História Blood Sweat Tears - Imagine Taehyung - BTS - Capítulo 4


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jeongguk (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Visualizações 9
Palavras 1.868
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Fantasia, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Violência
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Como prometido voltei com um capítulo que fala sobre quem é Kiara e o que ela foi para Suga.

Espero que gostem😊

Capítulo 4 - Capítulo 3


Fanfic / Fanfiction Blood Sweat Tears - Imagine Taehyung - BTS - Capítulo 4 - Capítulo 3

Suga's Pov on

Durante a conversa que tive com Taehyung lembrei-me de Kiara e meu deus, como eu sinto a sua falta! Eu acho que só não morri de saudade, por causa dos meus amigos que me apoiaram sempre. Mesmo eles estando mal e com os seus problemas acolheram-me e foram a família que eu nunca tive. Por isso cada um deles é muito importante para mim, a sua felicidade é importante para mim e eu lutaria até o meu último suspiro por qualquer um deles, sem pensar duas vezes!

Eu conheci Taehyung um mês depois do massacre que tirou a vida aos seus pais. Ainda me lembro como se fosse hoje. Ele encontrava-se completamente perdido sendento por vingança com uma pequena menina nos braços e mais dois amigos que também haviam perdido as suas famílias. Eu impedi-o muitas vezes de fazer alguma loucura, como por exemplo enfrentar os Ventrue completamente sozinho sem nenhum apoio, isso seria morte certa!  Esse menino naquela altura tava cego por vingança, mas eu não o condeno por tudo o que ele fez, até porque eu também fiz coisas más, se calhar até piores!

Eu não nasci vampiro como Taehyung, eu fui transformado. Quando eu era pequeno a aldeia onde eu vivia era muito pobre, quase não havia comida para pôr na mesa. E como eu não tinha uma boa relação com os meus pais resolvi fugir deixando tudo para trás. Nessa altura eu tinha apenas 11anos, ainda era uma criança, era o ano de 1364. Eu caminhei sózinho durante horas, sem comida, quase sem água até que cheguei a uma cidade, esta era muito mais rica que a aldeia onde eu vivia. Lá eu vi uma nova oportunidade, tive que aprender a sobreviver sozinho, muitas vezes com os restos dos outros. Já havia passado um ano e eu ainda vivia na rua mas pelo menos tinha comida e era livre, podia fazer o que quisesse sem ser julgado ou maltratado por aqueles que me deveriam apoiar e não derrubar. A minha vida corria como sempre, sem grandes problemas ou preocupações mas tudo mudou para mim. Numa noite fria eu vagueava sózinho como sempre pelas ruas escuras daquela cidade, havia rumores que havia um assassino na cidade que atacava à noite, mas eu confesso que não estava nem aí para isso. Até que algo começou a persegui-me, nessa altura eu arrependi-me profundamenete de não ter sido mais cauteloso. Eu só pensava em fugir, mas ele era mais rápido que eu, cada vez que eu olhava para trás ele parecia estar ainda mais perto até que fiquei encorralado num beco. Enquanto ele se aproximava de mim, eu percebi que aquela coisa não era um simples assassino humano, ele era um vampiro. Os seus olhos eram vermelhos como o sangue e a suas presas cresciam cada vez mais até que perfuraram o meu pescoço. Eu debatia-me mas não conseguia soltar-me, até que comecei a perder as forças e simplesmente deixei-o sugar o meu sangue para ver se o sofrimento acabava logo. Comecei a sentir os meus olhos pesar e apaguei completamente. No outro dia inesperadamente acordei...Eu estava jogado naquele beco imundo de qualquer jeito, o meu corpo todo formigava e eu tinha sede, eu realmente estava cheio de sede mas não era de água ou qualquer outra bebida....eu queria sangue! Foi aí que eu percebi...eu não era mais humano era um vampiro.

