História Blood in Roses - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias 2NE1, 4Minute, Bangtan Boys (BTS), EXID, Got7, Jay Park, PSY
Personagens Cl, Hani, Hyerin, Hyun A, Jackson, Jay Park, JB, J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Mark, PSY, Rap Monster, Suga, V
Tags Boate, Bts, Criminal, Gangsters, Got7, Jikook, Lemon, Markson, Namjin, Vhope, Violencia, Yoonkook
Visualizações 42
Palavras 1.869
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Bishounen, Crossover, Drama (Tragédia), Fluffy, Lemon, Luta, Policial, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Slash, Terror e Horror, Violência, Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Cross-dresser, Drogas, Estupro, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá pessoas, tudo bem? Eu espero que sim! Trago um capítulo novo (meio óbvio mais ok) e não tenho muito o que falar mesmo então só vamos pro capítulo! :/ Boa leitura! :3

Capítulo 6 - Taehyung


Depois de muito tempo tentando fazer o garoto se acalmar, Taehyung finalmente conseguiu enxugar suas lágrimas, tentou confortá-lo de alguma maneira e o convenceu a sair da cama para comer. Desceram as escadas parando no refeitório onde muitos estavam comendo e alguns cozinhando.

- Kim Taehyung!

Do outro lado da cozinha um rapaz tatuado de cabelos negros entra pela porta onde ligava a "casa" à boate. Ele veio a passos duro e largos até o castanho e lhe deu uma bofetada forte o bastante para o jogar no chão e tirar sangue do canto de sua boca, o menino se assustou e se encolheu quase caindo no canto da escada em modo de defesa.

- C-chefe...

- Finalmente apareceu! Perdemos quatro clientes que estavam loucos para te comer, tem noção do quando eles iriam pagar? - chutou sua perna com força média.

- Aaiii... É que eu não queria deixar o Jungkook sozinho no seu primeiro dia aqui, ele não conhece ninguém e nem sabe como...

- Foda-se, para isso temos as empregadas! Ele ainda vai ter a vida toda aqui, vai acabar conhecendo de qualquer modo, como pretende recuperar aquele dinheiro todo?

Ele se aproximou e puxou seus cabelos o fazendo choramingar e ficar de joelhos, Jeon mesmo com tudo aquilo não queria que o amigo sofresse.

- Solta ele, não está vendo que está machucando? - pulou sobre o braço do chefe tentando o soltar.

- E você quem pensa que é? Tem noção do que pode te acontecer aqui? - encarou o novato com um olhar mortífero e largos os fios para apertar seu pescoço.

- Jay, solta ele! - Taehyung agora tentava puxar sua cintura - É só uma criança, deixa ele em paz!

Não deu ouvidos aos quase gritos e derrubou-o no chão pisando em seu peito tirando todo o fôlego que tinha. Tae se abaixou para segurar a cabeça do que se debatia tentando respirar aos poucos e assoprou seu rosto tentando ajudar.

- Não irá compensar mas vou fazer você lavar as roupas, os copos do bar e os quartos depois de serem usados... ou durante o uso, os clientes vão gostar de ter uma vadia faxineira de bônus.

Se retirou da cozinha levando uma maçã dos cesto de frutas deixando as pessoas boquiabertas.

- Quem é ele Tae...? - recuperou fôlego o suficiente para perguntar.

- Tae? - sorriu com o apelido - gostei... Kookie! - acariciou seu tórax onde tinha sido machucado - Ele é o gerente da Spice, Jay Park.

Ajudou o menino a se levantar e foi pegar pratos, seguiu com ele andando devagar e a mão no peito, destampou as panelas com algumas comidas diferentes.

- O que quer comer?

- Eu não estou com fome.

- Se não comer vai acabar ficando fraco e não vai se recuperar, ponha ao menos três comidas.

Sem hesitar mais, ele encheu seu prato com kimchi, arroz e camarões, terminaram de por seus pratos e se juntaram a mesa. A comida estava realmente muito boa, as cozinheiras sempre faziam os melhores pratos para garantir que todos estivessem com a devida energia, mas não pelo conforto. Isso era uma ordem do dono da boate, vulgo Yoongi, que não queria perder seus lucros por causa de algum prostituto fraco que não aguentasse ficar em pé.

