1. Spirit Fanfics >
  2. Blood Stone >
  3. Novo vizinho.

História Blood Stone - Capítulo 10


Escrita por:


Capítulo 10 - Novo vizinho.


Coreia do Sul, tempos atuais.

Jungkook ficou observando, em pé ao lado da porta de sua casa, o novo vizinho caminhar lentamente e lhe lançar alguns acenos e sorrisos, antes de entrar na própria residência. O Jeon estava intrigado com o "presente" que recebera do moreno. Milhares de questionamentos passaram pela mente do garoto, em busca de alguma resposta concreta para aquela ação suspeita.

Por fim, o jovem balança a cabeça e decide esquecer essa história por um momento. Estava sentindo a cabeça começar a doer com vários pensamentos rodando a sua mente de uma só vez. Fecha a porta e vai até a cozinha, onde olha para o bolo caprichado que Jimin havia feito. Era um bolo bonito, tinha que admitir, o Park realmente tinha feito um bom trabalho. O chocolate derretido, caía como cachoeira pelos lados da massa, enquanto pedaços de morangos tomavam parte da decoração. E o cheiro estava divino, um aroma doce do chocolate junto ao de morango. O estômago de Jungkook o lembra que o mesmo não havia comido direito. 

Lambendo os lábios, Jungkook pega uma faca no armário e se aproxima da sobremesa, que parecia lhe chamar a cada momento. Mas o rapaz hesita por um momento.

- Será que é seguro? - Se questiona. Sua mãe sempre o havia alertado quanto a não aceitar absolutamente nada de estranhos, mas era um bolo tão bonito, e parecia tão delicioso. Jungkook bufa e retorna a comer as torradas.

Com certeza Park Jimin era rico, alguém para comprar uma casa como aquela, deveria ter bastante dinheiro. Só a aparência do outro, lhe dizia que tipo de vida ele deveria ter. Mas o que ficava em sua cabeça era: Como alguém rico, compra uma casa em uma bairro de classe baixa? Não que a casa do antigo dono fosse feia, muito pelo contrário, mas o bairro e a cidade não eram muito procurados pelos turistas. Mas não era de sua conta afinal.

.

- O que houve com você, meu bem? Te mandei mensagem, mas você não respondeu. E hoje você não foi para a faculdade - Taehyung falava com uma certa preocupação na voz grossa. Jungkook resolvera criar coragem e ligou na cara dura para o Kim. E quem disse que o mais velho não gostou? Taehyung faltava subir pelas paredes de tanta animação. Quando o assunto era Jeon Jungkook, Taehyung não se segurava.

- Ah, eu tive uns problemas, nada demais - Tentou não deixar Taehyung preocupado, mas falhara em sua tentativa inútil.

- Eu sei que estava doente Jungkook, não minta para mim - Falou com certa repreensão na voz, ato que fez a voz do mais velho parecer ameaçadora, ao ponto de fazer o Jeon se tremer todo. 

- Eu... Senti umas dores no corpo, mas... Estou bem - Afirma, e ouve Taehyung suspirar.

- Você pode me contar qualquer coisa, ouviu? Qualquer coisa, Jungkook - O menino sorri bobo pela fala do mais velho. Pensou até em contar para ele sobre o vizinho estranho, mas o cara não era uma ameaça. Jungkook estava ficando doido. 

- Eu sei, Tae - Suspira e sorri.

- Passei a noite toda sonhando com você - Jungkook podia sentir que o outro estava sorrindo.

- É? - Sentiu seu ego melhorar diante daquilo.

- É. Pensei em como queria te beijar todo, ali mesmo naquele carro - Jungkook fecha os olhos, sentindo um arrepio gostoso arrepiar a sua coluna.

- Em como eu queria ter te deitado no banco do sofá do carro, e beijado as suas bochechas, o seu nariz, a sua testa, depois eu desceria para o pescoço, morderia a carne branquinha, lamberia, chuparia, até você gemer o meu nome - O mais novo acaba soltando um arfar desesperado com a voz sussurrada e baixa do Kim. Ele poderia já sentir os primeiros sinais de excitação.

