1. Spirit Fanfics >
  2. Blood in the water - Apocalipse >
  3. Capítulo 1 - Perdas

História Blood in the water - Apocalipse - Capítulo 2


Escrita por:


Capítulo 2 - Capítulo 1 - Perdas



O sol se fazia presente, indicando o início da manhã, com ela esperanças, esperanças de uma cura, de uma vida digna, dignidade. 

         Sakura pov.

Olá, me chamo Sakura. Sei que pode parecer intrometendo meu atrapalhar a sua leitura, mas essa história é minha também, então vou atrapalhar. 

Minha vida começa a 17 anos atrás, eu nasci em uma cidade chamada Konohamaru, ou aldeia da folha, era pequeno e aconchegante a vida lá. Conheci o Naruto e o Sasuke ainda no início da infância, os dois eram de uma família rica, diferente da minha, não éramos pobres, meu pai era um comerciante de roupas e minha mãe veterinária, éramos modestos, os pais de Naruto eram bem ricos, o pai dele era o prefeito da cidade, além de ser empresário, dono de construtoras, a mãe dele era uma médica respeitada, muito conhecida por suas descobertas, também era uma "cientista", química. Sasuke pertence a família Uchiha, uma família tradicional e podre de rica, os pais dele eram donos de vários hospitais e da maior vendedora de petróleo de toda a Ásia, a Funtom.

Quando esse apocalipse começou, nossos pais nós mandaram para solo Norte Americano, pois pensavam que não estava tão grave assim aqui, um erro, pois aqui estava bem pior, depois de um tempo recebemos a notícia que nossa família havia morrido, virado zumbis, só restavam nós. No meio do caminho achamos Hinata, uma moça de uma família reconhecida, que também morava no Japão, só que em outra cidade, ela se juntou a nós, atuando mais em partes leves, como preparar o jantar, cuidar da casa, junto comigo. Depois achamos Kiba, a família dele é descendente Japonesa, mas ele nasceu nos EUA, ele se tornou um grande guerreiro do nosso grupo, depois achamos Vanya, e agora? Ótima pergunta, estamos na serra ainda, faz 2 meses, até agora não fomos atacados, mas sinto que uma hora ou outra os mortos vivos conseguirão subir aqui e farão um estrago, mas Naruto não me ouve, diz que é mais seguro ficarmos aqui em cima, como ele é o Líder, eu deixo-o tomar as decisões, se der errado a culpa é dele também.

                   Vanya pov.

— Vanya! Olha isso.  — Rock Lee me chama com uma caixa em mãos.

— O que tem aí?   — Pergunta desinteressada.

— Aqui tem várias pedras preciosas, Jade, rubi e diamantes! Nós estamos ricos.  — Rio com o seu entusiasmo. 

— Não sei se você se lembra mas estamos em um apocalipse, isso não vale de nada.  — Ele fica cabisbaixo, eu até ficaria com pena uma hora dessas, mas não estou.

— Mas me dá isso aqui, talvez dê para fazer colares, para indentificar os membros do nosso bando.  — Olho, as pedras são realmente verdadeiras, daria para fazer vários colares.

— O que é isso Vanya?   — Kiba aparece e já mete a cara na caixa.

— São pedras preciosas, para fazer colares.   — Kiba sorri, deixando os seus caminhos felinos aparecerem, era fofo.

— Eu quero essa.  — Ele pega uma pedra Granada, mas eu pego de volta.

— Eu vou fazer um colar com essa pedra para você, depois te entrego.  — Ele agradece e sai com o Akamaru.

— Eu quero esta!  — Sakura aponta para uma pedra Rubelita rosa, como os seus cabelos.

Naruto pegou uma pedra  Água Marinha, como os seus olhos azuis, Hinata escolheu uma  pedra Ametista, que representa pureza, como ela.

A noite chega, o frio e os mosquitos, quando estávamos embaixo da serra não podíamos ascender figueiras, para não chamar a atenção dos zumbis, mas já que estamos aqui em cima, não tem problema algum, então ascendemos uma fogueira, tanto para fazer calor quanto para assar os peixes que Sasuke pescou.

— AHHHHH.   — Um grito é solto.

— Eu vou!  — Pego minha espada e coloca nas minhas costas, vou para a floresta, tentando seguir os gritos.

— Hinata!  — Vejo um zumbi tentando devorá-la, por um tris ela não foi mordida. Pego minha espada e golpeio a cabeça do morto vivo, que morre definitivamente.

— Meu deus, muito obrigada Vanya.  — Ela tenta se levantar, eu a ajudo.

Não respondo, apenas vou andando até a direção do acampamento, com ela atrás de mim.  Chegamos lá e Naruto começa a perguntar, se desesperando quando digo que foi um zumbi.

— Eu disse Naruto, aqui não é mais seguro, se esse zumbi conseguiu subir, outros também poderão.   — Sakura exclama também assustada.

— Eu sei, eu sei. Mas não temos o que fazer, o jeito é passar a noite aqui e amanhã ir para outro lugar, talvez a cidade, os suplementos também estão acabando.  — Todos concordamos, mas eu estava sentindo que alguma merda iria acontecer, e seria logo.