- Parece que alguém se ferrou! - Hani sentou duas cadeiras ao lado.

- Isso não é problema seu!

- Está revoltadinho? Deveria trabalhar para que isso não acontecesse.

- Deveria se calar, eu sou o líder de vocês e tudo o que você sabe fui eu que te ensinei!

Ela parou de falar e baixou a cabeça voltando a comer, quando todos terminaram e colocaram seus pratos na pia Taehyung foi lavá-los, Jeon também queria fazer algo por ele mas foi proibido pois além de ainda estar se recuperando, agirá tinha um novo roxo em seu corpo. Já se passaram das onze da noite, quase todos estavam dormindo e is dois garotos ainda na cozinha, um esperava o outro terminar de guardar os objetos em seus devidos lugares. Quando finalmente acabou, resolveu de sentar na mesa aí lado dele e puxar assunto para o conhecer melhor.

- De onde você veio? - arfava cansado.

- Eu vim da minha casa, morava com a minha mãe mas ela não gostava de mim. Vivia bebendo em gastando em jogos, eu sempre cuidei dela e ela sempre me maltratou. - respondeu cabisbaixo.

- Poxa, você praticamente fazia o papel dela.

- Eu tinha que me virar para conseguir alguma coisa que precisasse. Pra me matricular numa escola eu precisei da ajuda do meu namorado... Jimin... Eu estive me guardando pra ele a minha vida toda e bem no dia no meu aniversário que eu planejava me entregar pra ele quando chegasse a noite... - ameaçou chorar mais uma vez.

- Ei, não! - secou seus olhos - Você já chorou de mais por hoje, não gaste assim suas lágrimas. - ele assentiu e assim continuou - Ele se chama Jimin? Que lindo nome!

- Ele é muito bonito e o melhor de tudo, é muito bondoso. Sempre me ajudou quando eu precisava e... ele foi o único que me amou a minha vida toda.

- Ei, não precisa falar assim. Agora eu vou ser o seu amigo! Vou te ajudar sempre que precisar e eu vou te amar muito também, aqui todo mundo precisa de carinho e você vai ser o meu melhor amigo!

Ele deu um sorriso quadrado que o fez rir soprado mesmo que sem vontade, achou fofa e estranha a facilidade que o jovem tinha em tentar animar e se relacionar com alguém que acabara de conhecer.

- Obrigado! Mas e você? Como veio parar aqui?

- Eu tinha um irmão, ele era minha única família e trabalhava aqui também.

- Tinha?

- Eu era bem pequeno, tinha uns sete anos e ele dezessete, ele era um dos prostitutos mais bem pagos, mas aí ele tentou fugir e me levar pra longe mas fomos pegos. Ele me carregava agarrado no seu peito como um macaquinho enquanto pulava a grade dos fundos e um segurança nos viu, a gente não foi muito longe mesmo que a rua fosse escura e não tivesse muitas casas e sim mais árvores como uma pequena floresta do outro lado da rua, quando estávamos quase escapando o segurança que nos seguiu atirou nas costas dele.

- Nossa, sinto muito. Você ficou machucado?

- Não, mas o segurança quando foi chegar se tinha o matado mesmo me viu respirando, bati a cabeça quando caímos e desmaiei. Quando me dei conta o Yoongi estava me forçando a aprender strip tease para não me matar por ser um inútil. Hoje eu sou o prostituto mais vem pago e o líder como meu irmão era.

- Pobrezinho, a quanto tempo está aqui?

- Eu e ele morávamos nas ruas quando eu era um bebê e ele apenas com dez anos me carregava no colo. O Jay nos achou quando meu irmão foi pedir esmolas para termos o que comer, ele nos achou fofinhos e nos trouxe pra cá prometendo estar nos levando para um parque pra comer algodão doce e leite.

