1. Spirit Fanfics >
  2. Blood Sweet e Tears - (Jikook) >
  3. Capítulo 1

História Blood Sweet e Tears - (Jikook) - Capítulo 2


Escrita por:


Notas do Autor


Oiiii
Esse capítulo, ficou um tiquito grande ;-;

Capítulo 2 - Capítulo 1



[...]

Depois do fatídico dia, finalmente seu quarto. Cada vez, mais lágrimas, mais pensamentos suicidas.

─ Jungkook, pode abrir a porta? ─ Diz sua mãe, do lado de fora

─ Estou me vestindo. O que houve?

─ Vou ficar no turno da noite, sua irmã, vai para casa, da Hani, então, você fica só. Apenas não vá dormir, tarde ok? Tchau. ─ É logo ele escuta, a porta da sala ser aberta, e logo fechada.

Teria a casa para si, bom, poderia assistir a algum filme.

Não tinha amigos, então não tinha o que se fazer.

(...)

2:45 AM , e sem um pingo de sono.

Sabendo ainda que iria acordar cedo no dia seguinte, ainda sim, estava acordado.

Assistia, ao filme, "Sexto sentido" , e comia pipoca doce, e com uma coberta quentinha, e um travesseiro, bem macio, e por último, com seu celular, vendo as redes sociais.

Tudo normal, até a luz acabar.

─ Tá brincando comigo, certo? ─ Pergunta a si mesmo, e liga a lanterna do celular ─ Tá e só ir la no interruptor do lado de fora.

Se levantou, e assim pegou um chinelo, e foi até lá.

Estava vetando, e isso deixava a rua, deserta, fria.

Ele, vai até lá, e liga o interruptor, e logo volta para casa.

Mas a noite, estava perfeitamente, perfeita, e sentiu a vontade enorme, de sair mesmo sendo 2 :53 da manhã.

Colocou uma calça, e uma blusa de manga comprida ─ ia até seus pulsos ─ É um casaco, e logo um tênis.

Saiu na rua, e começou a andar. Observava , as estrelas, a luz da lua, e a rua vazia.

Mesmo sendo tarde, havia lojas abertas, e mais a frente, percebeu, que havia mais movimentação.

Chegou até a beira do rio, que sempre passava quando fazia o caminho do colégio. Se sentou na grama verdinha, e observou a correnteza, aquele lugar era seu preferido. Havia árvores, havia plantas, flores, bancos etc. Não era algo muito movimentado.

O local era silencioso, escutava-se apenas o barulho das águas.

Deitou-se na grama verdinha, e observou as lindas estrelas.

O céu, estava todo iluminado, cheio de estrelas, algo realmente lindo.

Ali, o garoto, começou a se perguntar, por que seu pai , os abandonou. O que havia de errado com ele, e sua família?

Talvez, ele tenha achado alguém melhor...ou ele não os amava.

{...}

─ Jungkookie, tenho mesmo que faltar hoje?

─ Sim, você está com febre, e se for pra creche e passar mal, a nossa mãe, briga comigo. Sem contar que pode ser algo mais grave, por isso eu vou cuidar de você.

─ Kookie, eu não vou contar! Pu favo?

─ Ja disse não.

─Junggukie pu favor, eu sei que não estou doente!

─ Não, Jihyo-ah! Por que não vai ver TV?

─ Não, tenho uma idéia melhor.

─ Lá vem.

─ Kookie-ah, posso te maquiar?

─ O que?! Você está maluca? Claro que não!

─ Pul , favo! ─ Diz juntando as mãozinhas, e fazendo uma carinha fofa.

─ Aigo, ok, mas só por que não aguento ver essa carinha.

─ Obigadu Kookie!

(...)

─ Jung, você develia usar mais maquiagem! ─ Diz passando o dedinho, na sombra, pra passar nos olhos do maior.

─ Jihyo-ah, acho que não.

