1. Spirit Fanfics >
  2. Blood Moore ( Institute Iredalle ) >
  3. XXI. O Atentado

História Blood Moore ( Institute Iredalle ) - Capítulo 24


Escrita por:


Notas do Autor


Hey, Baby's! Como vão vocês? Espero q bem!



Mais um capítulo de nossa amada história, espero que agradem a vcs!




Hehe, tentei caprichar dessa vez, de verdade (*--*)



Sei q está mais curto de o costume, mas a qualidade é a mesma. ^^

Boa leitura! ♥♥♥

Capítulo 24 - XXI. O Atentado







Repentinamente, enquanto ainda conversávamos, um tremor tomou o lugar por inteiro e o solo pareceu estremecer durante o ocorrido, interrompendo-nos de nossas conversações. Fora algo tão repentino que até mesmo Isabella parecia ter sido pega de surpresa quando tudo começou a ocorrer.  Era quase como se estivesse ocorrendo a um terremoto naquele momento. Subitamente, o tremor diminuiu até que por fim desapareceu por completo. E tudo pareceu se torna momentaneamente uma falsa calmaria. 











Me recompus logo após isso. Havia me desequilibrado durante o ocorrido, mas por sorte me apoiado em um alicerce que havia próximo à mim. Estava assustada demais para qualquer outra coisa. E não era somente eu que me encontrava assim, nesse estado caótico. Tudo parecia ter se tornado um imenso caos dentro de nossa unidade após o incidente. Mesmo estando tão distante como estava eu ainda podia ouvir os gritos de desespero e terror que ecoavam por dentro da mesma, como uma cena de um filme pertencente ao gênero "terror". Todos estavam desesperados e havia uma imensa agitação fluindo por todos os cantos do instituto.  Eu esperava que todos estivessem bem e que ninguém houvesse se ferido seriamente no decorrer disso tudo. 










Mas o que estava acontecendo? Me perguntei internamente enquanto me erguia. Um terremoto acabara realmente de ocorrer? Isso era surreal! Jamais havia presenciado algo como aquilo em todos os meus anos de vida. Um evento natural como esse, era a minha primeira vez presenciando a um dessa forma. Pelo menos, eu achava que era assim como as coisas realmente estavam ocorrendo. 











- Isabella, você está bem?!









Eu imediatamente corri para ajudá-la, já que a mesma também havia se desequilibrado durante o incidente e estava sentada ao solo neste mesmo momento. Isso, o que acabara de fazer, acudi-la, fora algo mais involuntário do que intencional. O fizera sem pensar duas vezes, para dizer a verdade. Meu corpo havia reagido antes que minha mente houvesse processado completamente a situação e se dirigido até ela involuntariamente. Me senti tensa quando, enfim, voltei à mim mesma e já estava diante de Isabella estendendo-lhe a mão. Mesmo que havíamos acabado de ter uma discussão e que naquele momento não estivéssemos em bons términos,  ali estava eu, sendo inconsciente de meus atos novamente e agindo daquela mesma forma de antes. Mas para minha surpresa não fora completamente rejeitada ao fazê-lo. Isabella não se afastara quando eu me aproximei da mesma. Ela tampouco me impedira quando eu lhe ajudei a se erguer novamente.












- Essa sensação... - seu rosto estava aterrorizado enquanto que ela não parecia realmente me ver ali, apesar de estar bem à sua frente agora.  Era como se estivesse prestes a entrar em pânico neste momento. Eu nunca a vira fazer uma expressão como aquela durante todos aqueles meses que havíamos convivido desde a minha chegada a unidade.  - Poderia ser? N--












Uma grande explosão ocorreu de repente, desta vez muito mais potente do que anterior havia sido, causando  a uma nova onde de pressão por todo o pátio, lançando-nos violentamente contra ao chão frio.  O impacto doera bastante, para ser sincera. Então,o céu noturno daquela noite repentinamente brilhou em um azul quase violeta, e se estendeu por todo meu campo de visão. Era tão... lindo de se observar que mesmo que estivesse ocorrendo tudo aquilo em nossa volta minha atenção havia sido arrebatada pelo mesmo. Lembrei-me de alguns rumores que haviam sobre o instituto ser rodeado por magias defensivas e armadilhas implantadas pelo Conselho Mágico, que possuíam graus muitos altos e potentes de concentração mágica. Olhando daquela maneira e tendo isso em mente aquilo mais parecia ser como uma barreira que fora posta ali para a proteção de nossa unidade. Talvez, um dos feitiços de defesa que havia circulando o mesmo -como o que pelo rumor fora citado. Se assim  fosse, provavelmente fora ativado por conta da explosão que havia ocorrido anteriormente. 









De repente, após a repentina aparição daquele escudo que ainda permanecia brilhando fortemente no céu, uma esfera brilhante apareceu do nada no mesmo. Era de um tamanho mediano e tão radiante como a lua em um céu estrelado. Observar aquilo era como se uma estrela anã estivesse diante de mim. Um chiado como o de um microfone ecoou após sua aparição, fazendo com que em meus tímpanos doerem e eu me retorcesse. Eu já havia lido sobre aquele tipo de feitiço uma vez em que por curiosidade havia recolhido a um livro na biblioteca da unidade que falava sobre os muitos tipos de magia existentes.  Era magia de comunicação! 










Estava tão concentrada e deslumbrada que me sobressaltei quando uma voz provinda da mesma soou estrondosamente, cortando aquela cortina de desespero e medo:










- AVISO DE EMERGÊNCIA A TODOS OS RESIDENTES DESTA UNIDADE: DEVIDO À SITUAÇÃO PRESENTE, CLASSIFICADA COMO CÓDIGO VERMELHO, SE DERIJAM AO GINÁSIO COM URGÊNCIA. REPITO--









A voz aguda ecoou novamente, cortando ao sinistro silêncio que se havia formado. Aquilo era nada menos que um alarme vermelho? Estávamos em uma situação assim tão crítica que a mesma estava sendo classificada dessa forma? O quão grave era?













