História Blood Sweet and Tears - Capítulo 4


Escrita por:

Postado
Categorias Diabolik Lovers
Personagens Ayato Sakamaki, Beatrix, Christa, Cordelia, Kanato Sakamaki, Kou Mukami, Laito Sakamaki, Personagens Originais, Reiji Sakamaki, Shu Sakamaki, Subaru Sakamaki, Tougo Sakamaki "Karlheinz", Yui Komori
Tags Ayato Sakamaki, Diabolik Lovers, Interativa, Kanato Sakamaki, Laito Sakamaki, Noivas De Sacrifício, Reader, Reiji Sakamaki, Shu Sakamaki, Subaru Sakamaki, Universo Alternativo
Visualizações 65
Palavras 1.476
Terminada Não
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Adivinha quem conseguiu fazer mais um cap hoje? Euzinha.
Aviso: Esse cap possui violência, e tretas malignas.
Sério, vai ter quase morte. E eu amei esse cap. Deu trabalho pensar nele, deu pra colocar. Não lembro se eu coloquei todo mundo nele. Mas quem não apareceu nesse e no anterior, já tem vaga garantida no Próximo.
Boa leitura.

Capítulo 4 - Esperança perdida...


LEIA AS NOTAS INICIAIS

- Então Mari-Chan, te trouxe aqui, por que quero que decida. Qual será a cor dos seus olhos quando eu os substituir por bolas de vidro?

-O-Oque?- ela começa a andar pra trás.

-Não se preocupe. Você será uma linda boneca. E usarei azul turquesa nos seus olhos.- ele começa a se aproximar dela. A garota olha em volta e se vê perto da parede. A saída estava a sua frente. Só havia um obstáculo, Kanato.

- K-Kanato-Kun. Não diga essas coisas.- ela até tenta driblar o vampiro, mas como o esperado ele a pega. Prendendo-a contra a parede.

- Hahahaha. Que patético. Nem passar por mim você consegue.... Não se preocupe, eu vou chupar tanto o seu sangue, que você vai virar uma uva passa- ele solta uma risada e avança em direção ao pescoço da garota, que tentava se soltar.

- N-Não! Para!- um som alto é ouvido.

- Solta ela seu maldito- Mari percebe Catrina a sua frente, que impressionantemente. Bateu com um candelabro na cabeça dele.

- Desgraçada! Eu vou matar você!- ele avança para soca-lá. A garota se esquiva por pouco sendo empurrada pra trás. O arroxeado não perde tempo, subindo em cima dela e tentando estrangula-la. Catrina não desistiu ainda. Tentando buscar ar aonde nem existia. Ela fecha os olhos sentindo a falta de ar. E derrepente o aperto para, e ela consegue respirar.

"Eu morri?" ela pensa "Pelo menos foi rápido".

- Oque pensa que está fazendo com a minha noiva?- ela escuta uma voz a qual ela reconhece de longe. Ayato, a avareza em pessoa.

Ao abrir os olhos ela nota o ruivo repreendendo o irmão.

- Não vou aceitar você tocando no que é meu! Se quer estrangular alguém, estrangule a sua noiva. Não vou ficar sem minha bolsa de sangue por sua causa- "bolsa de sangue? que ironia..." ela pensa.

- Tanto faz, o Teddy acha que você é um chato. E não me diga oque fazer...- sua expressão se torna sombria.

- Humpt- o ruivo se vira para Catrina- Não vai me agradecer?!

- Te agradecer? Estava tudo sobre controle...- revira os olhos.

- Você tem muita sorte, se o Ore-Sama não estivesse ocupado agora.... Você seria punida- ele sorri sadicamente antes de desaparecer.

- Catrina-Chan! Você está bem?- Mari se aproxima. Já que estava observando tudo antes.

- Estou, não se preocupe, você deu sorte de eu ter resolvido dar um passeio.

- Obrigada, mas....Não devia ter feito aquilo, tenho certeza que o Kanato-Kun não vai deixar isso barato.

- Não tenho medo dele. Na verdade, ele que devia se preocupar por ter me estrangulado- ela retira do bolso uma adega de Prata.

- Isto é....?

- Sim, uma  adaga que mata demônios. Peguei de uma garota que eu- corta a fala-...eu.....achei...- ela tenta mascarar a mentira. Mari desconfia, mas prefere não comentar.

- Tá bom então.

(Enquanto isso...)

-Onde fica isso?- disse Shiromi a si mesma. Após perguntar ao mordomo sobre livros, ele lhe informou sobre uma biblioteca. Mas pelo que parece, ela não a encontrava.

- Obrigada Deus!- ela exclama ao encontrar. Adentrando a grande porta ela fica chocada com a quantidade de livros. Muitos deles se passavam antes da guerra, e nas bibliotecas de Mystic Falls não se tinha esses exemplares.

Ela opta por um género de romance, e então um livro lhe chama atenção.

- Crespusculo?- ela indaga. Ao ler a sinopse ela franse o cenho, e decide procurar por outro livro.

Shirome então resolve ver um livro que chamou sua atenção. Primeiros socorros e curativos. Apesar de não ter sido mordida, ela viu a situação das outras. E decidiu estar preparada.

O livro era bem dinâmico, e explicava bem. Ao sair da biblioteca questionou ao mordomo se poderia levar o livro ao seu quarto, e a resposta foi positiva.

- Nossa, que tédio...- ela diz a si mesma. Os corredores eram vazios e calmos, e o silêncio era perturbador.

Ela escuta um barulho a frente e apressa o passo para ver oque é.

- Ai meu Deus. Você está bem?!- ela exclama ao ver Ane toda ensanguentada no chão.