─ Disse acha! ─ Passa um brilho em seus lábios.─ Perfect!

─ Agora, posso tirar?

─ Hyung! Não, você tem que ficar com a maquiagem!

─ Jihyo, não posso ficar maqueado. Vou ficar só um pouquinho tá?

─ Yes!

─ Da pra parar de me humilhar nessa merda de inglês? ! ─ Diz fingindo estar indignado.

─ Jungkookie, você é muito bobo. ─ Sorri para a menor. ─ Aaaaaaaaa soliu!

─ Ah Jihyo, você realmente vai anotar cada sorriso? Sabe que a maioria são fa─

─ Jungkook-ah, eu sei quando solir, verdadeiramente. ─ Diz sorridente

─ oook, vamos parar com esse negócio. ─ Faz uma careta, arrancando risadas da menor.

─ Kookie, estou com fome.

─ Vem vamos comer.

[...]

─ Pequena, você está com muita febre!

─ Estou cum flio kook

─ Não posso te agasalhar, vai ficar com mais febre ainda.

─ Quero ver minha mãe...ggukie, ela já vem?

─ Acho que sim. Bom, se sua febre não passar, vamos ter que ir ao médico.

A menor suspira, e vai para seu quarto.

(...)

─ Jihyo-ah! Jihyo? ─ Sobe para o quarto da menor.

Bate na porta, e nada. Pensa que ela estará dormindo, e a deixa quieta.

─ Vou assistir algo.

Liga a TV, e vê o noticiário.

─ Um fato histórico. As olimpíadas de Tóquio, foram adiadas para 2021,por conta do novo coronavírus.─ Trocou de canal, mas por já passar das 7:00 PM, passava apenas jornais.

─ Isso que dá não ter Netflix!

Mudou cerca de 10 vezes de canal, repetindo várias vezes, os mesmos canais;

─ Com os novos casos, já confirmados, do novo coronavírus, vários Shows, foram cancelados, pela segurança de todos. Tours, foram canceladas, e a cidade, está ficando cada vez menos movimentada.─ Termina a mulher, do noticiário.

─ Só fala desse negócio agora? ─ Pergunta a si mesmo.

Trocou de canal, até finalmente, achar um filme bom.

Ficou assistindo até que sentiu fome, e foi atrás de comer algo.

(...)

Ja, havia se passado, algumas horas, e começou a chover, fortemente; ─ a previsão do tempo, não avisou sobre isso ─ passou pela cabeça do menor.

Estranhou, que sua mãe, não havia dito nada, sobre demorar. E estranhou que sua irmãzinha, não tinha acordado ainda;

Resolveu subir e ver como estava a menor, mas parecia estar dormindo ainda. Ele bateu na porta do quarto, e nada. Então, abriu ela, e viu que realmente estava dormindo.

Se aproximou, e viu que ela não estava mais com febre, estava gelada, muito gelada. Isso o preocupou, tentou chama-lá, mas ela não acordava, tentou sentir sua respiração, é só aí, viu que ela não estava mais com vida.

─ Jihyo-ah! Não! Por favor, você não pode ir! ─ Disse desesperado, as lágrimas quentes, já estavam em seu rosto, e seu coração, já batia descompassado. ─ Não! Jihyo, por favor!

Chorava mais e mais. Se sentia o culpado, se sentia um lixo, por não ter impedido isso.

Mas algo lhe rondava, como isso aconteceu?

─ J-jihyo, po-r favor, m-me diz que você tá aí! Por favor! Não, vai! Você é a minha garotinha, a minha princesa, eu não consigo sem v-você. ─ Era um sonho? Pesadelo? Só queria então acordar. Seu coração se apertava, sua respiração falhava, suas lágrimas, caiam desesperadamente.


Notas Finais


Se cuidem! Não é férias!
Não fiquem andando atoa, só saiam se for de extrema importância. Só quero o bem do ces ;-;


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...