A minha sede aumentava cada vez mais, ao ponto de fazer a minha garganta queimar, eu estava completamente descontrolado, não sabia o que fazia, a única coisa que me importava era perfurar as minhas presas num pescoço qualquer e sugar todo o sangue dessa pessoa até à última gota. Neste estado, acabei por matar muitas pessoas, todas elas inocentes, sem qualquer culpa  do que me havia acontecido. Quando finalmente tomei consciência e vi o que fiz, eu não queria acreditar, eu havia tornado-me num monstro que mata para sassiar a sua sede, um ser desprezível. Naquela altura passou-me pela cabeça acabar com a minha vida, o que seria inútil pois eu era imortal. Foi então que me vi obrigado a aprender a controla a minha sede. Com o tempo eu fui crescendo e quando atingi a idade adulta parei de envelhecer, nessa altura já conseguia controlar-me totalmente. Foi então que resolvi mudar-me para outra cidade, sentia-me sofocado algo dentro de mim queria que eu saísse dali.

__________




Suga em 1398 _ seiscentos anos atrás

Já haviam passado 34 anos desde que fui transformado e para dizer a verdade não mudaram muitas coisas na minha vida, tirando o facto claro que agora a única coisa que eu como ou melhor! bebo é sangue.

 Estava um noite estrelada, eu caminhava lentamente pela calçada admirando o céu estrelado, a noite estava calma e especialmente bela, a Lua brilhava lá no alto como se não houvesse amanhã. Foi então que ouvi algumas vozes, olhei em volta e vi uma mulher ser ameaçada por dois homens, eles estavam um pouco afastados de mim mas dava para perceber perfeitamente que aquela pobre mulher não queria estar ali, eu não podia deixar que lhe fizessem mal! 

S— Ora ora parece que temos aqui uma pequena festa! Será que também posso brincar um pouquinho? Já agora, posso saber o que os senhores estão a fazer ? — perguntei cínico.

Eles olharam para mim e riram.

?? — Não te metas cara. Nós temos assuntos a resolver com essa daqui não contigo. — Ele mostrou as presas tentando assustar-me. Foi aí que eu percebi que eles também eram vampiros. Mas como é óbvio eu não me afastei, pelo contrário fiquei ainda mais animado. Adoro lutar! Não é para me gabar mas eu sou muito bom e não é todo o dia que se encontra rivais à altura.

Olhei a garota e um frio passou pela minha espinha deixando-me completamente arrepiado. Ela encarava-me intensamente, foi aí que percebi, também ela era uma vampira. Desviei o meu olhar com muita dificuldade do dela e falei.

S — Desculpa cara mas eu tou tão aborrecido — eu disse fazendo uma careta — e derrepente encontrei algo interessante para fazer — disse com um olhar perverso para eles. Eles olharam para mim e arregalaram os olhos, acho que perceberam que eu também era um vampiro.

?? — Queres lutar é ? — perguntou um deles retribuindo o sorriso perverso.

?? — Olha que nós não vamos ter pena de ti...é até à morte... — disse o outro debochado.

S — Então venham florzinhas, tou esperando — disse com intenção de irrita-los, o que consegui com sucesso. Eles olharam para mim furiosos e vieram na minha direção. Começamos a lutar, eles eram mais fortes que eu, mas eu era mais ágil, foi então que percebi que a mulher misteriosa me veio ajudar. Nós lutávamos lado a lado como um só, parecia que nos conhecíamos desde sempre, cada movimento, cada passo, parecia tudo treinado ao promenor. Quando acabámos com aqueles dois encaramo-nos novamente, mas desta vez ainda mais intensamente. Até que ela cortou o silêncio.

?? — Finalmente encontrei-te — Disse ela inesperadamente e tocando no meu rosto. Ao primeilro estranhei o seu toque, mas deixei-a continuar, ela acariciava a minha bochecha, estava tão bom...

S — Tu conheces-me? — perguntei curioso.

?? — Agora sim — disse ela sorrindo — Esperei a vida toda por este momento!

Foi aí que me lembrei de ouvir algo sobre companheiros, será?? Parece que eu a conheço desde sempre e nunca a vi na vida. O meu coração está acelerado, coisa que nunca nenhuma outra mulher conseguiu, e ela só com um simples toque, conseguiu domar-me completamente. Eu levantei a mão e também fiz um carinho na sua  bochecha, a vi fechar os olhos e apreciar o meu toque. No momento em que a toquei senti uma espécie de corrente elétrica percorrer todo o meu corpo. Foi então que tive acerteza.

