História Blood and Tears - Capítulo 14


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Black Pink
Personagens Jennie, Jeon Jeongguk (Jungkook), Jisoo, Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Lisa, Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais, Rosé
Tags Amizade, Amor, Blackpink, Bts, Desejos, Drogas, Jikook, Kookmin, Lemon, Morte, Mutilação, Namjin, Sope, Suicida, Superação, Taeseok, Taeyoonseok, Tragedias, Vhope, Vmin, Yoonseok
Visualizações 47
Palavras 4.597
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ficção Adolescente, Lemon, LGBT, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Boa leitura ❤
Leiam escutando músicas que vocês gostam ❤

Capítulo 14 - CAPÍTULO 12 - Venha comigo, vou te mostrar as estrelas !


Fanfic / Fanfiction Blood and Tears - Capítulo 14 - CAPÍTULO 12 - Venha comigo, vou te mostrar as estrelas !

》Yoongi 《

- Quando me disse que iria me levar para ver as estrelas eu imaginei muitas coisas, algumas até pervertidas, assumo, pensei em tudo menos isso. – segurei a mão do garoto sentado ao meu lado que ria do meu nervosismo. – não ri de mim caralho.

- Yoongi você tá com medo da altura ? – falou rindo me olhando, apertando minha mão de volta.

- Não, tô com medo dessa merda parar com a gente quanto tiver lá no topo, e eu em um momento de surto te jogar de lá de cima.

Só fiz o garoto rir ainda mais.

- Assume logo que tá com medinho de altura. – me olhou provocador. – MIN YOONGI TEM MEDO DE ALTURA !

Gritou, já de uma altura média, fazendo todos ouvirem e olharem para minha cara. Tive vontade de jogar Hoseok daqui de cima e assistir sua queda em câmera lenta comendo pipoca.

- Você me trouxe para uma roda gigantes, o que queria cacete ? – falo apavorado vendo nossa cabine cada vez mais alto.

- Não sabia que alguém como você tinha medo de altura. – riu ainda mais de mim. – fica calmo, olha para mim. – obedeci o olhando. – Olha para o céu e veja as estrelas.

Assim que ele diz eu respiro fundo olhando para seu sorriso tão calmo, olho lentamente para o céu vendo todos aqueles pontos de luz.

- É tão lindo, como eu nunca havia parado para fazer isso ... – disse já sorrindo olhando mais daquele céu escuro brilhante.

- Eu disse que levaria você para ver as estrelas. – sorriu mais deitando sua cabeça sobre meu ombro. – Fazer isso me acalma.

- Por incrível que pareça você me fez descobrir algo que também me acalma.

Fiquei durante todo o momento das voltas que a roda gigante enorme dava concentrado naquele céu tão lindo, com tantas estrelas, me passando calma. Eu nem sabia como era possível ver estrelas em Seul, mas lá estavam elas, eu estava as vendo e segurando a mão da maior Estrela de todas, que estava sentado ao meu lado com a cabeça deitada sobre meu ombro, balançando as perninhas e olhando as pessoas lá de baixo, deitei minha cabeça sobre a sua e ficamos ali em silêncio, sentindo toda a calma que aquele momento poderia nos passar. Quando a roda gigantes acabou e o auxiliar passou abrindo as grades eu não queria descer.

- Mas já ? – protestei olhando para Hoseok que já estava em pé esperando por mim. – Que absurdo, eu exijo mais voltas.

Ele riu estendendo a mão para mim.

- Podemos dar outra depois, agora quero te levar em outro lugar.

Sorri segurando a mão dele e saindo andando pelo parque, fomos em brinquedos divertidos e até mesmo perigosos, talvez eu tenha sido obrigado a ir em alguns que acabaram me deixando tonto, mas assumo que foi muito divertido todos eles ao lado de Hoseok que apesar de amar cada um daqueles brinquedos radicais e sentir sua adrenalina alta, gritou tanto que eu nem sabia como ainda tinha voz.

- Acho que estou tonto demais. – reclamei rindo encostado no poste de luz. – Você vem aqui com frequência ?

Havíamos acabado de sair de um dos brinquedos que deixavam todos de cabeça pra baixo.