Fizemos o que tínhamos que fazer, comemos e fomos dormir, ninguém estava com clima de fazer nada, só queríamos descansar. Era de madrugada quando escutei gritos desesperados, peguei a minha espada e coloquei uma arma na cintura e vi uma cena que ficou marcada na minha cabeça.  Rock Lee sendo mordido, o sangue escorrendo, tinham muitos deles, muitos mesmo, pelo menos uns 20, espalhados por todo lado, logo depois todos acordaram e viram a cena, não tinha como lutar, apenas fugir. Dou um tiro na cabeça do zumbi que mordeu Lee, depois dou um tiro na cabeça dele próprio, muitos podem chamar se insensibilidade, mas eu estava fazendo um bem, pelo menos eu imepdi ele de se tornar um verme como um zumbi.

— Vanya! Você está louca?!  — Naruto van correndo com uma arma na mão, atirando nós zumbis que chegavam perto.

— Louca nada, se eu tivesse deixado ele viver, teria virado um zumbi, eu o salvei!  — Hinata me olha desapontada.

Sakura pega sua besta e atira flechas dos zumbis, mas um vem por trás dela, que é mais rápida e dá uma cotovelada no estômago dele, que cai, mas logo se levanta novamente, ela dá uma flechada na testa dele que cai morto.

Eu pego minha espada e começo a golpear tudo que vejo pela frente, matando inúmeros zumbis, 3 me rodearam, dou um chute no maior, o chute foi tão potente que o fez cair a 2 metrôs pra frente, o que estava a minha direita perdeu a cabeça, com uma bala disparada por Sasuke, o que estava atrás de mim foi morto pela minha espada, não tinha saída, o jeito era correr.

Naruto pega Hinata nas costas e sai correndo, dizendo que era para o seguirmos. Sasuke vem para o meu lado, segurando o meu braço mas eu solto, fazendo ele me lançar um olhar reprovador. Sakura estava em cima de Akamaru, Kiba transformado em besta correndo mais rápido, descemos a serra. Chegamos lá em baixo pela manhã, totalmente cansados e com sono, nós sentamos na rua, vendo os carros passar, até em um apocalipse tem congestionamento. Fomos andando até outro lado da rodovia e achamos um trailer, que caberia todos dentro, Sasuke como o único que sabe dirigir nós levou, resolvermos ir para a cidade, lá estaria pior é verdade, mas pelo menos o estoque de comida séria mais vasto.


— Aqui está bom.  — Naruto diz, estávamos em uma fazenda vazia, aparentemente.

Mal acabamos de estacionar, tiros são lançados e uma voz masculina escoa, dizendo pra nós irmos embora, que ali não era o nosso lugar.

Desço do carro e vou correndo atrás a fazendo, que tinha um senhor com uma espingarda na mão, atrás dele uma mocréia, mulher feia da peste, do lado do senhor uma mulher loira, alta e com uma faca na mão, apontada para mim, atrás de todos eles haviam 4 homens, com expressões nada amigáveis, com armas na mão.

— Olha, ninguém aqui quer briga tá legal? Só queremos passar a noite aqui, então se não pedir muito, abaixe essas armas, nós não faremos nada.  — Eles me olham de cima a baixo e abaixam as armas, mas ainda estavam com a mão no gatilho.

— Quem são vocês?  — A mocréia diz, mechendo nos cabelos pretos.

— Somos sobreviventes.   — Sasuke fala olhando para eles com um olhar intenso e mortífero.

— E o que nos temos com isso?   — O velho fala e Sasuke resmunga palavrões.

— Senhor, perdoe-nos, somos apenas sobreviventes dessa loucura, nosso acampamento foi atacado, pedimos encarecidamente que nos deixe passar a noite aqui, depois iremos embora.  — Sakura diz, finalmente alguém educada.

— Hã? Claro que não, vocês nós trarão problemas, muitos problemas.  — O velho diz, a mulher loira, aparentemente esposa dele surra alguma coisa no ouvido dele.

— Por favor Senhor, nós deixe passar a noite aqui, não iremos trazer problemas.  — Hinata diz com o seu jeito doce de sempre.

— Tudo bem, vocês podem ficar. Mas vão acampar aí fora, dêem um jeito, e não faremos comida nem água, se quiserem beber alguma coisa podem ir no poço, aqui tem muitas árvores com frutas, é só pegar e comer e não ultrapassem o limite da nossa casa, fiquem na de vocês.  — Ele diz, isso é vergonhoso mas não temos outra opção.

— Se nós vermos vocês pelo menos perto da nossa casa, a bala vai cantar.  — Um dos homens aponta uma arma para nós, que concordamos com a cabeça.

Eles entram para a casa e nós vamos procurar as frutas que ele disse.

— Ei galeira, aqui tá cheinho que mangas, nós estamos no paraíso!  — Sasuke nega com a cabeça.

— Paraíso, tá mais para purgatório.  — Ele diz pegando uma manga e levando a boca.

— Realmente.  — Falo, nem de manga eu gosto, mas era o que tinha.

Comemos, aquela família era estranha, muito estranha, mas eu não sei por que, sinto que eles vão nos trazer problemas.












Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...