mas ok né? Havíamos chegado em casa, vi que Ruki estava meio cambaleante, mesmo eu não querendo eu preciso alimentá-lo também. Eu não quero matar ninguém, mesmo que eu odeie ele. Yuma fez o jantar e fomos para a mesa. Hoje comeríamos sopa de sei lá o que, por que eu não conheço essas coisas do Japão já que sou americana de nascença e vivi lá minha vida toda. 

Kou: Sério! Eu amei o que vocês fizeram. Eu gravei olha! 

Kou me mostrou o vídeo desde a gente abrindo caminho por entre o povo até a parte em que a gente gritou e de bônus a reação da Trindade Piranhesca que me agrediu e agrediu Haru naquela hora. 

Eu: HÁ! TOMA SUA PIRANHA! HELLO FOR YOU BITCH!  

Olharam para mim meio que falando com os olhos "Kirida, cê tá bem? Tá tomando alguma coisa?" então me sentei na mesa e continuei a comer aquele negócio que tava bom demais. Eu saí da mesa por último e lavei a louça a força e fui saindo de lá até sentir um certo Cabelo de Tinta Azul de Parede me prensar na parede onde o cabelo dele deveria estar e me morder. Foi de surpresa, o que me fez dar um grito alto e muito agudo de dor. Aquela dor era simplesmente horrível, mas eu preciso me acostumar, eu to morando com vampiros né? Então, to precisando. Sou tirada de meus pensamentos com as presas dele rasgando minha pele sem dó de jeito agressivo e necessitado. Acabou e ele me levou ao meu quarto, bom, pelo menos quando eles me mordem eu ganho uma ida para o quarto economizando as pernas. Percebi que seu jeito era menos delicado do que quando Kou fez isso.  Ele me colocou lá e saiu. E eu fiquei lá com o mundo girando e uma dor desconpensadora e uma insônia horrível. Escuto a porta abrir e vejo Kou. 

Kou: Akina? Você tá dormindo? 

Eu: Não...

Falo com dificuldade. Ele vem até mim e vê que não estou bem. Ele vai até o banheiro e pega um pano molhado, algodão, álcool pra botar em machucado e umas faixas pra curativo... FAIXAS!

Eu: FAIXAS! 

Faço um movimento brusco para pegá-las que fez com que meu pescoço doesse muito, eu ia caindo da cama, mas Kou me segurou e me ajudou a sentar na cama e começou a limpar o sangue que escorria desenfreadamente, mas eu sabia que estava se segurando para não me morder de novo. Ele fez o curativo e eu fiquei brincando com as faixas e quase enforquei ele. 

Kou: Você tá afim de sair? 

Eu: Pra onde e para quê?

Kou: Para que possamos ser mais amigos e... 

Eu: Você ainda não se conforma por eu não saber quem você é. 

Kou: Como sabe?

Eu: Intuição feminina. 

Kou: Então vamos? 

Eu: Sim! Vou me trocar, me espere lá fora. 

Peguei uma camiseta de manga branca e uma saia preta e fiz com que o look desse certo. Peguei uma sapatilha e fui pra fora. 

Eu: Vamos? 

Ele sorriu e me pegou no colo e começamos a flutuar. Ele me levou até um parque florido cheio de Sakuras. 

Eu: Por que me trouxe aqui? 

Senti meus pés tocarem a terra e dei um grito. 

Kou: O que foi?

Eu: Não gosto de terra. 

Kou: Ah! Estão vem por aqui. 

De repente estávamos em um shopping. Uau! Lembra um pouco os shoppings dos EUA. 

Eu: Você gosta de compras? Até que pra um fracassado sem fama você tem bom gosto. 

Ele ficou desconcertado e eu comecei a rir. Eu vi que seu olho ganhou um leve brilho rosado indo pro vermelho lentamente e depois sumindo voltando ao azul habitual. Interessante. 

Eu: Vem! 

Puxei ele pra primeira loja que vi. Era uma loja enorme. Eu vi uma roupa que combinava com Kou e tive uma idéia. 

Eu: Kou!

Kou: Oi. 

Eu: E se eu fizesse você ser famoso? 

Kou: Mas... 

Eu: Não me venha dizer que já é famoso que você é um sem reputação. Agora vem, vamos botar você num estilo bad boy fofinho. 

Kou: E como danado você vai fazer isso? 

Eu: Não sei. 

{Quebra de Tempo}

Passamos quase que até de madrugada lá, tivemos que sair por que o shopping ia fechar. Então fomos tomar sorvete num lugar onde surpreendentemente ainda estava aberto àquela hora. Eu cantarolava uma música que eu gostava. Kou me abraçou de lado e começou a cantar junto comigo e gente... Que voz linda! Não sei como ele não ficou famosos a ponto de que qualquer um no mundo conhecesse sua voz! As pessoas que sobraram na rua pararam para ouvir. Terminei de cantar e recebemos aplausos, sorri e agradeci. Até que uma revoada de meninas que vieram não sei da onde já que eram 00:00 em ponto e muita gente ia estar dormindo. Elas pediam autógrafos até que ele estava quase sufocando de tanta menina em cima dele e eu juro que eu vi um menino pulando nele também. Enfiei meu braço no bolo de fãs e puxei ele e então saímos correndo. 

Kou: Valeu! 

Eu: Por nada. 

Continuamos correndo até chegar em uma praça. Me sentei no banco de madeira que por sorte não estava em cima da grama. Kou sentou ao meu lado. 

Eu: Como você agüenta isso todos os dias? 

Kou: Não sei, no começo era estranho, mas agora é legal. 

Eu: Tudo um bando de troxa né?

Kou: É. 

Ele ri brevemente. 

Eu: Acho que quando você for famoso de verdade vai adicionar mais uma na sua lista. 

Kou: O quê? 

Eu: Mal posso esperar para ser sua mais nova fã. 

Kou: E você ainda não é? 

Eu: Você nem tem música ainda. Acho que seria melhor você ser modelo já que nunca cantou nem lançou um álbum. 

Kou: Ei! 

Começamos a rir então. Faz anos que não me sinto assim. Livre e feliz, a ultima vez foi no último dia de aula de Lilyth quando ela estudou comigo. Naquele dia o porteiro se declarou pra professora Chloe com a nossa ajuda. Eles são um casal bonito, mas incomum.

Kou: Akina, posso te chamar de Kina? 

Eu: Quê? 

Kou: É que como você é minha melhor amiga eu queria te chamar de um jeito especial. 

Eu: Eu sou sua melhor amiga? 

Kou balançou a cabeça positivamente. 

Eu: Só se você prometer que apenas você vai me chamar de Kina. 

Kou: Prometo. Mas eu acho que deveria ter sido o contrário. 

Eu: Foda-se.

Kou: Vamos pra casa Kina! 

Nos levantamos e fomos andando lentamente até a mansão Mukami por um caminho sem fãs. Eu acho que sinto algo bom por ele...

CONTINUA...


Notas Finais


Foi isso meus amorzíneos do coração, espero que tenham gostado e até a próxima. Little Kisses <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...