- Quando preciso me descarregar do mundo sim. – sorriu estendendo uma latinha de refrigerante para mim. – é uma terapia.

Fui junto dele voltando a me sentar no banco, abrindo a latinha e bebendo a bebida gaseificada.

- É a primeira vez que venho em um parque e realmente me divirto.

Me encosto no banco olhando para Hobi que bebia também seu refrigerante.

- Isso é muito bom, estou feliz que esteja gostando. – sorriu.

- Gostando ? – pergunto intrigado. – Achei que já estávamos indo embora.

- Claro que não. – riu. – Só estamos nos hidratando após tantos gritos.

Então ele tombou a cabeça pro lado me olhando intrigado.

- Hidratando com refrigerante ? – ri. – Você é doidinho.

Ele não respondeu, apenas riu tomando mais da sua bebida, parei por um momento para a avaliar a expressão de todas aquelas pessoas que passavam por ali. Pareciam tão tranquilas, sem problemas.

- Me sinto um peixe triste nadando em um mar de alegrias.

Hoseok riu ainda olhando para a frente e se levantando.

- Então está na hora de ir para outro brinquedo. – entendeu a mão que eu segurei me levantando. – E gritar até não ter mais pulmões.

- Eu gosto dos meus pulmões. – ele riu mais e começamos a andar. – Me sinto um peixe solitário em um mar cheio de outros peixes felizes.

Hoseok riu alto mais uma vez.

- Yoongi você agora passa o tempo criando frases depressivas sobre peixe ?

Então eu apenas ri negando com a cabeça bebendo do restante do meu refrigerante jogando a lata fora em uma lixeira assim como Hoseok fez.

- Eu só acho que sou um corpo sem alma Hobi, sou somente a casca de um corpo já a muito tempo sem vida.

- Sério ? – tocou minhas bochechas e em seguida checou minha pulsação no pescoço. – ah, acho que não, ainda tem pulso e você está bem quentinho, está bem vivo.

Me tirou mais uma vez uma risada.

- Vai ficar aí me fazendo rir até quando ?

- Até você conseguir entender que é especial para mim, entender que não é uma casca sem alma, nem um peixe nadando sozinho no mar de tristeza. – respirou fundo e parou de andar na minha frente me olhando. – Você é mais importante que tudo isso, você precisa querer melhorar, aceitar a ajuda que tem. Eu sei que tá tudo uma merda, tudo desmoronando, mas poxa Yoongi ... – Segurou meu rosto com as duas mãos fazendo carinho. – Eu estou aqui, vou ficar dessa vez, você vai ficar bem ou pelo menos vou tentar fazer você ficar.

Meus olhos já marejados com todas aquelas palavras, decidiram as deixar sair e eu fui abraçado por Hobi fortemente.

- Obrigado por estar aqui comigo.

- Acho que você deveria deixar de me agradecer tanto, apenas se concentrar em esquecer tudo isso por um minuto e passar um bom tempo ao meu lado.

Voltou a me olhar limpando as lágrimas que desceram, eu sorri com seu ato carinhoso e concordei.

- Está bem, para onde você quer ir agora ?

- Para a montanha russa.

- Tá de brincadeira né ? Ou você quer me matar ou quer que eu morra de um infarto. – faço uma expressão assustada.

- Calado, o que eu disse sobre parques ?

- Que servem para gastar dinheiro e perder tempo ?

- Yoongi ... – soou em um tom de reprovação, assim como a expressão em seu rosto.

- Está bem ... – revirei os olhos. – Servem como uma terapia.

- Exatamente, e o segundo passo dessa nossa terapia é você entrar naquela merda e gritar muito, por tudo que tá aqui ..– bateu seu indicador contra meu peito. – para fora, gritar, se libertar. Entendeu ?

- Entendi ! – sorri assentindo.

- Ótimo, então vamos.

Segurou meu punho novamente e fomos até o brinquedo. Como Hobi havia me dito eu gritei, me libertando de todas as vezes que eu queria ter gritado mais, todas as vezes que eu queria ter posto toda a dor para fora, posto tudo aquilo que estava guardado para fora em forma de gritos de alegria coberto de adrenalina, quando a volta acabou olhei para Hoseok que sorria com os cabelos bagunçados, arrumando os meus, eu estava coberto de adrenalina e sorrindo feito bobo.