- Que... desumano! Enganar uma criança assim... deve ter ficado com um trauma.

- Ficamos muito apavorados quando chegamos mas acabamos nos acostumando. Não tenho mais coragem de pensar em fugir, só de me lembrar do que aconteceu já sinto arrepios.

- Jimin saberia cuidar fácil disso, ele é um ótimo psicólogo... espero que ele sinta a minha falta... Será que ele vai me procurar?

- Desculpe, procurar obviamente sim mas te encontrar é muito difícil, as informações sobre aqui são bem restritas e secretas. Yoongi é muito inteligente quanto a qualquer passo que ele dá.

- Não podem simplesmente se demitir ou coisa assim? Porque têm sempre fugir?

- Ninguém consegue sair daqui. O salário que você recebe paga a hospedagem e a alimentação que você consome, assim quando você paga tudo acaba sempre devendo de novo e Yoongi não gosta que alguém fique o devendo, ele acha que não vão pagar completamente ou só gosta mesmo de se divertir com a vida alheia.

- Então quer dizer que eu não tenho chances de sair daqui? - ele já estava prestes a chorar de novo quando o novo amigo o abraçou.

- Ainda há uma salvação, quando algum envelhece e as pessoas vão deixando de o querer, ele pode trabalhar como empregado ou barman.

- Ainda não dá pra sair.

- O corpo não é mais vendido, se serve de consolo. Você precisa descansar, já sofreu demais por hoje.

Tae o ajudou a se levantar e caminhou com ele se apoiando em seus ombros para não desequilibrar, o que mais queria naquele momento era que seu namorado o buscasse e o levasse embora daquele inferno que entrou e logo em seguida apagasse seus cabelos dizendo que estava tudo bem, gostaria também de saber porque estava sofrendo tudo isso e como poderia se salvar.

[...]

Jimin estacionou o carro em frente a casa de Jungkook, ele estava ansioso para ver o seu garoto depois de um longo dia de trabalho e também nervoso pois esta noite iria dar o presente mais especial para ele, sua primeira noite de amor. Ele olhou para o ursinho de pelúcia grande que estava no banco traseiro e desceu do carro, bateu na porta esperando seu namorado abrir mas quem o atendeu foi Hyerin com uma cara estranha de sossego.

- Boa noite, onde está Jungkook?

- Ele não está! - falo com voz de sono.

- Como? Ele não te deixaria sozinha nunca, sabe o quanto você pode fazer de besteiras.

- Acredite se quiser, ele não está. - risonha, era essa sua expressão.

- Tá, então onde ele está? - perguntou impaciente.

- Bem longe daqui!

- Que?... Hyerin me explica direito!

- Eu estava muito endividada, você sabe...

- O que ele tem a ver?

- Eu o usei para pagar minhas dívidas, pronto falei! - ela riu, claramente não estava sóbria.

- ... Hyerin!

Jimin agarrou seus ombros a empurrando com força animal e entrou na casa trancando a porta.

- O que você fez? - perguntou se desesperando.

- Eu devia ao Yoongi, o gangster na Coréia.

- QUEM???

- Você queria o que? Que eu perdesse minha vida por causa disso?

- Você... é uma vadia Hyerin! Tem noção do que você fez? Como vendeu seu próprio filho assim?... - a mulher apenas ria - Você não presta, não o ama de verdade porque ele não é seu filho...

- Ah, vai tomar no seu... espera, como sabe que ele não é meu filho?

- E-eu... - respirou fundo - espero que você tenha uma péssima vida.

Saiu da casa batendo a porta, entrou no carro chorando e saiu pensando em ir para a sua casa e tentar se tranquilizar um pouco e pensar direito.

- Eu estou batalhando tanto para te levar comigo Jungkookie, não posso te perder agora, não posso... - limpou as lágrimas com as costas da mão e apertou o volante - Eu não vou perder você! Vou buscar ajuda...


Notas Finais


Omo, tadinho, que Jay Park malvado! Quem é o mais malvado, Hyerin ou Jay Park? Beijos e até a próxima! :) :D ;)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...