- Você 'tá me deixando com vergonha - Então, resolvera cortar o clima. Ainda era muito cedo para aquilo, não sabia nem o que eram afinal. E de certa forma, Jungkook estava receoso a quanto dar um passo mais, do que já haviam dado.

- Mas por que, meu bem? Só tem nós dois aqui.

- É, que... Eu... Tae, acho que as coisas estão indo rápido demais.

- Você acha? Então, me desculpe por anteriormente, prometo não te beijar mais-

- Não! B-beijos são permitidos - Ele escuta Taehyung rir do outro lado da linha.

- Ok, então só beijos.

- Isso. Por enquanto... Só beijos, e quem sabe, mãos bobas também - Os dois riram. Era difícil se controlar perto do Kim, ainda mais com toda a beleza que ele esbanjava por onde passava, e com um corpo deveras atraente.

- Então fica combinado assim. Jungkookie, eu preciso desligar agora, vou ter que ir para o aeroporto.

- Você vai hoje? 

- Vou. As coisas estão bem complicadas na Romênia - Escuta ele suspirar.

- Então... Boa viagem, e... Volte logo - Sorri minimamente.

- Obrigado meu bem. Prometo voltar o mais depressa possível.

Estava na hora de se despedir.

- Tá bom. Tchau, Tae - Falou chateado.

- Tchau, meu bem - A linha cessa todo o barulho, restando apenas o silêncio.

O rapaz suspira e deixa a cabeça cair no travesseiro. Queria que Taehyung tivesse ficado na Coreia, mais especificamente, ao seu lado. Nunca fora carente demais, porém, o mais velho fez esse seu lado aparecer novamente, depois de tanto tempo.

Respira fundo. Mas o menino arregala os olhos, quando se lembra que deveria ligar para a mãe.

Estava encrencado.

.

- Por que você não foi para a faculdade? - Yoongi pergunta, já entrando na residência dos Jeon. 

- Eu que deveria fazer essa pergunta - Jungkook rebate.

- Eu não fui, porquê não tive vontade - Deu de ombros, com o semblante tedioso, como se aquilo não fosse nada fora do comum. 

- E por que não teve vontade? - Jungkook cruza os braços.

- Porquê não tive, ora bolas - Yoongi revira os olhos. Mas abre um sorriso gengival, quando avista o bolo em cima da mesa, tampado pelo plástico redondo.

- Ora, ora, o que temos aqui? Foi você quem fez? - Tira a parte que protegia a guloseima, e olha para Jungkook.

- Não, foi o novo vizinho que me deu.

- E por que essa beleza ainda está intacta?

- Bom... Porquê eu não tive coragem de comer, vai que tem um veneno aí, uma barata, uma bomba - Listou o número de acontecimentos que o bolo poderia gerar.

- Jungkook... - Yoongi suspira. - Às vezes eu tenho medo da sua imaginação.

- Ué, você não viu o caso daquela garota na televisão? 

- Vi, e acho que a Coreia toda também - Disse irônico. Foi pegando pratos, uma faca, copos e um refrigerante que tinha na geladeira alheia. 

- Então por que está sendo irônico? Aquele cara pode ser um psicopata, ou sei lá o quê.

- Velho, só come o bolo logo - Min cortou os pedaços e os colocou nos pratos. Jungkook hesita um pouco, antes de pegar o prato e devorar o bolo que o vizinho lhe dera.

- Ele me pareceu estranho - O mais novo fala, com as bochechas estufadas de bolo. Se senta no sofá, e Yoongi faz o mesmo, só que no sofá em frente ao seu.

- É tão estranho que tu 'tá comendo o bolo dele né? - Yoongi ri, mas em seguida tosse alto, quando engasga com o alimento. Jungkook cai na gargalhada.