- Oque aconteceu? Consegue me ouvir?- ela pergunta preocupada.

- Eu.... fui....mor...dida..- ela estava muito fraca pela perda de sangue, e não conseguia se manter em pé.

Agora era hora, todos os livros que já leu, a prepararam para este momento. Ela guia a garota até uma espécie de enfermaria. O que não passava de uma sala com uma maca, e suprimentos de primeiros socorros.

Ela conseguiu fazer os primeiros socorros.

- Você precisa comer algo doce, vai ajudar. Eu irei até a cozinha pra ver se tem alguma coisa. Fique aqui, está bem?

Ane apenas acente com a cabeça.

Ao chegar na cozinha ela se depara com Subaru, que comia uma maçã, apoiado no balcão.

- Su-Subaru? Me desculpe, eu não queria atrapalhar. Eu só... preciso pegar uma coisa.

Ela resolve procurar nos armários, quando sente o olhar do albino, que parecia queimar pelo tamanho desconforto.

- Hum. ... pode me ajudar?- ela questiona receiosa.

- Oque você quer?

- Eu preciso de um doce- ela o encara- N-Não é pra mim, é pra minha amiga Ane, ela perdeu muito sangue- ele repentinamente se levanta e vai em direção a saída.

Ela se sente mal pela negligência do maior. E solta um suspiro desapontado.

- Na segunda prateleira a esquerda-ele para um pouco para pronunciar essas palavras, e então sai do local.

Na prateleira tinha um pote com doces de variados tipos.

-Obrigada, Subaru...- ela diz a ela mesma. E corre em direção a sala onde deixou Ane.

(Enquanto Isso...)

- Eu preciso me esconder- dizia a si mesma Mayu, que corria incansável pelos arredores da mansão. O silencio do lado de fora era assustador, e ela estava disposta a fugir do seu predador.

Durante seu percurso até a capela, onde ela pretendia fazer alguns desenhos, a pobre Mayu acabou sendo surpreendida por Laito. Ela não queria ser mordida de novo e correu. Quando o ruivo disse "Então corra Bitch-Chan, te darei 10 segundos, e então. Irei caçar você". "Caçar você" aquelas palavras a perturbaram. A mansão era cercada por um portão, o qual ela não conseguiria pular facimente. E a entrada ficava do outro lado, sua escolha foi a capela.

Ela fecha as portas atrás de si, e respira fundo. Ela realmente não quer sentir aquela dor de novo, e o desespero a domina. Seus pulmões buscam desesperadamente por ar, e apenas sua respiração é ouvida.

- Are Are, parece que eu te achei Bitch-Chan- a voz do demônio ecoa no local, fazendo seu corpo estremecer.

- N-Não, eu não vou deixar você fazer isso comigo!- ela grita.

- Você não pode fazer nada. Você é uma presa. Não pode resistir, ou reagir contra mim. Porque eu sou um demônio e você é só uma humana. Você é fraca e eu imortal. Eu sou o predador, e voce é a presa.- aquelas palavras cruéis voavam como facas em sua direção, oque a fazia e sentir impotente perante a situação.

Quando um pensamento passa por sua mente. " Se algum dia você se apaixonar por um demônio. Atinja-o com está adaga, não fatalmente, pois elas são mortais a espécie deles. Depois se confesse e beije-o apaixonadamente", sua mãe lhe contava muitas histórias. E quando mais nova, ela era bem romântica. E essa era sua história favorita. Mayu carrega sempre aquela adaga consigo. "Atinja-o com está adaga, não fatalmente, pois elas são mortais a espécie deles." Além de ser usada para confissões de amor, a adaga tinha outra função.

Matar demônios.

E ela poderia se considerar, uma garota de sorte, pois estava com a adaga em mãos agora.

- Oque?- indaga Laito ao sentir o ferro contra seu peito.

Ele se ajoelha no chão, com as mãos na adaga.

- Eu... posso ser uma mera humana fraca. Mas, nós humanos temos uma coisa. Nossa esperança, e se usada da maneira certa, pode até matar monstros como vocês!- ela grita, soltado a sua raiva.

- Hahahaha- seu altruísmo é desfeito pela risada estridente de Laito (Autora: Gente como eu amo essa risada).

- Acha mesmo que eu morreria assim-ele diz, e retira a adaga do peito.

- Oque...?- ela não acredita no que está ouvindo. Sua esperança acaba de descer pelo ralo.

- Precisa chegar bem mais fundo que isso pra me matar querida. Esse tipo de adaga, pode ser usado para alto defesa, mas.... se não atravessar o coração. O demônio não morre- ele joga a adaga no chão.

- Agora... Você receberá uma punição por isso- sua expressão se torna sombria. E ele subjulga a garota no altar a baixo dele.

- Não! Sai de cima de mim!- ela tenta empurra-lo.

- Shhhhh- ele passa o dedo pelos lábios de Mayu.

- Eu te avisei que era uma caçada. E agora...- ele desabotoa os primeiros botões da camisa dela. Dando visão do seu pescosso-....eu te encontrei. Sabe oque os predadores fazem depois de achar a presa?-se aproxima do ouvido dela e diz:-

 Eles comem.

Uma lágrima silenciosa desce pelo rosto da Roseveld, quando a dor a invade novamente.

Mas, ela não pode fazer nada. Afinal...



Ela é só uma humana.




Notas Finais


Eu achei esse cap bem tenso. Mas eu amei muito ele, e espero que vcs também. Deu até pena das garotas. Mas o meu objetivo é fazer uma história bem dramática, e, pelo menos no começo, bem tensa.
Então se preparem.
E não se esqueçam de comentar, pq oque eu mais amo é ler seus comentários.
Bjsss


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...