- Como pensei... Realmente está acontecendo! - Isa murmura ao meu lado fazendo com que eu a olhasse de relance. Acontecendo? O que ela queria dizer com isso? Sabia ela o que realmente estava ocorrendo e por que raios repentinamente começara a ocorrer explosões tão violentas pelo instituto para que até mesmo os feitiços de defesa fossem ativados tão bruscamente?










- Isabella... - tentei indagar-lhe sobre isso, pois realmente estava em dúvidas sobre tudo, mas fora interrompida pela mesma imediatamente.









- Ivyy, não é momento para perdemos apenas conversando aqui. - ela diz friamente enquanto se erguia, dessa vez sem minha ajuda. Eu apenas continuei sentada à sua frente enquanto ouvia atentamente o que ela dizia-me.  - Você também escutara o que o anúncio oficial da direção dissera. Ginásio, temos que chegar o mais rápido possível até lá. Não é como se fosse tudo apenas brincadeira; Mas sim um código vermelho. Entende o que significa isso? Algo grave está acontecendo e as coisas não são nada simples agora. Não podemos mais perder tempo permanecendo aqui. Temos que nos irmos agora. - Isabella repentinamente agarra minha mão e ajudando-me a erguer-me do chão, começa a me puxar em direção norte. Se dirigindo conforme as coordenadas dadas pela voz.. 












- Mas... Poderia me dizer,  pelo menos, o que está havendo? O que são essas explosões?  - grito, por conta de outra explosão, um pouco mais branda, que ocorre um tanto quanto distante. 













- Ah, não vês por si própria agora mesmo?! - ela também grita para que pudesse escuta-la. - Estamos sob ataque neste exato momento! 












- Ataque?! - meus olhos se arregalaram por conta da surpresa que atingira-me. Então não eram apenas acidentes naturais, mas estávamos sendo atacados naquele momento? Um ataque?! - Por que fariam um atentado contra o instituto? 











- Hah... - ela ofega por conta da corrida que estávamos fazendo. Mesmo sentindo-nos exaustas prosseguia-mos incansavelmente ao nosso destino. - Existem muitos grupos terroristas que tendem a atacar aos institutos, Ivyy. Isso não é uma novidade nem uma surpresa para ser sincera. Mas eu jamais imaginei que ocorreria algo assim nesta unidade, afinal estamos em uma região que não é considerada como perigosa. E não esperava que ocorresse em uma proporção deste tamanho. É até mesmo insano. Sempre pensei que algo assim jamais sucederia, pelo menos, era isso o que eu cria. Entenda algo, Ivyy...











Então com seus olhos se tornaram negros e sua testa franzida ela continuara de uma forma séria:










- Essas pessoas estão seriamente tentando nos matar.  Não é apenas uma brincadeira ou uma pegadinha ensaiada. Isso é realmente está acontecendo. De verdade. 













Um arrepio subiu por minha coluna, de forma aterrorizante, causado por suas palavras tão frias dirigidas à mim. Senti minha mente se tornar uma tormenta de pensamentos confusos logo após isso. Talvez fosse por conta do choque de realidade que acabara de receber, mas de repente tudo parecia ter se tornado uma cena que normalmente se viria em sonhos. Não parecia ser algo que realmente fosse a realidade. Ou talvez, as coisas apenas estivessem se assemelhando à meu desejo de que tudo não fosse realidade. Mas, em sério...











Matar? Eles estavam tentando nos matar? Fazia sentido, levando em conta ao que estava ocorrendo. Mas ainda assim isso... Era mais do que assustador.










Estava tão aturdida por isso que nem ao menos me dei conta de aonde estava indo mais. Apenas continuava a correr cegamente pelas ruas do Distrito. Isabella continuava a guiar-me, sua mão não soltou a minha por um momento sequer. Mesmo com tudo passando ela ainda se preocupava comigo. 









- Temos que chegar o mais rápido possível até o ginásio--









Uma explosão mais forte do que as anteriores de repente aconteceu. Uma imensa pressão fora enviada pela mesma por toda a unidade. Sem equilíbrio, caímos contra o solo, novamente. Já estava ficando irritada com isso. Não aguentava mais ficar sendo lançada dessa forma. Um chiado agudo e ensurdecedor cortou a cortina de caos que se havia formado. Senti meus ossos doerem por conta do impacto.









- Isabella. - tossi. Havia se formado uma densa cortina de poeira, não sabia dizer o porquê exatamente.  - Você está--











Grrrrrrrrr....











Um rugido grave me fez parar em meio a minha indagação dirigida à Isa. Era tão potente e grave. E vibrava de uma maneira como se estivesse próximo à mim. Meu sangue pareceu congelar em minhas veias e meu coração acelerou, batendo descontroladamente contra minha caixa torácica. Ergui lentamente minha cabeça até a origem do mesmo, enquanto um arrepio atravessava minha coluna e para todo o meu terror e desespero deparo-me com uma imensa criatura monstruosa de olhos vermelhos como sangue. 









Notas Finais


Woooow! O que está acontecendo? Hahah
Saberemos no próximo capítulo! ;)





E aííí??? O que acharam? Gostaram? Dêem suas opiniões! Elas são muito mais do que bem vinda rss ♥ Pf, me avisem sobre quaisquer erros que posso ter cometido, seria de grande ajuda!

Byyyyye! Até a próxima ♥ ♥ ♥


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...