- Vai, fica dando indireta para o seu saeng - Sendo a pessoa muito madura que é, Yoongi dá a língua para o moreno.

- Você não tem nenhuma foto desse seu vizinho, não? - O mais velho sorri malicioso e arqueia a sobrancelha.

- Yoongi! Pervertido! - Abre a boca, surpreso, enquanto o Min ri.

- Ué, meu amor, quando a gente 'tá na seca, é assim mesmo - Deu de ombros e voltou a saborear o bolo.

- Por que você acha que eu- Jungkook escuta um barulho alto do lado de fora. Se levanta do sofá, e vai em direção à janela.

- Se quiser ver o vizinho, ele 'tá bem ali - Jungkook sorri, ao que Yoongi corre rapidamente para a janela.

- Uau! Que homão! - Abre a boca, formando um "O" perfeitamente, e sorri maliciosamente.

- Nossa, daria uma boa fo-

- Yoongi, eu estou comendo - Jungkook fala, revirando os olhos, mas Yoongi sorri ainda mais.

- Comendo, né? - Solta uma gargalhada.

- Aish, você entendeu - Jeon termina de comer o pedaço de bolo, e leva os dois pratos sujos até a cozinha. Yoongi vai atrás do garoto, ainda com um sorriso nos lábios. 

- Ai, ai... - Yoongi suspira. Jungkook começa a lavar tudo o que havia sujado. - Será que ele é solteiro? - Jungkook deu de ombros.

- Sei lá, não perguntei.

- Ai, seu arisco - Yoongi faz um bico nos lábios.

- Olha, hyung... - Jungkook seca as mãos no pano de prato e se vira. - Eu sei que você quer alguém, mas... Sei lá, acho que você deveria tomar mais cuidado - Fez uma careta.

- O quê? Espera, você 'tá insinuando que eu fico com qualquer um? - Aponta para si mesmo. Jungkook acaba rindo sem querer.

- Bom... E não é?

- Retire já o que disse, Jeon Jungkook - Min ameaça, e corre, pegando uma faca no armário. Jungkook arregala os olhos, e fica ao redor da mesa, oposto ao lado de Yoongi.

- Você sabe que é verdade hyung - Fala com receio.

- Ah é? Eu vou te matar Jungkook - Sorri, antes de correr em direção ao garoto, que corre para a sala. Yoongi pula nas costas do mais alto, e coloca a faca no pescoço do mesmo. Jungkook joga o mais velho no sofá, no entanto, é consequentemente puxado também, ficando em cima de Yoongi. O baixinho tenta atacar o amigo com a faca, bem no rosto dele, mas Jungkook é rápido e desfere um soco contra o rosto do Min.

- Seu cretino! - Yoongi solta a faca, e geme de dor. Jungkook ri, enquanto tenta pronunciar algo coerente.

- Você ia... Me cortar, idiota, queria que eu fizesse o quê?

- Seu filho da puta, eu não ia te cortar. Otário - Faz uma careta, e joga o mais alto no chão, que limpa algumas lágrimas que escorreram. 

- Oxi, o otário sou eu agora? 

- Cala a boca - Bufa. Os dois ficam em silêncio, até que o mais velho dos dois, suspira.

- Eu sei que tem razão, Jungkook - Fala baixinho, enquanto olha para o teto. - Sei que fico com qualquer um que tenha um pau entre as pernas. É só que... É meio difícil de admitir, sabe - Jungkook ouve com atenção as palavras, e se senta no chão.

- Yoongi...

- Não sei como ainda não peguei uma Cinomose - Jungkook coça a nuca.

- Hyung, Cinomose é uma doença de cachorro - Yoongi franze a testa e olha para Jungkook.

- Ah, bom... Homens são cachorros quando querem, não é? - O Jeon ri, e Yoongi o acompanha.

- Você não é o único que faz isso, hyung. Tem muita gente igual a você, então não fique pensando assim.

