História Blood Game - Capítulo 3


Escrita por: e Midoryy

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags 2jae, 2won, Chanbaek, Changki, Hunhan, Jikook, Joohyuk, Kaisoo, Markjinson, Namjin, Originais, Sulay, Taeyoonseok, Taoris, Xiuchen, Yugbam
Visualizações 14
Palavras 1.032
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Drama (Tragédia), Lemon, LGBT, Poesias, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Terror e Horror, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Êbaaaa, capítulo novo!!!

Nesse capítulo terá algumas revelações (bem tensas na verdade).


Enjoy🍪🐇❤️

Capítulo 3 - Partida e revelações


Fanfic / Fanfiction Blood Game - Capítulo 3 - Partida e revelações

Sexta-feira 05:17 a.m

      — Acorda hyung, já está na hora. - chama Hyun-Ae.

      Sexta-feira chegou, e com ela, um dia quase todo de investigação.

       Woojin, relutantemente dá um bom dia a sua irmã - acompanhado de um beijinho na testa -, e vai ao banheiro. A caçula já estava pronta, quis levantar-se mais cedo pra fazer um café da manhã reforçado, pois, provavelmente não almoçariam hoje.

    {...}

       — Eu vou CHORAR - grita Chanyeol abraçando sua dongsaeng.
 
        — Para de gritar desgraça - fala Kyungsoo dando um peteleco na cabeça do mais alto - Minha menina, espero que volte bem. E Woojin, cuida da minha bebê ou eu mesmo faço questão de arrancar seus miolos. - avisa Soo.

        — Ih, SatanSoo voltou, galera. - diz Taehyung.

        — Hyun, promete que vai nos ligar sempre que puder, ok? - a menina assente. - Se cuida também, Woonie. - fala Jungkook abraçando ambos.

        — MINHA BEBÊ! ISSO É MUITO INJUSTO! QUEM VAI CUIDAR DELA? - grita Jin abraçando a menina desesperadamente, fazendo todos rirem de sua situação. — Me promete que vai ligar todo dia. Se não puder ligar manda mensagem, e se não puder mandar mensagem manda sinal de fumaça, mas me mantenha informado. Me promete?

     — Eu prometo Jin hyung - fala a menina — E eu prometo que voltarei bem hyungs - fala para todos ouvirem.

      — Volta mesmo, viu? - fala Kihyun abraçando sua amiga.

      Depois de se despedir de Jin, Yoongi, Taehyung, Jungkook, Lay, Kyungsoo, Minseok, Tao, Luhan, Chanyeol, Kihyun, Hyungwon, Jooheon, Jaebum, Mark, e Jinyoung, eles se foram.

Se foram sem saber se tinham chances de voltar.


   Sexta-feira, 05:30, na máfia...

  

 — Acorda garota! - falava Yoonjin impaciente, tentando acordar Minah.

    — Mas que droga! Me deixa dormir, cobra. - fala a garota se cobrindo ainda mais.

       Esse apelido foi dado quando tinham treze anos.

         Flashback

         Pov's Park Minah

      