- Foi melhor que a roda gigante.

- Então acho que achamos seu brinquedo favorito.

Sorriu passando a mão por meu rosto, voltando mais uma vez a segurar meu punho e sair de lá indo para experimentar novos brinquedos que ele ainda não havia testado.

- Vamos na casa de espelhos ? – me indagou.

- Tem espelhos na minha casa.

Revirou os olhos rindo e acabou por me puxar para dentro daquele local, por onde íamos passando por cada espelho e fazendo uma careta, aquilo me tirou fortes risadas.

- Você é idiota ! – ri do Hoseok que fazia gracinha olhando o espelho.

- Eu sou mesmo. Tenta, quero ver como fica.

Se virou para mim e eu fiz o que ele pediu, afinal eu também queria tirar risadas da minha estrela.

- Satisfeito ? – perguntei para ele que ria.

- Tanto que até tirei uma foto. – me mostrou o celular.

- Apaga ! – fui pra cima dele tentando pegar o celular. – Hoseok você tem uma foto minha e eu não tenho sua, é injusto.

Paro de tentar pegar e olho para ele cruzando os braços.

- Me dá seu celular então.

Abriu a mão e eu entreguei, o mesmo bate uma foto dele mesmo fazendo careta.

- Agora sim, vou te fazer de meme. – ri olhando a foto dele.

O mesmo riu e continuamos pela a parte dos espelhos, quando por fim acabamos fomos comer um cachorro quente e decidimos que não haviam mais brinquedos legais a serem testados (Hobi queria ir no carrossel mas eu me recuso), aceitamos apenas que estava na hora de voltar para casa e encarar nossas realidades, afinal todo momento de calmaria é acompanhado por um de caos. Sai daquele parque extremamente revigorado, era como se eu não tivesse espaço em minha mente para me lamentar ou lembrar de tudo que acontecia e eu tinha que resolver. Deixei que tudo saísse, que passasse para longe de mim.

- Você grita como uma gazela Hoseok.

- Que ofensa à mim e meu grito culto e baixo.

Deu um soco em meu ombro me fazendo rir novamente.

- Você sabe que é verdade.

Olho para ele sorrindo e ele apenas concordou.

- Não me faz arrepender de ter te levado lá não. Então se cala. – piscou para mim e paramos. – Chegamos.

Olho para o meu prédio e solto um longo suspiro o encarando, foi aí então que minha realidade voltou a tona, momentos antes aquela mulher parada na minha frente pedindo perdão, Jimin sem reação e Taehyung a defendendo. Respirei fundo mais algumas vezes e Hobi segurou em minha mão me fazendo esquecer novamente tudo aquilo e olhar para seu sorriso fraco no rosto.

- Quer que eu entre com você ?

Me olhou enquanto eu ainda encarava a porta do meu prédio.

- Eu sou adulto, eu consigo entrar no meu prédio.

Ele riu baixinho e assentiu soltando minha mão, andei dois passos e parei novamente.

- O que foi ? – perguntou atrás de mim.

- Não seria nada mal se você me acompanhasse até minha porta. – olho para trás.

Um sorriso brotou no rosto dele e o mesmo segurou meu punho andando para dentro me puxando mais uma vez naquele dia.

- Eu faço esse esforço por você, mas já vou avisando que quero ser recompensado por um beijo.

Riu e eu só conseguia olhar tudo em volta e o quanto eu não queria estar ali.

- Hobi ... – falo mas eles continuou, então eu parei o fazendo também parar. – Eu tava pensando... podemos ir comer algo antes ?

Falo baixo olhando para o chão, tendo Hobi começando a me puxar para o lado contrário, para fora daquela entrada.

- Porque não me lembrou disso, estou faminto acredita ?

Olhou para mim sorrindo, eu sabia que ele não estava, mas havia aceitado e dito aquilo por mim, sabia que ele sentia o tamanho do meu pânico por estar ali novamente, tão cedo. Mas ele não perguntou, questionou, ou pior disse que ficaria tudo bem, apenas seguiu o caminho em silêncio olhando as lojas por onde passávamos, fomos parar em uma lanchonete onde Hobi comprou alguns doces, refrigerante e hambúrguer para nós dois, se recusando a me deixar pagar pelo meu, saímos de lá com os lanches e ele parou olhando de um lado ao outro.