- Nossa, era para me sentir melhor? - Ri, olhando para Jungkook, que acaba rindo. Não era bom em dar conselhos. Se levanta e senta ao lado do corpo de Yoongi, que ainda permanecia deitado.

- Eu só quero dizer que... Você é uma pessoa incrível, hyung, é inteligente, ousado... - Yoongi sorri. - Lindo, mal humorado, mas isso só te deixa mais interessante.

- Puxa, agora me sinto melhor.

- Só uma pessoa doida, para dispensar Min Yoongi - Yoongi olha para o mais alto.

- Valeu, Kookie. Sabe que eu te amo, né?

- Minha nossa, quem é você e o que fez com o meu hyung?! - O Min dá um tapa em seu braço.

- 'Tô falando sério, seu imbecil.

- Eu também amo você, Minie - Fala com a voz manhosa, e se curva para abraçar o amigo.

- Já chega. - Após alguns segundos, o baixinho diz, fazendo Jungkook sorrir.

- Vem. Vamos terminar de rapar o prato.

- Agora você falou a minha língua, seu bundão.

.

- Jungkook, vá atender a porta! - A Jeon grita do andar de baixo. 

O garoto estava em seu quarto, revisando um conteúdo importante para a aula do dia seguinte. Gostava de estudar antes, pois era bom sempre estar preparado, caso o professor o questionasse sobre algo. 

Se levantou da cama, abriu a porta do quarto e desçeu as escadas da casa. Yoongi já havia ido embora, minutos atrás. Jungkook insistiu para que o mesmo dormisse lá, mas o mais velho recusou a oferta, alegando que tinha que lavar a roupa.

Passou pela sala, e viu o irmão caçula assistindo: A era do gelo. Não ia negar, tinha falta de ser daquele tamanho. De ser inocente, e não ter que se preocupar com nada. Crescer trazia bênçãos, mas também, maldições. Responsabilidades, mais estresse, dores de cabeça e, corações partidos. 

Andou até a porta, e abriu a mesma. Franzindo a testa, Jungkook perguntou:

- O que você 'tá fazendo aqui? Sem querer ser mal educado - Cruzou os braços.

- Oi, Jungkook. Não se preocupe, você não está sendo mal educado - Park Jimin sorriu animadamente para si. Jungkook fez um ruído, desconfiado.

- Quem está aí, Kookie? - Sua mãe aparece na porta, olhando curiosa para o novo vizinho.

- Ah, mãe, esse é... Park Jimin, o novo vizinho. Foi ele quem trouxe o bolo - Os olhos da mulher brilham.

- Ah, o bolo estava muito gostoso. Obrigado, senhor...

- Park - Respondeu prontamente.

- Obrigado, senhor Park, e seja muito bem-vindo em nossa vizinhança - Sorriu para ele.

Eu queria ser bem-vindo na sua casa, senhora, Jimin pensa, e segura o riso.

- Muito obrigado, senhora Jeon. Bom, vim aqui mais cedo, e Jungkook me disse que a senhora não estava, então fiquei curioso para conhecê-la - Fez uma expressão fofa, ainda sentindo o olhar do seu homem sobre si. Seu, Jimin sente uma arrepio gostoso ao pensar dessa forma.

- Ah, nossa, que modos os meus... - Dá um sorriso desconcertado. - Entre, senhor Park, não fique aí fora nesse frio. Garoto, por que não convidou o senhor Park para entrar? - Olha aborrecida para o filho, que retribui, porém com um olhar incrédulo.

- Ué, ele não pediu - Sente um tapa ardido ser dado em sua nuca. Jimin olha a cena, e ri. Jungkook lhe lança um olhar de lado.

- Desculpe os modos do meu filho.

- Sem problemas, senhora Jeon, sem problemas.

Já está no papo, Jimin sorri de lado, e entra na casa.


Notas Finais


Nos próximos capítulos, o Jimin vai dar um tutorial de como conquistar a família do crush.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...