   Eu finalmente consegui alguém pra conversar. Fazem exatos três dias que conheci Yoonjin. Uma pessoa muito legal, porém muito problemática. Sempre pensei que somente eu tinha o vício de todas as noites, antes de dormir, assistir a qualquer coisa que envolvesse violência. Isso era como me alimentar, e já fazia parte da minha vida a muito tempo.
        Desde que meu appa começou a trabalhar fora, comecei a ficar sozinha em casa. Ou quase. Ele contratou uma babá pra "cuidar de mim", mas a única coisa que fazia era ficar tirando foto pra postar na internet, ou se esfregando nos vizinhos novos.
        E um desses vizinhos que estou falando é um cara que cuidava do Yoonjin, ele me disse que não morava com o pai, mas nunca me disse o porquê.
        No nosso primeiro dia de amizade, saímos escondidos no meio da noite, o que resultou em um amigo de castigo e eu sendo espancada. Sim, espancada. Ela sabia que meu appa voltaria em um mês, tempo quase que suficiente pra não ficar qualquer ematoma evidente. Aquela mulherzinha me espancou até perceber que havia desmaiado.
      No dia seguinte faltei na escola, o que preocupou meu novo amigo. Portanto, ele veio me visitar, e sua reação não foi uma das melhores. E foi de um momento de desespero que descobri que minha vida inteira mudaria. Planejamos um jeito de nos vingar da "babá".
        O amigo de seu pai - rapaz que cuidava dele -, levava alguns venenos bem fortes, provavelmente pra matar bichos, então conseguimos levar alguns pra minha casa às escondidas.
          Yoonjin resolveu almoçar conosco, a mulher achou bem estranho no começo, mas mesmo assim aceitou. Ela colocou a comida na mesa, e do seu lado o chá verde. Levantou-se pra pegar o açúcar. E essa foi a nossa chance pra colocar o veneno. Sim, EU coloquei o veneno.
         Depois do almoço, começamos a estranhar o comportamento da jovem mulher; que começou a suar muito, tremer, salivar, colocar a mão no peito, ficar sem ar. Até que vimos a mesma se jogar no chão, dando início a uma convulsão.
         O mais interessante foi que, mesmo ela pedindo por ajuda algumas vezes, não nos mexemos. Não movemos um dedo sequer pra ajudar a moça. E ver aquela cena me deu vontade de fazer o que faziam nos vídeos que assistia. Sem perceber, eu já estava com uma faca em mãos passeando por todo o torso da mais velha. Meu amigo não ficou por fora... Ele estava rindo.
        Só não contávamos com a chegada repentina de meu appa. Naquele momento eu fiquei petrificada. Mas, diferente do que eu pensei, meu pai apenas deu um sorriso ladino e proferiu:

        — Eu sabia que conseguiria.

       Daquele dia em diante, o mais velho passou a me levar junto com Yoonjin pra um lugar estranho. Tinha muitas pessoas iguais aos vídeos que eu assistia, eu achava aquilo muito legal. Pude ver uma pessoa sendo torturada, confesso que no começo me senti um pouco enjoada, mas depois, me senti viva, como nunca estive.
        Será que fazendo isso que estavam me ensinando, meu appa voltaria a passar mais tempo comigo?
        
          — Mas foi você que teve a idéia de pôr o veneno, Yoonie! - falo pra Yoonjin, que me chamou de assassina.

          — Ah, tanto faz, você usou a faca. - rebate o menino.

          — Você é uma cobra! - fala a garotinha rindo.

           — Sou nada! - se defende.

         Quando meu pai percebeu que já estava madura o suficiente, decidiu me falar uma coisa que sempre perguntara a ele; sobre a morte de minha mãe.
         Meu próprio tio, irmão da minha omma tirou a vida dela. E foi naquele momento que uma onda de ódio gigante se apossou de meu corpo até então frágil.
       
        Eu deixei de ter o amor da minha própria mãe, por uma pessoa que via todos os finais de semana?

         Será que... Se ela estivesse comigo hoje, eu seria o que sou? Seria esse monstro?
        
          Seria tão sozinha, desamparada e desprotegida? 

 Não me deixe, eu acredito, me                             alcance
 Você é minha esperança sem fim.

      

          Não importa o quanto a chuva caia, não            importa o que a escuridão apague 
Deixe seus olhos abertos e sinta,                        você não está só


Tudo volta ao passado em segundos 
Eu encontrei uma razão para viver no                presente


           Eu te conheci...


Notas Finais


Música do capítulo: Don't Leave Me, do BTS.

Bom, eu sinceramente espero que tenha ficado bom.

Beijo no kokoro, e até o rpximo capítulo.

~Midoryy

🐇🍪❤️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...