- Yoon você quer conhecer um lugar legal ? – riu.

- O que está você está aprontando ? – olhei para ele intrigado.

- Você quer ou não ?

Perguntou então eu apenas assenti sendo puxado novamente por ele, até estar de frente à um prédio aparentemente já abandonado.

- Não entro nem se me pagar. – falei pegando os lanches dele. – Tchau !

- Ei, parado aí. Você vai conhecer.

Segurou meu punho e acabei cedendo entrar naquele espaço pouco iluminado pelas lanternas nos nossos celulares.

- Porque eu me sinto participando de um filme de terror ?

Falo olhando as teias de aranha e me desviando delas enquanto subia as escadas atrás de Hoseok.

- Mas é um, eu vou enlouquecer e te matar por não calar a boca.

- Olha que dou meia volta e vou embora. – ameaço e o mesmo me olha desconfiado. – Dúvida ?

- Claro que não. Mas se tiver um assassino aí você tem mais chances de escapar caso esteja acompanhado.

- Isso é verdade. Primeira vez que você diz algo com um sentido verdadeiro. 

Riu continuando a subir e suas palavras apenas me fizeram ir mais rápido o seguindo, logo estando com ele no terraço superior. Cheguei bem pleno, respirando calmo enquanto Hoseok puxava ar como louco. Nem consegue subir escadas ? Ri baixinho porque o papel estava invertido, eu que puxava o ar para os pulmões super carregados por causa das escadas, porque quem não tinha nenhum preparo aqui era eu.

- Meu Deus Yoongi, você parece ter andado por horas em uma esteira. – ria de mim. – Enquanto subiu apenas umas escadinhas.

- Em minha defesa o elevador tem me deixado preguiçoso. – Me aproximei dele. – E cala a boca é errado rir dos amigos sabia ?

O fiz rir ainda mais.

- Você me faz rir muito assim. – segurou minha mão caminhando até a ponta do prédio.

- É agora que você me joga daqui de cima e me mata ? – olho para ele já na ponta do prédio.

- Não seja idiota Yoongi, não vou matar você, já disse. – riu me olhando.

- Que pena Hoseok, você era minha única esperança.

Reviro os olhos.

- Larga de bobeira e olha a vista.

- Você me trouxe aqui para isso ? – falo olhando para a frente.

- Pode dizer ...

- É lindo ...

Falei baixo olhando o show de luzes que emanava da Cidade, mesmo de partes mais distantes.

- Eu sei, aqui é um bom lugar para comer.

Falou simples se sentando no chão e abrindo seu lanche, logo o segui me sentando ao seu lado e abrindo meu lanche.

- Hoseok como posso confiar que sua verdadeira intenção não é me empurrar daqui ?

Estreito os olhos observando o mesmo.

- Talvez seja realmente este meu plano, te empurrar daqui, fazer purê de Yoongi e comer no café da manhã, sempre recitando “Meu amor é tão grande que sou capaz de comer você” e assim passarei o purê feito de Yoongi esmagado na torrada e comerei, me sentindo realizado para sempre digerindo sua carne saborosa.

Falou calmamente me olhando como se dissesse algo normal, comendo do seu lanche.

- Que nojo. – Faço careta.

- Sério? Achei romântico.

- Super romântico, me deu até vontade de casar com você depois dessa. – coloco a mão no peito.

- Claro meu amor eu sei, sou demais. – fez uma pose heroica. – vim para salvar você desse mundo cruel, te jogando do prédio, te transformando em purê e comendo com torradas.

E isso já foi o maior motivo para tirar piadas nossas e risadas escandalosas por um longo tempo.

Após a crise intensa de risos paramos tomando ar, dando abrigo ao silêncio que se formou entre nós. Não era desconfortável, era um silêncio agradável, daqueles que nos ajudam a pensar, avaliei mais daquela vista, milhões de casas iluminadas e uma Seul com ruas mais calmas abrigando a madrugada tardia.

- Hobi ?

Chamei baixo após um tempo, ainda olhando para a frente.

- hum?