S — Minha — disse sussurrando, ela rapidamente abriu os olhos encarando-me e eu sorri.

?? — Meu — disse ela retribuindo o sorriso.

Dois segundos depois beijamo-nos intensamente. Eu explorava toda a sua boca e ela a minha. Os seus lábios eram volumosos e macios, a sua língua quente em contacto com a minha geravam arrepios que percorriam todo o meu corpo. Ela quebrou o beijo e disse:

?? — Eu chamo-me Kiara. — disse ela ofegante.

S — Eu sou Youngi mas podes chamar-me Suga. — disse sorrindo para ela.

K — Como o Senhor Suga desejar! — disse ela com uma cara engraçada arrancando risadas dos dois. — Vem vamos para minha casa — disse ela olhando-me profundamente nos olhos. Eu simplesmente assenti começando a segui-la. Quando chegámos mal a porta foi fechada começamos a beijar-nos loucamente. Pedi passagem com a língua e ela cedeu sem pensar duas vezes. O beijo estava cada vez mais quente, e o meu amiguinho lá em baixo já começava a dar sinal de vida. Foi então que eu parei o beijo e disse ofegante, olhando-a nos olhos:

S — Se continuarmos eu não vou conseguir controlar-me mais, não vou conseguir parar.

K — Quem disse que eu quero que te controles — disse ela olhando-me perversa e mordendo o lóbulo da minha orelha. Esse foi o cúmulo, agarrei nela e prensei-a na parede com força fazendo-a soltar um gemido devido ao choque, o que me excitou ainda mais. Ela enlaçou as pernas na minha cintura proporcionando um contacto gostoso entre as nossas intimidades ainda cobertas pela roupa. Direcionei-me ao sofá rasgando completamente toda a sua roupa e ali nos amamos intensamente como se não ouvesse amanhã. Naquela noite eu tive acerteza, ela era minha e eu dela

__________

Era 1496, já haviam passado 98  anos desde que a conheci, tudo corria bem na minha vida, eu tinha a Kiara e isso era o que importava. Nós havíamos decidido ir viver para o clã ao qual ela pertencia, era mais seguro. Quando lá chegamos todos me receberam muito bem, eu sentia-me em casa.

A minha relação com Kiara continuava tão intensa e apaixonante como no primeiro dia. Ela era a mulher da minha vida, isso eu tinha acerteza!

Era sábado de manhã, eu havia ido até à floresta para caçar algum animal. Desde que eu conheci Kiara eu tento alimentar-me apenas do sangue de animais, nem sempre é possível mas pelo menos tento. Quando regresava, já de noite encontrei a aldeia onde vivíamos em chamas. Quando vi aquilo corri o mais rápido que pude para nossa casa. Lá encontrei tudo espalhado pelo chão, mas nem sinal de Kiara. Eu procurei e procurei até que encontrei a pulseira que ela sempre usava rebentada no chão. As lágrimas começaram a cair descontroladamente de meus olhos, meu mundo naquele instante desabou completamente.

 Suga atualmente(1998)

Quando dei por mim lágrimas caíam dos meus olhos, lembrar de como eu havia a perdido ainda é muito doloroso para mim. Eu nunca soube o que realmente aconteceu, nem sequer encontrei o corpo de Kiara, ela poderia ter sido torturada, queimada ou qualquer outra coisa mas também ainda podia estar viva. E foi nesta possibilidade que eu me agarrei com todas as forças e consegui suportar tudo até hoje. Apesar de todos estes anos que se passaram, eu ainda acredito que Kiara está viva e um dia vou encontrá-la e recuperar todo o tempo perdido. Eu nunca vou perder a esperança.



Notas Finais


E está mais um capítulo terminado! Espero que tenham gostado!
E agora o que acham de eu desenrolar a história do Jimin com a Rose ??

Até ao próximo capítulo😚


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...