Escutei seu murmurinho, o que apontava que o mesmo estava de boca cheia, não precisei olhar para ele; eu sabia que o mesmo estaria com os olhos em mim, observando cada detalhe meu.

- Eu me sinto em uma batida de carros em câmera lenta. Como se tudo estivesse desmoronando sobre mim e eu estivesse preso, sendo obrigado a assistir e não poder agir. – falo baixo dando mais uma mordida no hambúrguer.

- Como se tudo fosse se acabar e você não pudesse impedir. – falou calmo e eu o olhei assentindo. – Nossas dores são diferentes, mas eu conheço bem esse sentimento, e ele é perigoso.

Respiramos fundo nos olhando por um tempo, não era necessário dizer algo de conforto, afinal nós dois sabíamos a dor que cada um levava, sabíamos que não era necessário dizer algo, pois a dor querendo ou não era necessário de ser sentida.

- Eu não vou dizer que ficará tudo bem, pois eu não sei do futuro, mas farei o possível para melhorar um pouco dele.

Segurou minha mão fazendo uma pequena carícia e tirando um sorriso fraco dos meus lábios.

- Eu sei que fará... – volto a olhar a paisagem. – Já está fazendo.

- Eu sofro de bipolaridade Yoongi. – revelou de repente soltando minha mão. – então não desista de mim, se eu agir estranho ou tentar fazer você sair da minha vida, e afastar de mim. Não se afaste, não mais. 

Olho para o mesmo que tinha cabeça baixa, segurei seu queixo levantando, o fazendo me olhar e então eu sorri.

- Eu não vou mais abandonar você. Nem que me mande embora, está bem ?

- Está bem ! – sorriu. – vamos passar por essa batida de carros juntos, assim eu diminuo o impacto quando ele atingir você.

Ri baixinho olhando para os olhos brilhantes de Hoseok.

- Mas você não poderá me proteger se for um dos carros.

- Eu não serei um dos carros. Serei o garoto a te puxar para longe da batida. – segurou meu rosto com as duas mãos. – Não vou permitir que os estilhaços te machuquem.

- Eu confio em você Hobi, então não me abandone novamente. – sorri fraco mais uma vez. – mas por hora você poderia me beijar.

- Mas as estrelas estão olhando. – notei o sorriso brincalhão ser formado no rosto dele.

- Que elas testemunhem sua promessa de não ser um dos carros ser selada com um beijo seu.

- Está bem !

Sorriu fechando os olhos e se aproximando de mim, fiquei sobre meus joelhos me aproximando ainda mais de Hoseok, até ter nossos lábios selados um no outro, mantive minha mão em seu pescoço, enquanto as de Hobi esmagaram minhas bochechas deixando o encontro de nossas bocas mais intenso, ambas com saudade da dança maravilhosa que sabiam juntas, assim que nossas línguas se ligaram ou de sentir o gosto do lanche comido por ele a alguns minutos atrás, mas aquilo não me impediu de continuar o beijo por mais alguns segundos, até que nós dois paramos rindo, encostando uma testa contra a outra, olhei o rosto recém corado de Hobi que sorria como uma criança ainda de olhos fechados.

- Eu deveria ter comido um doce antes de beijar você. – falei e o mesmo riu soltando meu rosto.

- Deveria mesmo, ainda sinto o gosto do ketchup. – ri junto dele que acabava de abrir os olhos. – Mas foi um bom beijo.

Sorri assentindo, voltando a me sentar normalmente e me deitando sobre o chão voltando a avaliar aquele céu tão lindo.

- Você me trouxe para ver as estrelas e conseguiu me salvar. – olhei para ele sorrindo, segurei sua mão.

- E salvarei mais vezes. – entrelaçou nossas mãos sorrindo. – Nossas mãos se encaixam bem, não acha ?

- Eu acho sim ! – ri as olhando. – acho que elas devem permanecer assim, não acha ?

- Eu acredito que devem. – sorriu olhando para elas juntas.

Após um tempo apenas de carícias na minha mão ele acabou por deitar sobre o meu peito, permitindo que eu passeasse minha mão em seus cabelos, notei que ele havia dormido assim que senti sua respiração pesada sobre meu peito. Naquele momento eu não tive medo, nem uma angústia, Hobi estava nos meus braços dormindo tranquilamente, estando ali como minha âncora, me puxando para passar para um outro lado, um lado menos sombrio e mais calmo ao seu lado, cheio de brinquedos radicais e terapias a serem testadas. Eu tive certeza de algo, eu não queria abandonar minha âncora, por mais que ela pudesse me machucar com todo seu peso, eu a queria.

Eu mesmo não notei em que momento eu também peguei no sono, só apenas acordei com o sol em meus olhos queimando levemente meu rosto.

- Ah não ... – falo baixinho, com Hoseok dormindo profundamente sobre mim – Hobi ?

O chamei balançando levemente seu corpo, tendo um murmurinho em reclamação.

- Hobi acorda, já é de manhã. – falo calmo vendo o bico que o mesmo tinha.

- Já? – abriu apenas um olho e depois o fechou. – Só mais cinco minutos.

- Eu preciso trabalhar. – falei rindo. – Anda preguiçoso, você me fez dormir em um prédio abandonado correndo perigo.

- Deixa de ser chato quem quer matar você? – falou se sentando coçando os olhos. – Que coisa mais chata, como eu fui dormir ?

- Como eu fui dormir ? – falo me levantando devagar sacudindo minha roupa, tirando a poeira. – você babou na minha blusa seu porco.

Ele riu olhando para ela, não disse nada apenas estendeu sua mão que eu segurei o ajudando a levantar.

- Bom dia para você também. – me abraçou. – Eu te deixo no seu trabalho.

Desta vez ele não segurou meu punho, ele apenas entrelaçou nossas mãos.

- Está bem.

Saímos do prédio em silêncio, um silêncio confortável que eu costumava ter com Hobi ali, não demorou muitos minutos e eu já estava em frente à cafeteria.

- Acho que vou aproveitar para tomar um café forte. – passou a mão no seu rosto inchado.

- Eu te preparo um cappuccino, o que acha ? – sorri o dando um selinho rápido.

- Adoraria. – riu me olhando e me dando um abraço. – Tenha um bom dia hoje, posso ir te ver de noite ?

- Vou esperar por você. – sorri dando um beijo no topo da sua cabeça. – agora eu preciso entrar.

- Está bem ... – riu me soltando.

Entramos dentro da cafeteria ainda de mãos dadas, elas foram se soltando assim que cada um seguiu seu caminho, eu para o balcão e Hobi para uma mesa desocupada.

Cheguei até a área de funcionários encarando o Kim sentado no banco colocando seu avental, passei por ele sem o olhar e segui até o banheiro, joguei uma água no rosto e lavei minhas mãos com calma, sai do mesmo ainda tendo o Kim sentado ali me encarando.

- Yoongi ... – falou baixo se levantando.

- O que deseja ? – falei normalmente colocando meu avental.

- Eu quero me desculpar por ontem, fiquei preocupado quando você não voltou para casa, eu não tinha ...

Antes que ele terminasse ergui minha mão para que ele parasse.

- Kim, eu custei me sentir disposto após ontem, não estrague meu bom humor. Meu local de trabalho e minha vida pessoal devem estar de lados opostos. Então apenas me trate formalmente, esqueça que ontem aconteceu durante nosso expediente. – falo ríspido. – Entendeu ?

- Sim, eu entendi. – sua voz soava baixa.

- Ótimo, vamos trabalhar. – fechei meu armário saindo daquele local.

Me posicionei atrás do balcão começando a preparar os pedidos que chegavam, me esforcei o máximo possível para ser totalmente profissional com o Kim, a quem eu guardava certa magoa pela noite anterior, mas eu também sabia que ele precisava daquele trabalho, então o ensinei tudo que era necessário saber, realmente deixando minha vida profissional e pessoal de lados opostos. Mas o lado bom é que tive tempo de preparar o cappuccino de Hobi, ainda desenhar um coração em cima, notei a risada do mesmo me olhando assim que recebeu o seu pedido, e aquilo me encheu de energias boas pelo resto do meu dia. 


》Jungkook《

Estava na cafeteria do hospital tomando um café forte, eu quase não havia dormido na noite anterior e precisava me manter acordado.

- Me disseram que você está acabando com o café do hospital. – Seokjin diz se sentando na minha frente. – Não conseguiu dormir ?

- Nem um pouco Hyung. – falo preocupado.

- O que aconteceu agora ? – diz colocando açúcar em seu café o mexendo lentamente.

- Você não vai acreditar. Na burrada que eu fiz. – passo a mão por meu rosto.

- Se você não contar não posso te ajudar. – me olhou sorrindo.

Estava prestes a contar tudo a ele, mas nesse momento meus olhos apenas enxergaram o Park que entrava na cafeteria junto de outra interna, ele tinha um sorriso tão lindo nos lábios assim como ele também estava lindo com as roupas de cirurgião, como ele ficava bonito naqueles tons de azul, ria de algo junto com a amiga, Seokjin acompanhou para onde eu olhava e então riu voltando a me olhar. Perdi a noção de quanto tempo o olhei, parei apenas quando o mesmo me olhou e desviou o olhar ficando extremamente sério, senti uma fisgada no meu estômago por aquilo, eu sabia o porque dele ter feito aquilo, se fosse antes ele apenas jogaria os cabelos para trás usando de sua mania sexy e piscaria para mim, mas hoje não seria um daqueles dias.

- Limpa a baba que tá escorrendo do canto da sua boca. - me jogou um papel toalha.

- Que ? – falei sem entender voltando a olhar para ele.

- Você todo caidinho no interno.

- Residente Hyung. – tomo um gole do café. – Isso nunca aconteceu.

- Porque você não o chama para sair ?

- Porque ele é amigo de um paciente.

- E daí ?

- E daí que nossa política não permite eu tratar um amigo ou parente de alguém que eu me relacione. – olho para Seokjin. – E nós dois sabemos que não posso abandonar Yoongi agora que ele está tendo progresso, isso poderia o fazer regredir no tratamento. Eu prometi para Jimin que ajudaria o amigo dele. 

Respiro fundo olhando para a xícara de café tomando um gole.

- Isso é verdade, então infelizmente você terá que abdicar do interno.

- Residente ! – o corrijo.

- Que seja. – da de ombros. – Me conta logo o que você fez.

- Eu beijei o interno. – soei apreensivo e desesperado.

- Residente ! – dou de ombros. – Você ficou louco ?

- Eu estou louco por ele Hyung, e não posso nem demostrar, muito menos dar esperanças a ele. – falo tudo baixo. – E agora ele não tá nem olhando para mim.

- Porque ? Vocês se beijaram, o certo seria um encontro agora. – tomou mais do seu café.

- Hyung eu o mandei parar e ir embora da minha casa depois do beijo.

Jin se engasga com o café e me olhou sério.

- Realmente você fez merda meu amigo.

- Você deveria dizer que eu não fiz e da para resolver.

- Mas não da, você vai ter que conviver com isso agora.

- Poxa que bom amigo eu tenho.

Falo decepcionado.

- Eu sou realista. Me desculpe. – Riu tomando seu café tranquilamente. – Você deveria se desculpar.

- Do jeito que ele me olha é capaz de jogar café quente na minha cara.

- Mas não disse para você ir agora, vá depois que ele estiver mais calmo e explique a verdade a ele.

- Você acha Hyung ? – pergunto inseguro e ele só assentiu. – Está bem, farei isso.

Olho para Jimin mais uma vez que ainda evitava olhar em minha direção. Que grande burrada, parabéns Jeon Jungkook. 


Notas Finais


TÔ UM N O J O DEPOIS DESSE CAPITULO E TANTA INTERAÇÃO DE YOONSEOK ❤
Então me digam o que estão achando da Fic, das interações que já tiveram (Minho e Yoongi no banheiro, Taemin e Jimin/Yoongi, Vmin, Jikook, Taegi e Yoonseok) quero saber qual gostaram mais, qual vocês querem mais ❤
É isso, não demorei para atualizar, mereço uma estrelinha de bom comportamento kkkkk
Estou tão animada com o que está por vir nessa fic ... scrr...
Mas enfim, obrigada por lerem
OBRIGADA 56 FAV, AMÉM! ❤
OBRIGADA COMENTÁRIOS CARINHOSOS ❤
OBRIGADAAAAA ❤
Beijo, vejo vocês logo ❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...